1. Spirit Fanfics >
  2. Some news >
  3. Uncle Loki

História Some news - Capítulo 8


Escrita por:


Notas do Autor


Boa leitura e desculpem qualquer erro :D

Capítulo 8 - Uncle Loki


Fanfic / Fanfiction Some news - Capítulo 8 - Uncle Loki

Vocês sabem aquele sentimento ruim na boca do estômago? Como se fosse um pressentimento de que algo vai acontecer? É exatamente isso que eu estou sentindo, mas nós estamos no início da manhã, então ainda não descobri o porquê disso.

 

Meus pensamentos são interrompidos pela voz de alguém me chamando e de mãos pequenas em meu braço direito, desvio o olhar da caneca de café para a pequena ruiva ao meu lado.

 

Estendo os braços e a pego no colo, em seguida beijo sua bochecha ainda vermelha por estar em contato com a cama por tanto tempo. Seus olhinhos castanhos, iguais ao do pai, piscam ainda sonolentos e ela se aconchega em meu pescoço.

 

— Não vai comer? — pergunto divertida com seu estado ainda adormecido. Ela balança a cabeça lentamente, fazendo seus cachos vermelhos ficarem ainda mais bagunçados.

 

— Ela está no modo zumbi. — comenta Clint enquanto morde um grande pedaço de pão.

 

— Modo zumbi? — Bruce pegunta se recostando na cadeira.

 

— Sim, é igual ao Tony. — o arqueiro aponta para atrás de suas costas, onde o bilionário se encontra parado com uma caneca na mão e olhando fixamente para a cafeteira.

 

Tony pisca e gira a cabeça lentamente para olhá-los. — O que tem eu?

 

Steve sorri com carinho e diversão. — Clint disse que você está no modo zumbi.

 

Stark faz uma careta e se vira para Barton. — Eu não!

 

Clint engole o último pedaço de seu sanduíche e torce o corpo na cadeira para poder olhá-lo e levanta uma sobrancelha. Um meio sorriso aparece em seu rosto quando ele fala:

 

— Então o que você está fazendo parado ai.

 

— Fazendo café, idiota. Não consegue perceber isso sozinho?! — responde o moreno de mau humor.

 

— A 10 minutos.

 

As sobrancelhas de Tony se unem. — O quê? — sua voz diminui o tom.

 

— Você está parado aí a 10 minutos e pelo que eu pude ver, ainda não colocou café nessa caneca. — apontou Clint.

 

Stark pareceu confuso por um momento olhando fixamente para o objeto vazio em suas mãos, até que seus olhos voltaram para Barton e sua carranca anterior retornou. — Você não tem nada melhor pra fazer do que ficar me enchendo o saco, Robin Hood?!

 

— Alguém acordou do lado errado da cama. — ri, e Tony olha para mim repetindo o que eu disse com uma voz fina, fazendo todos na mesa rirem de seu mau humor matinal.

 

— Eu te ajudo. — Steve se levanta e pega a caneca das mãos dele, mesmo com os inúmeros protestos do bilionário.

 

Um estrondo muito alto vem do lado de fora da torre e todos se assustam, o barulho faz Steve, que estava com o café na mão, virar a bebida quente em sua camiseta.

 

— Porra! — grita o loiro, Tony o olha surpreso e então um sorriso brincalhão aparece em seu rosto.

 

— Olha a língua, capitão.

 

Rogers não responde, apenas revira os olhos e coloca a caneca de volta no balcão para logo depois sair correndo em busca de seu escudo.

 

Todo o time estava de pé e alerta, os antes sonolentos estão completamente acordados agora. Me levanto também e mantenho um aperto protetor envolta de Emma, a puxando mais contra o meu corpo, mas ela não parecia preocupada.

 

— Vamos lá fora! — a pequena grita animada.

 

— Não! — todos nós falamos ao mesmo tempo.

 

Sua expressão muda de entusiasmada para confusa. — Mas por quê?

 

— Pode ser perigoso, você não pode ir lá fora agora. — Bruce explica enquanto a tira de meus braços e faz menção de se afastar em direção a saída da cozinha, mas para assim que escuta a próxima fala de Emma.

 

— Mas eu quero ver o tio Thor!

 

Depois de tanto tempo fugindo e lutando contra vilões você começa a ficar um pouco paranoica, a possibilidade desse barulho ser o Thor retornando à Terra estava em último na minha lista de situações prováveis.

 

Steve passa correndo rapidamente pela porta da cozinha com o escudo já em posição, mas retorna dando passos longos para trás e nos olha confuso. — Por que vocês ainda estão parados aí?! Um ataque está acontecendo!

 

— Descansar, soldado. — brinca Clint. — É só o Thor.

 

As bochechas do capitão adquirem um tom rosado, muito mais fraco do que normalmente as do Bruce tem, e sua mão começa a esfregar a parte de trás da cabeça, bagunçando alguns de seus fios dourados. — Eu não pensei nisso…

 

— Você tem que parar de ser tão paranoico, Rogers. — diz Sam, como se nós não estivéssemos prestes a fazer a mesma coisa que ele.

 

Tony se aproxima do loiro e começa a esfregar suas costas com círculos suaves. — Deixem o coitado do Steve, ele só quer ser um bom vingador.

 

— Homem de Ferro ao resgate. — Bruce fala divertido com a cena, ver Tony demonstrar seus sentimentos é algo novo, bem, não tão novo para Steve Rogers.

 

— Não precisa ficar com ciúmes, Brucinho. Você sempre será meu ursinho de pelúcia favorito. — Tony brinca de volta, Bruce faz uma careta, e eu me aproximo dele passando um braço pela sua cintura.

 

— Não. Ele é o meu ursinho de pelúcia. — falei enfatizando bem a palavra “meu”.

 

— Credo, quem ia imaginar que a Viúva Negra era tão possessiva.

 

Sorrio mostrando os dentes e em seguida dou um beijo estalado na bochecha do meu marido. — Meu.

 

— Desculpa cortar o clima, mas não é educado deixar os convidados esperando do lado de fora. — Sam fala enquanto aponta com o polegar para a janela atrás dele.

 

(…)

 

— Tio Thor! — Emma grita e praticamente pula de meus braços em direção aos fortes do Deus do Trovão.

 

— Uau! Como você está grande! — diz o loiro retribuindo o abraço com um grande sorriso em seus lábios, para um cara tão grande e forte, Thor é uma pessoa muito mais gentil do que aparenta. — Não me aperta tanto, assim você vai me esmagar. — ele brinca colocando ela no chão.

 

— Então, gente…

 

— Isso não deve ser coisa boa. — Clint murmurou no ouvido de Sam, que não falou nada, mas concordou com a cabeça.

 

— Eu tenho uma surpresa pra vocês. — diz Thor, mais ao longe onde está a marca no chão de sua aterrissagem é possível ver uma figura parada, mas que não consigo reconhecer muito bem por causa da distância. — Pode vir! — o loiro grita com sua voz grave.

 

A medida que a pessoa ia se aproximando meu coração ia batendo mais rápido, mas duvido que era a única, olho para o lado e vejo o resto do time tenso com a aproximação também.

 

— Olha quem está aqui! — o homem de longos cabelos negros para ao lado de Thor, e o loiro passa um braço sobre seus ombros enquanto o puxa mais perto. — Meu irmãozinho Loki!

 

— Vingadores. — ele cumprimenta.

 

— Eu avisei que era um ataque! — grita Steve, sério. — Peguem ele!

 

Bruce corre para pegar Emma e trazê-la para trás de nós, enquanto eu e o resto do time partimos para cima do Deus da Mentira.

 

— Calma, por favor! Não façam isso! — pede Thor enquanto para na frente do irmão e estende os braços em súplica. — Ele não veio fazer mal a ninguém!

 

— Isso foi o que ele te disse? — pergunta Tony.

 

— Olha, Thor. Você é nosso amigo e nós te amamos, mas ainda não aprendeu a lição? Porque esse lance de traição já tá ficando chato.

 

— É verdade dessa vez! Eu juro! — ele dá alguns passos para o lado e empurra o homem pálido e com olhos arregalados para frente. — Vai lá, fala pra eles.

 

Loki coça a garganta e ajeita sua postura, o queixo levemente levantado. — Eu não vim para tentar escravizar os humanos novamente. Não dessa vez.

 

— E porque nós acreditaríamos e você? — pergunta Bruce um pouco mais para trás que nós, ainda segurando Emma em um aperto firme. Ele sempre está calmo, mas também sei que o Hulk ainda não é um dos maiores fãs de Loki.

 

— Acreditem, caso eu estiver tentando dominar o planeta, irei garantir que serão os primeiros a saber. — responde com um sorriso mínimo no rosto e um brilho astuto em seus olhos claros.

 

— Sério?! Esse é o seu pedido de desculpas?! Porque se for, é uma porcaria. — fala Clint. Não acho que algum dia ele conseguirá perdoá-lo depois do que aconteceu em Nova York, ele demorou muito tempo para perdoar a si mesmo.

 

Loki ergue um pouco os braços e repete. — Eu não farei nenhum mal. Prometo.

 

A posição de luta de Steve relaxa um pouco e ele fala, ainda sem tirar seus olhos azuis do hóspede indesejado. — Tudo bem. Vamos confiar nele.

 

— O quê?! — Tony fala, indignado. — Você sabe que ele é, literalmente, o Deus da Mentira, não é?!

 

— Eu não estou falando dele. — Steve responde. — Estou falando do Thor. Ele é nosso companheiro, e eu confio nele. Se ele está dizendo que Loki não causará nenhuma confusão, vou aceitar sua palavra.

 

O sorriso no rosto de Thor reaparece. — Obrigado!

 

Sam balança a cabeça negativamente e suspira. — Acho que agora é a hora que a gente te convida para entrar…?

 

(…)

 

Nós voltamos para onde estávamos antes de tudo isso, a diferença é a adição de mais duas pessoas. Todos os vingadores estavam olhando desconfiados para o moreno, e eu não estou diferente.

 

— Então, Thor, o que traz vocês de volta a Terra? — Steve é o primeiro a quebrar o silêncio, agora com uma camiseta limpa.

 

Thor se anima com a pergunta e olha para Loki, que estava com a cabeça baixa e braços cruzados, mas levanta um pouco a cabeça para fitar o loiro. — Achei que se eu mostrasse as coisas boas da Terra, Loki acabaria com essa ideia boba de destruí-la.

 

— Escravizá-la. — corrige o moreno.

 

— Escravizá-la.

 

— Entendo. — responde Rogers, ele parece pensar um pouco e demora alguns segundos par falar de novo. — Me parece uma boa ideia.

 

— Oh, Meu Deus… — Clint resmunga, afundando cada vez mais na cadeira com as duas mãos no rosto.

 

— E o que você quer que a gente faça? Algum tipo de tour pela cidade? — pergunta Tony, sarcástico.

 

Thor não parece perceber o seu tom quando responde:

 

— É isso aí!

 

Tony pisca surpreso e então olha para Clint ao seu lado, repetindo sua ação de segundos atrás. — Oh, Meu Deus…

 

O olhar de Loki examinada cada rosto na sala, até que para em Emma. Sinto minha respiração ficar mais pesada quando ele fala:

 

— Eu não conheço essa daí.

 

Thor percebe sua confusão e começa a explicar no segundo seguinte. — Essa é a Emma. Ela é filha da sra. Natasha e do dr. Banner.

 

Loki inclina a cabeça um pouco para o lado e a analisa da cabeça aos pés. — Sim, eu vejo a semelhança. — comenta devagar. — Mas porque ela é tão… pequena?

 

— Os humanos pequenos são chamados de crianças, então quando eles crescem viram humanos adultos. Assim como eles. — diz apontando para ninguém em específico, mas se referindo ao resto do time.

 

— Entendo. — ele se vira para Thor com a testa franzida. — Mas eles costumam ser tão baixinhos assim?

 

Thor estende a mão para tampar a boca e sussurra em seu ouvido. — Acho que isso aí é culpa da Natasha mesmo.

 

— Ei! — resmungo, e Thor encolhe os ombros. Eu sei que sou pequena, mas não precisa ficar falando. Que falta de consideração.

 

— Desculpa, Nat. Mas não é como se ele estivesse mentindo. — Clin ri, pela primeira vez desde que Loki apareceu em sua vista. Fico feliz que ele esteja um pouco mais calmo e se divertindo, mas não as minhas custas.

 

— Cala boca, Barton! — falo séria, e o vejo desviar o olhar de meus olhos raivosos.

 

Sinto Emma puxar levemente a manga da minha jaqueta de couro e falar:

 

— Mamãe, esse é o homem dos chifres que você me disse? — pergunta olhando com o canto do olho para Loki, que continua a fitá-la intrigado.

 

— Esse mesmo. — respondo.

 

— Mas então… cade os chifres?

 

— Eu não tenho chifres de verdade, pequena humana. — ele responde antes que eu tenha a chance de fazê-lo. — Era apenas um capacete.

 

— Oh, entendi. — Emma olha para o chão por alguns segundos antes de levanta a cabeça com um sorriso. — Posso ver?!

 

Loki dá uma risada curta e então diz:

 

— Se isso é tão importante pra você…

 

— É sim! É sim!

 

Ele faz um de seus feitiços. Será que eu posso chamar assim? É quem faz feitiço é bruxa. Se bem que ele se veste como uma, então, continuando… ele faz um de seus feitiços e o capacete dourado aparece magicamente e sua mão.

 

Os olhos castanhos de Emma adquiriram o dobro do amanho, cheios de encanto e admiração. — Posso experimentar?! Por favor! Por favor!

 

Loki ergue o objeto em suas mãos e o coloca, muito mais delicadamente do que eu esperava, na cabeça da minha filha, escondendo os fios ruivos que estavam ali.

 

— É pesado. — Emma fala, não como uma reclamação, mas sim como um comentário aleatório.

 

— É porque ele não foi feito para uma cabeça tão pequena.

 

Era verdade, o capacete ficava muito grande em Emma. Que pena que deixei meu celular no quarto, ou já estaria tirando uma foto agora mesmo, mas ainda não estou confiante o suficiente para deixar minha filha sozinha com esse sujeito, não me importo se os outros Vingadores estão aqui também ou não. Ela é minha filha, e eu só estarei em paz quando estiver vendo de perto que ela está bem e segura.

 

— Então, sobre esse… “tour” — começa Sam, fazendo aspas com os dedos. — Por onde a gente começa? Alguma sugestão?… Qualquer uma?

 

— Eu gosto de sorvete. — Clint fala.

 

— Você quer que a gente leve ele… — Tony aponta para Loki. — …em uma sorveteria? — Barton apenas encolhe os ombros. — Nós não podemos deixar ele sair assim pela cidade!

 

— Mas esse não é exatamente o que um tour significa? Passear pela cidade. — digo, embora compartilhe das preocupações de Tony.

 

— Será que todo mundo enlouqueceu de vez?!

 

— Nós vamos garantir que ele não faça nada. — prometeu Steve. — Além disso, se fizer, tenho certeza que o nosso grande amigo verde vai gostar de bater um papo pra lembrar dos velhos tempos.

 

Os ombros de Loki ficaram tensos e seus olhos maiores, havia medo neles, e ele está certo em tê-lo. Não acho que seria capaz de sobreviver mais uma vez contra o Hulk, se bem que esse homem já morreu tantas vezes que eu to começando achar que é imortal.

 

Se bem que depois de tudo o que aconteceu nesses últimos anos, eu não duvido de mais nada.

 

— Eu acho uma ótima ideia! — Thor parece mais alegre do que deveria, mas quem vai julgá-lo por tentar? Eu só não gostaria de vê-lo magoado… de novo… pela mesma pessoa. — Afinal, minha parte favorita da Terra são as comidas!

 

— Eu também quero ir tomar sorvete! — disse Emma, mas em vez de correr para mim, ela foi em direção a Bruce. — Papai, por favor, vamos comer sorvete. Por favorzinho! — pediu fazendo olhinhos de cachorro, ela é esperta, sabe que Bruce não consegue dizer não para esses olhos. Não sei dizer se fico orgulhosa ou preocupada.

 

Bruce olha para mim e eu sorrio com pena, sabia que não conseguiria recusar um pedido desse, depois ele pega Emma no colo. — O que você quiser, amor. — Emma passou os braços ao redor do pescoço dele e foi beijar sua bochecha, mas por causa do capacete, que ainda repousava em sua cabeça, acabou por bater com o mesmo na testa de Bruce.

 

Ela retirou o objeto que cobria seus cachos ruivos e deu um beijo no local atingido no meio da testa de Bruce. — Desculpa, papai.

 

— Acho melhor nós irmos.

 

Nos levantamos, novamente, prontos para partir. Jurei que estava infartando quando vi Emma fazer a coisa mais inusitada possível, ela se desprendeu dos braços do pai e foi correndo em direção a Loki pegando na mão dele e dizendo:

 

— Eu vou com esse moço aqui. — e sorriu para o mesmo, que parecia tão confuso e assustado quanto o resto de nós.

 

— Filha, eu não sei se… — tentei protestar, mas fui interrompida por Thor que se pôs no outro lado de Loki e agarrou a mão ainda livre.

 

— Eu também vou com ele! — falou, sorrindo.

 

(…)

 

— Isso tem uma textura estranha. Eu preciso mesmo comer? — Loki resmunga enquanto faz uma cara de nojo cutucando o sorvete com a colherzinha. — E é… azul.

 

— Você também. — Thor estava ocupado demais devorando o seu próprio sorvete para olhar para o irmão enquanto respondia.

 

— Espera, desde quando ele é azul? — pergunta Tony, olhando o Laufeyson de cima para baixo.

 

— É uma longa história. — Loki suspira. Ele pega um pouco de sorvete com a colher e coloca na boca enquanto mantém os olhos fechados, qando eles se abrem novamente, os olhos claros expressam seu fascínio com o sabor doce em sua língua.

 

— Então você é tipo um avatar? — pergunta Clint, a colher pequena presa entre os lábios.

 

Loki não se importou em responder, muito menos em pergunto que eles estavam falando, apenas continuou colocando o máximo de sorvete em sua boca.

 

— Alguém gostou mesmo de sorvete. — falo divertida enquanto vejo o Deus da Mentira se maravilhar com a mistura gelada.

 

— Eu sabia que era uma boa ideia! — disse Thor, o sorvete em suas mãos já havia desaparecido.

 

— Por essa ninguém esperava. — comenta Sam.

 

Nós estamos caminhando pelas ruas de Nova York e, por sorte, ninguém nos reconheceu ainda. Espero que continue assim. Olho para Emma, que para o meu descontentamento insiste em andar perto de Loki, e me aproximo dela.

 

— Gostou do seu sorvete de morango, filha?

 

Ela balança a cabeça, a boca cheia demais para que as palavras pudessem sair. Satisfeita com a resposta, volto para trás novamente e fico ao lado de Bruce, apoio minha cabeça em seu ombro esquerdo e prendo nossos dedos juntos.

 

— Por que será que ela quer ficar perto dele? — ele sussurra em meu ouvido.

 

— Porque ela é teimosa. — respondo no mesmo tom.

 

— Pois é, quem será que ela puxou? — levanto um pouco a cabeça para olhá-lo e encontro um sorriso travesso em seus lábios, eu bufo divertida:

 

— Idiota. — costumo falar isso várias vezes, mas ele sabe que quero dizer com carinho. Bruce beija minha testa e continuamos andando.

 

(…)

 

Esse passeio tem sido estranhamente… agradável. Porém o fato de ter Emma tão próxima a Loki ainda me incomoda, mas o homem não parece sentir o mesmo que eu, na verdade ele parece mais intrigado, e talvez um pouco confuso, do que qualquer outra coisa.

 

O moreno olha para baixo e pergunta com uma expressão ilegível no rosto:

 

— Por que você está fazendo isso?

 

Emma levanta a cabeça e o olha confusa. — Fazendo o quê?

 

Loki ergue as mãos, ainda juntas, e então a criança entende o que quer dizer. — Isso.

 

Ela aponta para Thor do outro lado. — Ele também está fazendo.

 

— É porque ele é irritante, não posso fazer nada sobre isso. — responde com uma carranca e olhando rapidamente pelo canto de olho para Thor, que permanece alheio.

 

— Meus pais sempre dizem que quando eu estiver andando fora de casa, tenho que ficar de mãos dadas com um adulto. — explica a garota.

 

— E porque esse adulto tem que ser eu?

 

Emma da de ombros. — Eu gosto de você. — responde simplesmente e então volta a olhar para frente.

 

Loki continua a olhando por alguns instantes, não completamente satisfeito com a resposta, mas não faz mais nenhuma indagação.

 

— E você também é velho.

 

— Eu não sou velho! — ele rebate.

 

— Irmão. — chama Thor, se intrometendo na conversa. — Você é velho.

 

— Não mais que você!

 

— Idade é só um número. Eu me sinto como se ainda tivesse nos meus 850 anos.

 

— E quanto a mim?! Porque eu sou o velho?!

 

— Você fala que nem um velho. Resmunga que nem um velho. Se veste que nem um velho. Preciso continuar?

 

— Eu só vou ignorar você. — responde Loki virando a cara para Thor, que começa a cutucar sua bochecha com o dedo indicador enquanto fala repetidas vezes:

 

— Irmão. Irmão. Irmão.

 

— Isso é tão estranho… — comenta Sam para ninguém em particular.

 

— Nem me fala. — Clint responde com a sobrancelha levantada, mas ainda olhando para os dois “irmãos” mais a frente.

 

— Tem certeza que eles são Deuses? — Tony pergunta.

 

Steve balança a cabeça e responde, as palavras saindo lentamente de sua boca. — Eu não tenho certeza de mais nada a muito tempo.

 

Tony virou-se para o loiro prestes a falar alguma coisa, provavelmente algum comentário sarcástico, mas parou no meio do ato. Seus olhos castanhos dobraram de tamanho quando ele avistou uma vitrine específica pela qual passaram. — Bruce! — ele gritou, prolongado o som do “e”.

 

Bruce quase pulou para fora de sua pele, o movimento repentino fazendo minha cabeça, que ainda estava em seu ombro, perder o apoio. — Não me assusta desse jeito! O que foi?!

 

Stark aponta para a vitrine com olhos maravilhados. — Tem um smoking verde bem ali!

 

Bruce vira a cabeça para a direção indicada, rapidamente olha para o engenheiro e trata de falar:

 

— Não, Tony. Eu não estou…

 

— Você tem que experimentar! — ele o interrompe. Stark pega a mão de Bruce e o arrasta para dentro da loja, fazendo-nos parar para segui-los.

 

(…)

 

— Eu não acredito nisso. — Banner suspira saindo do provador, agora vestindo o traje que Tony elegeu.

 

O smoking facilitava o vislumbre de suas curvas, a calça principalmente. — Ficou melhor do que eu esperava. — falei admirando a visão em minha frente. Apesar de a cor ser um pouco incomum, o visual tinha ficado bem em Bruce, não é sempre que ele usa esse tipo de traje formal, então agora é o momento de aproveitar enquanto ainda está acontecendo.

 

— Dá uma voltinha. — diz Clint, divertido. Tenho que agradecê-lo por isso mais tarde, porque uau, essa calça fez muito bem pra bunda dele.

 

— Mas que bunda. — elogiou Sam, as bochechas do cientista ficaram vermelhas, a cor se estendendo até as orelhas. — Será que você me permite olhar? — ele pergunta a mim.

 

— Claro. Privar alguém dessa visão seria muita maldade.

 

— Dá pra vocês pararem de falar da minha bunda… — resmunga Bruce, envergonhado em ser a atração principal e o alvo do divertimento da equipe.

 

— É uma bela bunda. — fala Loki, todos nós ficamos em silêncio, pegos de surpresa com o comentário repentino, mas isso não dura muito, um segundo depois várias gargalhadas soam pela loja atraindo olhares curiosos de outras pessoas presentes no local.

 

— Se você recebeu o elogio de um deus é porque o negócio é sério. — brinquei.

 

— Nós vamos levar! — disse Tony, que saiu correndo para o caixa sem dar a chance de Bruce protestar mais do que ele já havia feito nesses poucos minutos.

 

— Tudo bem, pessoal. — disse Steve tentando diminuir o riso de sua voz. — Acho que já está na hora de voltarmos.

 

— Ah, nós precisamos mesmo?! — perguntou Emma fazendo beicinho.

 

— Sim, precisamos, pequena. — ele respondeu sorrindo gentilmente para a criança, mas, ainda sim, mantendo seu tom firme sem dar espaço para discussões.

 

(…)

 

— Vocês não podem ficar só mais um pouquinho? — Emma pergunta enquanto continua agarrada em Loki.

 

Thor se ajoelha e beija sua testa. — Eu prometo que voltamos mais cedo da próxima vez.

 

Ela assente e olha para Loki. — Você também vai voltar, tio Loki?

 

Laufeyson a olha surpreso enquanto repete. — Tio?!

 

Thor é rápido em responder:

 

— Com toda a certeza! Nós dois vamos vir para mais visitas. — fica de pé novamente e passa o braço pelos ombros do irmão.

 

Emma fica na ponta dos pés e puxa o rosto de Loki para o seu nível, dando um beijo na bochecha pálida do mesmo que, estranhamente, depois do ato adquire um tom rosado. — Voltem logo.

 

Ela solta uma risadinha e volta correndo para perto de mim, se agarrando em minha cintura.

 

— Acho que é isso amigos! Prometo que vou voltar e trazer muitos presentes! — diz Thor com seu típico sorriso cheio de dentes.

 

— Olha que eu cobro. — fala Clint em um tom acusatório e apontando para o loiro, mas o sorriso em seus lábios era de divertimento.

 

Uma luz brilhante caiu sobre os dois irmãos e em poucos segundos eles estavam fora de vista.

 

Talvez algumas visitas de vez em quando não sejam uma má ideia.

 

 

 

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...