1. Spirit Fanfics >
  2. .Solaño Tango >
  3. La nueva vida

História .Solaño Tango - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Olá, Juh aqui!
Fui desafiada pela minha amiga @Crystal-Winter a fazer essa história, então está aqui ela.
Espero que gostem dela, Beijos!

Capítulo 1 - La nueva vida


Fanfic / Fanfiction .Solaño Tango - Capítulo 1 - La nueva vida

Enquanto deitava suavemente sua cabeça sobre seu travesseiro, preparando-se para cair mais uma vez no sono. Ryan não pode evitar de se levantar para ir até a cozinha, onde seu celular vibrava por causa da ligação que acabará de receber. Suas palavras foram curtas e logo a conversa se encerrou. Era apenas Loius, um amigo próximo, o motivo da ligação era besta mas tentador a um jovem como Ryan, este que recusou a oferta de uma viagem para Argentina na semana seguinte por puro capricho.

Antes que retornasse ao conforto de sua cama, notou uma folha de papel sobre o balcão da cozinha, como não se lembrava de ter a deixado ali decidiu dar uma olhada no conteúdo da folha. 

Aquilo foi um erro. 

Um erro que tinha o nome marcado no coração do florista, Lavínia Dos Santos. Uma jovem brasileira banhada a beleza, esta era Lavínia, mulher aquela que esquentava sua cama nas noites frias de inverno em Barcelona, ou que o acordava apenas para dizer "Te amo" por que não sabia se já tinha se declarado a ele naquele dia. Lavínia foi seu mais belo e precioso erro. 

Lia cada palavra daquela maldita carta escrita mão pela mulher. Lágrimas rolavam a medida que lia, até que chegou ao último verso, aquele o qual dizia:

"Obrigado por um dia dançar comigo este tango tão solitário, chamdo de vida, Ryan. Eu te amo, mi amor."

Nesse momento já não sabia se chorava ou se estava morrendo ao lembrar dela, em exatidão, o dia em que lhe deixou. Deitada em uma cama de hospital, agarrada a vida por máquinas e fios, coitada, ela sofria tanto que não hesitou quanto teve a oportunidade de puxar o fio ao lado de seu leito e finalmente deixar este impuro mundo que não lhe merecia. Ao menos, não mais. 

Ryan não queria, mas teria, algum dia, ele teria de sair de seu luto e deixar com que sua amada finalmente se desprende-se deste mundo por completo e pudesse agarrar ao paraíso sem que fosse puxada de volta pelas súplicas de amor de que Ryan repetia sempre que se lembrava dela. 

Ryan chorou muito naquela noite, passou um bom tempo se despedaçando em maldições que fazia ao seu próprio corpo, até que decidiu ligar para Louis. Logo que o amigo atendeu, Ryan secou algumas lágrimas de seus olhos, acabou sorrindo quando ouviu a voz estridente dele. Ignorou Louis primeiramente, apenas lhe perguntou de forma bem clara para que não houvesse dúvidas.

"Que horas eu tenho que aparecer no aeroporto, Louis?" 

A resposta foi rápida, Louis não entendeu o "porquê" da ligação mas não se deu o trabalho de perguntar, passou todas as informações que Ryan precisava para pegar o voo. Dinheiro não era problema, Louis iria pagar tudo, ele mesmo havia dito. Iriam sair na terça, às cinco e meia da manhã, junto de outros amigos, tinham o destino direto a capital argentina, Buenos Aires, onde chegariam às duas e quarenta e cinco da tarde.

Dito isso, Louis desligou e Ryan se viu sozinho novamente. O lado bom de tudo isso era que agora, haveria algo para fazer na semana que vem, além de cuidar de flores e plantas o dia inteiro. 

...

Aquela semana demorou para passar. 

Não dormia porque ouvia Lavínia o chamar, sempre apalpava o lado da cama a qual costumava estar, se levantava e procurava pela mulher, não proferia uma palavra sequer até que fosse a sala e observasse a pequena foto no quanto da bancada. Lavínia ainda sorria nela. 

Ele se virava e voltava para o quarto, secando algumas lágrimas. 

Durante o dia, Ryan ia trabalhar, como todo adulto. Trabalhava em uma floricultura, passava o dia atendendo clientes e podando plantas. Os dias ali eram mais leves mas não sabia dizer se eram normais, passava o dia atendendo rapazes, moças e casais, no geral, estes encomendavam buquês e compravam mudas de plantas ou flores, sempre diziam o por que e sempre queriam saber o significado de cada flor, são perfeccionistas, querem tudo perfeito para seus amados, e Ryan, por sorte, também era. Amava criar buquês e cultivar mudas, também escrevia pequenas poesias para passar o tempo, todos eles lhe lembravam sua falecida amada, mas não estava mais triste. 

Com o tempo, pouco tempo na verdade, Ryan percebeu que o fantasma de Lavínia não o assombrava, mas sim, cuidava de si. Ela estava ali, com ele, sempre esteve, nunca pensou em sair.

"Lavínia, bela Lavínia, até depois de morta cuida de mim… eu te devo essa, minha querida." Ryan riu. Observou a foto em mãos, Lavínia o olhava, apaixonada e ele retribuía o olhar, feliz. 

Ryan deixou a foto na bancada e pegou suas malas, deixou o apartamento e desceu até o térreo. Encontrou Louis e Carlos, a sua espera, ambos encostados no automóvel vermelho do loiro, Louis. Quando perceberam sua presença sorriram e o ajudaram com a bagagem, foram direto para o aeroporto onde encontraram os outros passageiros que iriam junto a eles. 

Chegaram no país latino são e salvos. 

Passaram o dia dormindo, já que durante a noite, Carlos iria os guiar pela cidade natal, acompanhado pelo namorado loiro. Ryan não ligava de passar por inúmeros bares e boates, seus amigos o faziam rir a toda hora e conseguia puxar conversa com algumas garotas, uma vez ou outra.

Mas, sabe, o destino é como um amigo próximo, ele sempre nos trata como crianças que precisam aprender, confiar nele é se jogar de abismo! Um abismo que dá diretamente ao mar, você não confia nele, ele não confia em você, mas, às vezes, ele te deixa escolher, assim como fez com Ryan, que nunca imaginou encontrá-la ali.

Nunca esperou encontrar Esther na porta de uma boate no centro de Buenos Aires, muito menos em se apaixona por ela ou mesmo se casar depois de dois anos de namoro. 


Ryan nunca imaginou que voltaria a dançar aquele tão solitário tango, chamado de vida, ao lado de Esther Tedesco de Jesus.




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...