1. Spirit Fanfics >
  2. .something - chanbaek. >
  3. .capítulo I - i'm feeling so small;

História .something - chanbaek. - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Oi, estou aqui com a minha primeira - não tão - longfic.

É, resolvi sair da zona de conforto e trazer algo diferente kk
Como sempre, fiquem em casa, higienizados e obedeçam a quarentena.
Bjs

Aviso: Contém certas partes de violência que podem servir de gatilho e podem ser um pouco pesadas

Capítulo 1 - .capítulo I - i'm feeling so small;


"E eu, me sinto tão pequeno... foi muito para minha cabeça e eu não entendo mais nada."

(XXX)

Segunda-feira, 09 de maio;

 

Park Chanyeol vagava pelos corredores do colégio que para um dia de segunda-feira, estava bem vazio. Quem olhasse para o garoto alto, sempre vestido de um jeito desleixado, cachinhos mal ondulados, aparência encantadora, quase sempre usando os mesmos coturnos - algo que o Park amava. - usando fones de ouvido, não pensariam que ali estava o capitão e garoto prodígio do time de basquete e sim que se tratava de um estudante de música no mínimo popular entre as garotas e todos, porém além da música, o basquete fazia Chanyeol se sentir vivo.

- E aí cara - Chanyeol se virou e viu Jongin, um dos membros do time de basquete e seu amigo. - Oi, Kai. - Chanyeol respondeu sorrindo, era típico do capitão do time ser gentil; Jongin sorriu. - Olha, o garoto baixinho veio hoje. - Jongin disse avistando Baekhyun, a frase que o mesmo soltou foi sem maldade, afinal, Jongin odiava pessoas que praticavam bullying tanto quanto odiava o próprio bullying. Porém logo após isso eles avistaram Baekhyun sendo abordado pelos veteranos da sala dos dois; Baekhyun segurava possessivamente os livros contra o tronco magro e involuntariamente suas pernas tremiam, mas como já estava acostumado, ele iria ficar quieto e rezar para que fossem somente agressões verbais.

- Olha só quem está aqui. - Jinsung disse com malícia deixando Baekhyun ainda mais nervoso. - Por que faltou sexta gracinha? Senti saudade de brincar com você. - Baekhyun estava de cabeça baixa deixando algumas lágrimas caírem; o garoto ajeitava toda hora a armação que insistia em cair pelo próprio rosto. - Vamos Baekhyun, olhe para mim gracinha. - Jinsung levantou de um modo bruto o rosto do garoto que foi forçado a encarar o mais velho. - E- Eu... f-foi meu aniversário... - Baekhyun sussurrou, logo tendo Jinsung apertando possessivamente as suas bochechas. A força que o mais velho colocava na mão era tanta que o rosto do Byun estava vermelho e a dor estava o incomodando. - E nem nos convidou? Tsc. - Jinsung derrubou os livros e a mochila do Byun. - Você é tão patético que não consegue nem falar sem gaguejar, Byun. - Jinsung assim que soltou a bochecha de Baekhyun, moveu instantâneamente a cabeça do mesmo com brutalidade para o lado. - Você comemorou com seus pais foi? - Jinsung riu. - Ah é, esqueci que sua mãe te deixou. - Baekhyun sentiu as palavras de Jinsung o atingirem como facas, o garoto já tremia de um jeito preocupante. 

- Jinsung para! - Kai gritou quando viu que Baekhyun estava a ponto de ter um ataque de pânico e Jinsung iria partir para cima dele. - Ah Jongin, vai bajular o Chanyeol e me deixa em paz com a gracinha do  Baekhyun aqui. - Jinsung disse e chutou os joelhos do Byun que caiu, porém estava estático demais para sentir algum baque. - Jinsung! - Chanyeol disse, logo, se abaixando para ajudar o Byun. - Você está bem? - Chanyeol perguntou ao Byun. - Jinsung saia  logo daqui antes que eu avise para o diretor o que você está fazendo. - Logo Jinsung se foi junto com seus amigos.  - Obrigado mas eu não preciso da pena de vocês, eu posso m-me virar por aqui. - Baekhyun disse juntando suas coisas. - Mas olhe o que eles estavam fazendo com você. - Chanyeol disse entregando a mochila ao Byun. - E- Eles sempre fizeram isso... não fiquem tão surpresos. Vocês são populares. - Baekhyun ajeitou a armação dos óculos que novamente caíam pelo seu nariz. - Baekhyun... - Chanyeol  tentou porém Baekhyun havia saído correndo pelos corredores.

(XXX)

Após aquele incidente  Baekhyun foi para a sala de música, sentou-se no banco de apoio do piano e começou a chorar. - E- Eu... - O Byun começou a tossir. - D- Droga... - O mesmo mecheu em sua mochila e pegou de lá um lenço, assim que a tosse passou, ele olhou para o lenço e viu uma mancha de sangue. Após ver a mancha, Baekhyun voltou a chorar.

Após longos minutos, Baekhyun percebeu que já havia perdido as primeiras aulas. - O professor não vai me deixar entrar agora... - Baekhyun disse para si mesmo. Em um movimento inconsciente, Baekhyun testou algumas notas no piano; o mesmo sempre ia para a sala de música justamente para tocar os instrumentos ali e até arriscar cantar. Logo, Baekhyun já arriscava o instrumental de River Flows In You no piano, ele começou suavemente tocando as teclas do piano e era incrível o modo que ele transmitia todos os sentimentos confusos e frustrados em sua cabeça os transmitindo pelas notas transformando aquilo em algo mágico; realmente, a música era o refúgio da mente perturbada do Byun.

- Uau, não sabia que tocava assim tão bem! - Baekhyun se assustou ao ouvir alguém dizer. - Ah, desculpa, não quis te assustar - Chanyeol disse. - H- Há quanto tempo está aí P- Park? - Baekhyun perguntou. - Alguns segundos, o tempo suficiente para ver você tocando... - Chanyeol disse simples porém com um sorriso. - Ah sim... - Baekhyun limpou o canto dos olhos com a manga do moletom grande. - V- Você deve estar querendo usar a- a sala - Baekhyun se levantou e pegou suas coisas. - N- Não, espere! - Chanyeol segurou o braço de Baekhyun e o mesmo se assustou um pouco. - Desculpe, eu só queria conversar com você... - Chanyeol soltou o braço do Byun. - Park Chanyeol querendo falar comigo... - Baekhyun deu uma risada sem humor. - Se você quer que eu faça seu dever de casa era só me pedir, não precisa forçar uma amizade comigo - Baekhyun ajeitou novamente a armação. - Pessoas como você não se misturam com pessoas como eu. - E assim Baekhyun saiu da sala deixando Chanyeol perplexo.

(XXX) 

Baekhyun andava pelos corredores fazendo o caminho que sempre fazia para a biblioteca. - Olha o que temos aqui. - Baekhyun se sentiu tremer ao ouvir aquela voz. - J- Jinsung por favor... - Baekhyun já sentia as lágrimas molhando seu rosto. O garoto odiava ser tão frágil, odiava muito mais que os outros o fizessem se sentir daquele modo. - Por favor o que gracinha? - Jinsung derrubou os livros que Baekhyun segurava. - Você é patético Byun - Jinsung deu um soco na barriga de Baekhyun que sabia que não adiantava gritar por ajuda, eram cinco da tarde e aquele corredor era deserto aquela hora. - Você é desprezível - Jinsung segurou a bochecha de Baekhyun sem medir a força. - O que foi? Ficou mudo? - Jinsung apertou ainda mais a bochecha de Baekhyun. - O capitão não está aqui pra te proteger é? - Baekhyun sentiu-se cair, Jinsung havia o derrubado. 

- Patético - Jinsung proferiu e chutou o Byun que chorava baixinho torcendo para que aquilo acabasse logo. Baekhyun sentiu Jinsung levantar seu corpo com violência. - Você até que não é de se jogar fora... - Jinsung voltou a segurar com violência a bochecha já roxa de Baekhyun. - Jinsung bateu a cabeça de Baekhyun na parede azul e o Byun ficou a ponto de desmaiar. - Você é uma aberração Baekhyun. - Jinsung disse antes de sair e deixar o Byun ali.

(XXX)

- Baekhyun, filho  é  você? - Baekhyun ouviu seu pai dizer assim que ele entrou na humilde casa. - Sim, pai. - Baekhyun respondeu de um modo baixo. - Como foi seu dia? - O senhor Byun perguntou. Claro que ele não sabia o que acontecia com Baekhyun. - Foi bom... pai. - Baekhyun sentia um nó na garganta sempre que mentia para seu pai. - Quer que eu coloque seu jantar no microondas ou você pode fazer isso? - O senhor Byun disse de um modo doce para o filho, que colocou uma das mãos na boca tentando impedir o pai de ouvir os soluços de choro. - N- Não tô com fome pai, você pode ir dormir eu me viro. Boa noite  - Baekhyun subiu as escadas cambaleando. 

Assim que entrou no quarto, tirou o uniforme do colégio e seguiu até o boxe do chuveiro, assim que se olhou, as lágrimas voltaram aos olhos do garoto. Haviam machucados com tons variando entre roxo, amarelo e preto, tirando os machucados que sangravam. - Ugh... - Baekhyun gemeu assim que entrou em contato com a água gelada do chuveiro; os machucados ardiam e pulsavam somente de entrar em contato com a água. Baekhyun sorriu fraco e se segurou na porta do boxe, voltando a chorar e soluçando baixinho; aquilo o cansava mais do que tudo. 

- Eu só queria poder sumir... - Baekhyun deu um sorriso fraco saindo do chuveiro e se cobrindo com a toalha.


Notas Finais


Me desculpem se tiveram partes pesadas ;((
espero que gostem.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...