História Sobre Nintendos e Audições - Capítulo 1


Escrita por: e venuzia

Postado
Categorias EXO, SHINee
Personagens Kai, Minho Choi, Taemin Lee
Tags 2min, 2min!pais, 2minuniverse, Comedia, Fluffy, Minho, Shinee, Taemin
Visualizações 66
Palavras 1.322
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Famí­lia, Ficção, LGBT, Slash, Universo Alternativo
Avisos: Homossexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Dia dos pais chegando e nada melhor do que uma 2Min!pais, não é mesmo?

Capítulo 1 - "Você comprou o Nintendo, MinHo?"


— Seu filho é uma peste TaeMin-yah! Aquieta ele pelo amor de Jah! — berrou Kim KiBum aperreado com a criança que corria por dentro de suas pernas.

— Não fala assim com o JongIn-yah, ele só é um pouquinho animado. — justificou o pai, orgulhoso pelo filho que tinha.— Não é, meu amor?

— Sim, pai. — respondeu ativo.

Lee Taemin puxou a cria para o colo, lhe enchendo de apertos e beijinhos enquanto o Kim apenas observava quase vomitando com tanta melação, graças que ainda não tinha filhos — ainda, porque por seu namorado JinKi, já teriam sete! —, KiBum nunca iria se acostumar com o fato de Taemin, um bebezão, já ter um filho, praticamente uma criança cuidando de outra.

— Meu garotão é tão fofinho. — declarou o menor, abraçando mais forte o pequeno.

O trinco da porta se abrindo  ressoou no local, revelando a imagem de um moreno alto e bem encorpado. O mini Choi praticamente berrou ao ver a presença do pai mais velho, descendo apressado de onde estava para ir se engrenhar no meio das pernas do pai mais velho.

TaeMin o encarou sério, sua raiva transbordava no olhar, mas logo desviou sua atenção para o amigo que se despedia na porta principal.

O Choi mais velho bufou ao notar que  seria ignorado, o que podia fazer? Era seu dever trabalhar, consequentemente não teria muito tempo para ficar em casa, sabia bem que sua família deveria estar sempre em primeiro lugar, por isso passava tanto tempo trabalhando, para dar boas condições.

— Appa, o senhor vai sair hoje? — perguntou a criança de cabeça levantada para encarar o mais velho.

Minho sentiu seu coração se apertar com força, deveria dar mais atenção ao seu filho, ele era um dos bens mais preciosos da sua vida, ele e seu esposo. O acastanhado se ajoelhou na frente do filho, puxando as madeixas escuras do pequeno para pôr por trás da orelha.

— Vou sim. — respondeu sorrindo com seus  lindos dentes branquinhos, porém não recebeu isso do filho. — Nós vamos, não é mesmo?

O mais novo deu leve pulinhos de animação, eles iriam sair!

— Para onde a gente vai? — indagou animado, suas mãos fechadas em punho sendo erguidas enquanto pulava enérgico.

— Surpresa. — “que eu ainda não sei” completou o Choi mais velho em seu  pensamento. — Vá tomar banho, ou precisa que seu Appa vá ajudar?

— Eu já sou grandinho, Appa. — resmungou cruzando os braços.

O Lee se mantinha de costas para o marido que adentrava a cozinha, se negava a encará-lo. Poxa, era seu filho, custava dar um pouco de atenção?!

— O que quer, MinHo-hyung? — foi ríspido ao sentir sua cintura ser enlaçada por um abraço por trás. Quando o Lee chamava seu marido de hyung, não era um bom sinal, o que gerou um praguejo pelo mais velho entre dentes. 

— Não fala assim, Tae-yah. 

— E você quer que eu fale como?! Oi meu amor, quanto tempo, né? Te amo. — Vomitou sarcástico.

O Choi o apertou mais em seus braços, desejava sentir o calor da tez do menor, o Lee pouco sabia como ele sentia tamanha falta, o peito sangrava em saudades de seus dois pequenos, seus preciosos. Taemin virou-se, encarando as orbes castanhas do marido por alguns segundos até sentir seus lábios serem selados com os semelhantes do mesmo, em um beijo calmo e sereno, transbordando a saudade que sentiam, as mãos do menor percorreram o braço do mais velho subindo devagar até alcançar seu pescoço, nuca e suas madeixas para serem agarradas com avidez. O beijo fora de aprofundando, de um selo para um ósculo necessitado.

— Appa. — Uma voz baixa e infantil ecoou pelo local, fazendo o casal apartar o beijo de forma rápida e surpresa. — Caiu shampoo no meu olho.

— Deixa eu ver, hm? — TaeMin se aproximou do filho, se ajoelhando para ficar do mesmo tamanho, e assoprando seu olhinho direito, para que parasse de arder. — Vamos lavar, vai ficar tudo bem, já já passa.

O Lee levou o filho até a pia da cozinha, o levantando e lavando seus olhos até o mesmo falar que já havia passado o ardor.

Aproveitou para vestir o menor que apenas trajava sua toalha/roupão do Mikey e deixá-lo sentado no sofá da sala, porém não deixando de lado o momento que teve com seu amante, eles iriam dar continuidade a aquilo mais tarde.

— Vamos tomar banho para ir, não faça bagunça mocinho, pode assistir televisão, e eu deixei alguns biscoitos na mesa. — ditou o Lee puxando o Choi mais velho consigo.

O menor assentiu, tornando seu olhar para a televisão ligada.

-x-

— Onde estamos, Appa? — perguntou o mini Choi curioso.

— Em um estúdio de balé.

O menor arregalou seus pequenos olhinhos, desprendendo-se das mãos de seu pai para ver alguns bailarinos que treinavam em frente ao espelho. JongIn via desde novo o pai mais novo dançar e era completamente apaixonado pelos movimentos, seu pai Lee era uma de suas maiores inspirações, e estar ali para si era deveras especial.

— O que você acha, Tae-yah?— indagou o maior.

— Seria uma boa ideia matrícula-lo aqui… — murmurou enquanto se maravilhava com cada canto do local.

— Então vamos? — o Lee fez uma cara de confuso, eles iriam fazer isso mesmo? — Fazer a matrícula. — complementou.

MinHo juntou sua mão a semelhante do marido, chamando sua cria, que se encontrava do outro lado da sala e seguindo para o balcão, assim fazendo a matrícula.  

Seis anos depois.

— JongIn-yah! Não deixe seu casaco jogado no sofá! — reclamou o Lee, saindo da cozinha para sala de estar.

— Tá bom, Appa. — proferiu JongIn, depositando um beijo estalado na bochecha esquerda do pai, antes de seguir para sua aula de ballet.

— Não se esqueça da seleção mais tarde! — esbravejou o mais velho.

— E você não se esqueça do meu Nintendo. — ditou risonho, acenando para o cuidador antes de sair em direção a aula, antes que se arrasasse mais.

MinHo neste dia trabalharia em casa. Por conta da alta demanda em sua empresa, acabava sempre sem tempo para sua família, deixando-o extremamente estressado, então pediu para seu chefe para alguns dias da semana trabalhar em casa, poderia felizmente fazer tudo pelo seu computador no escritório de sua residência.

Taemin se aproximou do marido por trás enquanto o mesmo estava distraído com alguns documentos sobre o birô de madeira rústica. O Choi sorriu de ponta a ponta ao sentir o calor daqueles braços ao seu redor, deixando os papéis para o lado e virando a cabeça para encarar seu belo marido, era um baita de um sortudo!

— Você comprou o Nintendo, MinHo-yah? — perguntou TaeMin sereno.

A ideia do seu marido era louca, todos sabiam que JongIn possuía um grande potencial, principalmente o Lee que era professor de dança, via no filho um futuro melhor dançarino da Coreia, sem exagero, pensando nisso Minho insistiu em levar JongIn para fazer uma audição em uma das grandes empresas de entretenimento, SM, quem sabe daria certo, imagine só seu filho em um grupo musical famoso, não que a fama fosse importante, mas ambos desejavam muito sucesso para o filho, principalmente com algo que gostava. Contudo, o Choi mais novo queria ir para o exterior aprender mais sobre o balé clássico, TaeMin insistiu mais ou pouco, talvez só uma audição não faria diferença. Foi daí que surgiu a ideia de MinHo, ofereceu para o filho um dos jogos da atualidade que sabia que o menor desejava muito, em troca, ele iria fazer apenas aquela audição, e caso não passasse poderia livremente ir cursar balé no exterior, isso seria de acordo com ele.

— ih… esqueci. — proferiu o maior arregalando os olhos, que burrada!

— Mas ele daqui a pouco chega! — esbravejou o Lee, se desprendendo do marido e pondo a mão na testa.

— Compra na internet e diz que vai demorar. — resolveu o caso.

TaeMin bufou, contudo, não conseguiu segurar uma risada baixa, sua família era única e totalmente doida.


Notas Finais


Bom, para quem não entendeu e se perdeu na história. O Kai, Kim JongIn da EXO, no homens com missão disse que só foi a audição da SM porque os pais dele disseram que iam lhe dar um Nintendo, ou seja, mudou o rumo da vida dele por inteiro, eu só fiz adaptar um pouco a história, espero que tenham gostado, kissus. Capa por @Baekhyukhei , obrigada bebê, ficou linda.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...