História Something's Gotta Give - Capítulo 26


Escrita por:

Postado
Categorias 5 Seconds Of Summer
Personagens Ashton Irwin, Calum Hood, Luke Hemmings, Michael Clifford, Personagens Originais
Visualizações 74
Palavras 1.514
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Festa, Ficção Adolescente, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 26 - You're all bad liars


Semana de provas. Eu estava atrasada em todas as matérias, principalmente pelo fato de que dormia a tarde toda por causa do trabalho. Acordei naquele domingo morrendo de dor de cabeça, com a certeza de que a noite passada tinha sido o começo de muitas coisas. Com uma parte da minha vida resolvida, decidi que era hora de pelo menos me esforçar para sair do ensino médio. America veio me trazer Alex para casa, já que ele tinha dormido na casa dela, e eu pedi que avisasse todo mundo que pelos próximos três dias eu estaria estudando. Amanhã era dia de reunião, então não tinha aula, e terça era feriado. Pedi que ela enfatizasse isso para Mike.

E foi isso que eu fiz. Passei domingo todo me focando em tudo o que tinha perdido e colocando a matéria em dia. Saí por dez minutos para comprar sorvete com meu irmão e depois voltei para meu quarto. Na segunda passei o dia com a cara nos livros de novo e fui trabalhar. Os meninos não tinham mesmo me mandado uma mensagem se quer e nem estavam na boate. Devem ter resolvido estudar também. Na terça as coisas continuavam as mesmas. E eu mal sabia que aquela era a calmaria antes do caos.

Acordei na quarta com Alex pulando em cima de mim.

-Ally, a Clarice está fazendo panquecas -ele sorria feio uma criança. Ok, ele era uma criança. Mas eu tinha acordado mais sentimental que o normal, então aquele sorriso estava me encantando.

-Já estou descendo, me espere para comer -dei um beijo em sua bochecha e entrei no banheiro. Minhas olheiras tinham melhorado, então apenas penteei meu cabelo, lavei o rosto e troquei de roupa antes de descer. Eu estava com uma camisa do Green Day, porque sabia que Mikey os amava.

-Eu sinto o cheiro de dentro do banheiro -comentei dando um beijo na bochecha de Clarice.

-Quanto tempo que você não acorda de bom humor-ela comentou, servindo meu café.

-É que ela e o tio Michael tinham brigado -Alex respondeu com um pedaço de panqueca na boca.

-Termina de comer antes de falar, peste, é falta de educação -eu o repreendi rindo. Ele murmurou um “desculpa” com a mão na frente da boca. Eu sorri, apreciando as melhores panquecas no universo.

Ainda com tempo, saí de casa com meus fones, ouvindo algumas músicas animadas. A imagem de segunda à noite, de Michael me ajudando e daquelas três palavras sendo trocadas... Eu era uma adolescente feliz. E as pessoas começaram a perceber isso, porque além de Clarice, ontem Mark tinha comentado que eu não tirava um sorriso do rosto. E eu estava ansiosa para contar isso ao autor da obra.

Cheguei avistando Ashton e Luke discutindo sobre algo perto do jardim. Luke gesticulava com as mãos e Ashton apenas negava com a cabeça, aparentando estar mais calmo. Arqueei as sobrancelhas e eles pararam quando eu cheguei.

-Vocês podem continuar a discussão, não seja por mim -levantei as mãos. Ashton deu um sorriso fingido, Luke nem tentou -ok, galera, o que está havendo aqui? -eles se entreolharam por um segundo.

-A gente só está preocupado com o Calum -Ashton começou, mas Luke negou com a cabeça.

-O que há de errado, Lucas? -perguntei num tom acusatório.

-É só que... -ele começou, mas foi interrompido pelo Ash.

-Ele estava de rolo com um cara, vizinho dele, e aí o vizinho foi embora sem avisar ninguém. O Cal ainda não sabe e a gente não sabe se devemos contar para ele ou não.

-E como é que vocês dois sabem disso? -perguntei desconfiada.

-Porque ele veio falar que era para avisar Calum que ele sentia muito. E aí eu contei para o Ashton para ele me ajudar. Mas o Ash acha que eu não devo contar -Luke explicou com uma cara amarrada.

-E você acha que deve, Luke? -ele assentiu. Eu acho que Luke estava com ciúmes, por isso todo aquele drama. Eu respirei fundo. Ele suspirou.

-Não é que eu não ache que ele não deve saber... Eu só acho que a gente devia esperar a hora certa -Ash comentou e eu concordei. Eles se olharam por um segundo -Ally, na verdade, a gente tem duas coisas para te contar.

-Uma boa e outra ruim -Luke continuou.

-Vai me deixar chateada? -eles assentiram e eu ri -Então só me dê a boa, a ruim fica para depois das provas.

-O Michael estava escutando atrás da porta no sábado, ele sabe de tudo -Luke disse rapidamente. Eu sorri.

-Sei disso, a gente se encontrou depois. Melhor noite da minha vida. Não entrarei em detalhes -eles me olharam confusos e eu ri. Peguei meu celular e vi que estava em cima da hora para bater o sinal e nada de America, Calum ou Michael -Cadê aqueles três?

Antes que eles pudessem responder, o sinal bateu e eu fui voando para a sala. A primeira prova seria de química e eu tinha me esforçado demais para aprender toda aquelas cadeias orgânicas para apenas chegar atrasada e não fazê-la.

Fui uma das primeiras a terminar e já estava me orgulhando quando Ashton me alcançou do lado de fora. Eu continuava achando estranho o resto dos meus amigos estarem ausentes.

-Ally, é... Você estudou para todas as matérias, não estudou? -ele perguntou e eu assenti.

-Não tive vida social por três dias, não vejo a hora dessas provas acabarem -respirei fundo.

-Você não topa ir até a diretoria e pedir para fazermos todas hoje? -ele perguntou coçando a cabeça. Eu arqueei as sobrancelhas -Eu vou viajar amanhã e não queria fazer isso sozinho.

Pensei por um segundo e decidi que não seria uma má ideia acabar com tudo aquilo de uma vez. Então fomos até o diretor e ele nos colocou em uma sala. Passamos as seguidas cinco horas fazendo provas e mais provas. Quando acabamos, todos os nossos amigos, incluindo Calum e America, estavam nos esperando.

-Okay, agora isso está ficando estranho -comentei à medida que chegava mais perto e eles iam desviando o olhar de mim -Alguém tem que falar o que está acontecendo.

Eles me olharam por um tempo. America me abraçou de lavo e me levou até uma praça do outro lado da rua. Calum tinha uma garrafa d’água. Todos sentaram em volta de mim, como se estivessem esperando que eu fosse cair para qualquer lado. Calum começou a chorar e Meri pegou na minha mão.

-A gente precisa te contar uma coisa sobre o Mike -ao fundo eu vi Brian passando nos encarando. Ele estava com o rosto todo... roxo?

-Tem alguma coisa a ver com aquilo? -apontei para o garoto estourando e eles abaixaram a cabeça -Tudo bem, é mais grave.... Quanto mais vocês enrolam, pior fica. Essa é a notícia ruim? -olhei para Ashton e Luke. Eles assentiram -Desembuchem.

-Ally, o Mike, ele...-Calum tentou, mas saíam mais lágrimas de seus olhos do que ele conseguia controlar. America respirou fundo. Ela era boa em notícias ruins.

-O pai do Mike foi transferido para a Nova Zelândia. Eles se mudaram no domingo cedo. Deixou só uma mensagem para o Calum dizendo que te amava e pedindo desculpas. Ele não teve escolha.

E foi aí que o caos apareceu. Eu não sabia que meu mundo podia desabar daquele jeito.

-Mas... Ele vai manter contato, certo? -procurei uma ponta de esperança no olhar de cada um. Ninguém correspondeu.

-O pai dele confiscou seu celular porque ele ameaçou ficar -Luke disse com o olhar triste -Ele tentou, Ally, tentou mesmo.

Eu balançava a cabeça em negação, aquilo não podia estar acontecendo. De repente flashes começaram na minha cabeça.

Estávamos deitados no sofá, de cabeça para baixo, passando de canal em canal. Michael ficou me encarando, até que nos sentamos e ele riu.

-Qual é? Você está me assustando -eu disse, caindo na risada por cativo de seu sorriso.

-Você fica linda até com todo o sangue do seu corpo na sua cabeça.

Eu bati de leve em seu braço e ele sorriu, me puxando pelo pescoço para um beijo. Cedi espaço para sua língua dançar com a minha, o canal tinha parado em uma música. Eu não fazia ideia de qual era, mas ela acompanhava nossas bocas e nossas mãos. Fomos nos desgrudar quando ele tentou nos virar e caímos no chão.

-Mestre em estragar os climas -eu disse, revirando os olhos. Ele me olhou com aquele olhar provocante de quem não gosta de perder e se jogou em cima de mim novamente.

No fundo eu sempre soube que Michael me deixaria. Mas eu estava preparada para tentar fazer uma amizade disso. E isso ficava difícil quando eu me lembrava de que sábado tinha sido uma despedida e ele estava no meio do oceano. Deus, eu tinha dito que o amava! Meu mundo girava e não era uma metáfora. As coisas foram ficando pretas devagar e as pessoas mais longe conforme isso acontecia. De repente eu não era mais eu. E, mesmo desmaiada no meio da rua, o nome que corria pelas minhas veias era o de Michael.


Notas Finais


Meus amoresss, reta final da fic, eu não quero ficar prolongando muito sem ter história, provavelmente mais uns 4/5 capítulos. Às vezes eu demoro para postar porque A ESCOLA SUGA MINHA ALMA e aí eu tenho que viver por ela, mas estou sempre pensando em novas ideias. Comentem pq eu amo qnd vcs comentam <33


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...