História Somos tão Jovens - Capítulo 4


Escrita por:

Postado
Categorias Naruto
Personagens Fugaku Uchiha, Gaara do Deserto (Sabaku no Gaara), Hidan, Hinata Hyuuga, Hizashi Hyuuga, Hyuuga Hiashi, Ino Yamanaka, Inochi Yamanaka, Itachi Uchiha, Karin, Kiba Inuzuka, Kisame Hoshigaki, Mikoto Uchiha, Nagato, Naruto Uzumaki, Neji Hyuuga, Orochimaru, Personagens Originais, Sakura Haruno, Sasuke Uchiha, TenTen Mitsashi
Tags Drama, Drift, Gaaino, Gangs, Naruhina, Naruto, Nejiten, Romance, Sasusaku, Universo Alternativo
Visualizações 347
Palavras 2.513
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ecchi, Hentai, Romance e Novela, Suspense, Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá! Obrigada a todos que estão acompanhando a fic!
Antes do capítulo, só gostaria de falar que eu pretendia postar o próximo capítulo no sábado, mas como provavelmente não vai dar, vou adiantá-lo hoje e postar juntamente com este, fazendo uma "dobradinha". ^^
Espero que gostem, e boa leitura!
Celly.

Capítulo 4 - Superando diferenças


No dia seguinte, pontualmente às 7 horas, Hyanna já descia para fazer seu desjejum com o pai que se assustou com o fato da filha acordar tão cedo por si mesma.

— Eu não imaginaria que você fosse acordar esse horário, antigamente você não acordava antes das 10 horas — disse Nasu para a filha, enquanto virava mais um gole do seu chá.

— É que na clínica tínhamos esse horário fixo pra acordar, então eu me acostumei — Hyanna respondeu normalmente.

Ao servir o café para a Konnyki, a empregada colocou geleia na torrada, coisa que Hyanna odiava. Nasu observou tudo, já esperando o surto da filha por fazerem algo errado, mas ele se espantou ao ver a reação que ela teve, e sua gentileza incomum.

— Hmm... Eu não gosto de geleia, você poderia trocar o meu prato por torradas com patê, ou um sanduíche de presunto e muçarela, por favor? — Hyanna falou para a empregada, que era novata.

— Sim, senhorita Konnyki, me desculpe. Vai levar só um minuto — A mulher saía sem graça com a refeição numa bandeja, indo providenciar outra.

— Hyanna, o que está acontecendo com você? — perguntou o progenitor.

— Como assim, pai? — respondeu ela, bebendo um pouco de suco de laranja.

— Desde quando você é tão gentil e educada com as pessoas? Normalmente você grita com os empregados, os chama de incompetentes e diz que eles são pagos pra isso e nem isso eles fazem direito e coisa do tipo... Você nem dirigia a palavra às pessoas de classe inferior — comentou.

— Bem, é que em Los Angeles eu convivi com vários tipos de pessoas e aprendi a enxergá-las pelo seu caráter e não pelo dinheiro que elas possuem e também a vida me ensinou muita coisa, eu amadureci e hoje sou uma pessoa diferente. Ou pelo menos tento ser…

— É admirável sua mudança, mas você é uma moça da alta sociedade. Uma coisa é você ser educada com as pessoas, outra é você se misturar a elas... Aqui não é Los Angeles e os padrões e costumes são outros. Se você não mostrar quem é que manda, eles vão perder o respeito por você. Quero que você guarde bem isso, principalmente quando estiver nas empresas. Não comece a tratar os empregados como amigos e tome cuidado com as pessoas da rua, elas só vão se aproximar de você para conseguir algum benefício. Infelizmente o mundo é assim. Veja seu primo, Naruto, por exemplo, é uma ótima pessoa, mas nunca se esquece de quem ele é — argumentou o mais velho.

— Tá bom, pai. Não vou me esquecer do meu lugar, no entanto também não vou menosprezar ninguém, esse não é mais o meu estilo. Mas não se preocupe, eu não o farei passar vergonha, sei de boas maneiras e me comportar em sociedade — ela falou por fim.

Eles tomaram café e em seguida foram para a empresa, lá Nasu deu à Hyanna uma luxuosa sala para ser seu escritório pessoal, que ficava ao lado do escritório do pai, no último andar do prédio. E assim a mais nova assumiu a vice-presidência da empresa, como decisão oficial do Konnyki.

— Poxa, pai, adorei minha sala! — Ela estava encantada com o luxo e a decoração de bom gosto do local.

— Você merece, querida — Ele sorria para a filha — Eu já mandei que divulgasse nos meios de comunicação vagas para moças aqui na empresa. Por enquanto não vou te dar muito serviço, já que primeiramente você precisa fazer sua faculdade, mas quero que você já tenha uma recepcionista e uma secretária pessoal, para acompanhá-la nas reuniões e demais compromissos. Por isso, das moças que vierem aqui para a entrevista quero que você escolha as duas que mais lhe agradarem. Escolha bem, principalmente sua secretária, já que vocês vão passar bastante tempo juntas e, por isso, devem se dar bem. A recepcionista, eu sugiro alguém que já tenha certa experiência no ramo, mas a secretária é bom uma com menos experiência, para que você possa “moldá-la” do jeito que quiser. Deixarei as entrevistas e a escolha por sua conta e não vou interferir em sua decisão — concluiu Nasu.

— Obrigada, pai... — Hyanna o abraçou — Obrigada por confiar em mim!

— E como não confiaria? Você é minha filha e herdeira de tudo isso, é bom que desde cedo você já entre de cabeça nesse mundo dos negócios e o melhor jeito de aprender é fazendo!

— Pode deixar, eu não vou te decepcionar.

— Eu sei que não vai — pausou — Daqui a pouco a minha secretária vai trazer as meninas para o hall e você vai chamando-as como quiser. Aqui estão as fichas com dados pessoais de todas elas. Boa sorte, meu bem, agora eu vou para uma reunião com a diretoria. — Nasu entregou as fichas para a filha e saiu se despedindo.

Hyanna sorriu para o pai e entrou no seu escritório para analisar as fichas antes das entrevistas.

゚。・*.゚☆゚.*・。゚

 

Hinata tinha acordado cedo para tomar café com o tio e com o primo antes deles irem para o trabalho, também porque ela já estava habituada ao horário do campo e levantar ao raiar do sol com a família. Após mil recomendações para a garota, Neji e Hizashi foram trabalhar. O tio nem desconfiava o que a sobrinha pretendia fazer, mas Neji sabia de tudo. Ele ficou preocupado, mas decidiu dar um voto de confiança para a prima.

Assim que eles saíram, a jovem se trocou, pegou um táxi e foi para a EK — Empresas Konnyki — chegando lá, ela viu que já havia muitas moças na sua frente, mesmo tendo saído de casa três horas antes do horário marcado para as entrevistas. Vendo o jeito culto e o alto intelecto das candidatas, não tinha tantas esperanças por ser uma típica garota de interior que nem estava vestida apropriadamente para aquele lugar. No entanto, não iria desistir, não agora. Então ela entrou na fila e procurou ignorar os olhares de deboche das demais sobre si.

Poucos minutos depois, uma mulher saiu do prédio da EK e dirigiu a palavra às moças:

— As vinte candidatas que chegaram primeiro podem me acompanhar, as demais estão dispensadas. Obrigada a todas.

Claro que isso surpreendeu muita gente, já que lá se encontravam pouco mais de cinquenta candidatas. Por sorte ou coincidência, Hinata era a 20ª candidata a chegar ao local.

Valeu à pena vir bem cedo — pensava a Hyuuga, suspirando aliviada por ter conseguido.

Todas acompanharam a mulher até o penúltimo andar, onde numa grande sala foi entregue para elas um formulário com várias perguntas pessoais.

Foi bem tranquilo respondê-las, a não ser por uma, que perguntava se a candidata usava algum medicamento ou tinha algum problema de saúde. Hinata não achava certo, mas mentiu em sua resposta, dizendo que sua saúde era perfeita; ela sabia que se contasse a verdade, nunca teria uma chance.

Depois de terminada aquela etapa, a secretária lhes disse:

— Agora que todas já responderam as questões básicas, vocês receberão um crachá com o nome para a entrevista. Serão oferecidas duas vagas. Uma de secretária recepcionista e uma de secretária pessoal. O salário inicial será exatamente o que vocês leram nos papéis que receberam, além de plano de saúde, vale transporte e outros benefícios mencionados, e a secretária pessoal ainda ganhará um bônus pelas horas extras. As candidatas que forem escolhidas trabalharão diretamente para a vice-presidente da empresa e filha do dono, Hyanna Konnyki, e será ela também quem lhes entrevistará pessoalmente. Neste momento, a ficha que vocês preencheram já foi encaminhada para ela e agora vocês podem aguardar até serem chamadas — concluiu a secretária.

Isso não é nada bom... — pensava Hinata, já que na noite anterior ela derramou refrigerante no vestido de Hyanna. No Dansuba ela fora educada consigo pra não chamar atenção, mas este lugar era o mundo dela, e se a Konnyki se lembrasse do rosto da Hyuuga, não perderia a oportunidade de se vingar pelo ocorrido do bar.

Depois de uma hora, mais ou menos, elas foram chamadas pela secretária e levadas até o andar superior, onde o luxo e a sofisticação estavam por toda a parte, por lá ser o lugar onde ficavam as salas dos donos. Todas se sentaram nos confortáveis sofás do hall, em frente à sala de Hyanna, e elas iam sendo chamadas uma a uma, de acordo com a ordem de chegada. Hinata era a última e o nervosismo só ia aumentando. Já estava na 18ª candidata e somente três haviam voltado para o hall, as outras foram dispensadas.

É mais difícil do que imaginava... Também ninguém disse que seria fácil — Hinata concluía seu pensamento.

Finalmente Hinata foi chamada, após as duas candidatas que estavam à sua frente terem sido dispensadas, como tantas outras que não foram escolhidas. Mas mesmo com medo do que estava por vir, ela sabia que aquela era a hora tão aguardada e ela daria o seu melhor! Ao entrar na sala de Hyanna, a Hyuuga ficou impressionada com o tamanho do local, caminhando alguns passos, ela parou em frente à mesa da Konnyki e esta fez um gesto para que se sentasse.

— Ora, ora... Se não é a garota de ontem — comentou Hyanna.

— Mais uma vez, eu sinto muito pelo que houve — Hinata dizia sem graça, fazendo uma breve vênia. Como temia, Hyanna havia se lembrado de cara dela.

— Tudo bem, já esqueci daquilo — a outra sorria gesticulando, antes de pegar a ficha da Hyuuga entre as mãos — Aqui na sua ficha diz que você nunca trabalhou, correto? — indagou, mudando de assunto.

— Sim, na verdade eu sou do interior, vim para Tokyo para estudar e ganhei uma bolsa de estudos na DKU para fazer administração, mas eu preciso de um trabalho para me manter, então resolvi tentar a sorte aqui — ela foi o mais sincera possível.

— Então você vai fazer curso de administração na DKU? Eu também vou, isso significa que seremos da mesma turma. Eu tive alguns problemas, então só agora poderei fazer a minha facul... — Hyanna comentava, girando levemente em sua cadeira de um lado para o outro, enquanto largava a ficha de Hinata sobre a mesa.

A Hyuuga realmente estava assustada com o modo como Hyanna conversava com ela descontraidamente, como se as duas já fossem velhas amigas. Hyanna era bem diferente do que todos comentavam, apesar de ser rica e estar num nível bem acima que muitos cidadãos de Tokyo, ela era “normal”... Seria possível?

— Sabe... Eu fui com a sua cara, sei lá — Hyanna continuava, dispersando a Hyuuga de seus pensamentos — Apesar de você não ter experiência, vejo que você é uma garota inteligente e tem força de vontade, e pelo fato de você ter ganhado uma bolsa de estudos integral na DKU é porque realmente você é uma garota excepcional — Sorriu — Vou te dar um voto de confiança. Seja bem vinda à EK! Você será a minha secretária pessoal. Começamos amanhã às 9 horas com o treinamento.

— É sério? Você realmente está me contratando? — a Hyuuga ainda tentava raciocinar direito, abrindo um sorriso quando a Konnyki lhe assentiu — Muito obrigada mesmo por me dar esta chance, prometo que não vou decepcioná-la — concluiu Hinata realmente emocionada, afinal, ela não esperava isso.

— Eu não fui com a cara de nenhuma das outras candidatas, só com a sua. Segundo meu pai, secretária pessoal convive muito com a gente, e tem que ser alguém com quem tenhamos simpatia, senão não rola... — a mais velha explicava — Agora espere aí um minuto, eu vou chamar a outra que vai ser minha recepcionista e, em seguida, apresentarei vocês ao meu pai — concluiu.

Hyanna, então, chamou Akane, uma jovem de 25 anos, já formada em administração e que falava inglês fluentemente. As outras foram dispensadas. Depois que a Konnyki explicou mais ou menos como seria a rotina de trabalho, ela levou suas escolhidas para apresentá-las ao pai. Em seguida elas conheceram a empresa por alto e depois de acertarem toda a documentação, receberam uniformes para trabalharem no dia seguinte. Por fim foram dispensadas.

Ao chegar em casa, Hinata não se aguentou de felicidade, e logo tratou de ligar para Neji falando que tinha conseguido. Mesmo surpreso com a notícia — já que ele nunca pensou que a prima iria conseguir a vaga — ficou muito feliz por ela.

゚。・*.゚☆゚.*・。゚

 

No final da tarde daquele mesmo dia, já se podia ver a movimentação de veículos em frente à Instituição de Ensino Integral Uzumaki, mais conhecida como DKU — Daigaku Kamoku Uzumaki, ou Cursos Universitários Uzumaki — pelos universitários que apelidaram o local para se diferenciarem dos estudantes padrões. Isso porque a Instituição proporcionava o mais alto padrão de ensino desde a pré-escola até a Universidade, sendo a primeira a adicionar o ensino superior à escola tradicional em uma mesma instituição, graças à inovação que Kushina trouxe à instituição de ensino da família quando assumiu sua direção.

Pouco tempo depois, todos os alunos da DKU já estavam no local para o primeiro dia de aula. Como era costume, no primeiro dia os alunos se reuniam no teatro da instituição — que era um espaço destinado à palestras, apresentações e reuniões, contando com um palco médio e assentos que comportavam grande número de pessoas  — para ouvir o pronunciamento de boas vindas da diretora da escola, Kushina Uzumaki, que apresentava os professores e demais funcionários. Isso também acontecia no período diurno com os demais alunos do ensino padrão. Não era algo demorado, nem tão formal, mas contava como tradição naquele lugar. Naruto, Sasuke, Gaara e Hyanna chegaram em cima da hora e se sentaram nas primeiras cadeiras da plateia, já reservadas para eles. Ninguém ousava sentar nos ditos lugares. Depois do pronunciamento de boas vindas, apresentação dos professores e lembretes importantes, os alunos foram para suas turmas.

Hyanna e Naruto foram para a mesma classe, já que ambos iam fazer administração. Ao entrarem na sala, foi visível a bajulação de todos por eles, até os professores lhes davam tratamento especial. Naruto já estava acostumado com tudo aquilo, mas Hyanna se sentiu incomodada, mas ficou na dela. Ela e o primo se sentaram no fundo. As primeiras carteiras eram dos nerds e bolsistas, já que eles precisavam de notas excelentes para manter suas bolsas, pelo menos essa era a teoria por lá.

Hinata, como era novata, acabou se perdendo nos corredores daquela instituição — que mais parecia um castelo, pelo seu tamanho absurdo e as dezenas de salas espalhadas por ali — então se atrasou ao entrar na sua sala. Quando finalmente encontrou a classe de administração a qual estava matriculada, pediu licença ao professor para entrar, mas não contava que chamaria tanta atenção com o fato. Pelo jeito simples e o estilo dela se vestir, já sabiam que a Hyuuga era uma bolsista e os olhares de desprezo recaíram sobre ela. A jovem já estava preparada para isso, sendo muito advertida pelos seus amigos, então ela não se importou e se sentou na primeira carteira que viu e ficou na sua. Já Hyanna, por outro lado, achou patético o tratamento que todos tiveram para com Hinata, só pelo fato de ela ser bolsista. Mas, por hora, ela somente observou, porém se as coisas fugissem de controle, ela iria interferir de alguma forma.


Notas Finais


Então vamos para o próximo...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...