História Solitária realeza. Travessuras marotas - Capítulo 33


Escrita por:

Postado
Categorias Harry Potter
Personagens Harry Potter, Lílian Evans, Pedro Pettigrew, Remo Lupin, Severo Snape, Sirius Black, Tiago Potter, Tom Riddle Jr.
Tags Almofadinhas, Aluado, James Potter, Jamesxsevero, Lily, Marotos, Moony, Padfoot, Pontas, Prongs, Remus Lupin, Sirem, Sirius Black, Siriusxlupin, Wolfstar
Visualizações 152
Palavras 554
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção Adolescente, Lemon, Romance e Novela, Shonen-Ai, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Pansexualidade, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 33 - Capitulo 32


 

“Você deve se aproximar de Sirius e descobrir onde está o medalhão de Salazar. Após recuperado, poderemos banhá-lo com o sangue do herdeiro e permitir o retorno do nosso mestre”.

---/

Outra vez, aquelas palavras ressoavam em sua cabeça.

O mantra dos últimos seis meses.

Aparentemente, um plano simples.

Deveria se aproximar de Sirius para recuperar o medalhão de Salazar. Peter afirmava com convicção sobre a joia está na mansão Black, pois a última vez que ele havia sido visto foi com o desaparecido Regulus. Desde então...

O pior era como todos acreditavam.

Além disto, consideravam uma oportunidade única já que o pequeno Harry estudava na escola onde Snape lecionava para o ensino infantil.

Uma reunião de pais e mestres, uma visita a casa dos padrinhos: o retorno do Lorde das Trevas.

Todavia, planejar sem percepção da realidade era tão conveniente para aqueles comensais em decadência. Vivendo como ratos em esgotos, um pequeno feixe de luz, embora entre grades, parecia uma oportunidade para regressar à glória. Por isto, dedicavam a vida perdida caçando cada uma daquelas Horcruxes.

Assim, tentando alcançar um pouco das expectativas, o jovem deprimia quando recordava de um pequeno detalhe não mencionado por ninguém: O pai do garoto. O maldito James Potter.

Sim.

Inicialmente, uma carta na manga, acreditava que poderia utilizá-lo para facilitar as coisas. Contudo, o relógio finalizava outra volta naquela noite, completando assim, quase dois meses que o sonserino estava naquela emblemática relação.

O pequeno garoto de cabelos negros e grandes óculos redondos permanecia sentado, olhando o horizonte enquanto balançava as curtas pernas que, nem mesmo, alcançavam o chão.

Apoiando o rosto cansado contra a mão, Snape observava aquela pequena miniatura do seu suposto inimigo.

Realmente, o odiava.

Desde a primeira vez, durante a escolha do chapéu comunal, havia detestado a cara cínica daquele sujeito.

E só aumentou com o decorrer do tempo.

As brincadeiras sem graça, as doloridas palavras, as intrigas, as carícias... Os abraços... O plano dos comensais. A porcaria do medalhão. 

No entanto, intimamente feliz, envergonhava-se ao recordar como havia chorado quando achou que tinha o perdido. Ou ainda, da indescritível felicidade quando reencontrou aqueles olhos repletos de sarcasmo.

Dando uma tapa contra a própria face, obrigava-se a recobrar o senso acerca da realidade. Não era uma emblemática relação. Nem mesmo era uma relação. Precisava apenas utilizá-lo para reencontrar o medalhão, permitir o retorno de Voldemort e...

Terminando de corrigir a última atividade. Recolheu os livros, colocando-os na gaveta. A escola em silêncio. Mesa vazia. O que esperava?

Uma mensagem no celular.

 

(19:42) Desculpa.

(19:43) Não me surpreende. Eu sabia que você não viria, Potter. Só me entristeço por seu filho ter um pai como você.

(19:45) Oh, sim!

(19:46) Ainda bem que ele tem um pai como você, não é verdade?

Diante da falta de resposta, prosseguiu.

(19:50) Desculpa, Sev. Eu irei passar no mercado, mas a Ordem descobriu outra parte da profecia hoje.

(19:53) Eu, realmente, não quero que Voldemort retorne...

(19:57) Eu não quero perdê-lo outra vez.

(20:00) Por isto, vou me atrasar um pouco.

(20:01) Prometo que apareço para o jantar.

(20:10) Prometo que apareço para fazer o jantar.

(20:11) Sua comida é horrível, Potter.

(20:12) Ei! Não foi o que você disse da última vez.

Diante a amarela carinha de desdém enviada, o grifinório completou.

(20:14) Eu te amo, Sev.


Notas Finais


Vocês pediram, vou tentar continuar ~

Atualmente, to terminando uma outra fic, mas logo vou dedicar mais atenção para esta aqui

Espero que gostem e vou explicando as coisas conforme for avançando, só que Voldemort explodiu quando atacou a casa Potter. Por isto, acreditam na sua chance de retornar.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...