1. Spirit Fanfics >
  2. Someone You Loved ; Bakukiri >
  3. Dois

História Someone You Loved ; Bakukiri - Capítulo 2


Escrita por:


Notas do Autor


Oe, oe, oe.. Como estão? Espero que bem e se a resposta for não, espero que melhore logo. :)

• A história começa com Yuri mas sofre alterações ao longo dos capítulos!

• Alguns dos personagens vão aparecer com o gênero oposto ao original e um nome diferente!

• Se você não gosta de fanfic LGBT+ já pode se retirar!

• A personalidade dos personagens também sofre alterações.

• O Mineta não existe nesse universo :)

Boa leitura!

Capítulo 2 - Dois


Fanfic / Fanfiction Someone You Loved ; Bakukiri - Capítulo 2 - Dois

 Tóquio, Japão

 2 weeks later

🌇

Eiji amou passar duas semanas na cidade mais romântica do mundo, só que preferia ter sido acompanhada de um alfa atraente e alto, e não com uma equipe para cima e para baixo. Não conversou tanto com a melhor amiga já que foi a trabalho mas lembrou de comprar um presente no caminho, algo bem a cara da Katsumi.

Não a viu na entrada principal e com o som do sinal teve que se recolher para sua sala de aula chata. Não era nenhuma novidade que a alfa chegasse atrasada em uma sexta-feira, já que em seu ponto de vista isso era uma afronta aos professores da querida universidade, ainda assim.. estava muito preocupada.

— Está tudo bem, amiga? Parece tensa. — Momo, sua colega de sala e de agência, diz após lhe cutucar.

— Sim, deve ser o cansaço. — Sorriu fraco.

Iria demorar muito até o intervalo mas tinha certeza que a veria na quadra nas próximas aulas. Mordeu a ponta da caneta enquanto seu pé batia fraco no chão com a ansiedade que corria em suas veias. Dentro de si, seu ômega uivava incansavelmente e não sabia ao certo o que significava.

Eiji entrou na quadra com a camisa branca padrão e o taquetel azul, as meias brancas caneladas e um par de tênis pretos e sem estilo, se sentia como uma fracassada. Seu cabelo preso em um coque perfeito já a sua franja teimava em ficar no seu lindo rosto.

Em suas mãos tinha o embrulho vermelho com laço amarelo, meio amarrotado já que a mochila não colaborou. Olhou ao redor e só avistou o grupo de amigos esquisitos com quem a alfa andava, não teria outra opção.

Respirou fundo, andando calmamente até a arquibancada e parando na frente dos betas com um olhar cínico e um sorriso.

— Olá.. vocês viram a Katsumi? — Perguntou de forma simpática.

— E o que você quer com ela, queridinha? — Mina arqueou a sobrancelha, não fazendo questão de esconder seu desgosto.

— Isso não é da sua conta, esquisitinha.

Tomori riu, rapidamente ganhando a atenção dos olhos castanhos e confusos de Eiji.

— Acho bom você começar a respeitar mais os "esquisitinhos" se não quiser acabar com a cara arrebentada. — Seus olhos brilharam. E a sua voz era diferente. — Saí daqui.

Eiji bufou, dando as costas para o grupo e se deparando com a própria alfa que procurava. Estava tão feliz e não pensou muito em abraçá-la, um tanto na ponta dos próprios pés. O abraço não foi retribuído o que resultou em uma careta da ruiva.

— Para com essa cara de bosta. Eu trouxe um presente! — Estendeu o embrulho.

Katsumi pegou o embrulho e agitou devagar para sentir o peso, logo abriu e retirou uma caixinha que abrigava uma xícara brilhante de unicórnio escrito “Tudo fica melhor com um pouco de brilho”. A alfa abriu levemente a boca e franziu a testa, pensando se valia a pena dizer o que realmente achou da xícara.

Mas sabia que tinha uma outra ideia que era: não ser uma babaca.

— É.. brilhante. E bem brega. — A loira sorriu amarelo. — Valeu..?

— Sabia que ia gostar. — Sorriu cegamente.

— Bakugo-senpai, você vai a minha casa depois da aula para fazermos o trabalho de ciências? — Chamou uma voz manhosa, essa era de-

— Midoriya Izumi? Achei que você fosse da Shiketsu. — Eiji cortou quase que na hora.

A face gentil da garota acompanhava um sorriso tão doce e.. 𝑖𝑟𝑟𝑖𝑡𝑎𝑛𝑡𝑒..

— Fui transferida na sexta-feira da semana passada, meu padrasto é um velho amigo do diretor e conseguiu uma vaga para mim. É uma escola muito grande e eu estava meio deslocada no primeiro dia, sabe como é.. — Dizia docemente, agora agarrada ao braço da loira. — O destino colocou Bakugo-senpai na minha vida para iluminar meu caminho.

Para Eiji, ouvir aquilo era tão nojento e chato. Sua vontade era de sair dali e arrastar a alfa loira junto mas algo a impediu, não sabia ao certo se foi o olhar doce de Katsumi para Izumi ou se queria evitar um escândalo.

Optou por acreditar na segunda opção.

— Fico feliz com sua chegada a escola, caso precise de algo.. pode vir falar comigo, sabe. — Eiji mentiu, mascarando com um gentil sorriso.

— Acredito que a ajuda da Bakugo-senpai seja o suficiente, não preciso te incomodar com minhas necessidades, Eiji-kun.

O que ela quis dizer com “necessidades" ?. Aquilo martelou em sua cabeça durante todo o exercício na quadra de esportes. Negou-se a acreditar que tinha algo acontecendo entre as duas, sabia que sua melhor amiga de infância não beijava mulheres. Era ridículo.

Assim que a aula na quadra acabou, correu para o vestuário. Iria tomar um banho rápido e sem caprichos, não se sentia confortável ficando nua no meio de tantas meninas que nem sequer conhecia direito, na verdade.. na frente de menina nenhuma.

Andou de roupas até o último chuveiro e se despiu, ligando o chuveiro de água morna e se deliciando. Ouviu uma voz familiar e bem irritante, sabia que era a de Izumi. Olhou o que se tratava através do buraco que tinha na parede, se arrependendo quase que de imediato.

Era Katsumi e Izumi. Estavam peladas. Juntas. Peladas e juntas. Izumi ria enquanto passava a esponja sabão nas costas da alfa e Eiji tinha de admitir, que costas lindas.

A ômega decidiu ousar mais, afinal era só uma espiadinha.

Katsumi tinha um corpo perfeitamente belo. Seios pequenos e seus mamilos eram cor de rosa, tinha leves gominhos na barriga mas que quase não se notava, coxas grossas e uma bunda redonda e empinada.

Podia se lembrar perfeitamente de sua voz rouca e perfeitamente sexy quando estava sonolenta, os lábios entre abertos quando dormia..

Eiji tocou levemente na ponta de seus seios, sentindo um formigamento estranho em sua intimidade. Estava tão a mercê de seu cio que não percebeu quando começou a emitir os feromônios de baunilha e morango no ar.

— EI! Seja lá quem for a pervertida, pare de soltar seus feromônios no vestuário, vadia! — Gritou uma das ômegas, irritada já que isso estava afetando todos as alfas dali.

Eiji tinha seu rosto corado e parou quase que de imediato, acabando com o clima de seu cio. Espiou de novo, vendo que Katsumi parecia não ter sido afetada com os seus feromônios já que finalizava o banho sozinha pois Izumi já tinha saído.

Eiji se sentiu envergonhada. Porém, irritada.

Não que gostasse de mulheres.. longe disso, mas seu orgulho estava quebrado pela alfa não ter sido afetada por seus feromônios.

A ômega tinha uma ideia que podia pôr a amizade antiga em risco mas isso não lhe importava, iria seduzir sua melhor amiga e provar a si mesma o quanto era irresistível.


Notas Finais


Vish k k


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...