História Sobre o mesmo teto - Capítulo 6


Escrita por: e darksian

Visualizações 7
Palavras 1.244
Terminada Não
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 6 - Capítulo 5


No outro dia

Malia

Eu acordei, com um desânimo. Que eu não sabia explicar. Levanto e faço minhas higiene e vou para a cozinha.

- Droga Charlie - vejo Ramona na cozinha, de braços cruzados.

– Aconteceu alguma coisa ? - pergunto curiosa.

A garota olha pra mim com uma sobrancelha erguida.

- Nada - responde.

– Tudo bem então. Charlie cadê minha mãe? - falo pegando um pacote de bolacha.

- Agora ela quer saber da mãe - Ramona murmura e nega com a cabeça.

- Sua mãe foi para academia - Charlie responde, depois de mandar uma olhada mortal para a garota.

– Ela não ia trabalhar hoje ? Pq ela não foi ? - digo

- Ela estava muito estressada - Charlie responde e ouço Ramona dar uma risada nasal.

– E desde quando ela não trabalha por esta estressada? - pergunto.

- Quer mesmo saber? - Charlie pergunta

– Quero sim Charlie.

- Primeiro você disse que odiava a sua mãe... - ele encosta os ombros no batente da porta. - Acho que ela não gostou muito em. Ouvir isso deixou sua mãe muito... - ele começou a procurar palavras.

- PUTA - Ramona falou, enquanto mexia em seu celular.

– Eu sei que errei com minha mãe ta. Eu vou falar com ela depois

- Não fique assim, concerteza você disse no calor do momento - Charlie diz sorrindo sem mostrar os dentes.

- Foi sim... No calor do momento - a garota debocha novamente.

– Ramona você quer falar algo? Por que se você quiser falar fique a vontade.

- Eu? Claro que não meu anjo - ela sorri novamente. - Achei bem emocionante a conversa de vocês

– Posso falar com seu pai a sós Ramona?

- Claro... Podem sair -

– Ramona eu tô pedindo por favor. É rápido.

- Filha - Charlie pede.

- A casa tem mais de trinta lugares pra conversar em "particular" e esse povo quer que eu me retire... Foda viu - a garota sai reclamando.

- Sem palavrão - seu pai fala. - Então...?

– Eu queria te pedir desculpas, eu não queria ter falado daquela maneira com você e nem com minha mãe.... Só que ainda é complicado ver que minha mãe tem mais pessoas na minha família... Que não é só eu... E agora eu sei que ela está feliz...

- Não se preocupe Malia... Eu que deveria pedir desculpar pra você, por invadir sua vida assim do nada - ele sorri novamente. - Mas você tem que pedir desculpas para sua mãe, ela ficou tão chateada.

– Eu sei.... Minha mãe é tão boa pra mim... E eu a trato assim... Eu me sinto culpada... Mais... Mais eu faço tudo errado.

- Não se preocupe, foi coisa de momento -

– Coisa de momento que magoou ela...

- É... Agora é com você Malia

– Quando ela chegar pede ela pra subir lá no meu quarto por favor.

Ele concorda com a cabeça e começa a preparar o almoço.

Subo para o quarto, ligo meu notebook e coloco música. E começo a mexer em minhas redes sociais.

Dakota

Batia os dedos inquieta no volante do carro, enquanto dirigia até em casa. As palavras de Malia não saiam da minha mente.

Assim que chego em casa, estaciono o carro na garagem e entro. Entro e ouço o barulho das panelas na cozinha.

- Charls? - pergunto, e vejo ele cortando algo na pia.

- Oi - ele se vira e sorri. Vou até ele e deixo um selinho em seus lábios. - Bem? - ele pergunta, e eu concordo me sentando na banqueta.

- Tô né - respondo e ele lava as mãos.

- Malia disse que queria falar contigo - ele aponta pro andar de cima. Semi cerro os olhos. - Ela esta tão arrependida.

- Eu vou fala com ela - me levanto e ele manda um joinha.

Subo as escadas e ouço uma música vindo do corredor, provavelmente do quarto de Ramona. Bato na porta de Malia e ouço um "entra".

- Queria fala comigo? - pergunto, ao abrir a porta e me encostar no batente da mesma.

– Mãe.... Eu queria te pedir de desculpas... Eu não queria te falar.... Que eu amo você mãe. Eu amo muito você.... E me arrependo tanto pelo que eu disse.

- Malia, você me chateou muito falando aquelas palavras... - digo caminhando até ela. - Mais eu te amo - ela me abraça.

– Eu tenho.... Eu tenho que te contar uma coisa.... Eu saí escondida...

- Malia eu não acredito nisso - separo do nosso abraço.

– Mãe... Eu saí com o Frank.... E eu não fiz nada de mais..... Eu juro, eu queria me divertir

Bufo e passo as mãos pelos cabelos.

- Frank? Aquele cara mais velho? Eu não acredito Malia - nego com a cabeça

– Mãe o Frank nunca faria nada comigo... Nós se gostamos... Da uma chance a ele.

Nego com a cabeça.

- Nem pensar!

– Por que não ? Porque eu amo ele ? É por isso ?

- Malia, você tem 16 anos, não sabe nem o que é o amor - digo revirando os olhos. - E eu disse não!

– Não preciso nem falar sobre quantos anos você e o meu pai começaram a ter um caso né. Mãe nn faz isso... Fala sim

- Quer comparar "caso" com amor? - pergunto cruzando os braços. Caminho até a porta e saiu. - Não!

– Então me deixa ter um caso com ele mãe... Mãe eu só tô te pedindo isso.. uma chance

- Ué, não foi você que disse que amava ele... - paro e me viro, olhando-a. - Malia filha... Vai por mim, ele não te merece. E chega!

Entro no meu quarto e vou direto para o banho.

Malia

Respiro um, respiro dois, respiro três. Eu queria matar minha mãe, se eu faço as coisas escondidos ela fica com raiva, se eu conto ela não deixa. Sinceramente eu não sei o que fazer.

- Ninguém quer nos ver juntos

Mas não importa, não

(Porque eu tenho você) - Ramona sai do seu quarto cantando.

Hmmm acho que sei quem pode me ajudar. Saio do quarto e antes que ela desce as escadas eu a puxo

- Preciso que você me ajude

- O garota me larga, tá doida é

– Vai me ajudar ou não ? - pergunto séria

Ela faz uma cara pensativa e depois sorri. Lá vem.

- Depende... - ela sorri de canto. Chantagista. - O que eu ganho?

– O que você quiser

- Ui... Ok, pensarei nisso - ela fala. - Agora fala logo o que você quer?

– Preciso que você me ajude a convencer minha mãe sobre uma pessoa.

Ela ergue uma sobrancelha.

- Se for aquele cara da balada, ela não vai deixar nem fodendo - pessimista ela em.

– É ele... Por favor me ajuda.

- Tanto garoto gato e você quer pegar logo o tiozinho... E outra, o que você quer que faça? Amarrar ela no porão e começar a tortura-la até ela falar 'sim'

– Isso mesmo, acertou de primeira

Ela gargalha e mostra o dedo do meio.

- Vou te ajudar, mais a única pessoa que merece ser presa e torturada aqui, concerteza não é a Dakota.

– Eu acho que eu mereço, de preferência como em cinquenta tons...

- Você é tão... Esquisita - ela nega com a cabeça.

– Só tenho fetiches... Fazer o que né ? Mais então eu posso contar com você nessa ?

- Eu já disse que sim! - falou e revirou os olhos.

– Então obrigada. Quando souber seu preço é só pra me falar.

Ela concorda e sai cantando. Me deito na cama, eu estava feliz... Muito feliz. Talvez isso seria um passo pra que eu e ela nos darmos bem



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...