História Song writter (STRAY KIDS x YOU) - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias Stray Kids
Personagens Bang Chan, Han Ji-sung, Hwang Hyun-jin, Kim Seung-min, Kim Woo-jin, Lee Felix, Lee Min-ho, Personagens Originais, Seo Chang-bin, Yang Jeong-in
Tags Chanbin, Cute, Felix Chan, Hentai, Hyunjin, Jeongin, Jisung, Kpop, Lee Felix, Lee Know, Minho, Seungmin, Shoujo, Stray Kids, Woojin
Visualizações 201
Palavras 2.072
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Fluffy, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


AMANHÃ TEM COMEBACK EU TO TÃO SOFT
Espero que gostem do cap e desculpa se eu perdi algum errinho.

Capítulo 3 - Who?


Acordei com a claridade do sol, havia esquecido de fechar as cortinas então não poderia culpar ninguém. Sento ainda sonolenta e coço meus olhos com a parte de trás das mãos, ao lembrar de ontem dou uma leve risada, foi um dia engraçado.

Levanto cambaleando até o banheiro, lavo meu rosto para despertar e me encaro no espelho por alguns segundos antes que desse um breve suspiro. Me parecia cedo então provavelmente teria tempo antes da aula. Lentamente ando de volta a minha cama e me jogo, a tela de meu computador acende me incomodando com o brilho.

— Stray Kids. — Leio a pesquisa aberta. Não acredito que passei quase a noite toda pesquisando sobre eles, foi a maior perda de tempo do mundo, mas minha curiosidade era tão grande que não consegui me controlar.

Desbloqueio meu celular, haviam muitas mensagens de Dahyun, provavelmente sobre ontem. Abro sua conversa e meus olhos se arregalam.

— Eu estou louca para ver a cara da Seohyun, se ela começar a se achar demais posso jogar na cara dela que conheceu os Stray Kids.

Seohyun era uma garota de nossa turma, não era uma verdadeira ameaça mas se achava demais, seu pai é um empresário famoso então ela tem dinheiro e tenta se aproveitar disso até o fim. Não suportamos ela e Dahyun a odeia, já que tem uma família simples e Seohyun crescida em berço de ouro consegue o quer quando quer.

Ela estava viajando para Hong Kong com seu pai, provavelmente conheceu algumas pessoas importantes e chegaria com varias provocações. Eu preciso dizer a Dahyun que ela não pode abrir a boca.

— Acordou cedo. — Dou um pulo com o susto que tomei. Nayeon sabia que eu odiava quando ela entrava assim, mas fazia na intenção de me irritar.

— Nayeon, já pedi para não chegar assim. — Digo soltando meu celular discretamente e caminhando até minha mesinha. — O que veio fazer aqui?

— Vim te acordar, papai queria que levantasse mais cedo hoje. — Ela diz andando até minha cama e pegando meu celular, corro até ela dando um leve tapa em sua mão. — Yah! Enlouqueceu foi? O que tem aí que não posso ver?

— Nada. — Respondo um pouco nervosa. Se Nayeon visse isso com certeza encheria meu saco. — Eu só não acho certo que mexa nas minhas coisas, até parece que eu invado o seu quarto e faço o mesmo com as suas. — Nayeon pareceu surpresa com minha resposta, era mesmo convincente mas parecia ter ferido um pouco seu ego.

— Okay, sem problemas. — Ela saiu sem dizer mais nada, acho que peguei um pouco pesado dessa vez, afinal ainda somos irmãs.

Suspiro pesado e passo a mão pelos meus cabelos, eu teria que me desculpar com ela depois, mas isso não era minha maior preocupação agora. Preciso falar para Dahyun que ela não pode contar a ninguém sobre meu encontro com os meninos do Stray Kids, ou ela vai acabar usando isso em uma discussão contra Seohyun.

Pego meu celular e disco seu número, ela não atendeu e senti meu coração acelerar por um segundo, e se ela contar? Meu tio vai me matar, seria um escândalo. Notícias falsas, provavelmente seria atacada por fãs maniacas. Coço minha nuca dominada por pensamentos, um mais louco que o outro, Dahyun ainda não me atendia e não respondia minhas mensagens.

— Aish! Onde ela se enfiou? — Bufo sozinha e resolvo me arrumar de uma vez. — Dahyun, hoje eu te mato.

Ponho meu uniforme correndo, eu teria tempo o suficiente para fazer tudo mas queria sair mais cedo já que teria que encontrar Dahyun e manda-la ficar de boca fechada. Desço as escadas correndo, todos estavam sentados na mesa comendo em silêncio, Chaeyoung pareceu surpresa em me ver arrumada para a aula tão cedo.

— Bom dia. Vejo vocês depois. — Digo pegando uma maçã enquanto seguro minha mochila da forma desajeitada.

— Não vai tomar café? — Pergunta Chaeyoung e nego. — Mas é cedo, você tem muito tempo.

— Eu sei, é que eu... — Olho para meu pai, ele me encarava esperando uma resposta plausível. Não posso dizer que estava a caça da Dahyun para “bater papo”. — Eu estou planejando a festa de primavera, sabe, atividades da escola.

Papai pareceu satisfeito, não disse uma palavra me deixando sair sem nenhum sermão dessa vez, respirei aliviada e corri até a porta. Me apresso para chegar o mais rápido possível e paro em frente a sua porta tocando a campainha freneticamente, a mãe de Dahyun atende com um sorriso confuso.

— S/N? A Dahyun não está, ela saiu para a aula mais cedo. — Inconscientemente abro minha boca com uma expressão surpresa. — Algum problema? — Nego e me curvo antes de sair andando estática sem nem trocar uma palavra.

Meus passos largos automaticamente se transformaram em passos extremamente rápidos, ou seja, eu corria desgovernada palas ruas até chegar na escola, a qual ainda estava um lotada pelo horário.

Atravesso o portão olhando para todos os lados na esperança de ver Dahyun, mas ao invés disse vejo uma aglomeração de gente, provavelmente em volta de Seohyun. Eu me senti a própria vidente quando me aproximei é a vi sentada na mesa com suas pernas cruzadas e um ar de superioridade. Dahyun a olhava com raiva.

— Bom, sabem como é, nem todo mundo pode ter os mesmo privilégios. — Ela diz em voz alta e como uma provocação, olhou rapidamente para Dahyun, que em um piscar de olhos já estava em frente a Seohyun com um olhar cínico. — Algum problema?

Dahyun riu fraco.

— Não, nenhum. Só não se ache muito, você não é a única que conhece gente influente aqui. — Disse a olhando de cima a baixo, Dahyun é um doce de pessoa, mas se precisar, pode agir como uma verdadeira cobra.

— Bom, não é o que parece. — Respondeu se levantando e encarando Dahyun de maneira desafiadora. Ela usa dois dedos e empurra levemente o ombro de Dahyun. — Você não é lá essas coisas.

Dahyun inclina seu rosto olhando para os dedos de Seohyun, ela provavelmente queria acertar a cara dela mas apenas respirou fundo. Eu não podia ver isso acontecer e ficar em silêncio, não era justo. Dei um passo a frente e sou surpreendida pela voz de Dahyun.

— Sabe, eu não queria ter que dizer isso mas... — Ela leva um dos dedos até os de Seohyun que ainda estavam em seu ombro, e os empurra como se tivesse nojo de toca-la por completo. — A S/N... — Começou. Eu congelei dos pés a cabeça.

Corri até elas e pus minha mão tapando a boca de Dahyun a impedindo de continuar.

— Eu... — Sorrio nervosa e Seohyun me olha esperando uma resposta. — Eu tenho mais o que fazer do que perder tempo com você. — Respondo simplista enquanto arrasto Dahyun para fora da rodinha.

Ela se debatia o que deu mais trabalho para arrasta-la para fora, quando estávamos longe o suficiente da sala retirei minha mão recebendo um xingamento de imediato.

— Mas que merda, por que fez isso? — Perguntou um pouco alto. — Eu ia calar a boca dela de uma vez.

— Talvez porque ninguém pode saber disso? — Ela faz uma cara pensativa. — Já pensou como seria? As notícias, as fofocas, mentiras. Atrapalharia o meu tio, e pior, os meninos.

Dahyun pareceu compreender dali, deu um suspiro e passou seu braço por trás de meu pescoço.

— Okay, eu entendo. — Disse me fazendo dar um sorriso simples. — Mas... Eu queria tanto poder calar a boca daquela... — Ela solta um grito de raiva que me faz dar um pulo para longe, ela então da um sorriso forçado e me puxa de volta para perto.


•─────✧─────•


Dahyun guardava seu material de qualquer jeito, fazendo com sua mochila não fechasse totalmente. Ela revira os olhos e agarra em minha alça me arrastando para fora da sala, em um piscar de olhos estávamos passando pelo portão de entrada.

— Yah! Mas que pressa, tem compromisso? — Pergunto agarrando seu braço e a puxando.

— Eu estou fugindo do Soonyoung. — Coçou sua nuca um pouco envergonhada.

— O que? De novo? — Ela assente e reviro os olhos. — Vocês parecem duas crianças.

Dahyun estava prestes a falar, sua boca se manteve aberta por um bom tempo.

— Yah! Tem algo na minha cara? — Pergunto mas ela nem ao menos presta atenção. Dahyun não olhava para mim, olhava para o que tinha atrás de mim. Me virei lentamente dando de cara com ele. — O que você está fazendo aqui?


Jisung P.O.V


— Hyunjin, eu não entendi porque quis sair agora? É horário de saída, alunas loucas por toda parte. — Digo enquanto caminho ao lado de Hyunjin na rua, ele deu de ombros e continuou caminhando com pressa.

Hyunjin estava agindo estranho, ele disse que me explicaria quando chegasse a hora mas isso não está me parecendo confiável. Mesmo se me recusasse a ir ele me arrastaria a força, então prefiro ficar sem nenhum machucado.

— Okay, eu vou te explicar. — Ele disse parando em frente a uma escola. — Eu conheci uma garota, ela estuda aqui e eu quero vê-la de novo.

Eu olhei para Hyunjin e para o portão do colégio repetidas vezes até finalmente o acertar na nuca.

— Hyunjin! — Berrei. — Você perdeu completamente a noção, foi o Jinyoung subaenin que disse algo como “Siga seus sonhos”? — Pergunto imitando sua voz arrancando uma risada de Hyunjin.

— Não, é que... — Ele deu uma pausa e suspirou. — Eu conheci ela fugindo de algumas fãs. Eu acabei a derrubando e ela gritou comigo.

— Então você é masoquista? Uhm, gosta de gritem com você? Posso fazer isso. — Ele ri de minha resposta sarcasticamente e me acerta um peteleco na testa, faço uma careta e o mesmo revira os olhos.

— Não é isso. É só que... Ela não me reconheceu. — Eu estava chocado, arqueei a sobrancelha para que ele continuasse. — Ficamos cara a cara, ela não me deixou correr porque eu não havia pedido desculpas e ai acabamos juntos em um beco, mesmo sem máscara ela não sabia quem eu era.

Fico em silêncio por alguns segundos, revirou seus olhos e pegou em minha mão me arrastando para um canto vazio ao lado da escola. O olhei confuso e ele bufou.

— Se vai ver a garota, não é melhor que faça isso sem outras 40 ao seu redor gritando o seu nome? Ou espera que todos ai dentro não tenham internet como ela. — Ele sorri.

— Jisung, você é péssimo. — Ele disse e fizemos um cumprimento.

Ficamos alguns minutos ali, eu já não suportava mais ficar parado, Hyunjin tinha me dito que me compraria comida, e aqui estou eu de espreita em uma escola. Ridiculamente clichê.


•─────✧─────•


— Olha, tem gente saindo. — Hyunjin diz enquanto eu comia um pacote de salgadinhos que o obriguei a pagar, já que ele havia mentido sobre o almoço.

— Eu estou vendo, será que ela veio hoje? — Pergunto comendo mais um salgadinho.

— Eu acho que sim. — Hyunjin responde me olhando rapidamente e voltando sua concentração para o portão, mas logo ele volta seu olhar sobre mim. — Jisung, você não acha que deveria por a máscara? E se alguém te reconhecer?

— Eu jogo você na frente, você é mais bonito e popular. Assim eu posso correr. — Ele me acerta na nuca e faz sinal para que eu coloque a máscara. O ignoro e volto a comer sem me preocupar se alguém iria me reconhecer.

Hyunjin de repente começa a me bater repetitivamente, ele acerta meu salgadinho o fazendo cair. Okay, Hyunjin estava morto.

— Yah! Você tem problemas? — Ele tapa a minha boca e vira minha cabeça em direção a duas meninas.

— É ela. — Ele diz ainda com sua mão em minha boca. Hyunjin parecia estar em outro mundo.

— Quem? — Respondo após jogar sua mão para longe, ele viajava e demorou um pouco até responder.

— A de all star. — Hyunjin mantinha seus olhos nela.

Viro meus olhos em direção a ela e meus olhos encontram seu rosto.

— O que?! — Era ela, a sobrinha do JYP!


Notas Finais


Espero que tenham gostado do caaaap.

saranghae ♡


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...