História Someone to my someone - Capítulo 19


Escrita por:

Postado
Categorias Wanna One
Visualizações 22
Palavras 2.296
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 19 - Redimir


Lucas não aguentava mais, cada vez que via a irmã era isso, só sabiam gritar, brigar, e a dor era exposta de novo. Não aguentava mais a gritaria, as lágrimas pelo rosto bonito da irmã, de ver os olhos dela se tornarem vermelhos pelas lágrimas, dos soluços e da decepção e dor estarem estampados nos olhos dela.

Ficou parado ali, no meio daquele estacionamento, vendo o carro branco sair, Naomi no banco do passageiro, se apoiando emocionalmente em Seongwu. Lucas sentia suas lágrimas descerem pelo seu rosto, seus cabelos faziam cócegas em sua bochecha, ele parecia hipnotizado, era sempre assim que Naomi ia embora. Sempre doloroso, sempre em câmera lenta. Depois que o carro não pode mais ser visto ele tirou os cabelos do rosto e limpou as lágrimas.

Andava pelos corredores com seu andar arrogante, semblante fechado. A dor em seu coração o sufocava, o arrependimento batia nele como um profissional, sabia que aquilo era contra tudo o que seu empresário disse que era para ele fazer, mas não podia mais ir adiante com aquela carreira, afinal a carreira dele havia custado sua família e apesar de amar estar no palcos Lucas amava ainda mais a irmã e o pai que o criou. Ele queria voltar a morar com eles, numa casa cheia, com a mesa com risadas durante do café, queria noites no jardim conversando com a irmã, queria ver o amanhecer e trazer o meio irmão, filho de sua madrasta, para as tradições que ele tinha com Naomi, queria os aniversários, as festas, as noites em boates, dias de compras e principalmente alguém pra quem voltar porém um alguém que o amasse por ele ser ele mesmo.

Entrou naquela sala de novo, Jisung dava a entrevista sozinho, visivelmente desconfortável com aquela situação toda, afinal ele sabia o motivo pelo qual os irmãos saíram correndo daquela entrevista. Lucas colocou a mão no ombro dele e voltou a se sentar na cadeira, segurou o microfone e respirou fundo, não pensou se precisava mesmo falar aquilo, tinha certeza do que estava para fazer, soltou o ar lentamente e olhou para as câmeras.

-Eu vou fazer uma declaração e iremos terminar por aqui.-Ele disse e de repente tudo o que podia ser escutado era o som dos flashs.

-Ele não vai fazer isso.- Letícia sussurrou.- Ele não vai jogar tudo pro alto...

Todos estavam apreensivos, menos Lucas, de certa forma ele estava feliz.

-Eu e Naomi... Nós éramos os irmãos modelo, falo a verdade quando digo isso e sem medo, porque de fato nós éramos. Naomi vivia por mim, ela fazia minha comida, limpava a casa, cuidava das minhas crises alérgicas e ela é a única que sabe tudo sobre mim. Meus dois primeiros álbuns foram compostos e produzidos por Naomi porém como ela nunca quis estar envolvida na mídia, usou meu nome para se esconder, isso tudo com a minha permissão. Se eu sou famoso foi porque meu talento, a Naomi e esse talento imenso que o Jisung comentou que ela tem foi dado por Deus.- Ele deu uma pausa e secou as lágrimas e olhou pra cima tentando não chorar.- Ela é a melhor irmã que eu podia ter mas eu não fui o melhor irmão pra Nana. Agora que eu paro pra pensar, eu falhei apenas por ser cego demais em relação a duas pessoas da minha vida, eu tomei a decisão errada como se eu não conhecesse minha irmã. Como vocês sabem o casamento dos nossos pais foi bem conturbado, então a única coisa estável em nossas vidas era nossa relação de irmãos e eu estraguei isso. Naomi fez tanto por mim e eu falhei com ela.- E de novo mais lágrimas banhavam seu rosto.- Eu falhei em protegê-la, em cuidar dela, em aguentar toda essa situação dos nossos pais, eu falhei miseravelmente como irmão mais velho porque eu fui egoísta demais pensando somente em mim. Eu a magoei muito e por isso sinto que perdi minha irmã. Por isso eu venho aqui, publicamente, pedir desculpas e dizer que eu vou me aposentar, eu não mereço estar num palco, sabendo que eu usei do talento dela sem pedir. Me perdoa, Nana, por ser um irmão tão ruim. Amo tu.- Ele terminou com a voz embargada.

Flashs em excesso, jornalistas querendo saber mais, e os amigos de Naomi estavam perplexos demais.

-Vamos sair daqui.- Letícia disse.

-O que vamos fazer?- Minhyun perguntou.

-Avisa ao Ong e peça para que ele garanta que Naomi não vá mexer na internet hoje.- Letícia disse ainda atordoada.- Ele disse que sairia com ela, pra relaxar e essas coisas. Ela não pode saber, não sabemos o que a empresa responsável pelo Lucas vai fazer. Se for pra mídia, a gente conta pra ela pela manhã, se a notícia sair só vai sair a noite ou pela manhã no jornal. Vamos pra casa.

 

No dia seguinte

 

Naomi chegou de madrugada com Ong, tomou banho e fez ramen para os dois enquanto ele tomava banho. Comeram e foram para o quarto, Naomi se ajeitou na cama ao lado de Letícia e Ong no colchão ao lado de Daniel, agora o Wanna One por qualquer motivo ia dormir na casa de Naomi, ela nem estranhava mais quando Jihoon ligava pedindo para ela voltar rápido pra casa porque eles estavam com fome.

Enquanto Naomi dormia, o Wanna One olhava para a notícia no tablet, Ong estava perplexo, Lucas havia contado a verdade ao mundo inteiro e estava tomando hate. Precisavam fazer alguma coisa, precisavam estar prontos para qualquer reação possível de Naomi, Ong foi buscar o carro, ele já estava no caminho de volta quando Naomi acordou com um ronquinho perto de si, era Oinkinho a chamando. Ela se sentou na cama e fez carinho no porco, precisava se levantar, tomar banho, se arrumar e tomar café, mas tudo o que ela fez foi se espreguiçar e deitar de novo, mas logo levantou quando ouviu mais um ronquinho. Riu, e pegou suas coisas no armário, e foi para o banheiro.

-Ela acordou.- Letícia disse e sentiu o coração bater mais rápido.- Seguinte,- Ela fez uma pausa.- seja o que Deus quiser.

-Eu achei que você tinha um plano!- Jaehwan disse.

-O plano é deixar o baile seguir, seguir o flow, ir com a correnteza.- Letícia dizia nervosa.

-Vamos relaxar,- Jinyoung abraçou Letícia, tentando acalmá-la.- vamos apenas terminar de fazer o café. Daehwi, você coloca comida pro Oinkinho?

Eles foram fazer o que Jiyoung disse, enquanto Naomi ainda tomava banho. Depois de pelo menos 40 minutos Naomi saiu do banheiro já com os cabelos arrumados e a maquiagem posta, ela se assustou ao ver a mesa do café posta, afinal, era sempre ela que fazia.

-Noona, bom dia!- Daehwi sorriu largo pra ela.

-Bom dia, meu bebê. Cadê Seongwu oppa?-Perguntou estranhando não vendo Seongwu por ali.

-Ele saiu pra buscar o carro. Está com fome? Porque eu to com muita fome, estávamos esperando você.

-Então vamos comer. Obrigada pela comida!- Ela disse e todos repetiram. Comiam tranquilos, com risadas, era como se fosse uma manhã normal. – Oppa! Você chegou.- Ela disse para Ong.- Por que foi buscar o carro agora cedo?

-Pra ir no mercado.- Ong respondeu e todos ficaram com cara interrogativa, na mente de Letícia se passava um “Sério, Ong?”.- Você sempre vai no mercado, e eu dei uma olhada hoje de manhã e os legumes do Oinkinho, eles estavam acabando. Você vai deixar ele com fome?- Então Letícia olhou para ele como se dissesse “Genial”.

-Você me conhece tão bem. Cadê meu tablet? Não lembro onde deixei.- Naomi disse olhando por ali, e Letícia só conseguia pensar o quão fodida a situação ficaria.-Guanlin, meu gigante querido, você pode me emprestar o seu?

-C-Claro, noona.- Ele lentamente entregou a ela o Tablet.

-Obrigada, querido.

Naomi comia tranquila enquanto lia algumas notícias mas uma chamou a atenção. “Irmãos Montemor, meias verdades foram reveladas”, por pura curiosidade, Naomi clicou no link e começou a ler a matéria, pouco a pouco ia parando de comer, sentindo seu coração acelerar, quando terminou de ler a declaração de Lucas, ela largou os hashis na mesa e se levantou, descendo as escadas.

-Merda!- Letícia disse e se levantou para ir atrás dela.- Naomi! Naomi, pra onde você vai?

-Eu preciso achar o Lucas.- Ela disse colocando a jaqueta.- Seongwu!- Ela o chamou.- Preciso de você.

-E vai fazer o que, Naomi?- Letícia perguntou.

-Eu ainda não pensei nessa parte mas eu preciso achar meu irmão. Seongwu Oppa!

-Eu não vou dirigir pra você. Olha só o que ele fez pra você! Deixa ele arcar com as consequências.

-Ele é um irmão de merda mas é meu irmão de merda! E se você não quer dirigir pra mim, eu vou de taxi, de ônibus, a pé, rolando, mas eu vou de qualquer jeito!- Ela bateu a porta.

-Vamos,- Jisung disse pegando a chave do carro e dando pra Ong.- da última vez ela quebrou o nariz dele, então eu não duvido de mais nada. Vamos, Letícia, precisamos que você traduza a treta toda, porque ou eles falam em inglês ou falam em português. Fiquem aqui,- Disse para os meninos do Wanna one.- mas alguém vai comprar os legumes do Oinkinho, o porco não merece sofrer.- Os 3 desceram as escadas, e enquanto Ong ia tirar o carro da garagem, Jisung gritou Naomi.- NAOMI, VOLTA AQUI, NÃO ME FAÇA CORRER ATRAS DE VOCÊ!

Naomi voltou e o desespero era claro nos olhos dela, entraram no carro e ela olhou para Ong pelo retrovisor.

-Ele ta no meu pai.

E então Ong deu a partida e dirigiu o mais rápido que o limite de velocidade nas ruas permitia.

 

No saguão daquele prédio uma mulher de longo cabelos negros muito bem presos num penteado que geralmente aparece em filmes onde as executivas iam em reuniões, estava tentando se comunicar com o porteiro, que tinha um inglês precário. Ela tinha uma mala preta grande ao seu lado, e após muito tentarem ela recebeu a liberação para subir e  se encaminhou para o elevador.

O som do salto alto dela era estridente, quem em sã consciência saia de um voo longo e usava salto alto e saia lápis? Claire Jones usava, a mulher incrivelmente chique saiu do elevador no andar do ex marido, andando com calma até a porta de madeira, tocou a campainha, quando a porta foi aberta pelo ex marido deixou a mala no corredor e entrou na casa, sem ao menos tirar os saltos.

-Claire, será que dá pra você os chinelos?- Otávio pediu.

-Eu não pretendo demorar muito. Onde está Lucas?

-Mãe?- O mesmo surgiu na sala tomando iogurte.- O que faz aqui?

-Vim te buscar, você já veio aqui, falou com sua irmã e ora veja só, até teve que operar o nariz? Sua irmã sempre foi um problema.- Disse suspirando e negando com a cabeça.

-Se for pra falar assim da minha filha, recomendo que vá embora.-Otávio disse.

-Não pretendo ir embora, mãe.- Lucas disse se sentando no sofá.- Eu to pensando em ficar aqui, mesmo que Naomi não me perdoe, fazer faculdade aqui e etc.

-Lucas Montemor! Pra casa! Vai largar tudo por uma adolescente problemática que só sabe fazer merda?

-Mais uma palavra da minha enteada e eu ponho você daqui pra fora.- A madrasta dos irmãos Montemor apareceu na sala.- Você está na minha casa, arranhando meu chão e eu não disse nada, age como se a casa fosse sua e ainda fala mal de uma menina que tem mais educação que você. Naomi ajudou meu filho quando ele precisou e Lucas não é nenhum santo, ele fica enquanto ele quiser ficar.

-Finalmente, Otávio. Alguém tão boa quanto eu. E onde está a probleminha? Soube que ela não mora com você.

-Não, Naomi tem a vida dela e não precisa de você a importunando. Se você quer resolver a carreira do Lucas, é uma coisa, mas não meta Naomi nisso.

-Carreira do Lucas? A carreira dele irá continuar, Naomi não é necessária.

-Mãe, não tem mais carreira. Já anunciei minha aposentadoria ontem na coletiva.

-Lucas Montemor!- Ela o pegou pelo braço.- Vai jogar tudo fora por causa da Naomi? Tudo o que ela faz é causar problemas!

-Para de falar como se você se importasse comigo! Você quer o dinheiro que eu ganho porque só assim Derek transa contigo, ele te usa, mãe!

-Lucas, por favor, vamos para a Inglaterra. Mamãe concerta isso tudo, foi por impulso, não foi?

-Mãe, com ou sem o perdão da Naomi, eu não quero fazer isso pelo resto da vida. Aceita.

E foi nesse momento que Naomi entrou pelo apartamento junto de Letícia, Jisung e Ong.

-Lucas?- Ela o chamou e então ela olhou para mãe.- Mãe? O que você ta fazendo aqui?

-Vim buscar teu irmão.

-Lucas, -Ela passou pela mãe sem ao menos olhar pra ela, ignorando totalmente a mulher ali.- o que você fez?

-O que era preciso, Nana. Eu quero mudar de vida.

-Contando pra todo mundo, pelas entre linhas, que você me roubou? Ta louco?

-É tão ruim assim, Nana? Todo mundo saber quem o ídolo deles é de verdade?

-Lucas... Você não precisava ter feito isso.

-Mas ele fez.- Naomi foi pega pelo braço pela mãe.- E a culpa é sua!

Naomi viu a mão da mãe se erguer, fechou os olhos e se encolheu, esperou pelo estalo, esse que veio mas sem dor alguma então devagar Naomi abriu os olhos vendo um monte de cabelos lisos em sua frente, era Lucas. Sentiu o seu braço ser solto e ouviu um “Oh” assustado acompanhado de passos para trás que eram ensurdecedores devido o contato do salto com a madeira.

-Meu filho, me perdoe...

-Eu avisei que você nunca mais tocaria na minha irmã. 


Notas Finais


Espero que tenham gostado, um beijo, fiquem com Deus e até o próximo cap.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...