História Somente Minha - Capítulo 37


Escrita por:

Postado
Categorias The Seven Deadly Sins (Nanatsu no Taizai)
Personagens Arthur Pendragon, Ban, Diane, Elaine, Elizabeth Liones, Escanor, Gilthunder, Griamor, Guila, Hauser, Hawk, Helbram, Hendriksen, Jericho, King, Liz, Margaret, Meliodas, Merlin, Veronica, Vivian
Tags Melizabeth
Visualizações 173
Palavras 1.425
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Fantasia, Hentai, Luta, Magia, Romance e Novela, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Spoilers, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


BOA LEITURA <3

Capítulo 37 - Pesadelo Parte 3final desespero e Ira


Fanfic / Fanfiction Somente Minha - Capítulo 37 - Pesadelo Parte 3final desespero e Ira

 

_ELIZABETH ON_

 

As horas passaram voando, eu tentava de todo jeito acordar, mas ao que tudo indicava não era um sonho. a noite chegou e eu comecei a ficar ansiosa, logo depois de tomar o chá com a marta e ela me contar sobre a lenda do demônio novamente, eu sai de casa apressada. caminhei como se estivesse correndo, eu queria entender oque estava acontecendo

 

Elizabeth - ai -acabei quase atropelando alguém - me desculpe eu não olhei por on-- -senti lágrimas escorrendo pelo meu rosto

 

Meliodas - sem problemas, não precisa chorar 

 

Elizabeth - Meliodas??MELIODAS -pulei e o abracei tão forte que nem eu mesma consegui respirar

 

Meliodas - desculpe-me mas..nos conhecemos?

 

Elizabeth - hein? -meu coração quebrou em mil pedaços, tudo oque eu passei nos últimos meses, foi tudo um sonho afinal? - n-não....devo ter te confundido....me desculpa -falei baixo e me afastando

 

No final ele perguntou o meu nome, depois disso me apagou. quando acordei eu estava em seu castelo, tudo estava acontecendo exatamente igual ao...meu sonho....nos divertimos brincando de guerra de comida, fazia tempo que eu não sorria assim.

No meio das risadas a cena muda totalmente, era um completo caos, pessoas mortas no chão, outras lutando, outras fugindo. passei a vagar sem rumo, não estava entendendo nada, quando avisto a pior cena possível...meliodas no chão sangrando, imóvel.....sem vida.

 

Elizabeth - i-isso não esta acontecendo -me aproximei do seu corpo - mely isso não tem graça, vamos pare de me fazer de boba -me ajoelhei ao seu lado e passei minha mão por sua bochecha - pare de brincar meliodas -falei chorando, peguei o seu corpo e o abracei - AAAAAAAAHHHHHHH -gritei forte

 

 

Meliodas - Por quê você ta gritando elizabeth - me assustei ao ouvir sua voz atrás de mim, olhei meus braços e seu corpo não estava mais lá - você esta bem? você esta pálida -colocou a mão no meu rosto

 

Agora entendo oque esta acontecendo, isso é outra tortura do ryudoshel para mim, aquele desgraçado maldito

 

FORA DA MENTE DA ELIZABETH

 

Ryudoshel - uma magia infernal, uma magia que nos faz ver os dias mais tranquilos com a nossa pessoa amada e a despedida cruel, tão interessante -falava enquanto olhava para a elizabeth que chorava e parecia sentir dor, mas um tipo diferente de dor, a pior das dores - devo agradecer a zanelli depois por me ensinar essa magia

 

 

COM MELIODAS

 

 

Já procuramos a floresta dos sonhos brancos inteira, gowther falou que talvez ele já tivesse fugido, 2 semanas e eu mau consigo respirar ou andar, sem a elie aqui eu sentia um vazio insuportável, procuramos por quase o reino todo, desde de liones até vaizel, mas nada deles

 

King - capitão eu tenho uma ideia 

 

Meliodas - diga -falei desanimado

 

King - a um lugar que quase ninguém vai, chama-se necrópole, acho que eles podem estar escondidos lá

 

Meliodas - vamos lá então 

 

Fomos para lá, perguntamos para duas crianças sobre a cidade e elas falaram que a verdadeira necrópole era quase impossível de chegar, falaram *lembranças compartilhadas com quem já se foi ajuda a você ir para lá*, perdi as esperanças e vaguei pelo lugar em busca de alguma coisa para me embebedar. Nesse caminho eu acabei passando por uma casa e senti algo forte, era como um sexto sentido, eu podia sentir que a elizabeth estava ali, chegava a ser maluco oque eu estava pensando, mas não me importo.

Conferi se a porta estava aberta, estava então entrei, a casa era completamente diferente por dentro, do lado de fora parece uma casa velha caindo aos pedaços, e por dentro era equivalente a casa de um rei. andei pelos corredores até chegar numa porta branca, podia sentir que a elizabeth estava cada vez mais perto, abri a porta lentamente

 

Uma mistura de raiva e alívio me preencheu, eu vi elizabeth no chão toda machucada e com sangue para todo lado, eu apenas corri para abraça-la , no momento em que a abraço eu pude sentir o quão gelada ela estava, ela tremia e parecia estar em um tipo de transe por parecia que estava sonhando mas sofria no sonho

 

Meliodas - ELIZABETH - a sacudi - ELIZABETH SOU EU, ACORDA

 

Ela não me respondeu, olhei para todos os lados e avistei um papel com algumas anotações, o peguei sem deixar de abraçar a elie, havia instruções no mesmo sobre alguma magia, li a última parte que dizia como parar a magia

 

Meliodas - maneza -falei colocando meu dedo em sua testa

 

Elizabeth -  hein....meliodas?

 

Meliodas - Elie -sorri e a abracei mais forte ainda, ela gemeu um pouco de dor, eu diminui a força do abraço 

 

Elizabeth - É você mesmo? -falou fraca

 

Meliodas - sou, sou eu meu amor -falei deixando algumas lágrimas caindo

 

Elizabeth - Isso é outro tipo de tortura ryudoshel? -falou com certa raiva

 

Meliodas - elizabeth sou eu -olhei em seus olhos - sou eu -falei pausadamente

 

Elizabeth - meliodas....nem acredito -começou a chorar e me abraçou

 

Meliodas - agora vai ficar tudo bem, eu prometo -fiz carinho nela para acalma-la

 

Ouvimos um barulho de porta fechando, ela tremeu como se estivesse com trauma de algo

 

Elizabeth - não não não, eu não vou aguentar ser estuprada de novo -falou desesperada

 

 

Aquilo foi o suficiente para fazer meu lado demoníaco me dominar

 

 

Meliodas - elizabeth me escuta, nada mais vai acontecer com você, mas eu preciso que faça algo para mim 

 

Elizabeth - oque?

 

Meliodas - Preciso que feche os olhos e não os abra até eu mandar, entendeu? - falei já claramente irritado

 

Elizabeth - e-entendi -ela diz e os fechou

 

A deitei de costas e deixei um beijo em sua testa, me levantei e ativei meu modo assalto, sentei na cama e esperei. depois de 4 minutos a porta é aberta

 

Ryudoshel - Meu amor, pronta para mais uma sessão de purificação? -ele então me viu, pareceu que iria sacar a sua espada mas antes que fizesse isso eu corto os seus dedos e arranco um grito do mesmo -IMUNDO , SEU VERME DESPR- comecei a enforca-lo

 

Meliodas - Cala a boca seu desgraçado, vou te ensinar oque acontece quando mexem com oque é meu -falei o joguei no chão - Elizabeth

 

Elizabeth - o-oi?

 

Meliodas - tampe os ouvidos -ordenei e ela fez

 

Ele tentou voar, porém eu pego suas asas e as quebro, assim que ele cai no chão eu pego seus cabelos em um rabo de cavalo, em um único movimento eu puxo e arranco todos os fios de sua cabeça que começa a sangrar por milhares de buraquinhos, os gritos dele me faziam sorrir e sentir um prazer inimaginável, era um prazer diferente do sexo, mas era tão prazeroso quanto. bem lentamente eu fui arrancando algumas penas das assas dele, só pra depois arranca-las por inteiro bem lentamente, já sem assas eu peguei sua cabeça e fiz ele levantar seu olhar para mim

 

Meliodas - pessoas como você deveriam queimar no inferno - falei em tom de ódio e arranquei seu olho esquerdo e o joguei longe - não morra ainda

 

Falei e depois saquei a minha espada, fui cortando a sua carne até chegar no ponto onde eu queria, em um movimento preciso porém lento, eu cortei o seu pau por cima na calça, não queria ver ele nu ou arrancaria meus próprios olhos. Ele gritava tanto que meus ouvidos começaram a doer

 

Meliodas - que irritante -falei e cortei a sua língua 

 

Depois de arrancar seus braços e pernas, eu iria brincar com ele um pouco a mais

 

Meliodas - eu sempre quis saber se mesmo com a mandíbula arrancada a pessoa ainda vive -falei colocando minha espada entre a abertura de sua boca - vou descobrir - fui rasgando as laterais de sua boca, e depois sem paciência eu acelerei o processo e arranquei a mandíbula dele - olha só, você ainda ta vivo

 

Pisei no seu peitoral e passei a espada pelo mesmo o abrindo ate o umbigo, achei que me divertiria mais um pouco mais ele já estava nas últimas

 

Meliodas - diga ao meu pai que mandei um "oi" - falei e arranquei o seu coração 

 

 

Me virei e vi que a elizabeth ainda estava de olhos fechados e tampava os ouvidos, a toquei e antes dela gritar eu a beijei, ela pareceu reconhecer que era eu e aceitou o carinho, nos separamos e eu a peguei nos braços

 

Meliodas - acabou - falei saindo do local

 

 

CONTINUA~~

 

 

 

 

 

 


Notas Finais


Mila - foi sentar no colo do pai do meliodas


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...