História Soluço, chefe de Berk - Capítulo 15


Escrita por:

Postado
Categorias Como Treinar o seu Dragão
Personagens Astrid, Fúria da Noite, Soluço
Tags Astrid, Hicstrid, Soluço, Solustrid
Visualizações 55
Palavras 1.454
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 10 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Famí­lia, Romance e Novela
Avisos: Spoilers
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Gente, amei escrever esse capítulo, vou deixar vocês no suspense já pedindo pra não me matarem no final, ficou muito fofo, e como eu já disse, agora eu amo a Gothi, lembrandi que o que está entre asteriscos (*) é ela que escreveu

Boa leitura

Capítulo 15 - Capítulo 15, surpresa


Fanfic / Fanfiction Soluço, chefe de Berk - Capítulo 15 - Capítulo 15, surpresa

Depois daquela reunião a minha mãe se ofereceu para hospedar o Dagur e a Mala, agora todos estavam voltando as suas atividades, eu pedi sigilo sobre tudo que foi discutido naquele salão, pelo menos por enquanto é melhor evitar a possibilidade de causar pânico, eu ia me levantando quando senti uma mão no meu ombro

- Vejo que a senhorita ainda não aprendeu que não me assusta mais - eu disse com um pouco de sarcasmo

- Pois é, já foram muitas tentativas falhas, mas uma Hofferson nunca desiste - ela disse determinada

- Claro - eu respondi rindo um pouco

Eu me virei para ela e coloquei a mão em seu rosto, ela estava tão linda quanto eu me lembro, através das memórias ainda consigo formar sua imagem na minha mente

- O que você acha de irmos até o penhasco, sabe, faz tempo que não passamos um tempo juntos - ela disse calma

- Claro, só preciso falar com a Gothi antes, eu prometi que a encontraria depois da reunião - eu respondi e senti ela sorrindo

Ela saiu do salão e ficamos eu e a Gothi, eu fiquei esperando o barulho dos seus passos se distanciar, foi quando senti alguém me cutucando

- Gothi - eu disse e virei

- Eu mesma - ela disse e acho que sorriu

A pouco tempo eu avia descoberto uma passagem secreta para uma espécie de porão no grande salão, era onde eu me escondia quando precisava de paz e silencio, nós andamos até a entrada e eu a abri para que a anciã descesse, depois fiz o mesmo, assim que estávamos lá em baixo ela acendeu as lamparinas

- Algum problema Gothi? - eu perguntei ficando sério

- Na verdade sim, eu sinto que tem um grande mal se aproximando, eu sinto que não podemos confiar em certas pessoas, eu sinto que os nossos inimigos estão mais próximos do que imaginamos, e por isso precisamos nos fortalecer, precisamos achar aliados, precisamos chegar antes deles, impedir que eles corrompam mentes a seu favor, impedir que ele se torne mais forte, eu sinto que o próximo alvo dele é os Exilados, precisamos chegar antes - ela disse com preoucupação na voz

- Claro, nós temos que avisar os nossos aliados, e também os nossos inimigos, mas principalmente temos que localizar os inimigos deles, é como dizem, "o inimigo do seu inimigo é seu amigo" - eu disse pensativo

- Sim, mas o que mais me preoucupa são os espiões, eles estão entre nós, acho melhor que a partir de agora esses assuntos sejam tratados apenas entre você, a Astrid e a Natália, em sigilo total, apenas por precaução - ela disse

- Obrigada Gothi, não sei o que faria sem você - eu disse e sorri

- É um prazer - ela respondeu e acho que sorriu

Eu sai do "porão" e a ajudei a sair, nós nos dirigimos até a porta, mas fomos interrompidos por uma figura que entrou em nossa frente

- Achei você Soluço, chegou a correspondência, e acho que vai gostar de saber que temos notícias da Flower - era o Bocão

- Claro, pode me dar a carta? - eu perguntei estendendo a mão

- Mas porque? Você não vai poder ler mesmo - ele disse com interrogação na voz

Eu bati a guia na cabeça dele, que obviamente reclamou

- Eu sei que não posso ler, mas eu quero ver o que há na carta - eu disse e ele gemeu, acho que revirou os olhos

Ele me entregou a carta mesmo contra a sua vontade, o que ele não sabia é que eu me comuniquei com a Flower nessa última semana, ela sabia que eu estava cego e por isso mandava símbolos especiais em relevo, eu a via ensinado ela a fazer isso durante os treinamentos na floresta, eu abri a carta e passei e não nos símbolos

- Gothi, eu acho que essa carta é pra você, e contém informações de seu agrado - eu disse

Ela me cutucou com o cajado pedindo a carta, eu estiquei o braço e ela teve que andar um pouco para chegar na carta, eu não tinha certeza de onde ela estava, e por isso errei o local, ela pegou e ouvi que abria a carta, ela leu e eu esperei, depois ela se dirigiu a um pouco de areia que avia do meu lado de mais cedo e começou a desenhar, eu me abaixei para ler

- *Ela encontrou algumas ervas que podem ser muito úteis na cura de uma nova doença que assola o arquipélago*

Ela escreveu mais coisas, e eu continuava traduzindo

- *Ela diz que enviou um terror terrível com amostras dessa erva para a sua casa - eu lia

Ela escreveu mais

- * Você precisa ir ver antes que as ervas murchem* - eu li novamente

Eu assenti e ela entendeu

- Nossa, o moleque cego entende seus desenhos melhor do que eu, preciso melhorar em Gothi - ele disse com um pouco de sarcasmo na voz

Eu ouvi que seus passos se distanciavam, foi quando aproveitei para ir embora também

- Vamos Gothi? - eu perguntei e ela fez um gemido que significava sim

Nós andamos até a porta onde a Astrid me esperava sentada na escadaria, a Gothi então se despediu

- Lembre-se do que eu eu te disse, jovem líder - ela sussurrou e eu assenti, ouvindo seus passos se distanciarem

Então eu desci as escadas em um silêncio surpreendente, depois coloquei a mão no ombro da Astrid, ela tomou um susto

- Calma, sou só eu - eu disse e ela se virou

- Graças a Thor - ela disse ainda ofegante

- Vamos? - eu perguntei lhe estendendo a mão (e eu nem sabia se estava na direção dela)

- Claro - ela aceitou a ajuda e levantou

Nós fomos até o penhasco, quando chegamos ela se sentou na beira, eu estava receioso de cair, mas ela me ajudou a sentar também, senti que ela colocava a cabeça em meu ombro, eu estava virado para o horizonte, de algum modo eu sentia que estava a frente da lua, eu sentia que era naquela direção em que o mar seguia, eu apenas sabia

- Soluço - ela me chamou

- Sim - eu respondi

- Você promete que nunca, nunca, nunca vai esquecer de nós, que vai sempre conseguir lembrar de mim, lembrar dos meus olhos, do meu cabelo, eu não sei se conseguiria viver sabendo que você se esqueceu do nosso amor, de nós- ela disse e ouvi que fungava

Eu pus uma das mãos no seu rosto, foi quando senti uma lágrima descer, eu rapidamente a limpei

- Eu te prometo, prometo que nunca vou esquecer de você - eu disse e senti que ela sorria

- Eu também - ela respondeu

Eu ia dizer algo, mas antes que tivesse a oportunidade ela me beijou, ela me beijou com todo o sentimento possível, mas assim que isso aconteceu eu vi algo, eu vi toda a minha vida passar diante dos meus olhos, dês do momento em que eu a conheci, quando ainda tínhamos apenas 3 anos, até o dia do acidente, depois vozes tomaram a minha cabeça, todas as vezes que ela avia me ajudado, todas as vezes que ela estava lá, em poucos segundos eu vi tanto, até que no final ouve uma luz, e dessa luz saia um homem, e esse homem era metade dragão, e eu ouvi ele murmurar algo como "Esperei tanto por esse dia, você finalmente está pronto", então uma luz me tomou, eu vi, exatamente, eu vi tudo branco, nós nos separamos e ela me abraçou, eu estava com os olhos fechados, eu não tinha coragem de abri-los e não vê-la, mas acordei do choque quando ela me chamou

- Soluço, está tudo bem? - eu ouvi aquela doce voz

Nos separamos do abraço e ficamos cara a cara, eu respirei fundo e abri os olhos

- Melhor impossível - eu respondi sorrindo

Ela me abraçou novamente, eu passei a mão pelo seu cabelo, estava exatamente como eu me lembrava, liso, sedoso, e mais loiro do que o próprio sol, nós nos separamos e ficamos de mãos dadas

- Eu já lhe disse o quanto te amo? - eu disse sorrindo e olhando pra ela

- Sim, mas eu não me canso de ouvir - ela disse e sorriu

Eu passei a mão pelo seu rosto novamente, embora sem necessidade de formar a lembrança de suas expressões na minha mente

- Bom, já que é assim, eu já lhe disse o quanto esta linda hoje? - eu perguntei e ela ficou surpresa

- Soluço, você.... - ela não terminou a frase pois eu a beijei

Ela retribuiu rapidamente, eu sorri e ela também, ela passou a mão pelo meu rosto, mas como é interessante respirar nos separamos

- Considere isso minha resposta - eu disse e ela sorriu

Ela me beijou novamente, como eu queria que aquele momento durasse para sempre

Continua?...


Notas Finais


Se alguém descobrir o que aconteceu com o Soluço deixe nos comentários, mas eu não vou confirmar nada, vou matar vocês de curiosidade

Dês de já adiantou que para continuar a fanfic eu preciso da minha vida

Deixem suas opiniões sinceras

Beijos, abraços e até a próxima


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...