História Sobre monstros embaixo da cama - Capítulo 1


Escrita por: ~ e ~Otpeotp

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, D.O, Kai, Sehun, Xiumin
Tags Fuffly, Hibrid!au, Otpéotp, Sekai, Sekaiéotp
Visualizações 161
Palavras 2.139
Terminada Sim
LIVRE PARA TODOS OS PÚBLICOS
Gêneros: Fluffy, Slash

Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 1 - Capítulo Único


Jongin mordia constantemente a ponta de seu polegar. As orelhinhas balançando constantemente indicavam seu nervosismo. Assim que tirou o dedo de seus lábios podia visualizar um enorme biquinho que esse tinha nos mesmos. Estava nervoso, talvez com ciúmes, e se sentindo excluído. Todos os seus amiguinhos da escolhinha de híbridos estavam falando de um novo filme que havia saído e o pequeno hibrido de urso era o único que não havia assistido. Não por falta de oportunidade, mas sim por ser um filme de terror.

O moreno não gostava muito de filmes de terror, achava muito assustador para seus pequenos olhos suportar. Ainda era um hibrido pequeno e tinha muito medo dessas coisas assustadoras, no entanto vendo seus amiguinhos conversando sobre o filme não parecia tão ruim assim. Sentia-se excluído por não ter assistido. Sempre que ia para a escolhinha todos conversavam sobre seus desenhos, filmes animados e Jongin era sempre o mais animado e antenado em tudo! Agora estava ali, voltando a morder seu polegar observando Minseok e Baekhyun conversando animadamente com Kyungsoo sobre o novo filme, ignorando totalmente sua presença.

— Pessoal— tentou chamar a atenção dos outros híbridos, aproximando-se— Eu trouxe um filme ‘pra gente assistir depois...

Naquele momento todos pararam e encararam o hibrido de ursinho que remexia em sua bolsa. As expectativas de todos eram altas para que o pequeno trouxesse o grande filme que estavam falando, mas as mesmas acabaram ao visualizar a capa de “My Little Pony” na mão do Kim.

— Nini esse filme é chato— disse Minseok e todos concordaram.

As pequeninas orelhinhas de ursinho de Jongin se abaixaram e um bico choroso formou em seus lábios.

— Tenta achar o filme que o Soo estava falando ‘pra gente assistir— Baekhyun disse com seu jeito animado. Soo? Que intimidade toda era aquela com o hibrido novo?

— Sim! Parece que é muito legal! É coisa de adultos Nini, nós já somos adultos, certo? — Minseok disse recebendo um acenar positivo do moreno— Temos que agir como tais.

A conversa se estenderia mais um pouquinho, mas era hora do leitinho com biscoitos.

Voltaram alguns minutos depois com suas barriguinhas cheias de leite, sentaram-se no tapete de quebra-cabeça fofinho em círculos e voltaram a conversar sobre o filme. Baekhyun e Minseok apenas viram de relance seus donos assistindo ao filme, já Kyungsoo havia assistido ao filme inteirinho! Aos olhos do hibrido de urso ele era muito corajoso.

Depois da conversa vinha à hora da soneca, onde os híbridos deitaram nos colchões e dormiram o restante da tarde até que chegou a hora dos donos vierem busca-los.

Jongin acordou decidido, iria assistir ao filme!

 

De banho tomado, com seu pijama azul que estrategicamente combinava com o pijama de Sehun seu dono, o hibrido foi até a cozinha onde o mais velho preparava algo para ambos comer. Podia visualizar as costas largas do Oh, a bunda se remexia em um ritmo estranho da musica que tocava no celular do mesmo. Jongin precisou gritar um pouquinho para que esse percebesse sua presença no cômodo.

Ergueu seus bracinhos para o maior e esse logo o pegou no colo, colocando o pequeno no balcão da cozinha. Abaixou a música, conhecia seu pequeno hibrido e sabia que esse queria falar algo consigo.

Fora preciso apenas alguns minutos até que o outro lhe chamasse com seu jeito manhoso.

— Hum? — murmurou sem tirar os olhos dos legumes que cortava.

— Compra um filme para mim?

— Que filme você quer?

— It A coisa...

Sehun acabou por franzir o cenho, deixando a faca e os legumes de lado. Foi de encontro com o hibrido, limpando suas mãos no pano que estava em seu ombro. Sabia que o menor era muito medroso, aquele tipo de filme não fazia o estilo de seu pequeno.

— Pequeno... Sabe que esse filme é de terror né?

— E-eu sei, mas todo mundo estava falando desse filme hoje na sala, eu não queria ser o único que não assistiu— abaixou sua cabeça.

O maior acabou por suspirar fundo. Não queria negar algo a seu hibrido tão mimado por si, mas estava receoso ao deixar o menor assistir aquele filme em especial. Já havia assistido e podia dizer que era demais para o hibrido de urso. Entretanto, não conseguia dizer não para aquele biquinho tão fofinho.

— Tudo bem— acabou por ceder, recendo um enorme sorriso— Irei pedir emprestado para um amigo meu do trabalho. Agora arrume a mesa, o jantar está quase pronto— deixou um beijo na testa do menor, colocando-o no chão.

Assim que viu o moreno sair da cozinha e ir arrumar as coisas na mesma (mesmo que precisasse usar a cadeira para tal) pegou o celular e rapidamente mandou uma mensagem para a pessoa que sabia que tinha aquele filme.

Park Chanyeol.

 

Sehun: Chanyeol

Sehun: Chanyeol

 

Chanyeol: Oi

 

Sehun: Você tem o filme It à coisa?

 

Chanyeol: Até parece que não me conhece

Chanyeol: Comprei para meu irmãozinho

Chanyeol: Um ótimo filme tenho que admitir

Chanyeol: Para que você quer?

 

Sehun: Jongin quer assistir

 

Chanyeol:

Chanyeol: Por quê?

Chanyeol: Isso não é coisa para a idade dele

Chanyeol: Se bem que meu irmão tem a mesma idade

Chanyeol: Mas você vai o deixar assistir?

Chanyeol: Do jeito que ele é todo medroso

 

Sehun: Só leva o filme amanhã

 

E assim desligou a tela de seu celular, deixando-o em qualquer canto, podendo ainda ouvir o som irritante de nova mensagem chegando. Chanyeol e sua mania irritante de sempre estar puxando assunto.

Terminou de fazer o jantar e logo colocara o mesmo sobre a mesa. Enquanto comiam Jongin falava sobre mais um dia legal que teve na creche, tirando a parte sobre o filme todo o resto o menor adorava. O rosto sujo por causa do molho do frango fazia-no ter uma aparência mais infantil do que já tinha. Era fofo de fato.

Quando terminaram de comer, o maior juntou e lavou a louça junto do mais novo, com esse sempre falando sobre algum assunto, episódios de desenhos, filmes, músicas, assuntos que ouvia e que aprendia na creche. Apesar da expressão de sono, o menor não parava de falar, e fora assim até que esse deitasse em sua cama, puxando o cobertor da Pinkie Pie até que esse cobrisse seu pequeno corpinho cansado. Logo seus olhinhos foram fechando e não demorou a pegar no sono.

No dia seguinte, na creche, Jongin se gabava ao falar que Sehun iria comprar o filme para o menor assistir.

— Eu vou assistir tudo sozinho— dizia confiante de si mesmo.

Bem, pelo menos era isso que achava até chegar à noite. Sentado no sofá ao lado de Sehun e um balde de pipoca no meio de ambos. O filme começou, e em menos dos cinco primeiro minutos Jongin já se sentia arrependido de ter começado assistir. Mas iria aguentar como o menino grande que era.

Até Pennywise aparecer.

O hibrido deu um grito tão alto que acabou assustando Sehun que estava ao seu lado assistindo ao filme enquanto comia pipoca. As mãozinhas tamparam os olhos, mas a curiosidade falou mais alto e apenas deu uma espiadinha para se arrepender mais ainda depois. Deu mais um grito, jogando-se em cima do Oh, derrubando todo o balde de pipoca no chão.

— Tira! Tira! Tira!

Sehun apressadamente segurou o hibrido com uma mão e com a outra procurou o controle, desligando a televisão em seguida. Não havia passado nem trinta minutos do filme e o menor já estava todo assustado. O corpo pequeno tremia levemente, as mãozinhas se agarravam em sua camisa, se a situação não fosse tão desesperadora o maior acharia até fofo o hibrido encolhido daquele jeito em seu colo.

Acariciou os fios castanhos de leve, sussurrando baixinho “tudo bem Nini, tudo bem”.

Demorou alguns minutos até que Jongin parasse de chorar. Adormecendo nos braços fortes de Sehun. Esse que esperou mais um pouquinho até que se levantasse para deixar o menor deitado na cama.

Cobriu-o e deixou um beijo carinhoso sobre a cabeça do mesmo.

Foi para a cama, deitando e permitindo-se descansar um pouco. Pegou rapidamente no sono.

 

Acordou com o barulho forte da chuva que caia do lado de fora. Era tão relaxante para dormir, se não fosse acompanhado com um grito estridente e um choro. Levantou-se rapidamente, indo até a origem do choro, o quarto de Jongin. Adentrou o mesmo e encontrou o hibrido encolhido na cama, enrolado em sua cobertinha.

Tentou se aproximar da cama, mas foi impedido pelo menor.

— Fica ai Hunnie! — gritou estendendo seu bracinho em sinal de ‘pare’. Viu a confusão no olhar do mais velho e logo pôs a se explicar— Ele está aqui embaixo da cama— e as lágrimas voltaram a escorrer pelo rosto do hibrido.

— Ele quem?

— O-o p-palhaço... Ele quer m-me pegar também— voltou a se encolher.

O maior suspirou fundo, aproximando de Jongin, tirando as mãozinhas que tampavam o próprio rosto.

— Não tem ninguém aqui Nini. Olha eu vou provar...

Levantou-se e logo se pôs de joelho no chão, abaixando-se para olhar embaixo da cama. Os olhinhos do hibrido o observavam curiosos e um tanto preocupados, pensava que a qualquer hora algo ia sair debaixo de sua cama e pegaria Sehun e logo em seguida ele próprio.

— Não tem nada Nini— suspirou fundo, voltando a se sentar de frente para o menor— Volte a dormir ok?

Antes que pudesse se levantar o menor agarrou seu braço.

— O m-meu armário— apontou para o armário que ficava de frente com a cama.

O loiro voltou a suspirar. Levantou-se mais uma vez, indo até o armário e abrindo tudo, vasculhando cada cantinho. Jongin sempre atento a cada movimento do maior.

— A-a trás da p-porta...

Sehun voltou a vasculhar o quarto, abrindo e fechando a porta algumas vezes.

— N-na cortina Hunie...

Abriu todas as cortinas, voltando a fecha-las em seguida. Não havia nada no quarto do menor, mas esse insistia que havia alguma coisa ali.

— Tudo bem. Irei ficar aqui até você pegar no sono, ok? — o menor assentiu, voltando a se deitar sendo coberto pelo maior.

E assim fez como prometido sentou em uma poltrona que havia ali, observando o menor fechar seus olhinhos e começar a dormir. Quando viu que era sua deixa deixou o quarto em passos silenciosos, sem fazer qualquer ruído.

Voltou para seu quarto, para debaixo de suas cobertas quentinhas. Por um lado não entendia ao hibrido, ter medo de algo parecia algo tão “infantil”, ainda mais quando se tratava de um filme, uma ficção.

Mas não poderia negar ajuda ao seu pequeno, mesmo que isso precisasse acordar as três da madrugada para ver se havia monstros debaixo da cama.

Virou-se na cama, ficando de costas para a porta. Estava quase pegando no sono, quando ouviu um ranger, indicando que a porta estava sendo aberta. Não teve coragem de levantar-se para olhar quem era que estava abrindo a porta. Poderia ser só o vento, já que a mesma estava apenas encostada.

Sua coberta fora puxada levemente, e Sehun sentiu seu corpo inteiro petrificado, sua respiração pesada. Estava com medo? Aquele filme e a histórias de que havia monstros debaixo da cama havia mexido com sua cabeça.

Um grito morreu em sua garganta quando sentiu braços pequenos lhe envolverem a cintura. Virou-se e deu de cara com duas orelhinhas que se mexiam freneticamente. Suspirou aliviado.

— Acordei e você não estava lá— o menor murmurou, apertando o corpo maior que o seu.

O Oh logo começou a afagar os cabelos castanhos, fazendo carinhos nas orelhinhas tão pequenas.

— Desculpe pequeno.

Desceu uma de suas mãos pelas costas do mais baixo, enquanto a outra continuava afagando os cabelos macios. Carinho sempre acalmava o hibrido.

Não demorou para que ambos caíssem no sono.

 

Jongin ficou mais alguns dias dormindo na cama do Oh, sentindo-se completamente confortável quando esse lhe abraçava e dizia que não havia monstro algum no quarto. Só assim podia dormir tranquilamente.

 

A segunda-feira logo chegou, e com ela a rotina cansativa. Jongin se arrumou todo para ir à creche, e Sehun para o trabalho.

Antes de seguir seu caminho, o mais velho acabou por deixar o hibrido na creche, certificando-se que esse estava bem.

Quando chegou à pequena escolinha viu um amontoado de pais na entrada. Pensou que acontecera algo grave, mas assim que se aproximou viu Park Chanyeol ali, pedindo calma com as mãos.

— O que aconteceu? — perguntou aleatoriamente para uma pessoa que estava ali.

— Aquele idiota— apontou para Chanyeol— Deixou o seu irmão assistir um filme de terror.

— E o que tem isso?

— O que tem? O hibrido falou para todos seus colegas assistirem também porque era legal. Meu hibrido está traumatizado! Ele só tem três aninhos!

Sehun se sentiu horrível naquele momento, mas por sorte havia encontrado um meio de acalmar seu pequeno. Agora o que restava era rir de toda a situação e principalmente da expressão assustada de Chanyeol enquanto lhe pedia por ajuda.


Notas Finais


parabéns a vc q n morreu d desgosto e sobreviveu até aqui kkkkk
amo muito fuffly, não pude deixar esse plot escapar <3
kiss de frango-frito~


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...