1. Spirit Fanfics >
  2. Sobre os Fortes e as Lágrimas - Manual do Mundo >
  3. Fisiologia

História Sobre os Fortes e as Lágrimas - Manual do Mundo - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Olá pessoal, esse capitulo vai explicar como funciona a fisiologia dos hanyou, o que são hanyou, como sua sociedade se divide de forma básica e como o meu omegaverse funciona. Também vou explicar sobre como funciona o cio e o que são os sentans.
Lembrando que até o presente momento (30/06/2020) a fanfic ainda não foi postada, mas já está em produção. (Para mais informações, é só dar uma lida no meu jornal "Novidades Chegando e Paradeiro do Autor".

Eu vou estar postando periodicamente as informações para vocês em forma de capítulos. Como tudo está em produção, as informações aqui estão sujeitas a leves alterações, que eu estarei informando quando fizer. Também estou super aberto a sugestões, críticas construtivas e perguntas. Eu amo falar com vocês, então não sejam tímidos por favor.

Sendo assim, boa leitura!

Capítulo 1 - Fisiologia


 

Os Hanyou (Mestiços) possuem características lupinas, corpos mais fortes e resistentes, podem viver mais que o dobro dos humanos, e após a puberdade amadurecem de maneira mais lenta. São separados em três classificações chamadas de status. Estes status são:

 

Alfa: Os alfas estão no topo da pirâmide hierárquica e são os indivíduos com mais força física e resistência. A força de um alfa é medida através de sua capacidade reprodutiva, que está igualmente ligada à intensidade dos seus feromônios, disposição física e longevidade. Sendo assim, são organizados como alfas inférteis, de esperma fraco, de esperma médio, de esperma forte e de esperma pesado. Quanto mais forte o alfa, mais raro ele é e mais testosterona costuma possuir. Outra característica desse status é que, independente do sexo, possuem pênis, testículos e próstata. As fêmeas costumam apresentar seios não desenvolvidos ou subdesenvolvidos e a estrutura óssea dos quadris também é semelhante aos machos.

Alfas não possuem cio, despertando para esse status entre 15 e 19 anos, quando conseguem manifestar o cheiro de seus feromônios, chamado de presença alfa. Alguns alfas até conseguem mudar a temperatura por onde seu cheiro passa. Entre a elite dos alfas de esperma pesado, alguns poucos conseguem até mesmo empurrar suavemente uma ínfima quantidade de água, objetos leves como folhas secas e papel. São naturalmente territoriais, competitivos, dominadores e impulsivos, levando a sociedade a lentamente perdoar e normalizar a violência alfa. Sua altura pode variar de acordo com o local de nascença, mas podem medir entre 3 metros e 1,60 metros; pesando entre 230 kg e 50 kg.

Relacionamentos entre dois alfas são geralmente mais violentos que qualquer outro, numa disputa constante por poder e dominação; os feromônios são incapazes de se misturar e persistem numa luta por espaço, numa demonstração de superioridade.

 

Beta: Os betas são a maioria da população, no meio da pirâmide hierárquica, desprovidos de feromônios e praticamente insensíveis a eles. Também são desprovidos de sua parte lupina, não ostentando orelhas ou cauda. São separados entre macho e fêmea, assim como os seres humanos. São naturalmente racionais e equilibrados, fazendo um grande contraposto entre alfas e ômegas, que se movem especialmente por instinto.

Betas costumam despertar para este status entre 16 e 19 anos, quando se tornam incapazes de fazer suas orelhas e cauda aparecerem, também perdendo a capacidade de sentir feromônios. Betas possuem a mesma variação de altura e peso humano.

 

Ômega: Na base da pirâmide hierárquica estão os ômegas. Sua fisiologia é mais feminina e frágil e são medidos de acordo com a fertilidade; quanto mais fértil um ômega, mais forte e irresistível é seu aroma. Independente do sexo, podem engravidar, são capazes de amamentar e possuem a estrutura óssea dos quadris semelhante a das fêmeas; além disso, os machos conservam o pênis, os testículos e a próstata, mas, nesse caso, essas estruturas ficam responsáveis por produzir um líquido lubrificante altamente afrodisíaco para alfas. São muito mais sensíveis aos feromônios e capazes de senti-los mesmo depois de muito tempo que foram deixados. Dependendo do local de nascimento, ômegas podem medir entre 1,85 metros e 1,40 metros; pesando entre 80 kg e 30 kg.

Ao chegar entre 14 e 18 anos, raramente aos 13, ômegas manifestam o primeiro cio, despertando para esse status. Cada indivíduo tem um nível de intensidade do cio próprio, podendo ir de um simples calor e predisposição sexual, ao total descontrole. Nesse momento, seu corpo passa a emitir uma fragrância afrodisíaca que alerta o cio a qualquer que esteja perto o suficiente para sentir e pode fazer alfas entrarem em transe. O cio é uma ferramenta reprodutiva que aumenta drasticamente a probabilidade de um ômega engravidar, mas que não ocorre quando o ômega já está grávido. Por serem naturalmente mais frágeis e submissos, ômegas passaram a ser visto como objetos de prazer e reprodução, fadados a agradar e obedecer alfas e betas.


 

Antes de uma criança se manifestar para um status, possui orelhas e caudas lupinas, que podem ser escondidas, sumindo por completo, ou postas amostra. É impossível saber o status de uma criança até ela despertar, sendo a única exceção os filhos de dois betas. Tanto ômegas quanto alfas não podem se reproduzir com indivíduos do mesmo status, e esse tipo de relacionamento é visto como homossexualidade, independente do sexo dos envolvidos.

Após o coito, quando o alfa atinge um orgasmo dentro de um indivíduo, é formado um nó; durante ele, o pênis do alfa aumenta de tamanho, ficando preso no interior do parceiro. Esse momento pode durar entre segundos até minutos. Caso o indivíduo ao qual o alfa esteja atado seja um ômega, e o alfa morda o seu pescoço, é formada uma marca permanente. 

A marca é um elo de alma sagrado, onde uma conexão é feita entre os envolvidos; ambos são capazes de sentir sensações e sentimentos do parceiro de forma abstrata e menos intensa. Um alfa pode marcar um número indeterminado de ômegas, mas um ômega só pode ser marcado por um alfa. Ômegas marcados por um mesmo alfa podem sentir sentimentos e sensações entre si por tabela, mas de maneira mais fraca. 

A marca só pode ser quebrada com a morte de um dos indivíduos, mas existem casos de marcas feitas por alfas muito fracos que foram sobrepostas por alfas de esperma pesado. Nesses casos a conexão com o alfa anterior é totalmente desfeita.

Quando um ômega é estimulado sexualmente por um alfa que não o marcou, no local de prazer, é sentido uma dor terrível; essa dor é descrita como a pior dor que se pode experimentar e já foi usada como método de tortura.

 

Além de todas essas partes físicas, os Hanyou também possuem uma parte espiritual chamada de sentan (Ponta, Extremidade). Segundo a cultura dos Hanyou, um sentan é como a alma do indivíduo, responsável por determinar o status do mesmo e por ser a parte lupina presente no corpo humanóide. Frases como “seu sentan está amostra (suas orelhas e cauda estão aparecendo)” ou “sinto isso no meu sentan (sinto isso na minha alma/ nos meus instintos)” são comuns. Diz-se que o sentan é o verdadeiro eu, fadado a reencarnar e habitar corpos, numa missão que esse corpo precisa seguir, sendo esse corpo uma forma material que não está completamente desperta. Seria como a relação entre consciente e inconsciente humano. 

A cultura hanyou também afirma que quando dois sentans se apaixonam, eles passam todas as encarnações seguintes tentando ficar juntos, gerando o mito da alma gêmea. Nesse mito, dois indivíduos estão destinados a ficar juntos mesmo que tudo ao redor impeça isso. Os sentans também são vistos como sagrados e uma parte autoconsciente, que toma decisões ativamente, independente do que o corpo que habita faz. Um cio antes da hora, um desejo instintivo muito forte, sonhos ou coisas dessa natureza são atribuídos à ações do sentan, que fará de tudo para cumprir o seu destino.

 


Notas Finais


Lembrando que esse universo é inspirado na cultura asiática, especialmente na japonesa, e ocorrerá numa espécie de era imperial tradicional. Os hanyou aqui não são os mesmos dos animes e da cultura japonesa.

Qualquer dúvida, caso algo não tenha ficado fácil de entender, podem me perguntar, vou amar conversar com vocês!
Nos vemos lá embaixo!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...