História Soldados não lutam por um país, mas por uma causa - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Ação, Aventura, Espionagem, Guerra, Guerra Civil, Guerra Fria
Visualizações 4
Palavras 439
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Ficção, Ficção Científica, Romance e Novela, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Linguagem Imprópria, Mutilação, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Olá! Espero que gostem!

Capítulo 1 - A Executora


                Lucy não sabia qual a razão de tal ato de brutalidade, espancar um homem até quase estar morto por causa de uma simples palavra ‘desrespeitosa’.

         O homem gemia no chão, claramente não sobreviveria sem assistência medica urgente. Lucy ouvia o seu comandante berrando para os civis:

         -“Que este homem sirva de exemplo, estamos em guerra e os rebeldes estão por toda parte! Não podemos tolerar essas atitudes suspeitas! Por isso, qualquer ato suspeito será imediatamente punido!”

         O comandante se vira para o pelotão do qual Lucy fazia parte e faz um gesto para se retirarem. O pelotão retornou a torre, Lucy foi transferida para lá a 5 meses quando se tornou uma executora, mesmo assim ainda se impressiona com a magnitude da torre.

         Lucy se dirige ao vestuário para se trocar e ir pra casa, já que fora liberada para comemorar o dia da independência de Soyuz. Ela apenas mantém a luva de condução, a principal arma dos executores, uma luva com a capacidade de controlar e conduzir energia para usar de várias formas. Lucy pega o monotrilho até sua casa, ela mora com sua mãe, Iris, e irmão mais novo, Ivan, num pequeno apartamento. Assim que Lucy entra em seu apartamento ela chama pela mãe:

         -“Mãe!? Nossa...você se dedicou a arrumar o apartamento...”

         Sua mãe responde

         -“Haaww... Obrigada, querida”

         Iris sai da cozinha tirando suas luvas e avental, olha para Lucy com carinho e as duas se abraçam e Iris começa a falar:

         -suspira “Um dos poucos dias que posso ver minha filha de agora em diante”

         Lucy responde

         -“não se preocupe... ser executora...”

         Iris interrompe

         -“...Ser executora é perigoso! Foi assim que seu pai morreu!”

         Iris começa a lacrimegar e diz

         -“Só tome cuidado...”

         -“Claro, mãe... Claro...”

         Lucy não consegue parar de pensar no estranho desaparecimento de seu pai, que foi dado como morto, enquanto investigava estranhos desaparecimentos nas periferias de moshchnost.

         Ivan aparece da sala e alegremente diz com um brilho nos olhos:

         -“YAYY! Mana voltou!” corre pra Lucy, dando-lhe um abraço”Como é a torre?! É tão grande quanto na TV?! Você gosta de lá?!” Lucy da um sorriso leve por ver seu querido irmão”E como vai com aquele garoto que eu ouvi a mãe e você conversando no comonicador(ele falou errado)?!!??!!”

Lucy fica vermelha e olha pra mãe com uma cara emburrada, Iris apenas faz um gesto ‘inocente’ com os ombros e após alguns segundos Lucy fala:

         -“Okay, Okay, pirralhinho, conto tudo de noite quando as visitas chegarem... tá? Agora temos muito o que fazer”

         Ivan responde

         -“Whaaa... tá bem... Mas eu quero ouvir com muitos detalhes!”

         Lucy diz com um sorriso

 

         -“Sim, sim, claro...”


Notas Finais


Espero que tenham gostado! Por favor compartilhem e favoritem!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...