História Sobreviva, Se Puder! - Capítulo 22


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin)
Tags Bottom!jimin, Bts, Colegial, Jimin Uke, Namjin, Top!yoongi, Vhope, Yoongi Seme, Yoonmin
Visualizações 101
Palavras 4.047
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Ficção, Ficção Adolescente, Fluffy, Lemon, LGBT, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Slash, Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Finalmente a segunda parte. Cara, esse capítulo ficou fofo e eu mesma tive umas overdoses de açúcar enquanto escrevia. Eu realmente espero que vocês gostem dele porque acho que é um dos mais esperados.
Eu fiquei tão ansiosa pra postar ele logo que mal pude esperar horário ou nada parecido.
Enfim, fiquem com o capítulo e curtam bastante.

Capítulo 22 - Finalmente juntos


Fanfic / Fanfiction Sobreviva, Se Puder! - Capítulo 22 - Finalmente juntos

11 de março 

14:47 

Acordo com batidas na porta. Ainda estou deitado no colo de Yoongi - que tira um leve cochilo. 

- Amor, quer que eu abra a porta? - ele diz baixinho. Sorrio automaticamente. 

Ele me chamou de amor

- Não, pode deixar que eu mesmo abro. 

- Tem certeza? 

- Sim, pode continuar dormindo. - me levanto e vou até a porta, me deparando com Taehyung e Hoseok com livros nos braços. 

- Achei que não fosse abrir essa caralha. - Taehyung resmunga. 

- O que estão fazendo aqui? - questiono. 

- Viemos estudar, oras. - Taehyung fala como se fosse algo óbvio. 

- Mas o Yoongi não tinha marcado para amanhã? 

- Tinha mas eu quis vir hoje porque amanhã vou estar ocupado. Agora se você me dá licença... - ele diz e começa a entrar no meu apartamento. 

- Me desculpa, Jimin. Eu disse que não era uma boa ideia mas você sabe como o Taehyung é. - Hoseok sorri, sem graça. 

-'Tá tudo bem, Hoseok. Mas vocês podiam ter avisado antes. 

- O celular do Taehyung quebrou e eu esqueci o meu em casa, que aliás já deve ter descarregado. 

- Tudo bem, entra vai. - dou passagem e ele entra. 

- Com licença. 

- Toda. - O Taehyung poderia ser educado assim ao invés de ser um filho da puta folgado. 

- Acorda, Yoongi. - Taehyung chacoalha o mesmo. - Não seja preguiçoso, isso não é hora de dormir. 

- Taehyung, não seja inconveniente. Você não está na sua casa. - Hoseok esbraveja. 

- E o Yoongi também não. - ele faz menção de sacudir o moreno mais uma vez mas Yoongi é mais rápido e dá um soco em suas partes baixas. 

- Me erra, porra. - diz com uma voz baixa e mau humorada. - Jimin, por que você deixou esse miserável entrar aqui? 

O que aconteceu com o amor

- Eu não deixei, ele foi entrando. - digo em minha defesa. 

- O que você está fazendo aqui, praga? - Yoongi pergunta ainda de olhos fechados. 

- Estudar, casseta. 

- Mas eu marquei com você amanhã. 

- E daí? Eu lembrei que vou estar ocupado amanhã e não vou deixar de vir só porque você e o Jimin transaram e agora ele 'tá com dor na bunda. - ele se vira para mim. - E antes que me pergunte como eu sei disso, lembre-se de que eu sou seu melhor amigo e te conheço melhor que ninguém. Eu sei que você cancelou porque mal consegue se mexer e não queria que Hoseok e eu soubéssemos. - eu estou sem palavras e Yoongi também. - Mas lembre-se também que quando se trata disso eu sou muito mais experiente que você e por isso eu...

- 'Tá, Taehyung. Todos nós já entendemos. Agora pare de falar abobrinhas e vamos ao que interessa. - Yoongi interrompe e se levanta do sofá. 

- O que vamos estudar primeiro? - pergunto. 

- Acho melhor começarmos por gramática. - Hoseok sugere. - Depois estudamos para literatura. 

- Tudo bem. - assinto. 

16:32

As horas deveriam ter se arrastado naturalmente já que, convenhamos, estudar não é lá a coisa mais interessante e animadora do mundo. Porém, mesmo com o incomum mau humor de Taehyung, eu acabei me divertindo com aqueles idiotas. Ao final, eu peguei bem a matéria e talvez eu até pudesse me sair bem nas provas. 

- Eu normalmente estudo sozinho, mas isso foi divertido. Deveríamos fazer isso mais vezes. - Hoseok diz com um sorriso agora que estamos jogados no sofá da minha sala. 

- Realmente, eu até que gostei disso. - digo com um sorriso satisfeito. 

- O que nós deveríamos fazer agora? - Hoseok pergunta. - Quer dizer, se não te incomodar, Jimin. 

- Não me incomoda. 

- Você ainda tem aqueles jogos de detetive ou algo parecido? - Taehyung pergunta. 

- Na verdade, só tenho jogos no X-box.  

- Poderíamos jogar algo assim. Tem algum tempo desde que nós jogamos juntos. - Taehyung sugere com uma calma repentina. Pelo quanto eu o conheço, ele está tramando alguma coisa. 

- Eu sou péssimo nesses jogos, então não contem comigo. - Yoongi se acomoda melhor no sofá. 

- Eu também não sou tão bom assim. Prefiro assistir vocês jogando. - Hoseok se senta ao lado de Yoongi. 

- Por mim tanto faz. - Taehyung dá de ombros. 

- Eu vou buscar o jogo, então. - digo me levantando e indo até o meu quarto.

O jogo está em uma prateleira que eu organizei cuidadosamente, mas olhando para o criado mudo, vejo as coisas que Yoongi e eu usamos ontem. Escondo isso o mais rápido possível. Eu não preciso dar razão ao Taehyung. Aproveito para beber a segunda dose do remédio que Yoongi trouxe para mim mais cedo. 

Essa coisa é mais eficaz do que eu esperava. 

Quando retorno para a sala, os três patetas pareciam estar discutindo alguma coisa. 

- Vai ser melhor assim. - Taehyung faz cara feia. 

- E por que nós dois? - Hoseok reclama. 

- Porque vocês dois vão ficar à toa. Têm noção do quanto esse jogo pode demorar? Nós não podemos perder tempo. 

- Mas assim nós vamos perder a história do jogo. 

- E outra,- Yoongi diz. - é só chamar um entregador. É rápido e prático. - Hoseok assente concordando. 

- O que está acontecendo aqui? - pergunto erguendo a sobrancelha. 

- Taehyung quer que eu e o Yoongi vamos até a pizzaria buscar um lanche com a desculpa de que está com fome de pizza. - olho para Taehyung de soslaio. Ele definitivamente quer conversar comigo a sós. 

- Ele tem razão. Chamar um entregador sairia mais caro e a pizzaria não é tão longe assim. Além disso, eu posso emprestar o jogo pro Tae e ele te ensina depois. - Hoseok e Yoongi estão com as bocas entreabertas. 

- Vocês dois estão tramando alguma coisa. - Yoongi acusa de olhos estreitos mas puxa Hoseok pela manga da camisa e sai porta afora. 

- Tudo bem, sobre o que quer falar? - pergunto assim que desconfio que Yoongi e Hoseok estejam a uma distância segura. 

- Como 'tá sua bunda? 

Mesmo que esse assunto seja constrangedor e eu prefira evitá-lo, por um momento vejo apenas Taehyung ali; o meu melhor amigo e maior confidente. Embora isso seja cliché, eu só consigo ver o garoto que cresceu comigo e conhece todos os meus segredos e, para a minha própria surpresa, não me sinto tão desconfortável assim em responder. 

- Agora está melhor. Eu tomei uns comprimidos para dor e agora já me sinto mais... inteiro. - dou de ombros enquanto coloco o jogo no aparelho.  

- E como foi? 

- Ah, sei lá. Eu nunca tinha feito isso antes mas foi menos assustador do que eu imaginei. 

- Quem diria. - o loiro ri. - Mas ele é... bom? 

- Acho que pode-se dizer que sim mas eu não vou entrar nesses detalhes com você. 

- Eu não quero saber dos detalhes. 

- Mas e você e o Hoseok? Já chegaram lá? 

- Bem, ainda não chegamos ... mas chegamos perto. Era pra isso ter sido mudado ontem mas os meus pais atrapalharam tudo. E quando tentamos de novo o Yoongi ligou. 

- Isso explica muita coisa. - digo olhando para a tela. 

- Mas você e o Yoongi já estão namorando oficialmente? 

- Não. - dou um suspiro, frustrado. - Ele parece estar me enrolando. Quer dizer, toda vez que eu toco nesse assunto ele simplesmente se esquiva e diz que ainda não está na hora. 

- Não deixa ele te enrolar muito. Tome atitude se necessário. 

- Eu cogitei fazer isso mas ele me pediu para esperar. 

- Talvez ele esteja preparando alguma coisa, um jantar, sei lá. Algum momento realmente especial, embora Yoongi não me pareça ser do tipo romântico. 

Hum, pode ser, mas é melhor eu não alimentar muitas esperanças. 

- E você? Quando vai pedir seu ruivo em namoro? 

- Talvez no final de semana. Eu estava planejando alguma coisa mais elaborada, sabe? O que você acha de um piquenique? 

- Eu acho que é uma boa. Você sabe como o Hoseok gosta de ficar perto da natureza e essas coisas. Mas... - ele me olha. - você vai me contar tudo nos detalhes depois. 

- Você também. - ele sorri. 

- Você não está realmente com vontade de comer pizza, está? 

- A pizzaria está fechada hoje. O máximo que eles vão encontrar aberto é a sanduicheria. 

- Você é um cara esperto. 

- E você bem que podia pegar um refrigerante pra gente. - me levanto e vou buscar a bebida, fingindo não reparar no que meu amigo está tentando fazer. Volto alguns minutos depois com os copos cheios. 

- Não seria mais fácil simplesmente pedir ao invés de tentar roubar? - pergunto e Taehyung dá um suspiro por eu ter descoberto seus planos. 

- Eu não ia roubar, ia apenas pegar emprestado. Depois eu devolveria. 

- Sei. - entrego um copo para ele. - De qualquer forma, pode levar isso por agora antes que o Yoongi se lembre da existência dessa coisa. 

- Vocês já assistiram? 

- Não, ele bem que queria mas eu me recusei a ver com ele. - Tae revira os olhos. 

- Não sei porquê,  você já viu coisas piores. - olho para a capa do filme que Taehyung tentou esconder no casaco. 

- Ah, eu sei disso mas... sei lá. 

- Pelo menos voces foram direto para a prática. 

- Eu ia perguntar se você vai tentar ver isso com o Hoseok mas a resposta é óbvia. 

- Eu só espero que ele não jogue isso na minha cara. Quer dizer, mesmo que ele não seja mais virgem, ele não é do tipo que assiste filmes adultos e coisas do tipo. 

Como assim eu fui o último da rodinha? 

- É melhor esconder bem isso antes que o Yoongi veja. 

- Você não vai contar pra ele, vai? - reviro os olhos. 

- Claro que não, faça bom uso. Mas devolva antes que ele perceba. 

Os meninos chegam alguns minutos depois de cara fechada. 

- A pizzaria estava fechada. Só a sanduicheria estava aberta mas aquela espelunca estava cheia demais e o pedido demoraria horas. - Hoseok resmunga. 

- Que pena. - Taehyung finge decepção. - Eu estava pensando mesmo em ir pra casa, talvez você devesse ir comigo. Eu posso cozinhar algo pra você. 

- Mas e o jogo? 

- Vai demorar demais. - ele se vira para mim. - Você pode me emprestar ele, não pode? 

- Claro. - pauso o jogo e o retiro, colocando na caixa e entregando para o loiro. 

- Então, nós já vamos. - Taehyung pega os livros e arrasta um Hoseok confuso pela porta. - Boa noite pra vocês, seus patetas. - ele acena e vai embora. 

- O que vocês estavam tramando? - Yoongi me olha com desconfiança. 

- Nada. - dou de ombros e recolho os copos, levando-os para a pia. 

- Por que eu não acredito em você? - apenas dou de ombros mais uma vez. - De qualquer forma, ainda bem que eles já foram. 

- Ah é? Por quê? 

- Porque eu quero te levar em um lugar. - olho para ele com curiosidade. 

- Que lugar? 

- Você vai saber quando chegarmos lá. Por ora, apenas vá tomar um banho e se arrumar. 

Eu me aproximo dele e me agarro em seu pescoço. 

- Toma banho comigo? - ele dá uma risadinha. 

- Minhas roupas estão em casa, mas eu passo aqui quando estiver pronto. -  ele me dá um selinho e vai para a porta. - Fique lindo pra mim. 

- Vou tentar. - sorrio e vou para o meu quarto. Pego minha toalha e tomo um banho quente e demorado; meus pensamentos giram em torno de Yoongi. Seu sorriso, seus fios macios, seu cheiro, sua pele... Ah, eu não acredito que estou apaixonado de novo. Só espero que dessa vez eu não me arrependa. 

Depois de tomar banho, paro em frente ao meu guarda roupa. O que devo vestir? 

Decido colocar uma camiseta azul que uma vez ele elogiou e um jeans preto. Calço um par de tênis e pego um casaco. Capricho no perfume e penteio o cabelo, deixando-o perfeitamente alinhado, embora não vá durar muito. Talvez eu devesse passar alguma base ou algo assim? Hum, por que não? Eu nunca uso maquiagem mesmo. 

Alguns minutos depois, estou completamente arrumado. Olho para o meu reflexo no espelho satisfeito e vou para a sala esperar Yoongi. Ele não demora a aparecer, com uma camisa branca de gola pólo e um jeans também preto. Ele parecia ainda mais bonito do que o costume. 

- Uau, você está um arraso. - digo com aprovação. 

- Você também. - ele me oferece o braço como naqueles filmes antigos. - Vamos? 

- Vamos. - digo pegando seu braço. 

17:50

Nós andamos um pouco pelas ruas que, por algum motivo estão decoradas e bonitas hoje. 

- Quer pipoca doce? - Yoongi pergunta assim que passamos por um carrinho de pipocas. 

Confesso que essa não é uma das minhas favoritas mas decido aceitar assim mesmo. 

- Só se você dividir comigo. 

- Feito. - ele sorri e compra um pacotinho, na qual dividimos enquanto continuávamos andando. - Hoje vai ter uma sessão de cinema no parque, quer ir? 

- Que filme vai passar? 

- Eu não sei. Podemos descobrir quando chegarmos lá. A sessão começa daqui a umas duas horas. 

- Tudo bem, mas o que faremos até lá? - ele olha em volta. 

- Que tal tentar pegar um bichinho daqueles? - sigo seu olhar e vejo uma daquelas máquinas de pegar ursos de pelúcia. 

- A gente pode tentar mas eu já vou avisando que sou péssimo nisso. 

Nós vamos até a máquina e Yoongi coloca uma moeda. 

- Estou quase... - por muito pouco ele não pega um elefantinho roxo. - Droga. - ele ri. - Sua vez. 

- Lá vamos nós. - tento focar em um pato rosado que tem uma cara engraçada mas não passo nem perto de conseguir agarrá-lo. - Não adianta, eu sou realmente horrível nisso. - gargalho. 

- Vamos tentar mais uma vez, se não conseguirmos a gente desiste e vai embora. - aceno concordando. - Pode ir primeiro. - ele coloca uma moeda e eu seguro firmemente o controle. Dessa vez tento pegar um unicórnio azul mas consigo apenas encostar no chifre. - Você quase conseguiu. - ele aprova. - Minha vez. 

Yoongi está extremamente fofo com um pedaço da língua para fora enquanto parece concentrar toda a sua atenção naquilo, como se sua vida dependesse unicamente disso no momento. 

- Vamos lá, estou quase... Yeah! - levo um susto quando o vejo comemorar com um soco para o alto. Seu sorriso é tão largo quanto o de uma criança e isso faz com que eu me derreta ainda mais. 

Yoongi pegou um monstrinho vermelho de um olho só que tinha a língua para fora. 

- Ah, até que ele é bonitinho. - nós entortamos a cabeça enquanto olhávamos o bicho. 

- É, pode ser. Pode ficar com ele. 

- Sério? - pergunto e ele assente.  

- Eu peguei pra você. Além disso, não tenho nada pra fazer com isso. - ele ri. 

- Obrigado, Yoon. - sorrio pegando o bichinho. 

- De nada. - nós voltamos a caminhar. - E que nome vai dar a ele? 

- Hum... eu também não sou bom com nomes. Que tal... Vespúcio? - Yoongi faz uma careta. 

- Esse não é o sobrenome do cara que descobriu a América? 

- Eu sei lá, foi a primeira coisa que me veio à cabeça. Lino? 

- Não, talvez se ele fosse um leão. E que tal... Potter? 

- Não me faça pensar no pobre do Harry desse jeito. Epaminondas? 

- Imagina se nós tivéssemos um filho. - ele começa a rir. - Já sei! O que acha de Elvis? 

- Elvis Jackson. - sorrio. 

- Elvis Jackson? 

- Claro, dois músicos famosos devem ser homenageados. 

- Através de um monstro de um olho só? - ele ri e eu dou de ombros. 

- Por que não? 

- Tudo bem. Bem vindo à família, Elvis Jackson. - nós passamos em frente à sorveteria. - Quer um sorvete? 

- Quero. 

- Então espere aqui com o Elvis. - ele diz enquanto eu me sento em uma das mesas. 

- É, parece que estamos sozinhos, Elvis Jackson. - digo para o monstrinho e acabo me lembrando do Ignácio. - E novamente eu estou falando com um bicho de pelúcia, o que acha disso? - Elvis parece sorrir, sapeca. - Se você pudesse pensar certamente acharia que eu sou louco, não é? Eu sei, às vezes eu também acho que eu sou louco. Mas quer saber de uma coisa? Eu não ligo e acho que você vai se dar bem com o Antenor, o meu urso. Ele está meio empoeirado no fundo do meu guarda roupa mas isso não é nada que uma boa lavagem não resolva. Ele também é amigável, você vai ver. - Elvis Jackson continua sorrindo. - Guarda essa língua para dentro, Elvis. Não é educado mostrar a língua para as pessoas, você pode acabar se metendo em encrencas.- continuo encarando o monstrinho. - Quer saber de outra coisa? - Elvis Jackson não me parece interessado em saber. - Eu realmente deveria parar de conversar com ursos de pelúcia. - fecho os olhos. 

- Por quê? Você fica fofo fazendo isso, mesmo que pareça ainda mais maluco.  - abro os olhos imediatamente e vejo Yoongi com duas casquinhas na mão. 

- Ainda bem que é você. - digo pegando um dos sorvetes. - Se tivesse sido o Elvis a responder eu colocaria fogo nessa coisa. - Yoongi começa a rir. 

- Você é realmente maluco. 

- Você gosta das minhas maluquices. 

- Claro, isso te torna único. - sorrio com a resposta. Yoongi sabe como melhorar o meu dia. 

Nós ainda tínhamos tempo até o filme começar, então Yoongi achou que seria uma boa ideia se fôssemos em um carrinho de bate-bate que havia em algumas barracas enfileiradas no meio da rua. 

- Eu sou meio pé frio quando se trata disso também. - digo enquanto estamos na fila. 

- Não seja por isso, vamos em carros separados. 

É hoje que eu me fodo bonito. 

Entro em um dos carrinhos e já me sinto desconfortável. Mesmo que eu não seja muito alto, essas coisas são minúsculas e isso faz com que minhas pernas fiquem encolhidas em uma posição desajeitada. Logo nos primeiros segundos, antes mesmo que eu comece a me mover, sinto uma batida em meu carro. Yoongi me lança um sorriso desafiador e isso desperta meu espírito competitivo. 

Se é guerra que você quer, é guerra que você vai ter. 

Eu acabei de descobrir que não sou tão ruim de direção quanto achei que seria. Na realidade, ou Yoongi está tendo piedade de mim, ou descobri meu lado de motorista vingativo. 

Tudo estava indo muito bem até um pirralho de mais ou menos dez anos começar a implicar comigo e impedir que eu saísse do lugar. Yoongi ria de longe e isso despertou a minha irritação. Sem pensar, avancei contra o moleque com toda a força e velocidade e só parei quando a peste ficou encurralada em um canto e ameaçou começar a chorar. Meu tempo já havia acabado, então eu simplesmente levantei e comecei a ir em direção à saída. Tudo continuaria bem se o pirralho não tivesse dado um jeito de sair do canto e avançado contra mim. 

Eu juro que se o Yoongi não tivesse me segurado e o pai do pestinha não tivesse quase dois metros de altura, eu teria esganado a praga como o Homer Simpson. Mas ao fim, acabei apenas indo embora e percebendo o quão doloridas minhas pernas estavam. Principalmente na região do meu traseiro e coxas. 

Se arrependimento matasse, eu estaria em estado de putrefação.

- Por um momento eu achei que você fosse matar aquele moleque. - Yoongi diz enquanto caminhamos novamente. 

- Olha, vontade não me faltou em momento algum. Pena que eu não podia fazer isso. 

- Poder até poderia, mas pode ter certeza que o brutamontes do pai dele também não te deixaria vivo. 

- Às vezes eu odeio a minha vida. - resmungo e Yoongi ri. 

- Acho que já podemos ir ver o filme. 

- Então vamos lá. 

20:02

Yoongi e eu não demoramos a chegar ao parque, e acabamos escolhendo um cantinho perto de uma árvore para nos sentar. Haviam vários casais ali, sentados em toalhas decoradas e alguns com cestas de piquenique. 

- Acho que deveria ter trazido algo para nós comermos. - Yoongi coça a cabeça. 

- Por mim está ótimo. 

- Tem certeza? 

- Tenho. 

Depois de alguns minutos, o filme finalmente começa. Eu reconheci nos primeiros minutos : Um Amor para Recordar. Eu já assisti esse filme várias vezes e chorei em todas elas - dessa vez não foi diferente. Às vezes, Yoongi limpava algumas de minhas lágrimas mas não dizia nada, apenas afagava meu cabelo e me deixava confortável. 

Quando os créditos subiram, todos aplaudiram. Casais apaixonados se beijavam e pessoas como eu choravam emocionadas. 

- O que achou? - Yoongi pergunta me ajudando a levantar. 

- Eu adorei. - digo com sinceridade. 

- Então vem comigo porque quero te mostrar mais um lugar. - me deixo levar enquanto ele me arrasta para longe da multidão. 

22:54

- Onde estamos? - pergunto quando paramos em frente a um prédio abandonado. Yoongi destranca o cadeado e me puxa para dentro. 

- Apenas um lugar que gosto de vir às vezes. - ele pega a lanterna do celular e ilumina enquanto subimos as escadas. 

Quando chegamos ao terraço, me surpreendo ao ver uma mesa com toalha xadrez e algumas lâmpadas que dão ao lugar um toque charmoso. 

- O que é tudo isso? - pergunto surpreso. 

- Achei que seria uma boa ideia te trazer aqui. 

- Por quê? 

- Sente-se.

Há um velho sofá ali. Yoongi me puxa até ele e se senta ao meu lado. 

- Meu irmão mais velho costumava me trazer aqui quando eu era bem pequeno. Ele tinha uma luneta dourada e sempre me deixava ver as estrelas com ele. - ouço com atenção e olho para seu rosto mas ele apenas observa o céu. - Depois que fui morar com a minha tia, acabei passando anos sem vir aqui e quando reencontrei esse lugar, já não parecia mais tão legal quanto àquela época.Eu ainda arrumei algumas coisas e depois que minha tia morreu acabei passando a vir com mais frequência. - ele pausa por um breve momento. - Esse lugar acabou se tornando especial pra mim de novo, assim como você se tornou especial pra mim também. Achei que seria bom juntar duas coisas tão especiais de uma só vez. - ele sorri para mim. - Sabe, Jimin, eu não achei que fosse me apaixonar por você e acho que você também não. Mas acabou acontecendo e agora estamos aqui. Eu sei que você deve estar pensando que eu estou te enrolando ou algo parecido, mas é que eu precisava ter certeza disso primeiro. E, bem, depois de ontem à noite, acho que percebi que não consigo mais esconder o que eu sinto. Eu realmente gostaria que você me desse uma chance de te mostrar isso; que eu verdadeiramente amo você. Então, se não for pedir muito, namora comigo? 

Eu não sei o que dizer. Estou emocionado? Com toda a certeza. 

- Eu aceito, Yoongi. - é tudo que consigo dizer. 

Ele me puxa para um beijo lento e crescente. Nós não intensificamos nada dessa vez, apenas mantemos o carinho e a paixão que parece dominar tudo ali. Nossas bocas movem-se uma contra a outra com delicadeza, sua língua explorando cada canto da minha boca com uma lentidão tremenda. Suas mãos fazem um carinho gostoso no meu cabelo e puxo sua camisa enquanto colo seu corpo ao meu. 

Era tudo o que precisávamos. Agora, definitivamente, Yoongi é meu e eu sou dele.


Notas Finais


Diz se essa declaração do Yoongi não é muito linda? Aaaaahhh. Por que meus oppas não dizem coisas bonitas assim pra mim?
Finalmente esses dois estão juntos, acabou a espera minha gente.
E o Taehyung todo saidinho roubando filme alheio? Confesso que essa ideia surgiu a partir de um comentário então, se quiserem que suas ideias apareçam mais aqui ou quiserem sugerir algo, fiquem à vontade para comentarem ou mandarem mensagem privada, eu juro que respondo na maior alegria.
Enfim, meus amores, vejo vocês em breve. Até lá!
https://curiouscat.me/licorne_bunny


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...