História Solar - Capítulo 5


Escrita por:


Notas do Autor


Oie, meus amores!
Voltei com mais um capítulo para vocês! E hoje tem o encontro Yoonseok <333
Então fiquem com o capítulo :)
Boa leitura!

Capítulo 5 - O príncipe


Fanfic / Fanfiction Solar - Capítulo 5 - O príncipe

Durante aqueles 3883 anos, por todos os dias e noites, não houve um em que Yoongi não pensou em Hoseok. Foram anos solitários, vivendo sozinho em florestas, cavernas, às vezes em casas mais afastadas. Esteve em vários lugares, outros continentes, atravessava-os escondido em navios, era sua maneira de passar o tempo. Yoongi viu e conheceu diversos lugares, lugares bonitos que gostaria de mostrar a Hoseok.

Mas ele não passava 24 horas de todos aqueles dias se lamentando ou estando triste, ele tinha sim seus dias ruins, dias de luto, principalmente os dias em que a morte de Hoseok completava mais um ano; mas ele também tinha seus dias bons, dias em que suas esperanças triplicavam. Além do mais, não era tão terrível ser um vampiro, podia fazer muita coisa que antes jamais conseguiria.

Ele era imortal, até o momento não havia nada impossível para si.

Podia subir nas mais altas árvores, ir até o ponto mais fundo do oceano, não precisava se preocupar em comer todos os dias, em ter dinheiro, roupas ou sapatos, o que queria ele simplesmente pegava.

Um dos pontos ruins era ter que matar pessoas, como vampiro, ele precisava se alimentar com sangue. No começo foi um pouco difícil, não gostava de matar, mesmo que escolhesse apenas as pessoas más, claro que vez ou outra, por acabar ficando tempo demais sem comer, acabou por atacar pessoas inocentes, mas não conseguia evitar, a fome tirava seus sentidos. Depois de um tempo aprendeu mais sobre o que era, mais sobre si mesmo. E também acabou se acostumando a matar.

Passados dois mil anos, Yoongi começou a pensar que talvez algo pudesse ter acontecido ao universo que decidiu simplesmente que Hoseok não voltaria mais. Pensar assim o fez se sentir inseguro, quase correu até a igreja mais próxima para que fosse morto. Se Hoseok não fosse voltar então não tinha motivos para continuar vivo. Mas depois suas esperanças foram voltando devagar e ele continuou voltando para Sul na procura do amado.

E agora Hoseok estava ali, bem na sua frente.

Há muito tempo Yoongi não se sentia tão abalado, sentia como se seu corpo tivesse congelado e nada mais funcionasse. Parecia algo irreal, passou tanto tempo à espera dele que aquilo parecia apenas uma miragem.

Hoseok estava mais lindo do que se lembrava. Seus olhos castanhos, brilhantes, bem mais claros que antes, o nariz fininho e pequeno, com a pontinha empinada que Yoongi adorava beijar, os lábios pequenos, rosados e delicados com aquela pintinha adorável e charmosa que Yoongi tantas vezes beijou sobre ela. O que mais estava mudado em Hoseok era seu cabelo, antes um castanho claro e agora um vermelho vibrante; ele continuava perfeito.

— Hoseok... — Yoongi sussurrou, não conseguindo desviar o olhar do rosto do outro.

— Vo-você está me machucando... — era a mesma voz, exatamente o mesmo tom.

Yoongi enfim acordou e voltou para a realidade quando ouviu o gemido de dor de Hoseok e então notou que apertava seu braço com certa força. O vampiro rapidamente o soltou, Hoseok trouxe seu braço para seu peito, sua expressão de dor fazia Yoongi se arrepender de tê-lo segurado de forma tão brusca.

— Ei, você! Segure ele! — tanto Yoongi quanto Hoseok olharam na direção do homem que já estava de pé junto com os outros.

Yoongi então viu pelo canto dos olhos Hoseok correr e sair para fora do estabelecimento, o vampiro encarou a porta, mas sua atenção foi desviada quando um daqueles homens esbarrou em si sem cuidado e propositadamente. 

— Por que não o segurou?! — perguntou o homem indignado.

Yoongi os viu sair pela porta atrás de Hoseok. O vampiro levou uma mão até a cabeça e respirou fundo enquanto mexia em seus fios. Ele ainda não acreditava que havia encontrado Hoseok, parecia um sonho, um sonho muito bom e real. Sua mão que havia usado para segurar o outro estava formigando, não, não era um sonho, aquilo era mesmo real.

Era Hoseok, ele havia voltado.

E estava sendo perseguido por aqueles bêbados desgraçados!

Yoongi rapidamente se tocou do que estava acontecendo e correu para fora, abriu a porta com tamanha força que quase a partiu. Não viu Hoseok e nem os outros ali fora, mas conseguia notar as pegadas que seguiam para dentro da floresta. O vampiro então correu atrás, seguindo-as. Não foram muito longe, Yoongi mal andou e já os encontrou. Mas o que viu não o agradou nenhum pouco.

— Pensou mesmo que poderia fazer isso sozinho, garoto? — o mesmo homem, aquele que havia se irritado por ter deixado Hoseok fugir, estava na frente do ruivo.

Hoseok estava sendo segurado por um homem forte, aqueles apertos não pareciam leves e, pior, a expressão de dor só mostrava o quão brusco o homem estava sendo. Aquilo fez memórias de Yoongi surgirem em sua mente, lembranças ruins. O homem que estava na frente de Hoseok pegou o colar que ainda estava nas mãos do ruivo sem cuidado, o encarou e sem se importar bateu com ele na cabeça do ruivo, fazendo-o gritar de dor, logo depois jogou a joia no chão.

— Filho da puta! — o ruivo o encarou. — Isso é meu! — gritou Hoseok, encarando o homem na sua frente com raiva.

— Agora é meu, eu o ganhei. — o homem segurou no queixo de Hoseok. — Mas agora eu tenho você e sei que vale muito mais do que aquela joia. Me diz, quanto seu pai é capaz de me dar em troca de você? 

— Mortos não ganham recompensas.

Tanto Hoseok quanto os outros dois homens olharam na direção da voz e se assustaram com o que viram. Além daqueles dois que estavam tomando conta de Hoseok, havia mais cinco deles, três homens e duas mulheres, mas, quando olharam viram todos eles mortos no chão, mortos de formas horríveis

Yoongi estava parado no meio deles.

— Mas o que é isso?! — perguntou assustado e surpreso o que deveria ser o líder, olhando seus amigos no chão, destroçados. Não os ouviu gritar nem pedir por ajuda, como haviam morrido daquela forma?

Yoongi sorriu. — Oh, eu sinto muito, eram seus amigos?

— O que é você?! — o homem tirou uma faca de dentro da calça, mas ao menos teve tempo de ameaçar o Min, ela simplesmente foi tirada de sua mão e agora estava no chão, longe de seu alcance.

— Tire as mãos de cima dele. — disse Yoongi, sério, encarando o que estava atrás, segurando Hoseok.

Hoseok encarava tudo em silêncio, estava com medo, já se arrependia de ter saído sozinho, agora corria risco de morrer, ou pelas mãos dos saqueadores ou daquele homem misterioso. 

— Não sei quem você é e como matou todos eles, mas podemos esquecer isso e sermos aliados. — Yoongi gargalhou. — O que achas? — o homem se virou e puxou Hoseok pelo braço sem cuidado, fazendo com que o sorriso irônico do Min sumisse de seus lábios. O homem segurou Hoseok ao seu lado, não deixando que se soltasse, agarrou nos cabelos dele e encarou Yoongi. — Esse aqui vale muito ouro, podemos ganhar o que quisermos com ele! É só você me ajudar e então pode ficar com metade do que conseguirmos.

Por mais que Yoongi pudesse sentir o cheiro de medo daquele desgraçado, ele também podia notar que ele estava confiante, confiante de que conseguiria um aliado. 

Patético 

Rapidamente o vampiro se aproximou dele e arrancou o braço que segurava Hoseok, jogando-o para longe. O homem gritou e Hoseok caiu, apavorado ele começou a se arrastar no chão, para longe dos dois. O outro homem fugiu na direção contrária, mas Yoongi correu, pegou a faca que havia jogado no chão e a acertou em sua nuca, derrubando-o; logo se voltou para o líder e o encarou, olhando bem em seus olhos.

— Péssima escolha ter se levantado de sua cama hoje. — Yoongi segurou sua cabeça e a virou, quebrando o pescoço daquele infeliz que caiu morto aos seus pés.

O vampiro se voltou para Hoseok, que estava o olhando com um olhar amedrontado, Yoongi sentia o cheiro de medo e pavor vindos do ruivo e, pela primeira vez, se sentiu extremamente mal por provocar isso. O Min deu um passo para frente e Hoseok se arrastou mais para trás.

— Por favor não me machuque... — o ruivo pediu, com a voz trêmula e baixa.

Pelo medo que sentia, Hoseok custou para se levantar do chão, porém, estava tão assustado e sem direção que tropeçou em seus próprios pés, mas, antes que caísse e batesse com o rosto no chão, sentiu algo o segurando e não permitindo que se machucasse naquelas pedras. Surpreso, Hoseok olhou para baixo e viu as mãos que seguravam em sua cintura e o impediam de cair. Yoongi ajudou Hoseok a ficar de pé normalmente, o encarava preocupado, não queria que o ruivo ficasse com medo de si, mas não conseguiu evitar fazer aquilo na sua frente, estava com raiva, não poderia permitir que machucassem e tocassem nele daquela forma. Hoseok deu dois passos para trás ao ver Yoongi bem na sua frente. Ele não conseguia entender o que aquele homem de cabelos escuros era ou o que ele queria, apenas sentia medo, pensar na morte era assustador, ainda mais sendo tão brutal como foi para aqueles saqueadores.

— Não vou machucar você, Hoseok. — falou Yoongi com a voz baixa e calma, tentando de alguma forma tranquilizar o ruivo. — Não conseguiria.

— Po-por quê?! E co-como conseguiu fazer aquilo?! — Hoseok continuava com a expressão assustada e surpresa. Encarou todos aqueles corpos no chão, alguns em estados deploráveis. Não ouviu nada sendo feito, não viu aquele homem os matar, como ele fez? Onde conseguiu força e agilidade o suficiente para matá-los como se não fossem nada?

— Eu não sei como explicar agora, mas se der uma oportunidade eu posso tentar. — Yoongi não se conteve e sorriu leve, encarando o ruivo. — Eu te procurei por tanto tempo, Hoseok.

— O quê? Por quê?!

Yoongi deu mais um passo, mas Hoseok se afastou, dando três. O Min, um tanto decepcionado por não saber como agir naquele momento, encarou o chão e nele viu o colar. Se abaixou e pegou a joia com uma das mãos, a observou, era um colar de diamante em formato de uma pétala. 

— Aqui. — estendeu o colar para Hoseok.

O ruivo encarou o objeto na mão daquele homem e ponderou, deveria pegar? Deveria acreditar nas palavras dele e confiar que não seria machucado ou morto? Era estranho, mas... Algo dizia que sim, que podia confiar. Talvez fosse o olhar que lhe transmitia verdade. 

O ruivo sentiu um desejo forte de acreditar nas palavras do moreno, como se já tivesse feito isso várias vezes antes. Era estranho, mas sentia como se finalmente tivesse encontrado algo que havia perdido há muito, muito tempo. Uma peça que faltava. Aquele olhar era tão familiar que era completamente irracional e sem sentido, porque Hoseok tinha certeza de que nunca havia conhecido aquele homem antes, nunca esqueceria alguém capaz de fazer o que ele fez ali. 

Decidido, Hoseok pegou o colar. Yoongi sentiu arrepios quando os dedos do ruivo encostaram nos seus por fração de segundos, somente isso bastou para que sentisse um pouco do calor de que tanto sentia falta. Yoongi queria muito envolvê-lo em seus braços, queria tocá-lo com mais demora, beijar todo aquele corpo, sentir o calor gostoso que Hoseok tinha. Yoongi estava morrendo de saudades dele.

— Eu não o roubei, só... — apertou o colar contra o peito e encarou o moreno. — Só o peguei de volta.

— Então é seu? — Yoongi enfiou as mãos nos bolsos de seu casaco, não sabia bem como agir.

— É da minha mãe.

Hoseok sorriu. Yoongi sentiu até mesmo o mundo girar mais devagar enquanto contemplava aquele sorriso. Mas ficou sério mais uma vez ao ver e sentir o cheiro de uma fita de sangue que escorreu de uma parte do cabelo de Hoseok, era o mesmo lugar em que aquele desgraçado bateu. 

— Você está sangrando. — não retirava os olhos daquele líquido vermelho que escorria pela testa do mais novo.

— O quê? — Hoseok levou os dedos até onde estava dolorido e sentiu a textura, abaixou a mão e olhou seu próprio sangue. 

Yoongi se aproximou, o que assustou o outro, o Min balançou a cabeça ao voltar a encarar o rosto de Hoseok e notar que ele ainda estava assustado. — E-eu-

— Acho melhor eu ir embora... — Hoseok sussurrou, mais para si mesmo do que para o outro. Hoseok voltava a ficar assustado como antes, aquela situação ficava cada vez mais estranha. Jung sentiu suas mãos tremerem com o olhar que aquele homem lhe dava, era profundo demais. Yoongi andou na direção do ruivo e Hoseok se apressou para se afastar mais. Levantou uma mão e a abriu na frente do moreno. — Por favor, se não vai me machucar então deixe-me ir, estou ficando assustado.

Yoongi segurou seus passos mais uma vez, estava fazendo tudo errado! Demorou séculos para encontrar Hoseok e estava estragando tudo logo no começo!

— Não posso deixar você ir embora de novo. — sua expressão era triste, Yoongi estava com medo de perdê-lo novamente.

— Eu não te conheço, não sei do que está falando. — Hoseok continuava se afastando, andava de costas. — Obrigado por ter me salvado, mas não posso ficar.

— Hoseok, me escuta... 

— Me deixa ir embora, por favor! — insistiu o mais novo. 

Yoongi sentiu seus olhos marejarem e sua garganta arder, estava estragando tudo. Hoseok tinha medo de si e queria fugir de sua presença. O que poderia ser pior que isso?

— Deixe-me cuidar disso. — apontou para o sangramento. — Se não estancar você pode acabar se sentindo mal. — ele era sincero, estava preocupado, não permitiria que o outro andasse machucado por aí.

O de cabelos vermelhos engoliu em seco e encarou o chão, não sabia se deveria, aquele moreno o assustava, mas ao mesmo tempo lhe passava segurança, por que era assim? Por que tão confuso?

— Eu não sei se…

— Não quero te machucar. — a voz de Yoongi saiu mais baixa, tinha medo de assustar ainda mais o mais novo, não suportaria fazer com que ele fugisse de sua presença.

Hoseok apertou os olhos, a dor em seu ferimento incomodava, além do mais aquele homem estava certo, se continuasse sangrando poderia piorar. — Me dá sua palavra? — o encarou.

— Sim, com certeza! — Yoongi, afoito, deu alguns passos na direção de Hoseok, mas daquela vez o ruivo não se afastou. Rezava para que ficasse tudo bem consigo. 

— Tudo bem. — Hoseok enfim concordou e Yoongi suspirou aliviado.

— Não vou demorar. — sorriu. — Bem… — o vampiro encarou o sangue escorrendo e olhou ao seu redor, procurando por algo que pudesse ajudá-lo. Acabou por segurar a manga de sua camisa de baixo e a arrancou. 

Hoseok deixou com que o moreno se aproximasse e parasse na sua frente, abaixou o olhar para o chão, mas logo voltou a encarar o rosto daquele homem. Yoongi dobrou o pedaço de pano rasgado e depois encarou o sangramento, levou sua mão até os cabelos de Hoseok e jogou algumas mechas para trás, tendo a visão do machucado, não era muito grande ou feio, Hoseok ficaria melhor logo.

Mesmo que estivesse preocupado, o vampiro não poderia deixar de sentir a pele de Hoseok em seus dedos, assim como seus cabelos, eram tão macios, do jeito que se lembrava. O ruivo encarava a expressão do outro, por que ele o olhava daquela forma? Nem se conheciam! O Min perdeu um pouco da noção quando começou a abaixar a mão, passando-a pelo rosto de Hoseok, seus dedos deslizaram da testa até a bochecha, ele sentia a maciez e somente isso era suficiente para deixá-lo distraído, encarando todo o rosto do ruivo, até parar naqueles olhos pequenos.

Jung não conseguiu desviar, não conseguiu deixar de encarar os olhos daquele homem, mesmo que ele fosse um desconhecido. Era mesmo muito estranho para Hoseok se sentir daquela forma, ele tinha medo (talvez não tanto como antes, mas tinha) ao mesmo tempo em que sentia que nada de mal iria lhe acontecer se ficasse perto dele. 

Yoongi, hipnotizado pelos olhos do mais novo, nem percebeu quando seus dedos se arrastaram até quase tocarem os lábios rosados, mas Hoseok o parou, notando antes que acontecesse. 

— Desculpe. — pediu Yoongi com a voz baixa. Coçou a garganta e, com a ponta do pano, limpou o sangue da testa e tirou o excesso do machucado, logo depois amarrou-o ao redor da cabeça de Hoseok, com cuidado para não pressionar demais, mas fosse suficiente para que não continuasse a sangrar.

— Obrigado. — agradeceu, abaixou o olhar depois que Yoongi assentiu. — Então eu-

O relinchar de um cavalo foi ouvido e Hoseok olhou para trás, não dando continuidade a sua fala, viu um cavalo marrom claro e logo o reconheceu, outros passaram ao seu lado, se aproximando de Yoongi. O ruivo viu os soldados prontos para atacá-lo, mas ele o ajudou, não deixaria que o fizessem mal.

— Esperem! Não machuquem ele!!

Ao ouvirem a ordem de Hoseok, os guardas pararam, mas continuaram atentos e encarando Yoongi de cima de seus cavalos.

— Hoseok, o que aconteceu aqui?! — o ruivo sentiu um alívio correr por seu corpo ao ouvir a voz e ver o rosto do capitão. — Por que está com isso na cabeça?!

— Taehyung! — se aproximou do mais velho e o abraçou.

Yoongi observava tudo sério, não se sentia confortável, não estava gostando nenhum pouco da forma em que estava se encontrando com o ruivo pela primeira vez depois de tanto tempo. Mas também estava curioso, porque aqueles guardas que eram visivelmente guardas reais obedeciam a Hoseok?

— Quem é ele? — perguntou Taehyung ao encarar Yoongi parado.

Hoseok se soltou do abraço e encarou o vampiro. — Eu não o conheço, mas ele me salvou, Tae. — apontou para os corpos no chão. — Ele matou todos eles sozinho e me ajudou com o sangramento que um deles me causou.

Taehyung encarou Hoseok completamente surpreso e logo voltou a olhar para os corpos. — Estamos atrás desses desgraçados há muito tempo e você me diz que ele os matou sozinho?

— Não acredita no que ele diz? — se intromete Yoongi, atraindo a atenção de Taehyung. Era bom vê-lo de volta, o Kim aparentava ser mais velho que Hoseok, estava ainda mais alto, mas seu tom de voz ao falar com o ruivo não o agradou.

— É difícil. — Taehyung se colocou na frente de Hoseok, encarava o moreno com uma expressão séria, não acreditava, era impossível, como aquele homem teria feito tamanho estrago sozinho?

— Mas deveria.

— Por quê? — Taehyung deu um passo para frente, mas não continuou pois sentiu a mão de Hoseok o segurando.

— Taehyung, ele não precisa se explicar de nada, só vamos embora!

— Claro que precisa! Hoseok, eu não-

— Somente Hoseok? Que eu saiba, ele é seu príncipe, Taehyung. — uma outra voz foi ouvida, Yoongi olhou na direção dela e viu um homem vestido com roupas que ele conhecia bem. Aquele era o rei. — Deveria tratá-lo como tal.

Hoseok era o príncipe? Yoongi estava confuso, para que fosse ele deveria ter se casado com um ou com um rei, havia chegado tão tarde assim para ter perdido Hoseok para outro?

Yoongi viu Taehyung se ajoelhar no chão e abaixar a cabeça. — Perdão, majestade, isso não acontecerá novamente.

— Assim espero, Kim. — o rei então se aproximou de Hoseok e colocou as mãos em seus ombros. — O que eu lhe disse, filho?

Filho? Hoseok era filho dele? Filho do rei? Então era por isso que era o príncipe? Ele agora fazia parte da família real? Se sim, então... Isso significava que Yoongi ainda tinha chances de conquistá-lo e fazê-lo seu mais uma vez. Estava muito mais aliviado. Não importava se seria difícil, porque era óbvio que, sendo filho do rei, Hoseok não poderia se relacionar com qualquer um, e naquele momento Yoongi era um qualquer.

— Eu recuperei o colar, pai! — Hoseok tirou a joia do bolso e a mostrou para o mais velho.

Yoongi viu o homem de barba bem feita suspirar tristemente enquanto agarrava as duas mãos de Hoseok com as suas, depois encarar o rosto do ruivo. — Sua mãe confessou, Hoseok.

O de cabelos vermelhos arregalou seus olhos e balançou a cabeça, em negação. — N-não, mas…!

— Ela se entregou depois de eu ter encontrado mais duas cartas que seriam mandadas em três dias. — o vampiro sentiu mais uma vez uma sensação ruim ao escutar Hoseok fungando, a expressão dele denunciava sua tristeza, Jung então abraçou seu pai, recebendo um afago nos cabelos. — Eu sinto muito, filho.

Yoongi não sabia o que estava acontecendo, tudo o que ele queria era ser ele a estar consolando seu amado, tendo-o em seus braços.

Viu Hoseok desgrudar de seu pai e caminhar lentamente até um dos cavalos, mas teve sua visão interrompida quando Taehyung entrou em sua frente. O oficial não tinha uma expressão amigável, estava visivelmente desconfiado de Yoongi e ainda não acreditava nas palavras de Hoseok. 

— O que você quer? — perguntou o Kim, sério.

— Não seja rude, Taehyung. — disse o rei, pai de Hoseok, se aproximando do soldado. — Se Hoseok disse que ele o salvou não tem porque tratá-lo assim.

— Como poderia ele matar todos esses bandidos sozinho, majestade? — o Kim se virou para o rei, indignado.

— Está dizendo que meu filho mentiu? — o rei o encarou de volta nem um pouco satisfeito com as atitudes do Kim.

— Não foi o que eu quis dizer, senhor Minseok. — Taehyung abaixou a cabeça.

— Se for para dizer coisas tolas então não abra a boca. — o rei voltou seu olhar para Yoongi, que rapidamente ajeitou sua postura perante o olhar do rei. O vampiro não o conhecia de outras vidas, o pai de Hoseok que conheceu não era aquele. — Por que ajudou meu filho?

— Só fiz o que era certo. — falou simplista e sincero.

O rei sorriu. — E o que vai querer em troca?

— Como? — Yoongi franziu o cenho.

— Meu filho poderia estar morto agora ou servindo como moeda de troca se não fosse por você, desejo lhe agradecer te dando uma recompensa, pode pedir o que quiser, darei o que estiver ao meu alcance. — então poderia pedir o filho dele? Foi o que Yoongi pensou em falar, mas claro que não o faria. — De onde você é?

— Eu cheguei hoje, vim de muito longe, fui embora daqui faz muito tempo.

— Então você nasceu aqui em Sul? — perguntou o rei. — E como pode me provar isso? 

— Por que eu deveria? — perguntou o vampiro, não queria ser rude, apenas entender o motivo da pergunta. 

— Se não sabe, estamos perto de uma guerra. 

"Oh não, de novo?!" pensou Yoongi, uma sensação ruim passou por si, encontrar Hoseok em um cenário daqueles era preocupante. 

— Uma guerra? 

— Sim, uma guerra. — o rei assentiu. — Não o conheço, você matou todos eles sozinho salvando justamente a vida do príncipe, não lhe soa estranho? 

Yoongi tinha que concordar. — Sim, mas não sou um espião caso esteja pensando isso, apenas estava no lugar e hora certa. 

Minseok não podia esconder que o que aquele homem falava lhe caía como verdade, não parecia mentir. — Que bom. — ele sorriu. — Gostaria de se alistar ao exército? Com habilidades que aparenta ter seria um bom soldado. 

— Bem, eu…

— As inscrições foram encerradas três dias atrás, senhor. —  Taehyung interrompeu.

— Qual o problema? Posso abrir uma exceção para ele. — o rei olhou de relance para Taehyung, já estava ficando farto com aquele comportamento, mas não disse mais nada, apenas voltou a encarar o vampiro.

Fazer parte do exército? Yoongi nunca pensou que passaria por isso mais uma vez, de certa forma ele não queria estar presente em coisas relacionadas ao reino ou algo assim, uma pena o universo não estar de acordo com suas vontades. Mas se era uma oportunidade de ficar perto de Hoseok, como poderia recusar? 

— Eu aceito. 

Yoongi olhou na direção do ruivo, vendo que, mesmo com uma expressão triste no rosto (por motivos que Yoongi ainda não sabia), ele estava atento naquela conversa. O vampiro sorriu na direção do outro e recebeu uma expressão confusa em troca, Hoseok não sabia como reagir, estava curioso para saber quem era aquele homem, mas tinha agora muita coisa na cabeça, não conseguia evitar pensar em sua mãe e no que ela fez. 

— Ótimo! Veremos se eres tão bom quanto parece! — o rei Minseok olhou para os corpos jogados no chão. — Será agradável vê-lo fazendo isso com nossos inimigos. — Yoongi precisou concordar, ele se lembrava da sensação de fazer uma coisa daquelas, e não se arrependia. — Mas um passo em falso e eu arranco sua cabeça. — Minseok mudou o tom tão drasticamente que Yoongi se surpreendeu, mas não lhe respondeu como era acostumado a fazer, apenas concordou. — Vamos embora. — falou o rei aos seus guardas, dando as costas para Yoongi. — Você fica, Taehyung. 

O Kim observou seu rei subir no cavalo, surpreso com sua ordem. — O quê? Mas por que, alteza? 

— Você ficará encarregado de mostrá-lo as instalações e realizar sua inscrição, para que não ocorra nenhum problema. — o rei segurou nas rédeas de seu cavalo e o fez se virar, estendeu a mão para Hoseok e o ruivo subiu junto a si no cavalo. — Esteja de volta no castelo depois do jantar.

Taehyung suspirou, estava muito contrariado, mas não tinha como negar uma ordem do rei. — Sim senhor. 

Antes que seu pai fizesse o cavalo andar atrás dos guardas que estavam na frente, o príncipe virou para trás e encarou o vampiro. — Qual seu nome? 

O Jung tentava se lembrar se alguma vez já o viu antes, mas nada vinha à sua memória. Talvez o tivesse conhecido quando ainda era pequeno, uma criança, somente assim poderia tê-lo conhecido sem conseguir se lembrar. 

Talvez... Vida passada? Não, não poderia ser. Aquele homem dizia estar à sua procura, como poderia ele se lembrar de acontecimentos passados? Não era possível. De qualquer das formas, Hoseok sentia que o conhecia, mas não de onde ou quando, só era estranho se sentir tão familiar dele, e mais ainda, o que ele queria consigo para estar o procurando?

Hoseok teria perguntado tudo isso se não tivessem sido interrompidos, mas agora, como aquele moreno faria testes para o exército (e Hoseok tinha certeza de que ele passaria) talvez ficasse mais fácil sua comunicação e estava mesmo curioso para saber mais sobre aquele homem. 

— Me chamo Yoongi, príncipe. — falou o vampiro, logo sorrindo na direção do ruivo. Yoongi não conseguia parar de pensar em como Hoseok era lindo, em como já foi seu um dia, e principalmente em como lutaria para que o tivesse ao seu lado mais uma vez. 

Era tão apaixonado por Hoseok, amava-o tanto que estava disposto a fazer qualquer coisa por ele, para tê-lo, para fazê-lo feliz, para mantê-lo seguro. Faria quaisquer coisa, qualquer coisa mesmo. 

Para Yoongi, esse era motivo de ambos existirem, para serem um do outro. 

Hoseok balançou a cabeça, não conhecia aquele nome, nunca o tinha escutado. Seus olhos estavam no do Min, aquele medo de antes estava se transformando em curiosidade, em ansiedade para saber sobre tudo o que envolvia Yoongi. Como ele conseguia forças? Seria magia, demônios, maldição? Tinha alguns palpites, mas nenhuma certeza. 

O certo era que Yoongi agora poderia frequentar o castelo e Hoseok se imaginava cruzando com ele por lá, sem saber como agiria em tais momentos, porque a bagunça que estava em sua cabeça era culpa dele e o príncipe não sabia como agir. 

O ruivo continuou encarando o vampiro mesmo depois que o cavalo começou a correr, levando-o para longe daqueles olhos escuros que pareciam enxergar sua alma. Mas Hoseok estava decidido, ele precisava saber e entender o que Yoongi era. 


Notas Finais


Yoongi vai voltar a lutar e ainda vai para o castelo ficar perto do namoradinho 💕
Agora quem é da família real é o Seok, humm.....
Taetae está de volta e super desconfiado do Yoongi... Será que dá treta?? jkksksksk
Espero que tenham gostado, qualquer coisa podem perguntar!
Até mais 💕💕


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...