1. Spirit Fanfics >
  2. Sofia Hope Lupin >
  3. Capítulo 11

História Sofia Hope Lupin - Capítulo 11


Escrita por:


Notas do Autor


Oii, hj o cap ficou maior que o normal kk (o que vai me ferrar pq a fic do Spirit tá chegando onde eu tô)
Eu percebi que não tinha colocado como é a varinha de Sofia, então coloquei num pedaço
Recado, eu odeio o Snape

Capítulo 11 - Capítulo 11


Ela vai até as masmorras. E entra na sala. A aula é com os alunos da corvinal. Sofia se senta numa mesa e olha para Snape.


-Ora, ora, vejo que a nossa querida Srta. Lupin chegou - Snape diz


-Não precisa me anunciar para a sala, Ranhoso. - Sofia diz afiada


-Menos 5 pontos para a Lufa Lufa por essa falta de respeito - Ele diz


Sofia dá de ombros. 


Eles começam a fazer uma poção e Snape fica olhando com desagrado para o caldeirão de Sofia.


-Querido Professor, você está me desconcentrando passando aqui toda hora - Sofia diz entre dentes - daqui a pouco o óleo do seu cabelo vai pingar na poção e você vai me culpar


Snape olha irritado para ela


-Que atrevimento é esse? Vamos ver até onde isso vai - Severo diz sorrindo assustadoramente - menos 10 pontos para a Lufa Lufa


Sofia fica quieta. Ela não fala nenhuma palavra pelo resto da aula. Snape às vezes lhe implicava, para ela responder e perder mais pontos, mas ela ficou quieta.


A aula mais longa da vida dela acaba.  Quando todas as aulas acabam, Sofia vai para o Salão jantar.


-Ced, acho que eu quero entrar no time de quadribol - Sofia diz se sentando ao lado dele


-Bom, a gente pode marcar de você fazer um teste, eu sou o capitão - Cedrico diz - qual posição você gostaria de ficar?


Ela pensa um pouco


-Acho que artilheira, é uma boa posição para mim - ela diz sorrindo


-Pode ser na quarta? - Ele pergunta


-Claro


No dia seguinte, Sofia descobriu que a aula de Trato Das Criaturas Mágicas da Grifinória e a Sonserina havia sido um desastre


Ela procura Harry, no horário livre e vai até ele


-Harry, o que aconteceu exatamente na aula de Trato Das Criaturas Mágicas ontem? - ela diz


Harry explica para ela sobre Malfoy e o hipogrifo.


-Vocês já falaram com Hagrid? - Ela pergunta


-Já sim. Ele mandou desculpas por ter falado daquilo sobre o seu pai - Harry diz e fica esperando que ela diga o que é


-Eu vou no Malfoy, já volto - Sofia fala brava


Harry vai atrás dela. Draco estava conversando com Blaze e Pansy.


-Oi, Malfoy. Como vai seu braço? - Ela pergunta


-Vai muito mal, quase que aquele pássaro imbecil arranca ele - Draco diz fazendo uma cara de dor - eu já falei com o meu pai. Ele vai fazer algo a respeito


-Malfoy, você sabe que foi culpa sua! - Sofia diz ficando brava - não culpe um animal inocente!! 


-Animal inocente? - Ele pergunta levantando a sobrancelha - só faltava essa


Sofia tira a varinha. Pansy e Blaze se levantam (da parede que eles estavam escorados) e tiram a varinha.


-Você não entende Malfoy?! Você tem o poder de matar um ser inocente agora!! - Ela diz indignada - com só uma UMA mentira!!


Draco começa a rir e Sofia coloca a varinha em seu pescoço.


-Se eu fosse você, eu não riria - ela diz ameaçadoramente


Nessa hora todos já estavam olhando a briga.


-O que está acontecendo? - Remus chega


-Pai! - Ela diz assustada


-Eu estava aqui com o Blaze e a Pansy quando ela chegou puxando briga! - Draco diz se defendendo


-É verdade Sofia? - Remus olha para ela


-Sim, mas Draco está fingindo esta dor no braço!! - Sofia fala explicando ao seu pai - Ele só quer acabar com Hagrid!! Ele não merece isso! Hagrid é uma das melhores pessoas que eu já conheci!


Remus olha para os dois


-Olha, eu não sei o que está acontecendo e quem está certo - Remus diz - eu não quero ver mais brigas, se não é detenção para os dois. Ouviram?


-Sim - Draco diz emburrado


-Tá - Sofia fala no mesmo tom que ele


-E todos podem voltar a fazer o que estavam fazendo - Remus diz aos alunos que tinham se amontoado


O Lupin vai embora.


Depois das aulas, Sofia e Cedrico se encontram no estádio de quadribol. O goleiro da Lufa Lufa foi também 


-Você deu sorte, nós estávamos sem um artilheiro - ele diz para a mais nova


Eles sobem nas vassouras. Seria simples, ela ia tentar fazer gols. Tinha 5 chances.


Sofia estava com a vassoura da escola, não era muito boa. Mas deu para fazer 3 gols, sendo que um quase foi gol.


Ela desce da vassoura


-E aí capitão? - Ela diz a Cedrico


-Você foi bem, mas precisa de treino e uma vassoura melhor - Cedrico diz sério - você está dentro. 


Sofia sorri. Ela olha para o canto do estádio e vê o cão negro, Sirius. Ela fica feliz que ele tinha visto ela voando. Logo ele vai embora.


Sofia sobe na vassoura e começa a voar só para se divertir mesmo.


Na quinta ela teria a tão esperada aula. A aula de DCAT.


-Harry! Mione! Rony! A aula é com a Grifinória? - Sofia pergunta sorrindo quando vê eles na porta da sala de DCAT


-Animada? - Rony pergunta rindo


-Claro!! - Ela diz transbordando de alegria


Os três riem dela. Eles abrem a porta e entram. Remus não estava lá.


-Pai? - Sofia chama se sentando


Todos tiraram os livros das mochilas. Sofia ficou olhando para os lados procurando o professor. 


Depois de um tempo o Lupin finalmente apareceu. Ele colocou sua mala na mesa.


-Boa tarde - cumprimentou ele - por favor, guardem todos os livros de volta nas mochilas. Hoje teremos uma aula prática. Os senhores só vão precisar das varinhas.


Sofia estava muito empolgada. Ela guarda o livro e pega sua varinha. A varinha era de madeira de sicômoro com núcleo de coração de dragão, 30 centímetros e flexibilidade levemente flexível. Quando todos acabam, Remus diz


-Certo, então. Queiram me seguir


Sofia vai ao lado de seu pai


-O que vai ser? - Ela diz


Remus ri da empolgação de sua filha


-Como se eu fosse te falar 


Ela emburra e ele ri mais.


No fim do corredor estava Pirraça, entupindo com chicles o buraco de uma fechadura


-Louco, lobo, Lupin - entoou ele - louco, lobo, Lupin


Pirraça normalmente demonstrava algum respeito pelos professores. Os alunos na mesma hora olharam para o Prof. Lupin para ver como ele iria reagir. Para surpresa de todos ele continuou sorrindo


-Eu tiraria o chicle do buraco de fechadura se fosse você, Pirraça - disse ele gentilmente - o Sr. Filch não vai poder pegar as vassouras dele


Pirraça o ignorou e fez um ruído ofensivo com a boca.


O professor suspirou e pegou sua varinha


-Estes é um feitiço útil - disse à turma por cima do ombro - por favor, observem com atenção


Ele apontou a varinha para Pirraça


-Uediuósi!


Com a força do uma bala, o chicle disparou e bateu na narina de Pirraça. Pirraça rapidamente saiu voando de lá, xingando.


-Maneiro, professor! - Exclamou Dino


-Obrigado, Dino - o professor diz e guarda a varinha


Sofia sorri. Todos estavam gostando de seu pai, não que fosse difícil gostar dele. Eles continuaram a andar 


-Entram, por favor - disse ele, abrindo a porta e se afastando para os alunos passarem


Era a sala dos professores. Estava desocupada, exceto por Snape. Quando Remus entra e vai fechar a porta Snape fala


-Pode deixar aberta, Lupin. Eu prefiro não estar presente


Ele passou pela turma. À porta, ele girou os calcanhares e disse ao colega


-Provavelmente ninguém o alertou, Lupin, mas essa turma tem Neville Longbottom. Eu o aconselharia a não confiar a esse menino nada que apresente dificuldade. A não ser que a Srta. Granger se incuba de cochichar instruções no ouvido dele


Neville ficou escarlate. Sofia olhou com ódio para Snape, e Harry emburrado.


-Pois eu pretendia chamar Neville para me ajudar na primeira etapa da operação, e tenho certeza de que ele vai fazer isso admiravelmente. 


Neville ficou mais corado ainda. Sofia sorri para Snape. O professor sai da sala, batendo de leve a porta.


-Agora, então - disse Prof. Lupin chamando a turma para o fundo da sala. Onde havia um armário, que se sacudiu, batendo na parede - não se preocupem - disse ele calmamente - há um bicho papão aí dentro


A maioria dos alunos achou que isso era algo para se preocupar. Neville olhou com terror para Lupin.


-Bichos papões gostam de lugares escuros e fechados - informou Remus - guarda roupas, o vão embaixo das camas, os armários sob as pias… Eu já encontrei um no sótão lá de casa, Sofia vai se lembrar - os alunos olham para Sofia e ela cora, afirmando com a cabeça - este aí se mudou para cá ontem à tarde e perguntei ao diretor se os professores poderiam deixá-lo para eu dar uma aula prática aos meus alunos do terceiro ano. Então a primeira pergunta que devemos fazer é, o que é um bicho papão?


Sofia e Hermione levantaram a mão. Elas se olharam rindo.


-Hermione? - Remus diz sorrindo


-É um transformista - ela diz - é capaz de assumir a forma que achar que pode nos assustar mais


Sofia e Hermione fazem um hi-5


-Eu mesmo não poderia ter dado uma definição melhor - disse o Prof. Lupin - então o bicho papão que está aí dentro não assumiu forma alguma. Ele ainda não sabe o que pode assustar a pessoa que está do lado de fora. Ninguém sabe qual a aparência do bicho papão quando está sozinho. Mas quando eu deixar ele sair, imediatamente se transformará naquilo que cada um de nós mais teme. Isso significa que temos uma enorme vantagem sobre o bicho papão para começar. Você já sabe qual é, Harry? 


Harry achou muito irritante tentar responder com Sofia e Hermione esticando a mão cada vez mais, mas ele resolveu tentar


-Hum… Porque nós somos muitos, ele não vai saber que forma tomar. 


-Precisamente - Remus diz e as duas abaixam a mão - é sempre melhor estarmos acompanhados quando enfrentamos um bicho papão. Assim, ele se confunde. No que deverá se transformar, num corpo sem cabeça ou numa lesma carnívora? Uma vez vi um bicho papão cometer exatamente o mesmo erro, tentou assustar duas pessoas e se transformou em uma meia lesma. O que, nem de longe, pode assustar alguém. O feitiço que repele um bicho papão é simples, mas exige concentração. Vejam, a coisa que realmente acaba com o bicho papão é o riso. Então o que precisam fazer é forçá-lo a assumir uma forma engraçada. Vamos praticar o feitiço. Repitam comigo, por favor… Riddikulus!


-Riddikulus! - A turma repetiu


-Ótimo - Remus fala - Muito bem. Mas receio que esta seja a parte mais fácil. Sabem, a palavra sozinha não basta. E é aqui que você vai entrar Neville


Neville se aproxima tremendo de medo.


-Certo, Neville - disse o professor - vamos começar pelo começo: qual, você diria, que é a coisa que mais te dá medo neste momento?


Neville mexe os lábios, mas não saiu nenhum som


-Não ouvi o que disse, Neville, me desculpe - disse Remus animado


Neville olhou para os lados desesperado pedindo ajuda, e depois disse sussurrando


-O Prof. Snape


Todos riram. Até Neville sorriu. Sofia apertou os punhos, "como o maior medo de um aluno era um professor?!" Remus ficou pensativo.


-Prof. Snape… Hummm… Neville, eu creio que você mora com a sua avó?


-Hum… Moro - diz Neville nervoso - mas eu também não quero que o bicho papão se transforme na minha avó.


-Não, não, você não entendeu - disse Remus agora rindo - Quais roupas a sua avó normalmente usa?


Neville faz uma cara de espanto 


-Bem… Sempre o mesmo chapéu. Um bem alto com um urubu empalhado na ponta. E um vestido comprido… Verde, normalmente… E às vezes uma raposa


-É uma bolsa?


-Vermelha e bem grande.


-Certo então - disse o professor - você consegue imaginar essas roupas com clareza?


-Consigo - respondeu Neville


-Quando o bicho papão sair, ele vai vir até você, e assumir a forma do Prof. Snape. Você vai erguer a varinha e gritar: Riddikulus. E concentrar nas roupas de sua avó. Se tudo der certo o Prof. Bicho Papão Snape vai usar as roupas dela. 


Houve uma explosão de risos.


-Se Neville acertar, o bicho papão provavelmente vai voltar a atenção para cada um de nós. Eu gostaria que todos tirassem um tempo para pensar o que mais os assusta e como tornar isso uma coisa cômica.


A sala ficou silenciosa. Sofia começa a pensar, o que lhe dá mais medo? Ela se lembra do olho do lobisomem na fechadura da porta. Não, ela não podia fazer o bicho papão virar seu pai. Mas era a coisa que ela mais temia. Uma lembrança. Um olho. De seu pai.


-Pai - Sofia chama Remus, ele vai até ela


-Oi, meu amor, que foi? 


-Eu não posso fazer isso - Sofia diz olhando para os pés - não posso mostrar o meu maior medo


Remus a olha, franzindo o cenho


-Você pode me contar? - Ele pergunta a olhando preocupado


-... Não, desculpa - ela fala e aperta os punhos.


Remus a olha desconfiado de que talvez fosse algo haver com Sirius… Ou talvez fosse algo haver com ele. Remus espanta esse pensamento. Ele não seria o maior medo de sua filha.


Ele vai para o seu lugar antigo


-Todos prontos?


Harry vai para o lado de Sofia


-O que você pensou? - Ele pergunta


-Eu não vou fazer, já falei com o pai - ela diz cabisbaixa - você precisa de ajuda? 


-Sim, eu acho que o meu maior medo é um dementador - Harry diz - não sei como fazê-lo não ser assustador


Sofia sente um arrepio


-Desculpa, mas nem eu - ela diz 


Todos fazem uma fila, Sofia vai para o lado de seu pai. Harry fica pensando no que fazer.


-Todos para trás, agora, de modo que Neville tenha espaço para agitar a varinha… - Remus diz


Todos recuaram para as paredes, deixando Neville sozinho. Ele parecia pálido e assustado, mas estava em posição.


-Quando eu contar três - avisou Remus, que apontava a própria varinha para o armário - um… Dois… Três… Agora!


O guarda roupa de abriu com violência. Com o nariz grande curvo e ameaçador. Snape avançou na direção de Neville.


-R-r-riddikulus - Neville diz com a voz esganiçada


Snape tropeçou, usava um vestido verde, enfeitado com rendas, um chapéu longo com um urubu empalhado, uma raposa e uma bolsa vermelha


Todos morreram de rir (fim. Zoas kkkk)


-Pai, você não tem uma câmera não? - Sofia pergunta rindo muito


-Infelizmente não - ele diz baixo - Parvati! Avante!


Passou um tempo, a fila foi diminuindo. Todos rindo muito.


-Rony, você é o próximo! - Remus diz


Muitos alunos gritaram, Sofia deu um pulo de susto. Uma aranha gigantesca e peluda, com quase dois metros de altura avançou, em Rony, batendo as pinças. Por um momento pareceu que Rony congelara.


-Riddikulus! - Rony berra e as pernas da aranha desapareceram. Ela foi rolando até que parou nos pés de Harry. Ele ergue a varinha, mas…


-Tome! - Gritou Remus de repente correndo para frente


A aranha sumiu. Todos olharam para ver o que era. Eles viram um globo branco-prateado pendurado no ar diante de Remus


-Riddikulus - Ele diz tranquilamente


Sofia olha preocupada para Remus "óbvio que seria isso" Ela pensa


-Para a frente, Neville, e acabe com ela! - Mandou o professor quando o bicho papão aterrissa em forma de barata. E Snape reaparece. Desta vez Neville avança decidido.


-Riddikulus! - Ele grita, por uma fração de segundos reaparece Snape de vestido, antes dele explodir em milhares de pedaços e desaparecer


-Excelente! - Remus diz, enquanto todos aplaudiam com entusiasmo - excelente Neville. Muito bem pessoal! Deixe-me ver… Cinco pontos para a Grifinória e a Lufa Lufa para cada pessoa que enfrentou o bicho papão… Dez para Neville porque enfrentou duas vezes e cinco para Harry e para Hermione.


-Mas eu não fiz nada - protestou Harry


-Você e Hermione responderam às minhas perguntas corretamente no início da aula, Harry - responde Remus gentilmente - muito bem pessoal, foi uma aula excelente. Dever de casa: leiam o capítulo sobre bichos papões e façam um resumo para me entregarem… Na segunda. E por hoje é só


Os alunos deixam a sala dos professores e Sofia fica lá


-Precisa de ajuda, pai? - Ela pergunta


-Não tem muita coisa para fazer não - ele diz e se senta


-Pai, por que você entrou na frente do Harry? - Ela se senta em seu colo


-Eu não acho que Voldemort no meio da sala seria bom - Remus diz


-Mas o bicho papão dele não é Voldemort - Sofia fala


-Não? - Ele franze o cenho


-Não, é um dementador


-Interessante… - Remus diz - vamos jantar?


-Vamos!! Eu tô com fome! - Ela diz rindo. Sofia se levanta e vai de mãos dadas para o Salão


Chegando lá eles se separam. Sofia se senta e começa a comer. De repente vem uma coruja marrom e entrega um pacote grande para Sofia. Ela arqueia uma sobrancelha


-Obrigada - ela diz a coruja. A coruja bica sua mão, como um carinho, e sai voando. 


-É de quem, Sof? - Cedrico pergunta


Ela vê um bilhete amarrado no pacote


"Oi, princesa. Espero que esse presente compense os aniversários que eu estive fora… Eu te amo muito! No seu próximo aniversário eu vou estar lá (ou não porque você vai estar em Hogwarts), mas eu vou comemorar com você

Com amor, papai"


Sofia deixa cair uma lágrima, ela a limpa rapidamente. Ela logo guarda o bilhete no bolso.


-É de uma pessoa que eu amo muito - Ela diz sorrindo


-Abre - Cedrico diz, vendo que ela não iria lhe falar


Sofia abre o pacote. Ela vê um cabo de vassoura e Firebolt escrito. Ela começa a rir de alegria.


-É uma Firebolt!! - Cedrico diz colocando as mãos na cabeça


Sofia abre totalmente o pacote e lá estava a linda vassoura


-Uau!! - Ela diz empolgada


Remus a olha com os olhos arregalados, mas depois começa a sorrir


Os três chegam ao lado dela


-Uma Firebolt!! - Rony diz espantado


Todos no Salão se amontoam para ver a vassoura.


Sofia a pega sorrindo.


-Srta. Lupin - Minerva diz e Sofia a olha - por favor, guarde a vassoura em seu dormitório e volte para acabar de comer 


-Tá bom, desculpa Tia Minnie - Sofia diz - eu não sabia que era uma Firebolt


Sofia vai com Cedrico, que insiste em acompanhá-la, para o dormitório. Ela a coloca embaixo da cama.


-Agora, quem te deu? - Ele diz mais sério e fecha a porta


Sofia olha para o chão


-Ced, você sabe que é meu melhor amigo… E que eu confio a minha vida em você, certo? - Sofia diz se sentando.


Cedrico se senta ao lado dela


-O que eu vou dizer aqui, fica aqui. Por favor - ela diz meio hesitante


-Eu juro, Sof - ele diz sorrindo


Ela suspira


-Meu pai é Sirius Black - ela diz e Cedrico arregala os olhos - ele que me deu a vassoura.


Ele fica quieto


-Ele foi preso injustamente. Pettigrew está vivo, em forma de rato, ele é um animago. Assim como meu pai, que é um cachorro preto - ela diz séria


-O cachorro que estava com você e desapareceu no primeiro dia? - Cedrico pergunta


-Sim, ele é meu pai. Remus é casado com ele. Eu fui adotada pelos dois. E, não sei se você percebeu, mas eu fico meio mal por um tempo, a cada mês


-Sim, eu já percebi


Sofia hesita bastante. Ela morde seus lábios, fala ou não? Se ele contasse a alguém, seu pai estaria arruinado. Mas Sirius já estava se ele contasse.


-Meupaiéumlobisomem - ela diz rápido


-O que? Desculpa, não deu para entender - Cedrico diz


-Meu. Pai. É. Um. Lobisomem - ela diz pausadamente


-Espera, qual? - Diggory pergunta


-Remus… - Ela olha para o chão. Estava feito, não tinha como voltar atrás


-Sof, eu não vou falar a ninguém. Nem para eles - Cedrico diz a abraçando - eu acho de boa que Remus seja um lobisomem, não é culpa dele. Dumbledore deve ter tomado medidas para ele dar aula aqui.


Sofia fica aliviada. Parece que ela tirou um peso das costas.


-Obrigada Ced! - Ela o aperta no abraço


-Obrigado por confiar em mim - ele diz


Depois de um tempo os dois voltam para acabar de comer.


Notas Finais


Sim, ela contou tudo para Cedrico. Ele é um amor né gente?
A parte do quadribol deve ter ficado horrível, mas eu não consegui fazer nada melhor kk
Espero que tenham gostado <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...