1. Spirit Fanfics >
  2. Solar >
  3. O passado

História Solar - Capítulo 14


Escrita por:


Notas do Autor


Oi, oi meus amores!
Voltei mais cedo dessa vez, mas nem tanto quanto eu queria! Nesse final de semana eu deveria ter postado mais dois capítulos, mas eu me perdi no tempo, achando que ontem era sexta e então teria o sábado e o domingo pra postar KKKKKK
Enfim, finge que isso nunca aconteceu 😂
Aqui está mais um capítulo para vocês!
Boa leitura!!

Capítulo 14 - O passado


Fanfic / Fanfiction Solar - Capítulo 14 - O passado

O som das folhas caindo dentro da vasilha e afundando na água fervente entrou pelos ouvidos de Seokjin, ele se afastou de sua sacerdotisa para começar a limpar a cozinha. Limpou a mesa com um pano e depois seguiu para lavar os pratos.

— Ele não é parecido com ela, se distinguem em tantos aspectos que só parecem mãe e filho pela aparência e sobrenome. — comentou.

O suspiro longo da senhora foi ouvido, Seokjin a conhecia o suficiente para entender que ela não estava preocupada, mas sim sentindo-se culpada. 

— Isso é bom. — não gostava de tocar naquele assunto, pois sempre a fazia se lembrar de seus erros.

Sorin era sua filha, deveria tê-la observado mais e conectado todas as ações que já mostravam que ela não seria uma boa mãe, nem boa pessoa ou qualquer outra coisa.

— O que acha que ele sente? — Seokjin perguntou mesmo sabendo que corria riscos de ficar sem resposta.

— Ela o machucou demais. — apagou o fogo e tampou a panela, saiu de onde estava e pegou um pano para secar suas mãos, depois se sentou em uma das cadeiras da mesa. — O que me faz ter ainda mais orgulho dele, mesmo sem o amor de uma mãe, Hoseok permaneceu de pé. Graças a Minseok também. Sinceramente tenho que admitir que ele é um bom homem, não acreditei no passado que seria um bom pai, mas ele quem salvou meu neto de uma tristeza profunda.

Seokjin terminou com os pratos e se aproximou da mesa, apoiando as duas mãos em uma das cadeiras, olhando a Jung de cima. — Pensávamos que a parte da família a decepcionar viria dele, mas foi o contrário.

— Sorin nos envergonhou como Jung, esse peso cai sobre meus ombros. — abaixou o olhar.

— Ainda tens a mim, mãe. — tanto o Kim quanto a Jung olharam na direção da porta onde Daehyun estava. — Sou seu exemplo, a senhora nos criou da mesma forma, tratou Sorin e a mim da mesma maneira, mas veja como ela terminou. — o homem se aproximou de sua mãe, segurando as mãos dela com as suas. — Mostra que não foi culpa sua o que aconteceu.

Sunhee se permitiu sorrir. — Eu sei, meu amor, mas ainda dói um pouco. — guiou as mãos até seu rosto para beijá-las.

— Agora Hoseok poderá fazer diferente, fazer até mesmo o que Sorin deveria ter feito. — Daehyun puxou uma cadeira e se sentou.

— Ele não sabe de vários pontos importantes, nem sobre nós e nem sobre si mesmo. — disse o Kim.

— Esconderam tudo o que puderam dele. — Daehyun balançou a cabeça, negando. — Aceitar e controlar o que tem dentro não será fácil para Hoseok, ele poderá se machucar e machucar outras pessoas também simplesmente porque não se conhece.

— Por isso ele veio até nós. — Sunhee cruzou as mãos sobre a mesa. — Eu duvidei por vários anos de que Hoseok poderia algum dia se descobrir quando seus pais esconderam toda a verdade dele. Mas mesmo que Sorin e Minseok não quisessem que ele fosse como nós, a própria natureza tratou de ir contra essa ideia.

— Como assim? — confuso, Seokjin questionou.

Sunhee respirou fundo. — Hoseok não é qualquer pessoa como já sabemos, nem mesmo qualquer Jung. Ele é mais do que nós, mais do que vários do passado. Ele é como Sorin foi, ele tem o que ela tinha, mas abriu mão. Essa natureza não se esconde como Sorin pensou que pudesse esconder e foi por isso que ela morreu.

— Morreu com fogo. — Daehyun soltou uma risada nasal, incrédulo. — Ela morreu por algo que não poderia machucá-la. 

— Não poderia feri-la a partir do momento em que ela aceitasse o que era e o que levava dentro de si. — Sunhee fechou os olhos por um momento. — O tanto que eu avisei que ela estava indo pelo caminho errado...

— E as consequências vieram consumi-la e fazer dela cinzas. — Seokjin suspirou pesado, se era um assunto delicado para si nem imaginava como era para os Jung.

 

 

~~

 

 

Escolher ficar deitado naquela grama, sentindo o calor de Hoseok abaixo de si enquanto beijava-o talvez não tenha sido uma ideia tão bem pensada, principalmente quando o ruivo descobria um gosto em segurar seus cabelos e arranhar sua nuca de forma suave que deixava todo seu corpo arrepiado. Yoongi estava se controlando muito, não se lembrava da última vez que precisou se esforçar tanto para não perder as rédeas da situação e deixar com que seu querer fosse maior do que seu bom senso. Não poderia simplesmente arrancar as roupas de Hoseok e fazê-lo seu ali mesmo porque o Jung não era mais seu esposo como antes, pelo contrário, era como se tivesse voltado mais ainda no passado e precisasse conquistar aquele garoto mais uma vez. 

Agora Hoseok tinha uma outra vida e, apesar de ser o mesmo, acabava por parecer uma pessoa diferente do que era antes pelas coisas que estavam ao seu redor e até mesmo pelo que tinha e era agora. 

O vampiro agarrou a grama e respirou pesado contra o pescoço do mais jovem ao senti-lo apertar seu cabelo com mais força. Sua outra mão acariciava e apertava de leve na cintura do outro fazendo com que Hoseok sentisse uma sensação boa demais para conseguir parar com tudo. Mais uma vez nenhum dos dois sabiam por quanto tempo estavam deitados ali, se beijando como amantes aproveitando o tempo que tinham. 

Hoseok finalmente podia entender a conexão que sentia por Yoongi, aquele sentimento de que o conhecia de algum lugar, agora sabia porque não deveria sentir medo, porque ficava tão bem perto dele e porque o deixou se aproximar e passar da barreira que criou ao redor de si mesmo.

Suas bocas voltaram a ter contato, Hoseok a ter aquele sensação boa de carinho e Yoongi de poder sentir o príncipe mais uma vez. 

Yoongi estava tendo uma ideia de que não estava totalmente morto, quer dizer, assim como a dor que sentia ao ser espoxto à prata ou água benta, também tinha seus sentimentos completamente humanos por Hoseok, seu amor, sua paixão e agora o desejo. Ele desejava muito o outro, muito mesmo e foi por isso que decidiu que era hora de parar, pelo menos por tempo suficiente de acalmar seus ânimos e acabar não assustando o outro com as coisas que passavam por sua cabeça e estavam quase vindo à tona por meio de seu corpo.

O Min desgrudou os lábios lentamente e logo depois beijou a testa de Hoseok carinhosamente, ainda acariciando sua cintura, mas agora acabando por tirar suas mãos dele. Hoseok observou Yoongi se afastar um pouco, mas apenas que ficasse sentado na grama, Min estendeu-lhe a mão e aceitou sem pensar, recebendo ajuda para ficarem frente a frente. As mãos de Yoongi fizeram carinho no rosto do jovem e pelo cabelo dele, tirando o mato que grudou por ali. Hoseok mantinha o olhar no rosto do outro, lembrando-se sempre de suas palavras anteriores onde ele contou fatos que eram difíceis de acreditar. O vampiro, depois de terminar com os cabelos ruivos, levou seu olhar para o rosto, observando como Hoseok lhe encarava com curiosidade. Suspirou, sabia que por naquela cabeça se passavam várias dúvidas.

Contaria para ele, estava decidido, Hoseok merecia saber. 

— Eu... — começou Hoseok, um tanto nervoso por simplesmente acabar percebendo que a decisão para que ambos se beijassem foi de si mesmo. — Não sei o que dizer. Acho que deveria ter feito isso antes, sabe...? — olhou o chão e passou a mão na nuca, antes de voltar seu olhar para o Min e perceber que seu sorriso estava maior. — Que-quer dizer, assim eu finalmente entenderia o que estava acontecendo comigo.

— Você sabe agora? — Yoongi simplesmente não conseguia tirar as mãos de Hoseok, de seu rosto levemente avermelhado, de sentir aquela pele macia e o calor.

— Sei... E por ter me contado a verdade também ajudou. — balançou os ombros. 

— Acredita em mim? 

— Como não acreditar depois disso? E-eu me senti tão diferente, mas ao mesmo tempo tão familiarizado com você, com o seu beijo. — ainda estava assimilando tudo e acabava se embolando em algumas palavras, Yoongi notou isso e procurou suas mãos para apertá-las com carinho. — Quando ainda estávamos na floresta e você quase me beijou, eu tive uma visão, não sei se já sonhei assim antes e a memória trouxe isso naquele momento, mas eu vi nós dois juntos. 

Curioso, Yoongi perguntou. — Nós dois? Juntos como? 

— Bem, estávamos correndo por um corredor e depois... — Hoseok apertou os olhos, tentando se lembrar melhor. — Depois estávamos em uma cama, eu acho, nos beijando da mesma forma que estávamos aqui. 

— Nossa... — Yoongi sorriu. — É um sonho bem específico. 

— Ei! Você estava quase me beijando! Talvez meu consciente tenha se lembrado do passado e acabou trazendo isso para mim. — ficou emburrado pelo jeito que Yoongi o encarava.

— Não sei se é possível que se lembre do passado, mas talvez o nosso quase contato tenha mesmo tornado isso possível. — subiu uma das mãos para o queixo do ruivo. — Ou talvez fosse uma visão do futuro. 

Hoseok riu. — Sua confiança não se limita a apenas suas táticas de guerra, não é?

— Para ser sincero, não. — Yoongi arredou o corpo para frente e aproximou o rosto do outro para beijar-lhe os lábios mais uma vez. — Eu esperei tempo demais para isso.

Hoseok observou o quanto os olhos do moreno estavam brilhantes e quanto ele parecia satisfeito e feliz. — Por quanto tempo? Quanto tempo ficou me procurando? Aliás, como pode se lembrar de mim se ficamos juntos vidas atrás? E-eu tenho...

— Hoseok. — chamou o vampiro, notando que o ruivo acabava por ficar confuso e afobado.

— Não entendo, ainda não sei como você faz as coisas que faz, como consegue? Quer dizer... Eu...

— Ei, Hoseok. — chamou mais uma vez, com a voz calma, trazendo as duas mãos de Hoseok até sua boca para poder beijá-las, mas, vendo que não era o suficiente, voltou a beijá-lo mais uma vez naquele início de noite. Quando se afastou e percebeu que o ruivo tinha a atenção em si, sorriu pequeno e acariciou a lateral de seu rosto. — Eu vou lhe contar toda a história, mas eu quero saber se você está pronto porque não tivemos um final feliz no passado.

Hoseok suspirou, algo dentro de si lhe dizia que não tiveram esse final feliz por sua culpa, talvez não culpa, mas causa, estava com um mal pressentimento.

— Estou pronto, Yoongi, por favor me conta. — fechou os olhos por alguns segundos, respirando fundo. — Eu estou tão nervoso, tem tanta coisa, e... — apertou as mãos de Yoongi, tentando se acalmar. — Eu preciso saber.

Sua voz saiu arrastada, como se estivesse implorando por aquilo, bem, talvez estivesse mesmo. Estava cansado de parecer ser o único que não sabia das coisas, céus, nem a si mesmo ele conhecia direito! Era tão injusto.

O vampiro ainda tinha receio, não sabia como Hoseok iria reagir quando lhe contasse tudo o que aconteceu, principalmente quando ele soubesse que havia falhado em protegê-lo, foi tudo o que prometeu: que não deixaria que nada de ruim acontecesse com ele; mas não conseguiu cumprir essa promessa.

— Há quase quatro mil anos atrás o reino Sul vivia em guerra com os três reinos. A família real daquela época era a minha, a família Min. Eu era o único filho que meus pais tinham e por isso iria herdar a coroa, quando eles foram assassinados me tornei rei e você estava ao meu lado. — sorriu fechado. — Nós nos conhecemos no aniversário da minha mãe, em um baile de máscaras que meu pai preparou para comemorar.

"No meio da festa, depois dos brindes, eu vi você no meio daquele monte de gente e talvez eu tenha ficado um bom tempo parado no meio do salão só te olhando. Quando você olhou de volta eu fiquei muito nervoso, mas isso não me impediu de ir falar com você. Nossos pais eram amigos, mas nós nunca tínhamos nos falado e eu me arrependi muito disso porque te conhecer foi a melhor coisa que me aconteceu. Eu te chamei para dançar mesmo não sendo muito bom nisso, mas com você tudo parecia mais fácil. Nós nos divertimos e juro que sonhei com seus olhos naquela noite."

Hoseok observava o quanto Yoongi parecia feliz em se lembrar daquelas coisas, seu olhar se perdia por alguns momentos o que fazia com que aquilo tudo se tornasse verdade a cada momento. Não conseguia duvidar da veracidade daqueles fatos, Yoongi estava lhe contando como eles se conheceram séculos atrás e estava acreditando porque simplesmente não conseguia duvidar.

Hoseok sorriu, o jeito que o vampiro falava de si era tão bonitinho e especial.

"Depois disso nós começamos a nos encontrar, você me ensinou a atirar com arco e flecha, andávamos a cavalo pela floresta e eu te levava para a biblioteca do castelo. Ler não era bem minhas intenções, mas você não percebeu o que eu realmente queria no começo."

Balançou os ombros fazendo Hoseok rir alto.

" Mas quando descobriu... Nossa, eu ficava mais ansioso e até passei a gostar ainda mais das histórias porque depois delas você deixava eu te beijar. Eu era um jovem muito apaixonado e qualquer contato para mim estava muito bom. Você era maravilhoso. No começo ficava um pouco tímido, principalmente quando nossos pais estavam por perto, mas o carinho e a atenção que me dava era bom demais para ser verdade. Era tão apaixonante o jeito que tratava e cuidava das pessoas ao nosso redor, como se importava com nosso povo e queria sempre o melhor para eles, até para quem não merecia. Você cuidou de mim enquanto eu lutava por nós, era você quem me sustentava e eu só não desisti de tudo várias vezes porque estava comigo."

Yoongi apertou os lábios e encarou o chão, completamente sério, Hoseok notou que era a partir dali que as coisas começariam a correr por um caminho não muito bom.

— Durante essa guerra eu fiz o que pude para te manter seguro, assim como nosso povo. Lutei por nós e por eles, mas então fomos traídos.

— Seu amigo. — supôs o Jung.

— Jeon Jungkook. — disse o Min.

Naquele momento, Hoseok sentiu uma sensação horrível em seu corpo, um arrepio forte e uma sensação de pavor. Levou sua mão até abaixo do peito, passando-a por lá, era como se pudesse sentir algo ali dentro. Era o tipo de incômodo que normalmente sentia quando ficava perto de Jungkook, agora sabia o porquê sentia que o Jeon não era alguém em quem poderia confiar. 

— Ele é o culpado de tudo, era meu amigo, capitão do meu exército, mas nos traiu quando ficou do lado do inimigo e o ajudou a nos pegarem desprevenidos. — fechou os olhos. — Ele nos trocou pelos outros, naquela noite os ajudou a invadirem Sul, eram tantos soldados que não tínhamos como vencer, nosso exército era grande, mas eles eram maiores. Quando eu vi aquela quantidade de soldados inimigos na nossa porta, soube que não iríamos vencer aquela guerra e que nosso lar seria tomado pelos Kim. Mas nunca pensei que fosse perder você também. Jungkook te arrastou até onde eu estava e matou você bem na minha frente, sem qualquer hesitação.

Hoseok apertou os olhos e sentiu um incômodo tanto naquela região do peito quanto no pescoço. Yoongi estava distraído demais se lembrando de tudo para notar sua aflição. 

— Ele tirou tudo de mim naquela noite, tirou o que eu tinha de mais valor que era você. Jungkook sabia disso, sabia que eu morreria por ti e que não aguentaria se não tivesse você do meu lado, mesmo assim ele fez. — o vampiro sentiu toda aquela dor voltar com tudo, as lembranças de Hoseok chorando enquanto era segurado pelos guardas, a feição irritada de Jungkook e o olhar sem vida de Hoseok quando o Jeon o apunhalou. Queria esquecer tudo aquilo, mas não conseguia. 

— Yoongi... — o príncipe chamou baixo. 

O Min levantou a cabeça e se assustou quando notou o estado de Hoseok, ele estava chorando e tremendo. Deveria ter sido mais cauteloso na forma de contar os acontecidos, agora era como se Hoseok pudesse sentir as mesma coisas que sentiu no passado ao ser morto. Yoongi se aproximou e o trouxe para si, guardando o corpo trêmulo com seus braços, apertando Hoseok com carinho e o afagando com as mãos. Beijou sua testa e começou a falar baixo que estava tudo bem e que aquilo iria passar logo. 

O ruivo não se lembrava daquelas coisas, mas o que sentia era exatamente o mesmo que sentiu antes: a angústia de ser traído por quem confiava, o medo do que poderia acontecer com seu marido e seu povo, a dor de quando foi apunhalado pelas costas e teve sua vida interrompida por quem menos esperava. 

— Me perdoe, Hoseok. — falou Yoongi com a voz baixa. — Eu jurei te proteger, mas não consegui. 

Hoseok levantou o olhar, encarando o rosto triste do mais velho. Era notável a dor que Yoongi sentia, a tristeza em seu olhar, a angústia, ele estava sofrendo. 

— Sei que você tentou. — sua voz era ainda mais baixinha e sussurrada. Levantou a mão e a colocou na bochecha geladinha do mais velho, atraindo seu olhar. — Você não teve culpa, foi ele quem te traiu, ele quem mudou de lado.

O vampiro segurou a mão que estava em seu rosto e a beijou, ficando com ela contra seus lábios. — Doeu tanto ver você sem vida. — piscou repetidas vezes, tentando livrar as lágrimas que se formavam em seus olhos. — Pensei que nunca mais fosse te ver. — engoliu em seco, tentando não chorar naquele momento. — Mas aí alguém me ajudou. Já ouviu aquela história do primeiro vampiro?

Hoseok franziu o cenho. — Drácula? Sim, mas por quê?

— Foi ele quem me permitiu ter minha vingança e recuperar nosso povo de volta. 

— Co-como assim?! —  Hoseok se afastou um pouco apenas para poder encarar o rosto de Yoongi melhor. — Como ele te ajudou com isso?! 

— Naquela mesma noite me jogaram no calabouço e depois de seções de tortura, o padre apareceu para me ajudar. Ele levou o sangue do primeiro vampiro dentro de uma bolsa e me ofereceu, disse que se tomasse aquilo teria a chance de libertar meu povo das mãos dos Kim e vingar sua morte. E foi o que eu fiz. 

— Yoongi, eu... — queria ter algo para falar, mas lhe faltavam palavras, não sabia como reagir a isso. Estava com os olhos arregalados, de tudo o que o vampiro já tinha falado, aquilo era o mais surpreendente. — Você... Vo-você bebeu o sangue?! — questionou novamente. 

— Sim. — confessou. — Eu me tornei um vampiro e matei os que estavam contra nós, matei Jungkook também e quando ele voltou em sua nova vida o matei de novo, e mais uma vez depois e-

— Yoongi... — o Min levantou o olhar mesmo receoso de como estaria a feição do jovem. Hoseok estava com uma expressão indecifrável, era uma mistura de emoções. — Se você se lembra de tudo isso e me disse que bebeu o sangue, então...

— Sim, eu ainda sou um. — os olhos de Hoseok se arregalaram ainda mais. — Desde que você se foi, eu aceitei me tornar um vampiro para te vingar e poder esperar por você sem me esquecer do que tivemos.

— É por isso que é tão forte! Por isso conseguiu matar todos aqueles bandidos! — o olhar de Hoseok se perdeu de Yoongi enquanto ele juntava as peças. — Oh, meu Deus!

Yoongi viu Hoseok escapar de seus braços, mas não o impediu de se levantar, sabia o quanto aquilo estava sendo completamente assustador para ele, saber que foi assassinado no passado e que estava perto de um vampiro eram coisas demais para qualquer um.

O príncipe levou as mãos à cabeça e apertou os olhos, sentia uma leve dor de cabeça começar, estava muito apreensivo com o que estava escutando. 

— Me desculpe por não ter contado antes, mas nos reencontramos de uma maneira que eu me perdi completamente, você viu o que eu posso fazer e fiquei com medo do seu olhar de pavor em minha direção, pensei que se te contasse então fugiria.

— Eu sempre pensei que fosse magia, que somente com algum feitiço você conseguia ser tão forte! — encarou-o. — Mas agora tudo faz muito mais sentido!

— Achei que se me conhecesse melhor antes de saber disso então você não se afastaria de mim.

Apreensivo pelas próximas palavras e atitudes do mais jovem, Yoongi tinha a voz mais baixa e um olhar pequeno na direção dele. Por mais que Hoseok tivesse passado um tempo ao seu lado e pôde ver que mal algum seria lhe feito de sua parte, ainda se preocupava se o Jung estaria ou não disposto a continuar consigo.

— Você mentiu para mim e eu não suporto quando fazem isso. — com essas palavras o Min balançou a cabeça, concordando com elas, acabou por ficar ainda mais apreensivo. — Mas sendo um assunto delicado isso acaba por ser compreensível, você não quis me assustar porque demorou tempo demais me procurando. 

— Me perdoe novamente por ter escondido a verdade. 

— Tudo bem, Yoongi. — Hoseok abriu um sorriso pequeno. — Você fez todas essas coisas por mim, é muito mais do que eu mereço. 

— Não, você merece sim, isso e muito mais. — Yoongi deu um passo para frente na intenção de chegar bem perto, mas achou que deveria ser Hoseok quem tomasse essa iniciativa. — E você querendo ou não eu farei tudo o que puder para e por você, seja um sacrifício ou não. 

— E eu não vou.

— O quê? 

O vampiro viu o jovem andar rapidamente em sua direção e sentiu o baque do corpo dele com o seu quando Hoseok se jogou em seus braços, passando as mãos por seu pescoço e o encarando bem de perto.

— Não vou fugir de você. Yoongi, olha só para si mesmo, o que pode fazer! Destruiu aquele exército inteiro sozinho, livrou o povo de Sul de serem escravos!

— Mas não tem medo de mim? Do que eu posso fazer, e...

— Olha para mim, Yoongi. — Hoseok pediu ao notar o olhar pedido do moreno. — Você se tornou o que é por minha causa, matou todos eles para me vingar e ainda me esperou por todo esse tempo. — sentiu as mãos de Yoongi o segurando e ficou satisfeito ao ver que ele estava ficando mais tranquilo. — Se já me machucou alguma vez isso foi coberto por tudo isso, então não me importo, não tenho mais medo.

Yoongi sentiu seu peito apertar, a expressão de Hoseok era tão mansa e feliz, mas se soubesse a forma que havia sido machucado por si, definitivamente ainda estaria com medo. Yoongi não queria contar, não tinha coragem de acabar com aquilo ao dizer para o jovem que no começo, lá em um passado ainda mais distante, o fato de ser um vampiro acabou dando fim a sua vida.

O Min não queria contar que o havia matado, não conseguia fazer isso e acabar tirando toda a confiança que Hoseok tinha em si e voltar a lhe fazer medo.

— Eu voltei, você me encontrou e agora estamos aqui. — sussurrou, passando os dedos pela nuca do outro.

Yoongi fechou os olhos e colocou sua testa contra a do ruivo, tentando se esquecer de que ainda faltava parte da história que precisava contar, que era importante.

— Estamos.

— É tão bom sentir isso. — Hoseok sorriu largo. — Mesmo que ainda me falte saber sobre mim, uma das minhas partes parece preenchida agora, eu finalmente consigo entender várias das coisas que eu sinto.

O vampiro voltou a abrir os olhos e a primeira coisa que viu foram os olhos brilhantes do jovem o encarando. Eram tão lindos e estavam tão vivos, alegres e satisfeitos. Era seu Hoseok, o único amor de sua vida e agora o tinha nos braços.

Não poderia deixar que nada mudasse ou atrapalhasse isso.

Esteve a procura dele por séculos, sofrendo com sua falta.

— Eu te amo.

Da mesma forma que se sentiu na primeira vez que se encontrou com o vampiro, Hoseok não sabia como agir àquela frase, que apesar de curta, era muito forte e carregada, carregada principalmente das emoções e sentimentos do Min. Seu sorriso aos poucos foi diminuindo, não porque estava se sentindo mal ou algo do tipo, mas é que aquelas palavras e aquele olhar lhe deixaram completamente sem estruturas, sem reação. Era demais para si, não esperava que o mais velho fosse lhe dizer isso; era claro que, para ter feito tudo o que fez, Yoongi deveria mesmo lhe amar, mas no momento pensava que não deveria ouvir aquelas palavras, ainda não merecia, mesmo que lhe fizessem bem. 

Ter mais uma pessoa amando-o e sendo capaz de fazer qualquer coisas por si lhe fazia se sentir especial, como o amor de sua avó, de seu pai, de sua família, de seus amigos...

O vampiro, notando a reação de Hoseok, soube que ele não ficou mal com o que disse, mas sim sem palavras porque não poderia dizer o mesmo. 

Isso não era um problema para Yoongi, porque entendia perfeitamente que Hoseok mal o conhecia, estavam juntos a pouco tempo e ainda precisava de mais para que o ruivo pudesse algum dia sentir o mesmo por si. 

Por isso, beijou-o mais uma vez, evitando com que ele sentisse que precisava falar alguma coisa, daquela forma, Yoongi lhe mostrava que não esperava pelas mesmas palavras. 

O príncipe fechou os olhos e se deixou levar mais uma vez pelo beijo, jogando fora todos os pensamentos que estavam em sua cabeça naquela hora. Entendia através daquilo que o outro não queria pressioná-lo, e não se sentia assim, pelo contrário, era ainda melhor saber que o vampiro respeitava seu tempo. 

Yoongi era simplesmente alguém maravilhoso. Entendia o motivo de ele ter lhe escondido o fato de se amarem em outra vida e também por ser um ser das trevas, um vampiro extremamente forte e perigoso. Estava feliz por ele ter finalmente lhe contado toda a verdade, odiava quando lhe escondiam as coisas, já não bastava seus pais, principalmente sua mãe.

Agora, mais do que nunca, sentia uma vontade imensa de ficar naqueles braços, sabendo que o Min lhe protegeria de tudo que fosse uma ameaça. Se sentia tão mais confiante agora, não somente pelo que havia descoberto, mas sim por estar finalmente encontrando seu caminho. Estava em Pedra Vermelha porque no fundo do seu coração sabia que aquele lugar lhe traria todas as respostas que precisava. Estava certo. Yoongi já havia se encarregado de contar sobre seu passado, agora esperava que sua avó e família lhe contassem o resto. 

Yoongi apertou levemente o corpo de Hoseok contra o seu segundos antes de findar o beijo, continuaram perto, com uma testa colada na outra, um podendo sentir de perto a respiração do outro.  

— Acho melhor voltarmos, você precisa descansar. — disse Yoongi com a voz baixa, já que o outro estava bem perto. 

— Tudo bem. — Hoseok sorriu e então deu mais um selinho em Yoongi antes de se afastar para poderem sair. — Já está escuro, ficamos aqui mais tempo do que planejei. 

— Estou gostando desse lugar, além de bonito é bem agradável. 

O moreno segurou uma mão de Hoseok enquanto seguiam pelo mesmo caminho que chegaram até ali. Foi uma boa ideia de Hoseok terem saído para andar, assim teve a oportunidade de contar o que já lhe sufocava há um tempo. Mesmo que não fosse tudo, afinal, talvez não contar uma das piores partes do passado fosse melhor, talvez não fizesse tanta diferença. Ele estava otimista, querendo se convencer de que havia tomado a decisão certa. 

— Yoongi? — chamou o ruivo, recebendo a atenção do mais velho. — Obrigado. 

O vampiro já estava acostumado com o efeito que um sorriso de Hoseok fazia em si, mas aquele foi diferente, aquele sorriso conseguiu lhe destruir ao mesmo tempo que o aquecia por dentro. 

 


~~

 

 

— E o que faremos com o vampiro? — Daehyun soltou após um tempo de silêncio. Sunhee e Seokjin olharam para ele, confusos com suas palavras. — Ele matou Hoseok no passado, o que garante que não fará novamente?

— Ele já é vampiro a pelo menos uns dois mil anos, acho tempo suficiente para que ele aprenda a se comportar e viver como um sanguessuga.

— Sim, Seokjin, mas o que pode garantir que ele sempre será comportado? Que sempre terá sangue fresco para beber que não seja o de Hoseok? — Daehyun estava preocupado, não conhecia Yoongi e amava demais seu sobrinho para deixá-lo nas mãos de um desconhecido tão perigoso quanto aquele.

— Ele o ama. — disse Sunhee.

— Segundo nossos antepassados ele também o amava antes, mas nem isso o impediu de reconhecer que Hoseok era seu esposo e não apenas mais um prato de comida. — Daehyun passou a mão no rosto, bufando irritado.

— Não sabemos o porquê ele se transformou em vampiro mais uma vez, já passou pela sua cabeça ser por causa de Hoseok? — a Jung encarou o filho. — Se ele realmente abriu mão de uma vida normal como humano e se tornou um amaldiçoado é por causa de seu amor por ele.

— Somos adultos o suficiente para saber que o amor não é resposta para tudo. — Seokjin encarou Sunhee, que concordou com suas palavras. — Mas se ele juntar toda sua força de vontade e o amor que sente pelo Hoseok, Yoongi pode muito bem viver ao lado dele sem ser um risco.

— Mas novamente eu pergunto, que garantia temos disso? — Daehyun balançou a cabeça em negação. — Como saberemos se ele não vai estragar a vida do Hoseok novamente? Acabando com ela pela metade, antes que o que deveria acontecer aconteça?

Sunhee levantou a cabeça, olhando para o teto, fechou os olhos e respirou fundo. Ela não tinha essa resposta, por mais que quisesse saber e ter total certeza de que Yoongi nunca faria mal novamente para Hoseok, mas  não tinha, não podia cravar que o vampiro não iria atrapalhá-lo em sua jornada, infelizmente.

— Somente Hoseok pode escolher isso. — levou a mão até sobre a de seu filho. — Você não fará nada contra Yoongi, Dae, eu sei que quer. — Seokjin olhou surpreso para o Jung. — Quando Hoseok souber o que ele e Yoongi são, aí sim poderá escolher se continua ou não ao lado do vampiro. — Sunhee abriu os olhos e virou o rosto para Daehyun. — Essa é uma escolha dele, não podemos interferir porque não sabemos quais consequências isso pode trazer.

Por mais contrariado que estivesse, Jung Daehyun ainda gostaria de sumir com Yoongi da vida de seu sobrinho. Ele sabia o que aconteceu no passado, quando o vampiro tirou a vida de Hoseok antes que o ruivo pudesse estabelecer o reinado completo dos Jung no continente. O que o preocupava mais não era o fato do reinado interrompido, mas sim a vida de seu sobrinho, o reinado poderia esperar, mas perder a vida era doloroso, ainda mais pelas mãos de quem amava. Daehyun não queria que isso acontecesse de novo com Hoseok. 

— Eles já devem estar voltando... — a senhora se levantou da cadeira, tendo o olhar dos outros dois sobre ela quando seguiu até a janela e apoiou as mãos no batente, olhando para o céu azul escuro, iluminado pelas milhares e milhares de estrelas. — Amanhã será o dia, quero que estejam preparados para ajudarem ele. — esfregou os dedos onde suas mãos estavam, sentindo ansiedade apenas por pensar naquele assunto. 
— Há muita coisa que Hoseok precisa saber e pode ser demais para ele.

— Não seria melhor ir contando por partes? — sugeriu Daehyun.

— Ele precisa da verdade. — Sunhee se virou para eles. — De toda ela.

— Mas e o dragão? — questionou o feiticeiro. — Ela ficou naquele lugar desde que Sorin a desprezou e voltou somente agora com a chegada de Hoseok. 

— Mas porque aparecer justamente agora e não quando ele era uma criança? Hoseok veio aqui várias vezes antes de seus pais o afastarem. — Daehyun encarou Seokjin e logo depois sua mãe. — E porque não feri-lo? 

— Porque eles tem o mesmo sangue. — a senhora se virou mais uma vez para a janela no momento em que escutou a risada tão conhecida por si, vendo ao longe Hoseok voltando para casa ao lado de Yoongi, de como eles pareciam felizes e de como o ruivo não fazia ideia do que estava por vir. — Sorin e Hoseok tem o mesmo sangue que o dragão, foi por isso que ele não feriu meu garotinho. 

Sunhee respirou fundo, já imaginando como seria difícil para seu neto saber de toda a verdade que o rondava antes mesmo de seu nascimento, saber que sua mãe lhe deixou responsabilidades a mais do que ele deveria carregar. 


Notas Finais


Deixei um capítulo inteiro para as revelações yoonseok porque né, é um assunto extenso, mas espero que tenham gostado mesmo assim.
Esperavam essa reação do Hoseok? Será que ele teria reagido da mesma forma se o Yoongi tivesse contado toda a história?
Aliás, sabemos que a escolha do Yoongi não foi a melhor né, então... 😈🔥
Mas enfim, nos próximos capítulos tem ainda mais revelações, Hoseok que se cuide, tadinho 😂😂

Esse tempo de quarentena além de me dar tempo também está me dando inspiração porque já tenho mais alguns capítulos prontos, então provavelmente as atualizações virão com mais frequência, espero que gostem disso, senão eu posso demorar mais tempo pra postar tbm, vocês que sabem :))))

Até mais 💕💕


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...