História Somos almas perdidas e opostos que se (re)traem - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Visualizações 33
Palavras 290
Terminada Sim
LIVRE PARA TODOS OS PÚBLICOS
Gêneros: Drabs, Droubble, Ficção Adolescente, Lírica, Romance e Novela

Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


difícil é aceitar que aquilo não é pra você quando não se tem mais nada

Capítulo 1 - Capítulo único



Eu sorria com os olhos enquanto encarava-lhe como quem acabou de ganhar um milhão na conta, como quem acabou de conhecer o mais belo amor. Seus toques suaves e delicados me levavam aos anéis de Saturno e os problemas terrenos escapuliam por entre os dedos magros sedentos por viagens de devaneios selvagens, em florestas robustas de reinos desconhecidos. Eu o faço com cigarros firmados entre os dois lábios e sangue pintando as mãos, perdendo-me em becos, no mundo (e não pelo mundo.)


Mesmo que afogando-se em [mágoas] cafeína, ele sempre preferiu encarar o perigo a esconder-se de tal, pois a covardia o distanciaria da vida vivida. Somos opostos que não se atraem, somos aventuras não exploradas além da física [humana]. Mas, por sermos tão extremos em quase todos os quesitos, argumentava que me contentaria com minha pobre vida existida. E é por isso que nunca e sequer daremos certo: eu o impediria de viver em outros corpos, outros lares. Então se prenderia a mim, porém nunca pretendi ser suas algemas; desejo dar-lhe liberdade, asas libertas, 'vento na cara', sabores agridoces na ponta da língua e paz na alma. tudo o que não possuo. 


Os fios ondulados se perdiam ali e ali o mundo acabava, sentindo-se como um deus com o controle do universo em mãos. —  nossas ideologias não batem, aceita. e dói. um aperto no coração, tão profundo quanto o poço em que me perco atualmente; onde o obscuro preenche minha visão: não vale de nada procurar porquês onde há apenas túmulos miseráveis sem seus cadáveres fedidos. — maldita vida injusta!


O silêncio insiste em ocupar o mínimo espaço entre nós, na amplitude dos nossos lábios e em meio a nossos breves beijos ao mesmo que meus olhos dizem tudo


pausa



Notas Finais


uma vida não acaba no ponto final então deixo aqui uma frase inacabada

e as dúvidas nunca morrem


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...