1. Spirit Fanfics >
  2. Sobrevivendo em Hogwarts - Sétima Temporada >
  3. Surpresas no embarque

História Sobrevivendo em Hogwarts - Sétima Temporada - Capítulo 4


Escrita por:


Capítulo 4 - Surpresas no embarque


Fanfic / Fanfiction Sobrevivendo em Hogwarts - Sétima Temporada - Capítulo 4 - Surpresas no embarque

O meu retorno a Hogwarts teve MAIS NOSTALGIA! Afinal, era a última vez que eu ia atravessar a Plataforma 9 ¾, era a minha última vez no trem... Se bem que a gente deve voltar de Hogwarts no trem mesmo, nos outros anos sempre foi assim, mas de qualquer forma, a emoção já estava tomando conta de minha pessoa.

Era pra ser um momento lindo, de despedida e tal, mas... Sempre tem uns pais apressadinhos pra atrapalhar...

- Lizzie, já pegou tudo?

- Lizzie, tem certeza que não esqueceu nada?

- Lizzie, você escondeu a vassoura direito?

Que droga... Fora que bem na hora que a gente ia saindo, a Sra. Black parou nosso carro pra falar um negócio de uma vasilha de vidro que ela pegou emprestada de minha mãe, mas quebrou por acidente... Elas podiam ter deixado esse lance pra depois? Podiam, mas aí elas emendaram numa fofoca sobre a suposta separação dos Gellers, e aí o tempo foi passando, passando, até que...

- Tá bem, Sra. Black, mas agora nós realmente temos que ir, depois vocês conversam melhor! – e então o papai finalmente arrancou com o carro.

Ele deve ter voado na pista, por que chegamos à estação faltando cinco pras onze.

- Ufa, ainda deu tempo! Corre, Lizzie, temos que achar a Plataforma logo!

Corremos feito doidos na estação, mas aí paramos por que reencontramos um velho conhecido.

- Epa, Lizzie, aquele menino não estudava com você?

Parei pra olhar melhor e... Estudava sim! Como é que eu iria me esquecer do Andrew? Claro que ele mudou muito de 2017 pra cá, está bem mais alto, mais musculoso... E mil vezes mais gato! Lembro que eu era apaixonadaça por ele, desde o segundo ano, eu acho, vivia procurando coragem pra me declarar, mas nunca conseguia. Minhas amigas Alice e Chris viviam me zoando por causa disso, Betty Eisenberg então, nem se fala, até hoje eu não sei como ela descobriu, se bem que eu vivia dando bandeira, né, só sendo muito cego pra não sacar nada.  Ele deve estar indo tomar o trem pra ir a algum lugar, ele tá com a mãe e com uma menininha que deve ser a irmã dele, na certa vai visitar a família ou levar a irmã a alguma escola lá longe...

Eita, ele me viu também! Será que me reconheceu?

- Lizzie Daniels?

AI MEU DEUS ELE ME RECONHECEU!

Aja naturalmente, Lizzie...

- ANDREW? É VOCÊ MESMO? Q-quer dizer... Deve ser você, né, ÓBVIO que é você, pra saber meu nome...

Ele riu! Nossa, tinha esquecido como o sorriso dele era incrível! Os dentes brancos, perfeitos... Sempre fiquei fascinada com o contraste que o seu sorriso branquinho fazia com o tom escuro da sua pele.

- O que faz por aqui?

- Eu? – ih, lembrei que tinha que ir pra Hogwarts... Mas Andrew não deve ser bruxo, ele não pode saber disso! – Ahn... Indo tomar o trem...

- Sério? Que coincidência... Eu também!

Ficamos rindo, eu com mais cara de boba que o normal... E super nervosa, reparei que ele tava nervoso também. Eu voltei a olhar pro relógio, nessa brincadeira perdemos uns dois minutos.

- Lizzie! – cochichou meu pai, fazendo menção pra o muro que dividia as Plataformas 9 e 10.

Eu tava MUITO atrasada... Tinha que resolver logo isso.

- Então... Que legal te ver! He he he... É... Vou indo!

Eu ia tentando caminhar disfarçadamente pra o bendito muro, mas o Andrew e a família dele cismaram de ir atrás de mim.

Meus pais, claro, já tavam ficando ainda mais nervosos.

- Lizzie, você tem que se livrar desse povo...

- A senhora acha que eu não tentei, mãe? Mas eles são doidos, parecem que tão seguindo a gente...

Olhei de novo pro relógio. Faltavam dois minutos pras onze. Pensei em correr de vez lá pra droga do muro, dane-se se eles iam ver, o pior era chegar tarde demais e perder o trem.

- Tive uma ideia, vou distrair eles – disse o meu pai.

E ele parou do nada, voltou e resolveu falar lá com o povo do Andrew. Minha mãe resolveu fazer o mesmo.

- Vai, filha – disse ela, me dando um beijo na bochecha direita – Bons estudos.

- Valeu, mãe.

E lá foi ela. Ainda pude ver meus pais conversando qualquer bobagem com a família do Andrew, fazendo de tudo pra tapar a visão deles, embora eu tenha tido a impressão de que a garotinha tava tentando olhar pra cá quase chorando.

Mas eu não tinha nada a ver com a vida dela. Virei pra frente e corri como nunca para atravessar aquela parede.

Mal deu tempo de pensar muito, nem ficar olhando pro nada parecendo uma idiota, eu tinha que colocar as malas no bagageiro e entrar logo antes que o trem partisse. Quando eu tava quase entrando no trem, eis que trombo com eles de novo... Andrew e a irmã.

- NÃO ACREDITO, VOCÊ AQUI?

- EU É QUE NÃO ACREDITO, O QUE É QUE VOCÊ TÁ FAZENDO AQUI?

Respiramos fundo. Realmente, era informação demais pra assimilarmos em tão pouco tempo.

- Eu pergunto primeiro. Lizzie Daniels, então você é uma...

- Bruxa? Sim, sou. E estou indo pra Hogwarts. Último ano, se quer saber.

- HA! Não acredito! Quem diria... Você lá na escola, nunca imaginei...

- E você...

- Eu? Eu sou bruxo também. Mas já sou formado. Em Uagadou. Lá é menos tempo, sabe...

- Sim, mas... – olhei pra garota, se Andrew estudou em Uagadou, por que ela não estudava também?

- Ela vem pra cá por que não somos filhos do mesmo pai. Meus pais são bruxos. Minha mãe é inglesa e meu pai é ganês. Só que eles se separaram quando eu ainda era muito pequeno e meu pai voltou pra Gana. Então, minha mãe casou de novo, só que com um trouxa. Trouxa inglês, no caso.

- Ah, então foi por isso que você...

- Estudei contigo? Sim, estudei, minha mãe achou importante eu ter um pouco de vivência trouxa antes de decidir para qual escola mágica eu queria ir.

- Tá, mas... Por que você preferiu Uagadou a Hogwarts?

- Ah, Lizzie, tantas coisas... Pra começar, lá além de ser menos tempo, a gente também aprende Transfiguração desde cedo e não usamos varinha. Eu poderia ficar horas falando esse e outros motivos de Uagadou ser a melhor escola de magia do mundo, mas...

- Não vai por que a melhor é Hogwarts e a gente tá atrasada! – interrompeu a garota, dando um último beijo no Andrew e entrando com tudo no trem.

- Tchau, Bonnie.

- Tchau, cabeça de cebola.

- Caraca, esqueci do trem! Tchau, Andrew, foi bom te ver... Ou melhor, rever, né, por que...

O trem apitou e eu entrei logo antes que arrancasse de vez.

Fui caminhando pelos corredores, a irmã do Andrew olhou pra mim e deu risada.

- E a gente achando que vocês eram trouxas...

Acabei rindo também, como é que iríamos adivinhar que tínhamos tanto em comum?

- Que sorte vocês terem conseguido entrar logo...

- É, ainda mais depois que estuporamos os seus pais.

Epa.

- Como é que é?

- Mas relaxa, Andrew vai voltar, minha mãe vai desestuporar seus pais e aí eles vão inventar uma desculpa qualquer pro meu sumiço. O duro vai ser obliviar toda aquela gente, espero que o Ministério da Magia daqui não invoque com isso. Soube que os filhos da Ministra estudam aqui também...

- É, mas eles não devem estar com tempo pra ficar fiscalizando azaraçõezinhas a toa.

Ainda bem que deu tudo certo no fim. Meus pais não ficariam com sequelas graves, e o Louis não viu nada daquela conversa.

- Tomara. Mas e você e o meu irmão... Vocês eram, tipo, namorados?

Oi? Aquela pirralha é doida, já fazendo insinuações sobre minha vida amorosa...

- Não, magi...

- Mas vocês pareciam tão íntimos... Tem certeza?

- N...

- Por que eu acho que vocês formariam um belo par. Meu irmão é um idiota, as meninas praticamente se jogam em cima dele e ele nada, depois fica reclamando que não pega ninguém...

- Na verdade, eu...

- E são todas umas desmioladas, uma mais burra do que a outra. Já você não, você não me parece tão burra, nem tão doida. E eu acho que o Andrew ficou a fim de você também.

Essa garota não bate bem da cabeça. Querendo me empurrar pro Andrew, onde já se viu? Se fosse há uns sete anos atrás, isso colava, mas agora... Com alguma sorte, o Louis não vai ter ouvido essa conversa.

- Que história é essa, Lizzie?

Ih, sujou! Fudeu, fudeu, já era, perdi o namorado...

- Oooooooooi, amor! – dei um beijo na boca dele pra ver se a doida da Bonnie sacava logo que eu já tinha alguém – Quanto teeeeeeemmmmpoooooooooo!!!

Acho que foi o suficiente, pois ela saiu correndo.

- Não me enrola, Lizzie, me explica logo o que aquela garota tava falando.


Notas Finais


Essa Bonnie, hein? Mal chegou e já meteu Lizzie em confusão
E o Andrew também, quem diria que ele é bruxo que nem a Lizzie?
Só uma pessoa não curtiu esse reencontro: ele mesmo, Louis, o nosso ruivinho ciumento
Como será que Lizzie vai conseguir contornar essa saia justa?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...