História Somerhalder Corporation - Capítulo 43


Escrita por:

Visualizações 204
Palavras 2.648
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Festa, Hentai, Romance e Novela, Suspense
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Eu decidi postar esse capítulo mais cedo do que eu pretendia!! Aeeee rsrs. Bom, chegou naquela fase onde começa a contagem regressiva para o final da história (Odeio essa fase, fico muito emotiva) Mas, uma hora tudo chega ao fim, não é mesmo? Enfim, este é o antepenúltimo capítulo da história, e, já vou lhes avisando que, nos dois próximos capítulos terá alguns saltos no tempo, assim como uma atenção especial nos momentos em família e no decorrer de alguns momentos dos mais novos (filhos), no decorrer dos anos, e como tivemos alguns momentos com a infância, nos próximos eu focarei na adolescência. Bom, espero que gostem!! Comentem e favoritem, pois isso é muito importante para o desenvolvimento da história e além de me deixar feliz e incentivada, ainda me dá uma ideia sobre o que vocês estão achando da história!! Beijos com nutella e uma boa leitura!!

Capítulo 43 - Name...


Fanfic / Fanfiction Somerhalder Corporation - Capítulo 43 - Name...

                      (Nina POV)

Dois meses depois...

- E então? Qual o sexo do bebê? - Ian pergunta um tanto quanto ansioso, para a médica que olhava fixamente a tela onde mostrava nosso pequeno bebê.

- Estou quase morrendo de ansiedade - Digo soltando uma risada fraca. Olho parai Ian que possuía seus olhos azuis marejados, levo minha mãe até a sua e a seguro. Ele me olha e sorri minimamente, enquanto uma lágrima solitária escorria pela sua bochecha. O vejo suspirar, sorrio e seguro minhas lágrimas de emoção, Ian leva minha mão até sua boca e ali, ele deposita um beijo suave.

- É uma menina. Meus parabéns - A médica diz se virando e nos lançando um sorriso gentil. Sorrio e olho para Ian que havia ficado pálido de repente.

- O que houve com você? - Pergunto preocupada e Ian engole em seco.

- Uma menina? - Ele pergunta retoricamente e solta uma risada animada - Puta merda! - Ele exclama e eu solto uma risada - Me desculpa doutora - Ele se desculpa sem graça e então se vira pra mim, se ajoelha no chão, ficando à minha altura, visto que eu estava deitada. Ian alisa meus cabelos e coloca uma mecha atrás de minha orelha, beija a ponta do meu nariz, segura minha bochecha com uma de suas mãos e aproxima seu rosto do meu, selando nossos lábios em um beijo calmo e carinhoso, em seguida. Apoio minhas mãos em sua nuca e quando nos separamos do beijo, eu o abraço, o mais forte que eu posso. Limpo minhas lágrimas com o dorso de minhas mãos e me viro para a doutora que anotava algo em sua prancheta.

- Doutora, eu estou de quantos meses? - Pergunto e ela me encara através de seus óculos.

- Completará exatamente cinco meses de gravidez na semana que vem - Ela diz e eu aceno complacente.

(...)

Quinze dias depois...

Abro meus olhos ao sentir uma mão acariciando meus cabelos carinhosamente, ainda de olhos fechados eu sorrio, pois eu sabia quem era, e confirmo minha suspeita assim abro meus olhos, sendo acolhida por um par de lindos olhos azuis.

- Bom dia, meu anjo - Ele diz beijando minha testa e levando sua mão até minha barriga - Bom dia, minha princesa - Ele diz se inclinando e beijando minha barriga saltada. Sorrio com a cena.

- Bom dia, meu bem - Digo acariciando seus cabelos negros - As crianças já acordaram? - Pergunto me sentando na cama e olhando o relógio digital, e no mesmo marcava sete horas da manhã, em ponto.

- Sim, elas já estão tomando café para ir pra escola, Dianna está fazendo panquecas com calda de morango - Ele diz fazendo uma expressão de satisfação e eu sorrio. 

- Bom, então eu acho melhor me levantar também - Digo e Ian dá de ombros.

- Se quiser pode dormir mais um pouco, eu vou para a empresa daqui à pouco e Paul irá levar as crianças daqui a pouco também - Ele diz e eu faço que não com a cabeça - Ah não! Acho que não vai ser mais possível. Acabei de me lembrar - Ele diz e eu faço uma expressão e interrogação - O trio de loiras está vindo aqui em casa hoje, passaram aqui em casa antes de ir pro trabalho - Ian diz e eu franzo minha testa.

- Trio de loiras? - Pergunto confusa e ele sorri.

- Sim - Ele responde dando uma risada - Joseph, Candice e Claire - Ele diz e eu solto uma risada escandalosa.

- Idiota! - Digo me levantando da cama.

- Paul já está aqui, por isso que não eu não disse o quarteto - Ele diz e eu dou um tapa em seu ombro.

- Você é a melhor pessoa pra colocar apelido nos outros. Tão debochado - Digo e ele põe a mão sobre o peito, fingindo emoção.

- Os seus elogios são tudo para mim, meu anjo - Ele diz e eu reviro meus olhos. Andando até o banheiro.

- Desculpe, eu errei. Você é extremante debochado - Digo e ouço uma risada abafada de Ian.

- Eu já disse que você é a grávida mais linda do mundo? - Ian pergunta segurando meu braço, me impedindo de ir até o banheiro.

- Só um milhão de vezes - Digo soltando uma risada fraca, enlaço meus braços em sua nuca e o puxo para mais perto, enquanto suas mãos pousam sobre a minha barriga.

- É para você nunca se esquecer - Ele diz sorrindo. Ian aproxima seus lábios dos meus e me beija, um beijo calmo e demorado. Porém, somos interrompidos por Claire, Joseph e Candice que nos gritava lá embaixo. Solto uma risada diante da careta que Ian faz ao sermos interrompidos pelo trio de loiras, como o mesmo havia dito.

- Acho melhor você ir atendê-los - Digo me aconchegando no abraço caloroso de Ian - Eu vou tomar um banho e já já eu desço - Digo desfazendo o abraço com contragosto, mas Ian me puxa novamente para os seus braços e me dá um selinho demorado - Vai logo Ian! - Digo soltando uma risada. Ele me lança um beijo no ar e em seguida sai do quarto, fechando a porta atrás de si em seguida.

Prendo meus cabelos em um coque alto e retiro minhas roupas. Passo minha mão sobre minha barriga, que a cada diz mais está maior, e para falar a verdade, eu estou amando ser mãe, nunca havia imaginado que amaria tanto exercer essa função. Sem duvidas, é algo incrível, saber que em poucos meses terei uma pequena e delicada bebê em meus braços me deixa bem feliz e ansiosa, porém, com medo e apreensão. O medo de não ser uma boa mãe ainda não me abandonou, tanto para Jaden, Sam e Sophia, quanto para a bebê. Mas, eu sei que ninguém nasce sabendo como ser mãe, é algo que aprendemos com o tempo, e eu estou disposta à me empenhar o máximo para que eu aprenda, para tudo dar certo. Em relação à bebê, Ian e eu ainda não havíamos escolhido o nome, sugerimos vários nomes, mas nenhum que gostássemos de verdade, outra coisa muito difícil de se fazer, escolher um nome não é nada fácil, por mais que aparenta ser, não é.

(...)

Acabo de tomar o meu banho e saio enrolada na toalha. Vou até o coset e escolho um vestido branco soltinho, calço minhas rasteirinhas brancas com detalhes em dourado e saio do quarto. Desço até o andar de baixo e caminho até à cozinha, onde todos já tomavam café da manhã na enorme mesa.

- Acho que me atrasei um pouco - Digo me pronunciando e arrancando alguns risos baixos das crianças. Sorrio e ando até uma das cadeiras vazias, Ian se levanta e vem até onde eu pretendia me sentar, puxa a cadeira pra mim. Sento-me e ele me dá um beijo na testa - Obrigada - Digo e ele sorri de lado.

- Que lindo esse menino cavalheiro - Joseph diz debochando e Ian lhe lança um olhar mortal na direção do meu amigo.

- Não enche Morgan - Ele diz bebendo seu suco.

- Sei que me ama, Somerhalder. Só basta aceitar - Meu amigo diz e eu faço uma careta.

- Seu namorado está tentando roubar o meu noivo, Candice! - Reclamo e ela levanta os braços em sinal de rendição.

- Não é só você que irá sair no prejuízo Neens - Ela diz e eu solto uma risada.

- Sempre desconfiei - Claire diz e Ian a olha levantando uma sobrancelha.

- Você é ridícula - Ele diz e ela lhe dá um beijo na bochecha.

- Eu já sabia - Ela diz sorrindo irônica.

- É de família - Paul diz entrando na cozinha com uma xícara de café em mãos. Vai até Claire e lhe dá um beijo. Arregalo meus olhos e, pelo visto não é só eu que me surpreendo.

- Vocês...? - Ian pergunta de boca aberta e eu apenas fito a cena confusa.

- Sim, nos conhecemos no meu aniversário. Discutimos pra caramba, por que ele tinha beijado Nina. O acusei de estar se intrometendo entre vocês dois - Ela diz e eu solto uma risada.

- Sério? - Pergunto e ela afirma.

- Sim - Ela diz e Paul a abraça de lado - Daí ele me explicou tudo o que havia acontecido, trocamos algumas palavras, eu pedi seu número, não poderia perder a oportunidade - Ela diz sorridente e Ian a fita boquiaberto.

- Como eu não fiquei sabendo disso antes? - Ian pergunta e Claire revira os olhos.

- O pedido oficial foi feito ontem, Paul me pediu em namoro e eu aceitei - Ela diz e Ian sorri alegre.

- Uou! Meus parabéns - Ian diz se levantando e dando um abraço na irmã mais nova. Apertando a mão de Paul fortemente e sorrindo - Não farei um discurso falando que você é bem-vindo à família e essas coisas. Você já faz parte dela há muito tempo - Ele diz e abraça Paul fortemente.

- Você sabe que eu te considero um irmão, não sabe? - Paul pergunta e Ian sorri de lado.

- Eu também te considero muito - Ele diz e dá dois tapinhas no ombro do loiro - Faça ela feliz, conto com você pra isso - Ele diz e o mesmo concorda com um aceno.

- Ah! Que coisa mais linda! - Digo limpando as lágrimas que escorriam pela minha bochecha.

- Você está chorando? - Jaden pergunta confuso - Está passando mal? - Ele pergunta segurando minha mão, faço que não com a cabeça e ele suspira aliviado - Que susto! - Ele diz arrancando risadas de todos.

(...)

- Como você está, querida? - Dianna pergunta adentrando a porta do meu quarto.

- Estou bem - Digo sorrindo e guardando meu livro na mesa ao lado da cama.

- Eu comprei alguns presentes pra você - Ela diz, me fazendo a encarar confusa - Pra bebê, na verdade - Ela diz sorrindo e me mostrando algumas sacolas.

- Você não...? Não precisava Dianna - Digo enquanto ela me entregava as sacolas de papel.

- Mas é claro que precisava - Ela diz segurando minha mão - Eu queria presentear ela, foi de bom grado, não se preocupe - Ela diz e eu sorrio. 

- Muito obrigada - A agradeço, lhe dando um abraço apertado.

- De nada, querida - Ela diz e eu abro as sacolas timidamente. De dentro das mesmas, eu tiro três macacões lindos. Um rosa clarinho, um branco e um amarelo claro. Uma verdadeira gracinha. Pego as roupinhas e as levo até o meu rosto, inspirando o cheiro gostoso. Dianna havia comprado também, dois vestidinhos, três pares de sapatinhos e quatro tiaras. Tudo muito lindo e delicado. Lhe dou um outro abraço e beijo sua bochecha.

Dianna é um verdadeiro amor de pessoa.

(...)

- Eu tive uma ótima ideia! - Ian diz se levantando do sofá e pegando o telefone fixo. Ouço seus pés descalços subirem as escadas rapidamente.

- Mãe, o que é que ele está aprontando? - Jaden pergunta me olhando confuso e eu dou de ombros.

- Não faço a mínima ideia - Digo e Sam me olha com a mesma expressão confusa de Jaden. Estávamos todos no sofá da sala, assistindo alguns filmes, e de repente Ian se levanta correndo e sobe as escadas às pressas. 

- Onde ele foi? - Sophia pergunta levantando sua cabeça do meu ombro e me olhando com curiosidade.

- Eu também não faço a mínima ideia quanto à isso - Digo. E, assim que ouço passos, não só eu, como as criança também se viram na direção da escada. Onde Ian aparece, carregando inúmeros travesseiros e cobertas. Equilibrando tudo em seus braços, ele vem até nós e coloca tudo sobre o enorme sofá -O que você está fazendo? - Pergunto arqueando uma sobrancelha em sua direção. Ian sorri e se senta ao meu lado.

- Pedi pizza para jantarmos - Ele diz e as crianças comemoram.

- Isso! - Jaden diz dando leves socos no ar. Solto uma risada diante de sua animação.

- Você é o melhor, pai! - Sam diz e Ian sorri de orelha à orelha.

- Sam tem razão - Sophia diz e eu suspiro.

- Vocês não deveriam ter dito isso - Digo dando uma risada - Ele vai se achar pelo resto da vida - Digo sorrindo ao ver Ian sorrir feliz com os elogios das crianças.

- Eu sou o melhor - Ele diz empinando o nariz.

- Não disse? - Pergunto arrancando risadas das crianças.

(...)

- Nós temos que decidir o nome dela - Ian diz se deitando ao meu lado e acariciando minha barriga com delicadeza e carinho.

- Que tal...Kristen? - Sugiro e Ian faz uma careta.

- Hmm...Não - Ele diz e eu suspiro.

- Você nunca acha os nomes que eu escolho bonito - Digo em um resmungo e ele solta Ian risada baixa - Os nomes que você escolhe também não são bonitos - Digo e Ian sorri. Penso mais um pouco e então, digo o primeiro nome que me vem à cabeça - E que tal Ana? - Sugiro novamente e Ian faz uma expressão divertida.

- Assim irão chamar a nossa filha de Ana banana - Ian diz e eu reviro os meus olhos -Inclusive eu - Ele diz e lhe dou um tapa no ombro.

- Você é ridículo! - Exclamo e ele solta uma risada.

- Mas é a verdade - Ele diz e parece pensativo por um momento - Desisto - Ele diz suspirando derrotado - Não consigo pensar em mais nada - Ian diz e eu encaro o teto, enquanto sua mão apertava a minha. Minha mente vagueia em uma noite em especial no antigo apartamento de Ian. Lembro-me da foto dos três irmãos, uma lágrima solitária escorre pela minha bochecha e eu a limpo. Penso na irmã caçula, aquela em que lhe foi tirada a vida, uma criança que tinha o mundo inteiro pela frente. 

- Robin...- Digo encarando minha barriga, meus olhos marejados pela memória daquela noite. Sentindo todas as emoções novamente.

- O que disse? - Ian pergunta com a voz fraca e eu viro minha cabeça para o lado, o encarando com os olhos cheios d'água.

- O que você acha de Robin? - Pergunto e Ian funga, com algumas lágrimas escorrendo pelo seu rosto. Posso ver a emoção brilhar em seus olhos.

- Você quer colocar o nome da nossa filha de Robin? - Ele pergunta soltando um soluço.

- Sim...- Respondo com a voz falha - O que você acha? - Pergunto e ele apenas me abraça, com suas lágrimas molhando meu ombro nu.

- Eu acho perfeito - Ele diz com sua cabeça escondida na curvatura do meu pescoço. Faço carinho em seus cabelos. Sinto minha barriga se mexer, a bebê havia chutado. Pego a mão de Ian e a guio até a minha barriga. Onde a bebê chutava mais duas vezes. Ian ergue o seu rosto e nós dois sorrindo bobos. 

- Eu acho que ela gostou do nome - Digo sorrindo. Ian sela nossos lábios e me abraça.

- Você gostou, meu amor? Você tem o nome da titia - Ian diz me encarando com paixão. Eu e Ian nos encaramos profundamente. Sem conseguir tirar o sorriso iluminado do rosto. As mãos de Ian vão de encontro ao meu rosto, acariciando o local calmamente - Eu te amo - Ele diz em um sussurro, com seus olhos azuis brilhantes.

- Eu também te amo, muito - Digo selando nossos lábios em um beijo calmo e cheio de sentimentos.

Continua?


Notas Finais


Capítulo não revisado, então, me desculpem qualquer erro ortográfico.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...