1. Spirit Fanfics >
  2. Somente MEU Yandere >
  3. Protetora? Ela? Imagina

História Somente MEU Yandere - Capítulo 11


Escrita por:


Capítulo 11 - Protetora? Ela? Imagina


O sinal já havia tocado e os alunos já saiam de suas salas em busca de suas casas, estava um dia quente então era perfeito para ligar o ventilador, chamar os amigos e jogar algum jogo como Minecraft ou GTA e gravar tudo somente para postar mais tarde em algum site.


Esses eram os planos de André.


No dia estava bem animadinho, queria fazer diversas coisas naquele dia, começando de chamar os amigos para jogar e talvez até fazer uma live no Facebook como sempre faz. 


Já estava indo em caminho da saída da escola, somente esperando Tawan para prosseguir o caminho. O peruano disse que estava com vontade de “tirar água do joelho”, então disse que iria no banheiro, André só concordou e falou que o esperaria do lado de fora.


Escorado na parede, mexendo em seu celular, ao amigo esperar, era como MeiaUm estava naquele momento. Toda hora olhava para a porta do sanitário masculino para ver se Tawo já havia saído, o que não acontecia.


Estava de certa forma preocupado, por que Anci estava demorando tanto? Era algo? Ou… alguém? 


Por mais que não tenha visto ninguém entrando no banheiro, não é impossível que alguém esteja lá com Tawan. O que irritou Felipe.


Mas espera, ele está no banheiro masculino, não tem com o que se preocupar, certo? Errado! Tawan era Pansexual, ou seja, gostava dos dois gêneros igualmente, então se alguém estivesse lá dentro com ele, podia muito bem “roubar” DaLua de si.


Pensou em entrar lá e acabar com a possível festa que nem sabia se existia, mas antes mesmo de entrar lá, tentou pensar em tudo que daria errado, tudo que poderia dar errado… e, nada mesmo, poderia ir sem preocupações.


— Parado aí menino esquisito de boné rosa! — Ouviu uma voz feminina o gritar quando finalmente iria adentrar o sanitário. Virou para a direção da voz e reconheceu a dona, a mesma menina que esbarrou nele e em sua irmã antes das aulas de propósito, se bem se lembrava seu nome era Kamily.


— O que você quer? — Simples e grosseiro, só queria chamar Tawan para ir embora daquele lugar.


— Você é amigo daquele Peruano né? 


— Tá falando do Tawan? — Nem para saber o nome do menino ela sabe, como quer puxar assunto sobre ele?


— Esse mesmo! — Estalou os dedos. — Enfim, você sabe onde o Tawan tá? — Continuou com a elegância da última vez, só que agora era mais… envergonhada?


— Por que quer saber? 


— Isso não é da sua conta, cabelo de vassoura, só me conta onde o Tawan tá! — Disse irritada, só queria achar Anci e conversar com ele, mas André não ajudaria com toda certeza.


— Você acha mesmo que ele vai querer falar com você? — Questionou, como se estivesse ganhando.


— Óbvio que vai! Primeiramente eu sou incrível! TODOS querem falar comigo. — Deu ênfase no todos. — Segundamente, se ele tem coragem e paciência para conversar com VOCÊ, e óbvio que ele vai conversar comigo. — Dessa vez, deu ênfase para o você. — Talvez eu consiga o “resgatar” de você. — Fez os sinais de aspas com as mãos, sorrindo debochada. — Quero dizer, você é feio dos cabelos aos pés, chato, brega e ainda mal educado, com toda certeza e um milhão de vezes melhor conversar comigo que você. — Disse como se contasse com os dedos todos os defeitos de MeiaUm, por mais de nem ter tantos. Kamily só queria vantagens sobre ele… e pelo visto estava conseguindo. — Agora… se você não for me ajudar, eu acho o Tawan sozinha. 


Saiu balançando os cabelos, deixando um Pinheiro bem confuso para trás. André nunca se motivou muito pelas palavras dos outros - somente a de amigos. - não importava tanto e nem ligava para isso, aparência nunca foi algo que priorizava, nem seu estilo de roupa, mas por algum motivo, as palavras de Kamily mexerem com Felipe de um jeito surpreendente! - talvez tenha sido porque Kamily envolveu Tawo na conversa. -


— Oi, voltei, desculpa a demo- — Tawan havia - finalmente - saído do banheiro, vendo MeiaUm parado olhando para o nada com expressão de dúvida é tristeza. — André, tá tudo bem? 


— T-To, vam’ bora’ logo! — Sorriu fraco começando a andar em direção a saída. 


— Tem certeza? — Começou a seguir o pequeno que andava de cabeça baixa. 


— Tenho sim! 


Será que a arroxeada tinha razão? Será que ele era mesmo feio e brega? Ele realmente era chato? Perguntas que deixaram SixtyOne confuso e triste ao mesmo tempo, além de raiva a si mesmo. Era tão idiota que nem percebeu esses detalhes? Se isso for realmente verdade… ele não teria mesmo nenhuma chance com Tawan? 


Refletia durante o caminho, que foi silencioso e perturbador. Logo chegaram à entrada da escola, encontrando com amigos e irmãos, se despediram e cada um seguiu seu rumo. Os irmãos de boné rosa continuaram caminho a casa, por mais que estava muito silencioso naquele dia. Nenhuma fofoca vinda de André, nenhuma reclamação de ciúmes, nenhuma declaração de amor a Tawan… nada.


— Mano… você tá bem? Tá tão quietinho. — Olhou para o irmão que focava o chão.


— T-To bem sim. — Sorriu falsademente, voltando a fitar o chão.


Não sabia o que tinha acontecido com o de boné, mais iria descobrir! E a pessoa e/ou objeto que fez isso iria se ver com Andréia. 


Protetora? Ela? Imagina.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...