História Sombra - Chanbaek - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias EXO
Personagens Byun Baek-hyun (Baekhyun), Park Chan-yeol (Chanyeol)
Tags Chanbaek, Sombra
Visualizações 27
Palavras 600
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), LGBT, Suspense, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


aaaa, minha primeira fanfic, eu não tenho muita experiência para escrever então, qualquer erro me desculpem




e tá, eu sei, a capa ta horrível, mas fazer o que, o photoshop não é meu amigo :v

Capítulo 1 - Único


 

— Você se acha melhor do que quem? — Chanyeol em breu questionou, tão sádico e arrogante quanto de costume. A forte risada ecoando em seguida.

Baekhyun andava apressado pela estreita viela escura. O homem o seguia como uma sombra, se não a própria. Byun podia sentir as mãos molhadas, porém quentes, mesmo naquela noite gélida. Naquele momento ele pensava em seu "ex", o homem que sempre estava atrás dele, sendo sua sombra, o fazia lembrar-se dele, mesmo o rosto do homem sendo tão negro quanto a própria. Baekhyun olhara para trás dezenas de vezes, todos os dias, só para ter certeza de que não era seu namorado desaparecido.

— Melhor do que você, sou, eu sou — Byun afirmou, a voz meio atrapalhada. Ele não parecia em seu melhor estado. De pupilas dilatadas, corpo trêmulo, olhar focado, o constante tique-nervoso dos dedos molhados.

— Melhor do que eu? — indignou-se o homem-sombra, rindo, sarcástico. — Não sou eu quem foge por uma poça de lixo no meio da noite.

Mas ele não fugia, fugia? Ele não se lembrava. Por que estava ali? Por que as mãos estavam úmidas e a garganta tão seca? Ele não se recordava, só sabia que tinha de seguir em frente e que aquela viela era sua passagem, ela a levaria de uma rua a outra facilmente.

—É, é isso — Byun sussurrou a si mesmo, parando de repente, logo a sua frente, uma bifurcação. Ele olhou de um lado, os dedos das mãos se contraindo em espasmos aleatórios. Olhou para o outro, som, o doce som de um carro passando ali perto. "É por aqui", ele pensou.

Então, tomou o caminho à direita, ainda mais estreito, no qual orvalho da noite misturado à água de ar condicionado deixava suas roupas ainda mais encharcadas, fazendo as mãos úmidas mal serem notadas, com o homem-sombra ainda atrás dele. Ora, ele era sua sombra, seu anjo bom... ou será que era o mau?

— Eu tenho que achar a polícia — Baekhyun comentou, desvairado. — Eles vão te tirar de trás de mim, você não vai me perturbar, não mais — sua voz soava entorpecida, morta.

— Talvez seja você quem eles devam levar e não a mim — Park retrucou.

— Não! — Byun contestou, já avistando a saída da viela.

— Afinal — ele continuou —, não sou que quem está com as mãos manchadas.

"Mãos manchadas?", Baekhyun pensou, compreendera o sentido da expressão, não era a primeira vez que ele ouvira uma vozinha lhe sussurrar aquilo. Ele baixou o olhar até as mãos, agora com o líquido vermelho vivo, ainda pulsante, quente, tão fresco quanto possível. E ele entendeu, se recordou. O namorado não sumira, ele não estava cortando caminho pela viela, não queria denunciar o próprio eu. Byun estava à caça de uma nova presa, afinal, já havia seis meses desde que matara, a facadas, o próprio namorado e escondera o corpo, enterrando-o debaixo da própria casa do "amado", em pedaços colocados em buracos separados, para mais fácil decomposição e mais difícil para a perícia encontrar. E agora, depois de esfaquear até a morte um homem, na viela lá atrás, ele queria um novo alvo que a noite lhe proporcionava, ele não estava satisfeito, precisava de mais.

Já estava fora da viela a esse ponto. À sua direita, uma guarda de trânsito, multando um carro, sozinha e desarmada. Byun levou a mão ao bolso, ele já tinha seu próximo alvo, quem levar consigo ao inferno. E fechou o punho sobre o cabo da faca. Baekhyun e Chanyeol, com os rostos lado a lado, como duas metades se completando, disseram em coro, a voz pesada e monstruosa, como um só:

— É esta.
 


Notas Finais


a fic não tá uma maravilha, mas pelo menos ficou legalzinha.....Eu acho
Então é isso, talvez eu escreva mais fanfics, já que eu escrevi várias que estão escondidas no word
Tchau!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...