História Song Like You. - Capítulo 10


Escrita por:


Notas do Autor


Feliz ano novo, meus xuxussssssss!
Que esse ano de 2020 seja do caralho para todos nós, é isto.
Boa leitura.

Capítulo 10 - Still the devil.


Encarei Olivia, que mantinha sua atenção em seu telefone.

Ela estava sentada no chão da sala, sobre o tapete felpudo, vestindo um pijama meu, com seu rosto limpo e seus cabelos soltos.

Algo naquilo prendia minha atenção. Era Olivia Hall bem na minha frente, da maneira mais despreocupada que eu já havia visto. Seus olhos verdinhos focados na tela de seu celular, seus cabelos escuros caídos sobre seus ombros, seus pés se esfregavam no tapete macio de maneira quase infantil. Seu cheiro me envolvia como nunca antes, e mesmo estando ali, quietinha, eu podia sentir as borboletas agitadas em meu estomago.

- O que acha desse? – Olivia virou a tela de seu celular para mim, me mostrando um lanche de um fast food na esquina de casa. – Eu não como um hambúrguer a tanto tempo. – Ela soou quase nostálgica, enquanto eu apenas sorri, assentindo.

Não, eu não queria parecer uma idiota apaixonada. Eu não queria estar tão rendida aos seus pés, mas a cada vez que nos encontrávamos se tornava mais difícil porque a cada vez que nos encontrávamos ela se aprecia menos com o que eu passei anos ouvindo, ela se parecia menos com o bicho de sete cabeças que eu inventei parar me manter longe. E cada vez que eu chegava mais perto eu conseguia ver como seu sorriso era doce e seus olhos também podiam ser.

- Certo, então vai ser esse! – Ela disse mais baixo, ainda concentrada.

Eu estava ao seu lado, me esforçando ao máximo para que ela não percebesse que eu poderia passar horas ali, olhando cada detalhezinho dela. A maneira como ela mexia em seus cabelos vez ou outra, ou como seus pezinhos deslizavam sobre o tapete.

- Agora nós esperamos – Ela disse fingindo um tédio, me fazendo rir.

A mais velha largou seu celular na minha mesa de centro, voltando sua atenção para mim.

- Posso saber o motivo da senhorita me olhar tanto? – Seu tom de voz foi mais baixo e consequentemente mais rouco.

Eu sorri desviando o olhar para o chão. Ela havia percebido, obviamente! Se tratava de Olivia, ela sempre foi capaz de perceber tudo, eu sabia disso como ninguém.

Neguei com a cabeça, nervosa, vendo-a rir.

- Está nervosa, Theodora? – Ela disse como se pudesse ler minha mente.

- Não... Claro que não! – Disse, podendo ouvir a gargalhada de Liv.

- Você esteve por aí, cantando para milhares de pessoas durante um longo tempo, com shows esgotados até mesmo fora do país, uma verdadeira estrela da música. – Ela disse com um sorriso nos lábios. – Mas o que te deixa nervosa sou eu? – Ela perguntou divertida.

Eu neguei sorrindo, vendo Olivia se divertir as minhas custas.

- Eu consigo perceber as coisas, sabe disso. – A mesma disse ainda sorrindo. Aquele maldito sorriso podia acabar com a minha vida. – E toda vez que eu faço isso – Olivia se moveu, se aproximando mais. – Você fica visivelmente mais nervosa.

Seus olhos estavam tão perto que eu podia ver as nuances em suas íris.

Olivia se inclinou um pouco mais, tocando a ponta de seu nariz, respirando fundo em seguida.

- Eu adoro te deixar nervosa – Ela disse baixinho em meu ouvido, me deixando arrepiada.

Eu senti uma onda de excitação correr por meu corpo, parando exatamente no meio das minhas pernas, me lembrando que Olivia ainda era o diabo, e que me deixava quente como o inferno.

Sua língua deslizou por meu pescoço e um gemido escapou dos meus lábios, quase me deixando irritada. Sim, irritada. Eu quase me senti irritada por estar sempre tão entregue a ela. Mas o sentimento perdeu a força quando uma de suas mãos se enrolou em meus cabelos, os puxando com a força necessária para me fazer gemer mais uma vez.

- Adoro saber que milhares de pessoas não consegue te deixar tão nervosa quanto eu – A mais velha se gabou, me olhando como se pudesse ver minha alma, fazendo com que eu desviasse o meu olhar para os seus lábios.

Ela falava baixo, com sua boca curvada em um sorrisinho vitorioso. E eu me perguntava como alguém poderia ter tanto poder sobre mim a ponto de me deixar molhada apenas por falar. Mas aquela era Olivia Hall e as coisas com ela eram assim desde o início, desde o dia que coloquei meus olhos nela pela primeira vez.

Eu sabia muito bem desde o primeiro contato que eu beijaria os pés daquela mulher se assim ela desejasse. Porém aquilo não se tratava da beleza de Olivia, algo nela me atraia como um imã. E mesmo sentindo cada parte de mim atraída por aquela mulher tudo o que eu pude fazer foi me afastar, correr para longe dela, antes que o obvio acontecesse, antes que eu caísse aos seus pés e me rendesse aos seus encantos, exatamente da maneira que estava acontecendo naquele momento. Eu jamais entenderia o porquê de Oliva ter tanto poder sobre mim, mas conseguia sentir em minhas veias que eu nunca seria forte o suficiente para ir contra. Mesmo tentando, eu sempre acabaria ali, torcendo por mais, mais contato, mais proximidade, querendo estar debaixo de seu olhar atento, bem como acontecia ali.

Ela umedeceu seus lábios com sua língua, me fazendo agir em um impulso e beija-la.

Havia urgência naquele beijo, seus lábios quentes nos meus, nossas línguas se tocavam e se moviam em sincronia, era ela quem estava comandando, ditando a velocidade. Com suas mãos me tocando com volúpia, me fazendo sentir um misto de sensações que eu jamais havia sentindo. As borboletas em meu estomago pareciam se multiplicar, e agora eu podia notar que talvez elas também estivessem em minha calcinha.

Com suas mãos espertinhas, Olivia passeou por debaixo da minha blusa, tocando minha pele, fazendo com que eu me agitar ainda mais, sentindo a umidade em minha roupa intima.  

Seu gosto, seu cheiro, seu toque, eu estava totalmente envolvida por Olivia.

Quando a falta de ar nos tornou ofegantes demais para que nossos lábios permanecessem grudados, a boca de Olivia se soltou da minha e rapidamente deslizou por meu pescoço.

- Olivia! – Eu gemi seu nome quando ela mordiscou a região.

- Faça isso de novo e eu vou ter que te levar para a cama – Ela sussurrou em meu ouvido e puta que pariu, eu senti meu corpo amolecer no mesmo instante.

Quando suas mãos rápidas avançaram por debaixo da minha blusa, tocando um de meus seios por cima da minha lingerie e eu gemi quase que em sincronia com o interfone, que tocou alto e alarmante, fazendo Olivia se afastar de mim.

- Nossa comida! – Ela cantarolou já de pé, fazendo uma dancinha.

Fiz bico, como criança pequena, vendo-a atender o interfone, enquanto me olhava.

Quando o aparelho foi devolvido ao gancho a mulher calçou meus chinelos, indo até a porta.

- Eu cuido de você daqui a pouco. – Ela sorriu com malicia. – Sem pressa, eu sei que você é boa em esperar. – Olivia zombou antes de me deixar sozinha ali.

Sim, ela ainda era o diabo, mesmo sorrindo como um anjo!

 


Notas Finais


Primeiro capitulo do ano!!!!!!!!!!!!!!!! E se trata apenas de alguns momentos de paz, porque já deixo avisado que muita merda vai rolar.

Meu deus como eu sou apaixonada por Olidora, Halleid, Theoliv? Não sei, sou péssima para nome de casal, o que eu sei é que elas são minha morte............. Que casal, amigos, que casal.

Enfim, comentem o que acharam do capitulo, o que acham que pode acontecer, comentem um nome shipper decente, eu vou ficar grata!!!! kkk

Vejo vocês em breve, beijinhos!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...