1. Spirit Fanfics >
  2. Sobre Altivez, Brilho, Passividade e Dominância >
  3. Like Real People Do ... Hozier

História Sobre Altivez, Brilho, Passividade e Dominância - Capítulo 30


Escrita por:


Notas do Autor


Eu fiquei ansiosa e estou postando o capítulo sem capa mesmo, desculpem 🙏🏻🙏🏻🙏🏻 Segue a noite de Natal de Yoriichi e Shinobu, uma noite com a qual eu sonho de maneira pessoal, a noite em que você supera um passado ruim com a pessoa que te ama.

Capítulo 30 - Like Real People Do ... Hozier


Havia vestido uma calça de moletom e uma camiseta branca de mangas compridas enquanto Kochou se trocava no banheiro do quarto. Yoriichi então deitou na cama da namorada e se enfiou embaixo das cobertas, que tinham o agradável cheiro de glicínias. Ele apertou o edredom ao mesmo tempo que abraçou os próprios joelhos, e riu sozinho por estar parecendo um adolescente.

- Está tudo bem aí? – a voz de Shinobu foi ouvida quando ela saiu do banheiro.

- Está tudo ótimo, estou quentinho e confortável, e vou dividir a cama com a minha namorada na noite de Natal, o que poderia ser melhor? – ele olhava para ela com um carinho sem igual.

- Não seja bobo – ela sorriu e seu semblante pareceu ganhar uma serenidade não vista antes.

- Vem, o jantar foi divertido, mas quero te abraçar e morrer assim – Yoriichi deu uma gargalhada enquanto puxava Kochou para cima da cama. Ele a abraçou e encheu o rosto dela de beijos, rindo e lhe fazendo cócegas, acariciando seus cabelos e admirando os raros olhos violeta da jovem – Você é incrível.

As palavras dele foram proferidas em meio ao curto silêncio gerado pelo admirar de Tsugikuni a Shinobu. Sorriu tranquilo, e isso deixou a moça corada. Ela o puxou para um beijo longo e lento, como ainda não haviam feito desde que iniciaram o relacionamento. Ela o abraçou de volta e lhe segurou os cabelos, mordendo o lábio dele e o ouvindo resmungar.

- Que foi? – ela parou para observá-lo.

- E-eu... Vou me animar se continuarmos assim – engolindo em seco, Yoriichi sentia o rosto arder e o corpo latejar. Os dois haviam combinado de não fazer sexo, pois as lembranças de Kochou com Douma ainda eram muito dolorosas. Mas aparentemente aquele combinado estava sendo esquecido no momento.

- Não tem problema. Eu sei que demorei um pouco, mas você não é ele. Eu te conheço desde que entrei na faculdade, não preciso ter medo – ela ainda disse que havia chegado àquela conclusão faziam uns 3 dias.

- Você me atraiu pra uma armadilha, foi? – ele levantou uma sobrancelha e riu de canto.

- Ora, borboletas não fazem armadilhas. Borboletas são atraídas pela luz e pelo calor do Sol de inverno – ela mantinha o sorriso tranquilo. E seu olhar foi o suficiente para que Yoriichi entendesse que estava livre para amá-la.

- Se se sentir incomodada, me avisa e eu paro – ele solicitou, já descendo os beijos pelo pescoço de Shinobu e desabotoando a camisa do pijama dela por completo em seguida.

O semblante dos dois era resumido por uma calmaria sem igual. O olhar de Yoriichi para os seios fartos de Kochou era mais carinhoso do que libidinoso. Ele estava decidido a se dedicar a cada pedacinho da namorada, então segurou-lhe os seios com as mãos e beijou, excitando as auréolas com alguns movimentos de sua língua. Tinha as duas mãos cheias nas curvas da moça, acariciando ela e a beijando com tamanha delicadeza que a fazia apenas sussurrar o nome do outro entre suspiros baixos.

- Está gostando? – Yoriichi perguntou quando começou a puxar a calça de Shinobu, descobrindo então que ela já não vestia roupa íntima - I-Isso também é de alguma maneira proposital?

- Sim, eu estou adorando – ela tinha os olhos fechados – E não... Exatamente. Passar a noite livre de peças íntimas areja o corpo, faz bem... Ahh...

Ele não resistiu. Assim que terminou de despi-la, deixou o polegar direito deslizar por entre os grandes lábios da intimidade de Shinobu, fazendo um rápido estímulo. Ele a beijou pelas pernas, ventre, costelas, voltou até os lábios dela e sorriu.

- Você vai gostar mais ainda – ele só queria que aquela noite fosse perfeita para a namorada. Queria que ela esquecesse tudo de ruim que já passara meses antes.

Desceu novamente os beijos numa trilha úmida pela pele clara de Kochou, lhe abrindo as pernas e confirmando com ela que poderia iniciar. Ele queria se ater às expressões dela enquanto a amava. Lhe segurou uma das mãos para afirmar que estava segura com ele, e com a mão livre separou os grandes lábios da intimidade dela, deixando ali alguns beijos e lambidas, estimulando o clitóris e cuidando para que cada segundo daquilo a deixasse excitada e contente.

Yoriichi era habilidoso e objetivo, e em poucos minutos, Shinobu avisou que iria terminar.

- Quer que eu finalize agora? – ele perguntou sem parar de mover o indicador dentro dela.

- N-Não... Agora não... – ela arfava no meio das palavras, e foi um bom esforço para fazer o namorado voltar até ela – Vem... Não quero esperar mais – pediu, puxando a blusa dele e deitando novamente na cama.

- Tudo bem, estou indo – ele respondeu, se desfazendo do resto das roupas e procurando por algo no bolso da calça jeans com que chegara.

- É isso que você quer? – a voz de Shinobu pareceu sedutora pela primeira vez na noite. Ela tinha a embalagem da camisinha na mão esquerda, próxima da boca.

- Ah... Não faz isso comigo – o ruivo engoliu em seco, se tocando por alguns instantes antes de pegar a proteção e colocar devidamente – Me deixa ansioso – ele então fez Kochou se levantar de onde estava. Sentado no colchão fofo, puxou a namorada para que ficasse em seu colo, roçando as intimidades e a beijando com carinho.

Quando entrou, o fez devagar, cuidando em como faria para se completar no corpo pequeno e bonito de Shinobu.

- Se incomodar, me avisa – pediu Yoriichi, segurando a cintura da moça e a fazendo sentar sobre si bem devagar. Ela o beijou e lhe mordeu os lábios, chegando até a base dele finalmente. Controlando os movimentos, Kochou subia e descia no membro do namorado, lhe arranhando e apertando os ombros.

- Eu amo você – ela não chegou a dizer aquilo para o outro traste, e ficava feliz por isso. Porque amava mesmo Yoriichi. Amava os cabelos compridos, a fala tranquila, o modo de agir.

E amava tê-lo dentro de si. Amava Tsugikuni Yoriichi e o empurrou para que deitasse na cama. Estava bom daquele jeito. Estava gostando de controlar o ato e de se mover por conta própria, vendo o outro gemer baixinho e se segurar nela. Ela se sentia amada com ele, coisa que nunca sentiu de verdade com o outro. Estava decidida a esquecer o idiota e focou no namorado com todo o seu coração. Se deitou sobre o corpo dele, que flexionou e firmou as pernas na cama, a apertando pelas nádegas e forçando os movimentos um pouco mais, impulsionando o quadril contra Shinobu e a beijando, sentindo o arfar dela em seu rosto, e as unhas compridas em seus braços.

Trocaram de lugar. Perderam o controle até bastante rápido, talvez porque Kochou já estava bem estimulada. Tsugikuni começou a se mover com mais força, mais rapidamente também, tentando segurar a própria voz, pois Kanae dormia no quarto ao lado. Era tão bom. Ele a amava havia tantos anos e agora estavam ali, aproveitando um ao outro, se amando, se completando.

- D-Desculpa... Eu tô quase... Quase mesmo – Yoriichi arfava debruçado sobre Shinobu, com seus movimentos no máximo, apertando ela inteira contra si.

- Continua. Só... Continua... – ela pediu, deixando longas marcas de unhas nas costas dele, o mordendo e beijando pelo pescoço enquanto sentia o baixo ventre gelar.

Ele terminou primeiro. O corpo arrepiou com o orgasmo, e o mais velho se moveu mais algumas vezes, sentindo a intimidade de Shinobu se contrair e a ouvindo gemer. Ela também havia chegado ao fim.

Permaneceram alguns momentos do mesmo jeito, suspirando e arfando, se admirando. Yoriichi acariciou a bochecha da namorada e lhe tirou a franja do rosto, dando um beijo em sua testa.

- Eu amo você. E vou fazer de tudo para darmos certo – ele sorriu e se levantou. Correu até o banheiro, se desfez da proteção, se limpou e na volta praticamente se atirou na cama da namorada – E você vai ter que me aturar até ficarmos tão velhos que nossos bisnetos vão correr em torno de nós e não vamos ouvir nada.

Ele a puxou para si e abraçou Kochou com força. No fim, aquela história de bisnetos rendeu, e os dois não tinham ideia de que horas eram quando foram efetivamente dormir.


Notas Finais


A noite de Natal ainda promete. No próximo capítulo, Inosuke e Tora! Comentem, espero que estejam gostando, porque a reta final não demorará muito a chegar. Essa fic é basicamente das coisas que dão certo, porque de coisa dando errado já basta minha vida kkkkk ♥️♥️♥️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...