1. Spirit Fanfics >
  2. Sobre biquínis e sorvetes de casquinha >
  3. Capítulo Único.

História Sobre biquínis e sorvetes de casquinha - Capítulo 1


Escrita por: e Softsintese


Notas do Autor


Boa leitura babys!!!

Capítulo 1 - Capítulo Único.


A Sakura-chan não costumava me chamar para sair somente ela e eu. Sempre junto ía o Sasuke, Sai e a Ino. Mas dessa vez quando cheguei no shopping onde ela combinou de me encontrar, só estava ela.

 

Fiquei um pouco confuso com isso, porque a gente só saía sozinhos quando era pra coisas muito específicas. Tipo sair pra comer mesmo estando na época das provas na faculdade.

 

Eu não levava a faculdade muito a sério, enquanto a Sakura sempre estudava, por isso estava sempre preparada. Aí só sobrava nós dois. 

 

Mas hoje? Todo mundo estava de férias, a  Ino até daria uma festa quarta sem nenhum motivo.

 

E mesmo assim a Sakura quis sair só comigo.

 

Fiquei tentando pensar o que ela queria, e claro que tentava tirar aquelas ilusões falsas do meu cérebro de que talvez aquilo significasse algo mais.

 

Eu já não era mais um garotinho tolo de 14 anos pra pensar que a Sakura queria ir em um encontro comigo.

 

Isso não.

 

Por isso, quando a vi ali, a cumprimentei e então já fui afim de matar a minha curiosidade.

 

— Sakura-chan, porque me chamou? — questionei.

 

— A Ino está ocupada com a festa, então queria ajuda nas compras — explicou.

 

— Ah sim... 

 

Eu me senti feliz por um momento já que depois da Ino eu fui a sua segunda escolha. Só que isso não fazia o menor sentido! Se ela tinha um pretexto pra chamar alguém pra sair ela usaria com o Sasuke e não comigo. Devia ter algo a mais nisso.

 

— Mas Naruto... — ela falou meu nome. — Eu realmente preciso da sua ajuda hoje pra escolher algo.

 

— Uh? O que Sakura?

 

— Você sabe que a festa na casa da Ino vai ser na piscina né? Todo mundo vai usar roupa de banho, mas o biquíni que eu tinha era muito feio eu preciso achar outro... E... Eu não posso ficar muito tábua nele! — explicou.

 

— Sakura-chan eu não entendi nada de moda! Você sabe disso,  talvez o Sai ou alguma garota fosse mais útil nisso — fui sincero. 

 

Além do que eu sou meio pervertido, mesmo sendo apenas pra escolher um biquíni eu ficaria imaginando a Sakura-chan vestindo aquelas peças. Acabaria comigo.

 

— Mas eu quero a opinião de um garoto, não para moda, e sim pra ver se estou tábua demais ou não. Quero algo que fique bonito e preciso que seja você Naruto, porque até onde eu sei você é  hétero e sincero, sem ser maldoso com a sua sinceridade como o Sai!

 

— Você está me dizendo que quer que eu, Uzumaki Naruto, olhe para os seus peitos? — perguntei incrédulo.

 

Aquilo só podia ser uma pegadinha dela, ou então uma armadilha para que se eu falasse sim ela me daria um cascudo.

 

Mas não foi isso que aconteceu...

 

— Bom... Sei que pode soar um pouco estranho falando assim, mas você é meu melhor amigo, é o único garoto que eu confio pra isso, e eu não queria ter que aparecer tábua na frente das outras pessoas — Sakura disse insegura.

 

— Sakura-chan acredite eu quero muito te ver usando vários biquínis na minha frente. Mas eu ainda preciso ser um cara legal e te contar:  você está pedindo para o cara errado! 

 

— Como? — perguntou  confusa.

 

— Eu sou um tremendo pervertido quando se trata de você — então eu respondi já temendo uma surra que me faria mudar de cor.

 

Mas não foi isso que aconteceu.

 

— Naruto eu não tenho porque me preocupar com você — ela disse.

 

— Eu acabei de falar que sou um pervertido por você! — respondi.

 

— Naruto fala sério... Eu sei que sou uma tábua — ela suspirou parecendo desanimada. — Não teria nada de pervertido pra você olhar.

 

— Sakura você não tá entendendo, eu seria pervertido por você até se você um homem — respondi.

 

Ela estava com problema no tamanho dos seios? Aquilo definitivamente não me importava.

 

Eu amava a Sakura de qualquer jeito, e até mesmo seus seios pequenos eram meu tipo.

 

— Aish  para de ser idiota — ela falou um pouco corada. Mas eu não me iludo mais, sei que ela só está com raiva por eu estar sendo irritante por ainda estar obviamente apaixonado por ela.

 

Fazer o que,  sou mesmo idiota, mesmo que eu tente sou óbvio demais. Não consigo esconder meus sentimentos. Patético eu sei.

 

— Desculpa, Sakura-chan,  mas eu realmente não posso mentir e me aproveitar de você. Eu não olharia com os olhos de um amigo e sim um completo pervertido.

 

— Você não sabe do que está falando... Se visse a realidade não acharia isso — ela disse. — Nem o Sasuke-Kun conseguiria me olhar com esses olhos.

 

— O Sasuke não sou eu... — falei.

 

Ele não era apaixonado pela Sakura como eu era.

 

Eu tive que esconder esses sentimentos para não deixar nossa amizade estranha.

 

Mas isso não significa que eu deixei de gostar dela, apenas aprendi a disfarçar melhor.

 

— Eu não ligo,  só quero que me ajude pode ser?

 

— Se você não liga claro que podemos. 

 

Eu obviamente queria ver isso. Só fui estraga prazer comigo mesmo por respeitar a Sakura. Eu precisava fazer ela saber que sou pervertido por ela, para que jamais Sakura pensasse que me aproveitei dela.

 

Mas se ela estava ciente disso e mesmo assim aceitou, eu não iria impedir mais.

 

Ela me arrastou para uma loja dessas que vendia roupa de banho, e então me chamou pra escolher uns modelos.

 

Eu só ficava notando os olhares que recebia daquelas mulheres ao me verem ali já seção feminina escolhendo essas coisas com a Sakura.

 

— Esse tem uma cor bonita, né Naruto? — ela perguntou me mostrando um biquíni azul.

 

— S-sim — acabei respondendo.

 

— Mas o bojo dele parece pequeno — falou analisando.

 

— Você não precisa comprar um com bojo, Sakura-chan.

 

— Naruto sem bojo eu realmente iria parecer um homem — falou pegando um preto  com o bojo um pouco maior.

 

— Pois eu duvido muito disso.

 

— Não duvide — ela disse. — Você nunca os viu pra saber como são na realidade.

 

— Se é por isso então porque você não me mostra? — questionei me preparando para levar um tapa.

 

Mas ela suspirou e apenas pegou um biquíni com mais bojo.

 

— Esse vai ficar muito artificial também...

 

— E esse vermelho? Ficaria lindo em você — mostrei com o dedo.

 

Ele era liso e simples,  mas eu sempre achei a Sakura-chan uma gata de vermelho. 

 

— Uh? Até que parece bom — comentou o pegando na mão. — Haha você tem bom gosto Naruto, eu achava que iria me mostrar algum laranja.

 

— Não posso evitar a minha paixão por laranja,  mas você sempre fica linda de vermelho, além de ser sua cor favorita.

 

E assim como o biquíni, as bochechas de Sakura também ficaram vermelhas.

 

— E-então eu vou experimentar para levar — ela disse meio envergonhada.

 

Se fosse de raiva de mim ela já teria me batido... Mas não parecia ser isso.

 

Ah Naruto, não se iluda! Sakura nunca gostaria de você.

 

— Tudo bem — respondi, e então fomos caminhando em direção ao provador.

 

— Espera aqui — mandou.

 

Eu me sentei em um banco, e uma mulher que foi entrar no outro provador me olhou com cara feia.

 

Que vergonha!  Eu percebia que as mulheres não me queriam  por ali. A Sakura-chan me faz passar por cada uma.

 

— Naruto entra aqui — escutei ela pedir.

 

Entrar no provador com a Sakura-chan.

 

Ela estava brincando comigo, não é?

 

É uma sádica que gosta de me ver e faz de propósito.

 

Ignorei o olhar das mulheres, e então fui até a cabine dela.

 

Sakura-chan estava sem a blusa... E segurava aquele maldito biquíni vermelho entre seus seios.

 

— S-Sakura? — falei.

 

— Amarra pra mim, Naruto — ela pediu se virando de costas pra mim.

 

Ah céus!

 

Meu coração acelerou,  mas eu fui forte e segurei aquelas duas tirinhas de pano,  enquanto amarrava.

 

As costas da Sakura são tão lindas. A pele dela parece tão macia e enquanto eu dava o laço sentia os meus dedos encostarem sem querer em sua pele.

 

— Sakura-chan... — falei.

 

— Acha que ficou bom, Naruto? — ela perguntou se virando para a minha frente novamente.

 

E o meu olhar se abaixou até o seu biquíni.

 

Eu me senti um cretino, um safado, um pervertido por gostar tanto daquela visão.

 

Mas não pude evitar.

 

Ela era gostosa demais pra mim.

 

Tive que me segurar pra não agarrar ela ali naquele momento.

 

Apenas me controlei.

 

— F-ficou lindo Sakura — gaguejei meio nervoso.

 

— Mas eu não estou muito tábua? — perguntou, o que me incentivava a olhar mais para seus seios. 

 

— A única coisa que se passa na minha cabeça agora é que você tem belos seios!

 

Eles são tão fofos e redondinhos.  Deviam ser ainda mais lindos sem o bendito biquíni cobrindo eles.

 

— N-Naruto-Kun! — Sakura reclamou envergonhada.

 

Mas eu não podia fazer nada. Afinal de contas ela que havia me pedido a opinião.

 

E honestamente? Os seios de Sakura podiam ser considerado pequenos para os outros, mas eu não via nenhum problema ali.

 

Eles eram perfeitos para mim.

 

— Você me pediu a verdade... Eu apenas falei — respondi. — Porque você me provoca desse jeito quando sabe o que eu sinto? — questionei.

 

— Eu não sei do que você  está falando — se fez de desentendida.  

 

— Aham, não sabe. Até eu sei que sou óbvio demais, Sakura-chan. Mas bom,  não estou reclamando estou amando te ver assim,  se quiser me chamar mais vezes para comprar biquínis estou sempre disponível.

 

— Naruto-kun, mas você não me respondeu... Eu estou uma tábua?

 

— Eu já disse que está perfeito, Sakura — falei.

 

— Seu olhar como perfeito não vale, tem que dizer se está muito reto ou não.

 

— Definitivamente reto não está — falei. — Você tem seios pequenos, mas eles são o suficiente para caber na minha mão.

 

— P-Pervertido! — Ela me deu um tapa no braço. Não foi tão forte como costumava ser, então eu fiquei confuso se ela estava mesmo brava ou não.

 

— Mas se você quiser provar mais alguns eu adoraria assistir.

 

— Não! Se você acha que essas ficou bom vamos levar ele mesmo — ficou de costas para mim. — Solta?  —  pediu e  eu puxei a cordinha soltando.

 

— Mas e  a calcinha não quer me mostrar como ela vai ficar?

 

— Baka, a calcinha eu não tenho problemas para querer saber a sua opinião — ela falou.

 

— Poxa, isso é uma pena... — falei meio decepcionado.

 

— Pode sair agora — ela disse.

 

— Se eu sair é capaz daquelas mulheres que me viram entrar quererem me matar — eu falei.

 

— Lide com isso — me empurrou para fora fechando a porta novamente.

 

Eu ignorei os olhares julgadores e me sentei no banco novamente.

 

Ainda bem que a minha camiseta era cumprida porque tem algo além do meu coração pulsando aqui.

 

Depois de uns minutos Sakura finalmente saiu daquele provador, e então eu a acompanhei até o caixa já que ele iria comprar aquele biquíni mesmo.

 

Ela pagou, e então saímos daquela loja.

 

Algo me dizia que eu nunca mais seria bem vindo novamente ali.

 

— Naruto, você está estranho, aconteceu algo? — ela questionou.

 

Tirando a ereção que doía no meio das minhas pernas? Nada não. 

 

— Estou ótimo Sakura — respondi.

 

— Aham... Quero comer alguma coisa antes de ir embora?

 

E o pervertido pensou o que?

 

"Quero sim Sakura-chan, pode ser você?"

 

Mas claro que eu tinha amor a minha vida! 

 

— Vamos tomar um sorvete? — foi o que eu respondi.

 

— Ótimo — Sakura concordou sorridente, e então fomos até um quiosque.

 

Eu pedi duas casquinhas, e eu mesmo paguei. A de Sakura foi mista, já a minha foi total de chocolate.

 

A moça entregou nossos pedidos, então começamos a tomar elas enquanto andávamos.

 

Só que eu só conseguia observar o quanto a Sakura parecia sexy lambendo esse sorvete...

 

Ah céus! Meu pênis estava dolorido demais. Por que eu tinha que ser tão pervertido?

 

O pior que eu não conseguia desviar o meu olhar dela, então o meu problema nas calças não iria desaparecer como um passe de mágica.

 

Que terrível ter que aguentar até chegar em casa. 

 

A Sakura me mataria se soubesse que queria me masturbar pensando nela.

 

— Uh? Naruto? Que foi? Seu sorvete tá derretendo — ela disse.

 

— A-ah sim... — olhei pra casquinha na minha mão e comecei a tomar também.

 

Mas mesmo assim não consegui parar de olhá-la.

 

Aquilo não podia ser real... Ela parecia estar fazendo aquilo pra me provocar.

 

Ninguém chuparia um sorvete de uma forma tão erótica, por que ela passaria a língua desse jeito...

 

— Uhmmw! — mas a Sakura acabou gemendo. — Esse sorvete é mesmo muito bom, não é Naruto? — ela disse.

 

— C-Com certeza Sakura — falei. Eu estou enlouquecendo!

 

— Hoje foi tão legal, a gente deveria sair mais vezes só você e eu — comentou.

 

— Com certeza foi muito legal. Adoraria te ver sem blusa mais vezes — comentei meio sem pensar.

 

É  agora que eu morro na base da porrada!

 

— Você fala como se realmente tivesse gostado... — Sakura diz desviando o olhar parecendo envergonhada.

 

— Você sabe que eu gostei — falei. 

 

— Às vezes parece que fala isso só pra me agradar — ela disse. — Eu sei que sou uma tábua.

 

— Sakura... Se você não batesse eu iria te provar o quanto que gostei, mas enquanto ainda me resta um autocontrole e dignidade eu só posso falar com palavras mesmo.

 

— Então você tem medo de mim? O seu medo te impede de fazer o que exatamente Naruto?

 

— Sakura-chan por favor me deixa ter dignidade,  não me faça falar — pedi, mas claro que foi em vão. Sakura é muito sádica! 

 

— Mas eu estou curiosa,  por favor Naruto-kun — ela apenas usou o sufixo pra eu ser incapaz de negar.

 

— Certo, vem aqui... — então eu a puxei para sairmos do meio do corredor e nos encontrarmos em uma parede ali do Shopping. — Agora me abraça — eu abri meus braços.

 

— Uh? — ela me encarou confusa, mas eu apenas assenti para que ela fizesse.

 

Senti seu corpo se encostar no meu, ela passou os braços pela minha cintura, e eu sentia o meu rosto queimar de vergonha.

 

— Está sentindo? É assim que você me deixa... — falei.

 

— Não entendi, te deixo carente? — perguntou. 

 

— Minha masculinidade chora se você diz realmente que não está sentindo nada...

 

— Do que você está falando? — Em resposta eu a apertei mais contra meu corpo fechando meus olhos esperando o cascudo que fosse por eu ser esse pervertido. — N-Naruto não me diga que você está...?

 

— Sim Sakura — eu respondi, não tinha o que esconder mais.

 

— Você está com o coração acelerado!? — mas foi isso que ela falou.

 

— Sakura — então eu tive que me pressionar ainda mais de propósito nela, era impossível que ela não tivesse sentindo nada. — Eu tô completamente duro e excitado por você.

 

— Eu deveria te dar uma surra...

 

— Eu mereço — concordei.

 

—  Você realmente é  o pervertido que falou,  não acredito nisso Naruto.

 

— Me desculpa Sakura-chan!

 

— Naruto...

 

— Mas eu nunca menti pra você — falei. — Sempre deixei claro... O hentai que eu era.

 

— Mas eu nunca levei a sério... — ela disse. — Caramba... 

 

— Eu juro que não queria, mas você não me deu outra escolha... Não consigo controlar como meu corpo fica perto de você — falei, e mesmo assim ela ainda não tinha se afastado.

 

— Não foi a primeira vez que te deixei assim? — perguntou parecendo estar curiosa.

 

— Eu já estou sem nenhuma dignidade... — reclamei afinal era óbvio que eu ficava assim pela Sakura sempre que pensava nela de um jeito ecchi. 

 

— Você não me respondeu.

 

— Sakura... Óbvio que não — eu respondi.

 

— Seu hentai... — ela disse.

 

— Eu tenho que admitir que sou mesmo... — falei.

 

— Você já se masturbou pensando em mim? — questionou.

 

Eu ainda não entendi porque ela continuava abraçada em mim fazendo aquelas perguntas, e me sentindo quando podia me bater.

 

Mas dignidade? Tava em falta! Por isso não vi mal em responder a verdade naquele momento. Deixaria para me arrepender mais tarde,  enquanto chorava no banho.

 

— Sim.

 

—  Muitas vezes? — perguntou.

 

— Muitas — falei.

 

— Iria fazer isso de novo quando chegasse em casa? — questionou.

 

Ela quer me matar, é isso, está apenas prolongando meu sofrimento.

 

— Sim — admiti.

 

— Eu quero ver isso, Naruto — ela falou.

 

— O q-que?! — Eu quase gritei assustado com aquilo.

 

—  Me deixa te assistir? — pediu.

 

— Sakura-chan... Eu... Eu nunca conseguiria dizer não para isso.

 

— Então vamos para a sua casa — ela chamou.

 

E pois bem.

 

Eu começava a ficar em dúvidas se aquela era a Sakura mesmo ou um demônio destinado a me carregar para o inferno. Mas então lembrei que os dois não eram tão diferentes.

 

— Sakura... — ela se afastou do meu abraço e eu pude ver seu rosto.

 

Estava vermelho... Mas não parecia que queria me matar.

 

— Vamos logo, você está de carro? — perguntou segurando a minha mão para me puxar para fora do shopping.

 

— Estou...

 

Eu queria ter um pouco de orgulho,  mas como eu não tinha nenhum eu só fiquei sorrindo que nem idiota olhando nossas mãos juntas.

 

Parecia até um sonho...

 

Como se ela tivesse me dado alguma esperança.

 

Eu não sabia qual era as intenções dela, ou porque ela estar fazendo aquilo comigo.

 

Mas Sakura não me bater por eu falar algo pervertido já era um grande avanço.

 

Saímos do shopping indo até o estacionamento, e então entramos no meu carro.

 

— Não incomoda pra você dirigir desse jeito? — questionou.

 

— Claro que incomoda, mas não tenho escolha — respondi ligando o carro.

 

— Você já ficou excitado comigo em lugares públicos antes?

 

— Já... 

 

— Onde?

 

— Na escola — muitas vezes lá que até tinha perdido a conta. — No parque... Quando fomos a praia... No sítio do final de ano...

 

— Naruto... Você é mesmo um pervertido — falou.

 

— Sim, você já sabe disso — suspirei. — Mas porque tanta curiosidade Sakura? Porque você não me bateu e me xingou como das outras vezes? Porque quer ir na minha casa?

 

— Uh? Nada não, só estou curiosa — respondeu indiferente. 

 

— Curiosa?

 

— Sim. Me diga Naruto, você ainda é  virgem?

 

Como falei antes eu já não tinha dignidade,  mas agora eu já estava cavando o fundo do poço porque não era o suficiente.

 

— Sim... Eu não posso ficar com outra pessoa sendo que só penso em você.

 

— E pretende ficar virgem o resto da vida? — ela questionou.

 

Se a prova era de humilhar, Sakura fazia questão de tirar 10.

 

— Não é como se eu escolhesse isso — falei.

 

Eu não queria gostar da minha amiga, não sabendo que ela não me corresponderia, mas não havia nada que eu pudesse fazer.

 

Tentei superar,  mas não tinha como. Quando se nasce pra ser gado você se apaixona uma vez só e nunca esquece.

 

— Haha... — então ela riu de mim.

 

— Cruel, Sakura-chan! — reclamei focando em dirigir para chegar logo em casa.

 

— Você é  fofinho demais Naruto.

 

— Você está me torturando! — eu disse emburrado.

 

Porque eu deixava ela me fazer de gato e sapato? Porque estava continuando essa conversa?

 

— E confesso que adoro isso... — falou. — É uma gracinha demais te ver desse jeito, Naruto.

 

— Desse jeito como? Trouxa e cheio de tesão por você?

 

— Sim,  antes eu achava irritante,  mas hoje eu vejo com outros olhos — falou.

 

— Outros olhos?

 

— É... não estou preocupada com a opinião dos outros sobre meu biquíni Naruto, só de uma pessoa.

 

— Se você falar que é  o Sasuke eu vou broxar  mais rápido que o flash!

 

— Não é o Sasuke — ela disse e então veio se aproximando de mim, eu estava completamente confuso. — É você.

 

— O QUE? — eu acabei dando uma freada bem ali no meio do trânsito.

 

A sala de comando dos meus divertidamentes a essa hora entrou em pane total.

 

— Sabe Naruto... — ela disse. — Talvez hoje você não precise resolver esse problema com a mão... Ao menos não a sua.

 

— Esse tipo de brincadeira não se faz! — A olhei indignado.

 

— Não estou brincando.

 

E se eu não tivesse com o carro parado eu teria com certeza sofrido um acidente.

 

Sakura colocou a mão sobre meu membro apertando por cima das roupas arrancando um gemido surpreso meu.

 

— S-Sakura... — eu falei. Parecia que eu tinha morrido e ia pro céu.

 

Só que as buzinhas atrás de mim, começaram a tocar, me dando conta de que eu tava era vivo na terra mesmo.

 

— Quando chegarmos na sua casa eu prometo que compenso — ela disse retirando a mão, e eu voltei a dirigir.

 

— Mas o que te fez mudar de ideia assim? 

 

Eu estava muito emocionado, na minha cabeça eu já estava me vendo casado e tendo um filho.

 

Se fosse garoto eu chamaria de Kurama!

 

— Bom... Já faz um tempinho que eu venho notado sentir algo por você — ela disse.

 

— E porque nunca me disse nada? Até porque a minha paixão por você sempre foi óbvia mesmo eu tentando disfarçar!

 

— Sim, isso é um fato, mas... Naruto, eu sempre tive Naruto panic de você — ela disse.

 

— Naruto panic? — olhei confuso.

 

— Sim, por isso sempre te batia. Eu ficava em desespero ao imaginar algo entre a gente.

 

— Seria tão ruim assim ter algo comigo? — fiz até um bico  por estar decepcionado.

 

— Você não é  tão legal quanto o Sasuke-kun — jogou na minha cara. — Por isso sentir algo por você me deixava irritada. Achei que era loucura. Mas então o Sasuke me deu uma chance.

 

— Ele te deu?! 

 

Agora que eu não estou entendendo mais nada! Se ela tinha o Sasuke pra que ela iria querer algo comigo? 

 

—Sim,  mas quando eu o beijei eu sentia que estava traindo alguém. Não digo você, talvez a mim mesma. Foi quando eu percebi que eu não gostava mais do Sasuke desse jeito romântico.

 

— Então está dizendo que...

 

— Foi você Naruto — ela disse. — Sempre foi você, e agora eu tenho mais certeza ainda disso.

 

— Sakura-chan...

 

— Me perdoe por ter sido uma tola e não ter falado isso antes... Espero que possa me perdoar.

 

— Sua baka, é claro que eu te perdoaria — falei, afinal de contas sou o rei do gado, e estava feliz demais por aquele momento.

 

—  Fiquei em negação até conseguir o que sempre achei que queria. Mas quando consegui eu soube que quem eu queria era você. Eu tive medo de ter te perdido por ter sido trouxa.

 

— Tudo bem Sakura-chan nem se você tivesse percebido com 99 anos. Eu estaria aqui.

 

— Bobo! — ela disse com aquele sorriso lindo.

 

E naquele momento eu me sentia o cara mais feliz do mundo.

 

Afinal de contas, Sakura depois de tantos anos resolveu retribuir meus sentimentos, aquilo me provava que um pouco de tempo e paciência sempre valeriam a pena.

 

E eu dirigia meu carro com a maior empolgação do mundo, louco para chegar em casa, pois agora Sakura havia me dado um motivo para eu querer ir mais rápido.

 

E talvez um filho só não seja o suficiente, quem sabe gêmeos?

 

Poderia chamar eles de Kyuubi e Kurama. 

 

Em meio aos pensamentos planejando meu futuro com a Sakura chegamos na minha casa.

 

Estacionei na frente dela. Desci e dei a volta abrindo a porta para ela.

 

Sim, eu sou um cavalheiro, e finalmente teria a Sakura-chan para mim.

 

— S-Sakura, estou nervoso... — admiti.

 

— Aí Naruto... Eu também estou — ela disse, e seu rosto estava corado.

 

— A gente deveria ter ido com calma. Um encontro, cinema,  flores — falei em pânico.

 

Não acredito que fui aquele safado! Estraguei nosso começo fofo que eu sempre sonhei.

 

— Naruto para com isso,  vamos logo para o seu quarto — pediu pegando na minha mão novamente.

 

Destranquei o portão e a porta de casa, e entãoa levei para o meu quarto o mais rápido que pude.

 

Ok, por onde começávamos? Tínhamos que tirar a roupa e... meu deus, a camisinha, será que aquelas que eu tinha ganhado na aula de biologia ainda funcionavam? Ainda bem que eu  não fiz balões com elas.

 

Tirei a minha blusa,e olhei para Sakura ali na minha frente.

 

— Calma Naruto — ela disse se aproximando de mim. — Você está muito nervoso...

 

Ela começa me tocando no carro falando que quer fazer saliências comigo e ainda reclamava que eu estava nervoso?

 

Eu nem tinha preparado uma cama com rosas vermelhas como planejado...

 

— Sakura... 

 

— Shiu... calma, só me beija — ela disse se aproximando de mim, e então eu senti aquele seus lábios doces tocarem nos meus pela a primeira vez.

 

Eu estava emocionado demais então nossos dentes se bateram logo de início.

 

Sakura não pareceu nervosa, ela riu de mim me dando vários selinhos e amolecendo meu coração.

 

Mas só o coração mesmo porque o pau estava duro feito titânio.

 

Eu acabei sendo apressado, talvez, mas se eu não tirasse o coitado da calça logo eu ia explodir.

 

Acabei jogando Sakura na minha cama, onde ela caiu deitada me olhando com aquela cara de ordinária safada, e então tirei a minha calça jogando em algum canto do meu quarto sabe sei lá onde.

 

Fiquei apenas com a cueca pra não assustar ela tão repentinamente, e então voltei para cima de si sedento para a beijar mais.

 

Mas a Sakura não parecia nem um pouco assustada porque suas mãos passaram pelas minhas costas e desceram até a cueca.

 

Ela puxou para baixo deixando presa em minhas coxas expondo minha bunda.  

 

Meu pênis ainda estava meio preso na cueca,  mas logo teve alívio quando Sakura colocou a mão dentro e puxou para fora me tocando.

 

— S-Sakura... — eu acabei gemendo quando senti aquelas suas delicadas e macias mãos me tocando.

 

— Você é tão grande Naruto... — ela disse. — Está tão duro... — passou o polegar pela minha glande.

 

— E você ainda tinha me dito que não sentiu nada aquela hora — respondi.

 

— Eu queria te escutar falando  — sorriu.

 

Ela queria me matar. Dava um sorriso tão fofo quando estava com aquele olhar sacana. Me seduzindo completamente.

 

Voltei  a beijá-la me movendo contra seu corpo, fodendo a mão dela.

 

— N-Naruto... — ela disse. — Eu quero te sentir também... 

 

— Uh? — eu estava tão extasiado pela sensação de prazer que sentia em sua mão que nem me liguei.

 

— Eu também estou em uma situação complicada, você deveria me ajudar... Igual estou fazendo com você — ela disse.

 

— A-ah! —  fui pego de surpresa,  mas jamais negaria fogo para a Sakura-chan.

 

Subi a saía  que ela usava e puxei sua calcinha para baixo.  Quando passei meus dedos por sua intimidade eu senti como ela estava úmida. Parecia que eu estava tocando em shampoo transparente...

 

Esfreguei meus dedos na elevação superior,  entre os lábios. Ela gemeu apertando meu membro me fazendo suspirar.

 

— I-Isso Naruto... — e ela gemeu o meu nome parecendo gostar do que eu fazia.

 

— Finalmente os livros do Jiraya-sensei me servirão para algo — falei começando a esfregar o seu clitóris.

 

Eu estava mesmo tocando nela, parecia até surreal.

 

— Não me faça querer te bater agora, Naruto! — reclamou.

 

Sakura-chan quando éramos adolescentes me deu uma baita surra quando encontrou um livro do meu padrinho em meu quarto.

 

Enfim, não era momento pra pensar nisso e sim apenas curtir o momento.

 

Meus dedos se moviam a tocando fazendo a Sakura-chan praticamente rebolar na minha mão, eu mexia no seu clitóris e via ela ficar cada vez mais molhada e sensível aos meus toques.

 

Porém, só aquilo não estava me bastando.

 

Eu precisava provar a sua buceta com a minha boca.

 

Fiz ela largar o meu membro, ela me olhou confusa naquele momento parando os movimentos, e eu logo fui me abaixando até ficar com meu rosto no meio de suas pernas.

 

— Aaaa Naruto! — ela praticamente gritou meu nome,  enquanto eu esfregava a minha língua em seu clitóris. 

 

A chupei com desejo,  sonhei tanto com aquele momento e mesmo assim só superava as minhas expectativas. 

 

Senti ela agarrar meus cabelos,  rebolando em minha boca,  enquanto a lambia.

 

E pensar que ela escondeu esse seu lado pervertido de mim durante toda a sua vida.

 

Ah Sakura, hoje eu iria te fazer pagar por todo o sufoco que me fez passar durante esses anos.

 

A comia com volúpia e necessidade, cada vez mais eu sentia a minha boca se alagar.

 

Foi então que Sakura gemeu meu nome ainda mais alto e agarrou meus cabelos bem mais forte de uma forma sádica. Ela se contorceu embaixo de mim, e seus lábios pulsavam sensíveis. Ela finalmente tinha chegado em seu orgasmo.

 

Eu subi ficando sobre ela a beijando,  para que ela provasse seu próprio sabor.

 

Mas Sakura é  dominante,  ela saiu de baixo e me jogou na cama ficando sentada em meu colo tirando a própria blusa ficando apenas com o sutiã preto.

 

— Tem que tirar tudo Sakura-chan — reclamei levando minhas mãos as suas costas. Soltei aquela peça incômoda. As alças caíram por seus ombros e finalmente estava completamente nua.

 

Percebi suas bochechas vermelhas, ela provavelmente estava com vergonha ou alguma insegurança.

 

Mas eu ia provar aquela mulher o quanto ela era perfeita.

 

Levei minha mão até o seu seio direito, e o apertei com delicadeza, sentindo a textura macia e vendo que ele se encaixava perfeitamente no tamanho da minha mão.

 

— N-Naruto... — ela acabou gemendo com o meu toque.

 

— Você é tão gostosa Sakura — falei.

 

— C-Calado — mandou envergonhada.

 

— Se quiser me calar  vai ter que me beijar — sorri todo pervertido.

 

Sakura sorriu também se abaixando me abraçando encostando seus seios contra meu peitoral, enquanto me beijava cheia de fogo me deixando doido de tesão.

 

Sentir aqueles seios tocando em mim era tão bom!

 

— S-Sakura... — minhas mãos passavam pela suas costas, sua cintura e até mesmo sua bunda.

 

Ela não reclamou, continuou me beijando, então eu não resisti em apertar ali com vontade.

 

Ela gemeu contra a minha boca, e aquilo foi como música pros meus ouvidos, a bunda dela era tão boa de apertar.

 

— Naruto eu quero você — ela pediu e como negar?  Eu queria ela minha vida toda.

 

— Minha nossa eu preciso achar uma camisinha! 

 

— Eu tenho na minha bolsa — falou. — E antes que ficasse curioso eu tinha esperança de você ser um pervertido hoje — piscou um dia olhos para mim.

 

— Sakura... Sua descarada assanhadinha — falei. — Você fez tudo isso de propósito?

 

— Hehe — ela deu uma risadinha pervertida, e então se levantou indo até a sua bolsa e pegou não só um pacote de camisinha, como três. — Essas outras são para caso você aguentar mais — ela disse, e então abriu uma.

 

— Eu definitivamente vou aguentar — deixei claro.

 

Ela sorriu abertamente me dando um preservativo. Ainda bem que eu fui um adolescente iludido achando que um dia ficaria com a Sakura-chan, porque eu pratiquei com as camisinhas que ganhamos da educação sexual como colocava, e não passei vergonha.

 

Vesti o preservativo e voltei a derrubar Sakura na cama ficando sobre ela.

 

— Vai devagar ok? Eu também sou virgem como você — falou envergonhada olhando para o lado. — Mas nem ouse ficar emocionado por causa disso idiota — avisou por já me conhecer tão bem.

 

— Relaxa Sakura-chan, eu sonhei com esse momento por muito tempo... Vou fazer o melhor para você — falei e então guiei meu pênis até a sua intimidade, adentrando com cuidado em sua buceta.

 

— N-Naruto... — Sakura choramingou enquanto eu ia adentrando, ela agarrou as minhas costas e arranhou descontando toda a dor que sentia.

 

Ela era definitivamente uma gata arisca, pois aposto que quando eu fosse ver o resultado disso apareceriam grandes marcas vermelhas ali.

 

Mas quem disse que eu me importava? Na verdade seria perfeito,  a prova que foi real e não um sonho.

 

Quando fiquei completamente dentro dela ficar imóvel nunca foi tão difícil.

 

A Sakura é quente  e extremamente apertada. Ainda ficava se contraindo.

 

— S-Sakura... — eu dizia, aquilo era tortura.

 

— Nem ouse se mover agora! — ela ameaçou com a voz ainda manhosa.

 

— T-Tudo bem, eu espero até você tiver pronta — então voltei a beijá-la para poder a distrair daquela dor.

 

Mas a questão era uma só: tentar não gozar só por estar dentro dela.

 

Isso sim era uma batalha difícil de travar. Minha nossa! Que gostosa da porra eu não consigo não ficar emocionado com esse mulherão. 

 

— Naruto se você gozar eu te mato — ela puxou meus cabelos todo agressiva e meu pau pulsou.  

 

— Sakura-chan por favor me dá uns tapinhas quando tiver por cima,  apanhar de você assim é  o meu maior fetiche. Eu amo você bravinha assim.

 

— N-Naruto... Você já tá pulsando aqui dentro — ela falou.

 

— É porque você é muito gostosa — eu disse. — Sua buceta é muito apertada, tá sufocando o meu pau... Mas relaxa, eu não vou gozar agora — falei.

 

Tinha que manter minha dignidade e aguardar no mínimo uns cinco minutos.

 

— U-uh, bom mesmo... Pode se mover — ela pediu.

 

Comecei a me mover. Mas puta merda não gozar com ela praticamente me engolindo era muita covardia. 

 

E a Sakura-chan não tinha dó de mim. Apertava meus cabelos, arranhava minhas costas. 

 

Aquela dor e prazer me deixava cheio de tesão. Não gozar se tornava a tarefa mais difícil da minha vida.

 

— M-Mais rápido Naruto...! — ela pediu.

 

Ah não, se eu fosse mais rápido aí que não aguentaria.

 

Mas mesmo assim eu obedeci, tendo um controle que sequer imaginei na minha vida.

 

A fodia com mais força naquele vai e vem que me devorava, sentindo ir cada vez mais fundo.

 

Quando pensei que gozaria Sakura-chan me jogou na cama ficando por cima cavalgando e realizando a minha fantasia.

 

Sakura me deu um tapa forte na cara que me fez ver estrelas.

 

O meu tesão foi a mil e eu gozei como nunca, chegando no meu orgasmo com ela ainda sentando em cima de mim.

 

Ela rebolava já toda soltinha, subindo e descendo em cima de mim.

 

— Me bate também, Naruto — ela pediu, e eu acabei obedecendo, dando um tapa naquela grandiosa raba enquanto ela sentava pra mim.

 

— Sua sadomasoquista safada — a xinguei dando uma beliscadinha.

 

— Não muito diferente de você seu masoquista hentai — ela disse.

 

Sakura saiu de cima de mim e eu fiquei por cima dela colocando meus dedos e tocando seus clitóris a beijando.

 

— Uhhnn não quero a sua mão!  Troca de camisinha e vem — mandou.

 

Eu tirei aquela camisinha jogando no lixo e me masturbei para ficar duro novamente porque estava meio borrachudo naquele meio termo.

 

Quando fiquei mais ereto coloquei a camisinha e fui para cima da Sakura para a nossa segunda rodada.

 

Ainda tinha mais uma camisinha e quem sabe eu não saia para comprar mais depois?

 

E esse só não seria o melhor dia da minha vida porque o melhor vai ser quando a Sakura-chan dizer sim para ser a minha esposa.

 


Notas Finais


Esperamos que tenham gostado, até uma próxima fanfic!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...