1. Spirit Fanfics >
  2. Solo de piano; >
  3. O Garoto e o Piano;

História Solo de piano; - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Talvez, vai ter mais de um cap, talvez... Uns 5 no máximo.

Capítulo 1 - O Garoto e o Piano;


Ycaro 


A minha vida já se tornou monótona, então por que eu ainda tento? 


Tudo tem um propósito, uma razão, mas me sinto um quadro em branco, onde tudo que eu vejo é colorido, me sinto vazio


Vazio, uma palavra que você imagina, que tem profundidade, mas no mais profundo, não tem nada. Ela é simples, mas ao mesmo tempo complexa. E quando você para, para pensar, você passou a maior parte do tempo, pensando em algo que não muda nada de fato


Gosto de observar desda coisa mais comum, até a peculiar. A leveza de uma pena, ou uma folha, me lembra a pincelada chave para um quadro. A mais ousada


O que me encanta é o dedilhar de um pianista. Como os dedos de um homem comum, fazem uma melodia tão bela? O que me faz questionar o sentido das coisas, e então, volto a estaca zero 


Voltando com meus pensamentos sem sentidos, que são mais confusos que o próprio tempo. Afinal, o que é o tempo? Sei que você deve estar pensando, em idade, envelhecer, segundos, minutos, horas. Mas tanta, tenta imaginar o retrato físico do tempo, literalmente. Não, não pense em um relógio, em números, horário ou passado, presente e futuro. Eu que o tempo, o próprio


Não consegue, né? É mais difícil que você imagina, algo simples pode ser tornar algo complicado. Eu sou fascinado pela resposta! Não uma suposição, eu quero a exatidão! 


Mais um exemplo, que te faz ter um  choque de realidade, ou uma crise existencial, o universo


O universo, espaço, galáxia, ou onde uma enorme massa chamada planeta, rebola aqui no céu. Me diz, qual o tamanho do universo? 


Se sua resposta foi infinito, você pode estar certo, ao mesmo tempo que pode estar errado. Mas para você, o que é o infinito? O infinito é apenas uma palavra, que símboliza para nós algo que não tem começo, meio e fim. Então, me diz... Qual o começo, meio ou o fim do universo?


O universo é infinito, e ele não acaba ou ao menos começa


Ja parou para pensar que isso são só palavras, que podem significar nada. Como eu disse, algo simples, se você parar para pensar muito, começa a querer respostas


E isso me leva a ter ansiedade!


— filho? Vou sair com sua tia, ela quer fazer uma surpresa para o marido dela — apenas fecho os olhos, cobrindo com a coberta até meu ombro, ela solta o ar dos pulmões — não quer sair da cama, querido o dia está tão lindo lá fora


— eu... Eu estou bem — ela se senta ao meu lado na cama, me fazendo abrir os olhos, sua mão tocou meu rosto fazendo carinho


Ela suspira — você é a coisa mais preciosa para mim, Ycaro. Me parte o coração te ver assim meu bem, eu só queria te ver sorrir denovo 


— sinto muito


— não tem o que sentir, a culpa não é sua, eu cobro demais de você — ela disse com um tom baixo e triste, com um sorriso fraco


— você é a melhor


— obrigada, meu amor. Eu te amo — ela curvou-se com um sorriso, e beijou minha testa — não se esqueça de tomar os remédios, e sua comida está na geladeira, talvez eu volte mais tarde




— certo — ela se levantou, e saiu do meu quarto, virei para o outro lado da cama, quando escutei a porta da frente bater


Peguei meu celular, debaixo do travesseiro, vi de relance minhas redes sociais, fotos de adolescentes sorrindo ou chupando narguile, paisagens, aqueles vídeos de casal com um funk de fundo 


Revirei os olhos, me perguntando, qual a graça disso? 


Estava cansado, sem ao menos ter feito nada, me levanto e vou até meu banheiro. Escovo meus dentes e pego minha cápsula com meu remédio, calmante


Instruído pelo médico e pela minha psicóloga. Tenho que tomar, se não a ansiedade volta, me fazendo ter aquela putaria de hoje cedo. Pensar em tudo, focar em tudo, ouvir tudo, sentir tudo, mas não fazer NADA


Respirei fundo, aquilo ajudava eu não surtar. Já estava suando, e minha respiração descompensada, minhas mãos trêmulas, mal conseguia parar quetas no mármore da minha pia, simples mente, comi o remédio, sem ao menos ter água


Ele dava sono, mas não instantâneamente, por isso detestava toma-los, era como me fazer calar a boca, ou ficar quieto, que tem o mesmo sentido


Tirei meu pijama, e coloquei uma roupa normal, estava pensando em sair do meu mar de solidão. Sei que é ótimo ter alguém ali, com você, te escutando, te abraçando, te amando, mas eu prefiro tratar de meus ferimentos sozinho, foi assim sempre, o que iria mudar agora ? 


Sai do meu quarto, pegando as chaves de casa, saindo da mesma



Caminhava meio incerto sobre para onde eu ia. Só com as mãos no bolso da minha calca, que era quase coberta por meu blusão. Ficava vendo as pessoas sorrirem, conversarem, e crianças brincarem e chorarem. Adolescentes bebendo, beijando ou conversando alto


Enquanto eu apenas caminhava, até ir ao lugar onde me trazia mais calma


— ah, sala de música da escola — suspirei


Era estranho, um lugar cheio de alunos, quase isolado ao fim de semana. Deixavam aberto para alunos que ia na biblioteca ou na sala dos clubes. Não era do clube de música, era do de dança, mas gostava de tocar e os membros nunca se incomodaram de eu estar ali 


Acenei para alguns professores, e tinha alguns alunos. Mais nerds, e alguns grupos de amigos, no refeitório e na arquibancada. Alguns no campo jogando e brincando. E outros nas salas fazendo trabalhos 


A sala de música estava vazia, e vem essa palavra denovo. Suspiro, entrando, sem me encomodar com a porta aberta


Vejo o perfeito piano a minha frente, com a tampa aberta, dava para ver que alguém tinha limpados sala, e os cordões do piano por dentro. Deve ter sido os membros do clube


Passei meus dedos nas teclas, delicadamente sem fazer nenhum barulho. Sorri fraco, e coloquei uma mecha de meu cabelo, atrás da orelha


Puxei o banco do piano, para me sentar, era como estar nos céus. Respirei fundo, soltando o ar pela minha boca, levantei a minha blusa que servia de segunda pele, embaixo de minha camiseta grade, e estiquei minha mão, tocando a primeira tecla com minha mão esquerda


Minha música favorita feio em minha mente, e abri um sorriso um pouco maior. Era de um de meus filmes favoritos, um stop motion, era uma história interessante, um cara que tem um casamento arranjado, mas fica nervoso, e começa a treinar em uma floresta, e acaba por se "casar" com um cadáver 


A noiva cadáver — sussurou a mim mesmo, com um sorriso fraco e meio triste


Comecei a tocar o solo de Victor, que toca um pouco depois do início do filme. 


Para mim, era a mais linda melodia. Era tão reconfortante escuta-la, me deixava calmo. Minha mente nublava, e meus dedos pareciam se mover sozinho. Era a única música que eu tocava perfeitamente, que eu me esforcei para aprende-la


Afinal, o dinheiro dos 3 anos de piano que a minha mãe pagou, talvez não tinha sido em vão 


Ela tinha um tom de bad, que me deixava com o sentimento meio abalado, nada mais para mim importava, era como se só existisse apenas o piano e eu. O toque que meus dedos faziam contra as teclas claras, era como se fosse a mais perfeita sinfonia. 


Para mim, o instrumento que tem o mais lindo som, é o Piano. Tem o grave de um baixo, até o agudo de uma flauta, era perfeito.


Eu estava tão destraido, tão em sintonia com o objeto, que nem escutei os passos atrás de mim. Um garoto se sentou ao meu lado, como estava de olhos fechados, eu nem ao menos senti sua presença, de tão avoado que estava


Até eu não alcançar algumas teclas do meu lado direito, onde ele estava sentado, o garoto continuou a música do lado agudo


Eu abri meus olhos, tendo um leve espanto, e um sorriso dele, ao me olhar


Seus olhos eram escuros, igual seus cabelos. Que eram bagunçados de um jeito único, e usava um óculos retangular encima do nariz, e era pálido como porcelana


O que me interessou mais, era o fato dele continuar a música, sabendo ela toda. Eu fiquei com o lado mais grave, e ele com o mais agudo, chegando ao momento de algumas vezes, nossos dedos de encostarem


Rimos algumas vezes, era como se a música não acabasse. Era como se em milhares de dias, eu e esse garoto, tivéssemos criados uma... Sintonia




   Solo de piano;.   


Cap 1/5


• O Garoto e o Piano •





Notas Finais


Oiu, dnv

Aconcelho escutar a música, só para sentir. Eu tô tentando aprender no meu teclado :,D

Daquele filme, que se você não viu, você precisa! "A noiva cadaver"

Pesquise no YT: Victor's solo piano

Ou sei lá, não tô afim de pegar o link ༎ຶ‿༎ຶ


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...