História Som dos sentimentos; Tawum - Capítulo 3


Escrita por:


Notas do Autor


Esse capítulo tá um lixo, desculpem também pela demora.
Boa leitura (?)

Capítulo 3 - Three ;


O de sardas estava deveras ansioso, hoje é dia 25 de dezembro ou seja, hoje é natal.
Estava em seu quarto ouvindo música - como sempre - enquanto embrulhava o presente que daria ao de cabelos loiros mais tarde naquele dia. Havia comprado um moletom qualquer que tinha achado em um anúncio na internet. Ficou surpreso por não ter sido um golpe, não confiava muito nesses anúncios aleatórios que aparecem por aí em qualquer rede social ou sites. Mas por algum motivo resolveu comprar, só por ser um moletom com o rosto do Raffa Moreira estampado bem grande na parte do peitoral. Finalizava o embrulho pensando na reação de Carlos ao receber o tal presente.





< >





Já se eram quase 19h, iriam se encontrar na casa da avó de Rodrigo - como todos os anos - as 19:30. Pegou seu boné rosa e colocou em sua cabeça, pegou o presente, suas chaves e seu celular. É, o menino já estava pronto para ir. Ou quase. Recebeu uma mensagem de Tawan dizendo para espera-lo, iriam dividir o Uber.

Passou-se 2 minutos e o rapaz de cabelos castanhos havia chegado, cumprimentou Felipe e começaram um assunto qualquer.

-Tá 'mó frio doido, vai pegar um moletom antes do Uber chegar.- Tawo orientou o menor, mas ele deu de ombros.

- que moletom o que, nem tá frio.-



-



O Uber havia acabado de chegar, entraram e sentaram nós bancos de trás. André colocou seus fones e em seu celular selecionou uma música qualquer - já que a viajem duraria cerca de uns 20 minutos. -

Anci parecia bem cansado e entediado, talvez tivera passado a noite em claro jogando lol.

O castanho sentiu os olhos pesarem, deitou sua cabeça sobre o ombro de MeiaUm, e fechou os olhos - por conta do extremo cansaço. - foi um tanto quanto fofa aquela cena, principalmente a parte em que André teve suas bochechas coloridas por um leve rubor. Sentia a respiração do moreno sobre o pé de sua orelha próxima ao pescoço, isso lhe dava leves arrepios. Ficava cada vez mais envergonhado, aquele rubor crescia a cada suspiro que o de óculos arredondados dava próximo de si.




.





Chegaram ao local por volta das 19:40. O trânsito estava horrível, e como a avó de Rodrigo morava em outra cidade o caminho foi bem longo - mais que o previsto - mas nem notaram pelo fato de terem dormido por toda ""viagem"". Desceram do carro e deram um simples "tchau" para o motorista. Caminharam até a porta e tocaram campainha. Estava um frio terrível do lado de fora da casa, André estava quase congelando - por causa de sua teimosia -.

- eu te disse pra pegar um moletom.

- ah não enche peruano, eu não preciso de moletom, nem tá tãããão frio.

- 'tô vendo. André estava literalmente tremendo de frio. O mais alto retirou seu moletom vermelho que estava vestindo e entregou para André.

- eu disse que não precisava.

- ó 'bixin mal agradecido, 'tô te dando o 'trem e tu reclama. Pois passe frio então.- Disse pegando o moletom da mão de André.

-nÃO. Mudei de ideia, me dá ae.- pegou de volta e o vestiu.


'


Já estavam putos, tocaram a campainha umas 500 vezes e ninguém atendia. Resolveram dessa vez bater na porta, e logo  depois quem abriu foi Rodrigo.

- caralho, achei não iam vir.

- A gente tá aqui a meia hora tocando a porra da campainha e tu não atende a porta.

- essa merda tá estragada.- disse se referindo a campainha dando uma risada logo após.

- a gente ficou esse tempo todo tocando uma campainha estragada.- O de cabelos acastanhados logo se junta as risadas de  Saiko.

- Tá, entrem logo.

- feliz natal pra tu também.- MeiaUm fala com um tom um pouco irritado, provavelmente pelo ocorrido de antes, mas entrando na casa logo depois de Tawan.

Entraram na casa e a Sr. Rosa não estava no local. MeiaUm perguntou por ela e Saiko explicou que a senhora estava na casa de cima. Então a casa era toda dos garotos.



- Feliz natal Meia e Tawo.- um loirinho diz todo animado e sorrindo.

- feliz natal.

- feliz natal.


-



Estavam sentados no chão da casa, iriam revelar quem eles tinham tirado  no amigo oculto.

- começa pelo Meia.

- beleza então. Eu tirei o Ycaro.

- Nice, me dá ae, que eu quero ver. André entrega o presente para ele e o mesmo abre o embrulho animadamente. Todos riram do puta presente incrível que MeiaUm deu para Gabryel.

E foi assim:
Tawan- MeiaUm
Saiko- Tawan
MeiaUm- Ycaro
Ycaro- Saiko

Os presentes foram um pior que o outro, Tawan deu um pé de Meia para André - pelo fato do nome de seu canal ser meia um - Ycaro deu um mangá yaoi para Saiko, e Saiko deu uma capinha de celular personalizada com a logo do superzoon para Tawan. Riram dos presentes que receberam, e das caras que eles mesmos fizeram.








.









Já era quase 1h da madrugada, haviam acabado de comer da ceia que avó Rosa tinha preparado, estavam - "levemente" -  bêbados de vinho.

- o que é isso na minha cara?

- é o 'enxergador do tawo seu burro.
- ah...
- ei devolve meu 'enxergador doido, tá tudo embaçado.
- vem cá buscar, não vô aí não.
- se eu for aí eu vô comer teu cú de troco.
- pois venha.
- diabé isso ai? - Felipe que estava calado até certo momento, levantou o tom de sua voz.
- É o Ycaro com fogo no cú.
- eu nada é o Tawan.
- ah me dá logo o 'enxergador.

- eu vou dormir pra não ficar ouvindo essas besteira aí. - o de moletom vermelho diz indo em direção ao seu colchão que estava no outro cômodo da casa.
- também vou ó. -  Saiko estava com os olhos quase fechando de tanto sono, estava virado a dois dias.


Saiko e MeiaUm já estavam no décimo sono, enquanto Ycro e Anci estavam no sofá da sala bebendo uísque. falavam cada vez mais besteiras e riam de qualquer coisa. Ycaro já havia  bebido mais de 7 copos. O peruano estava até que bem sóbrio comparado ao loiro. Tawan pensava seriamente em se declarar naquele momento para o menor, mas abandonou a ideia. Parecia que Ycro estava completamente em outro mundo, e provavelmente nem se importaria com sua declaração.

- talvez seja melhor falar disso amanhã... 






-







P.O.V's MeiaUm

Fui dormir, estava com muito sono, tinha trabalhado no novo álbum - 4555 - que ia lançar e fiz uma breve live no Facebook, tudo em apenas um dia. Fui para o quarto em que iríamos dormir e me joguei de costas em meu colchão, Saiko se deitou no outro colchão próximo ao meu. Fiquei por um tempo encarando aquele teto, nunca tinha visto um teto amarelo, geralmente são brancos. Na verdade nem sei se esse teto era realmente amarelo, talvez eu esteja vendo coisas, ou pode ser culpa da bebida. Me virei de lado para abraçar meu travesseiro e fechei os olhos para poder dormir.

Senti um cheiro peculiar, um cheiro de laranja(?) Ah, era o moletom que Tawan havia me emprestado mais cedo, estava com seu cheiro e um cheiro delicado de flores. Mais específicamente um cheiro de flor de laranjeira.

Estava abraçado ao meu travesseiro e sentindo seu doce cheiro.

Me  imaginei dormindo abraçado com aquele peruano em uma noite chuvosa e fria. Adormeci pensando em nós dois.






< • >


Notas Finais


Desculpa o cap BOSTA, eu tentei mas o bloqueio criativo tava foda.

Foi mal pelos erros👍






- passa o número da sua mãe?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...