História Sonhos - (Em revisão) - Capítulo 17


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, Jeon Jungkook (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Sehun, Suho
Tags Bangtan Boys, Bts, Hot, Imagine, Imagine Bts, Imagine Bts Hot, Imagine Hot, Imagine Hot Bts, Imagine Jimin, Imagine Jungkook, Imagine Jungkook Hot, Jimin, Jungkook, Kook, Kookie, Romance, Shoujo Romântico
Visualizações 94
Palavras 1.619
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Festa, Ficção Adolescente, Hentai, Lemon, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Álcool, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


OIE GENTEEEEEEE
TRÊS MILHÕES DE ANOS DEPOIS E EU APARECI. KKKK
Desculpa genteeeeeee
Me matem logo ahhhh
Exatamente hojee começa a semana 7
O que seria a semana 7?
Bom, vamos ter 7 capítulos UHUUUUU
É o seguinte galerinha, vou postar capítulos todos os dias, porém, somente durante 1 semanaaaa.
Acho que falei sobre isso no último capítulo que postei recentemente.
Mas enfim, quis fazer isso para recompensar vocês pela demora...
Então a partir de hoje, todos os dias a partir das + - 19, 20 hrs vai ter capítulo novinho aqui no Spirit!
Mais uma vez me desculpem pela demora.
Agora sem mais delongas, vai ler o capítulo vaii!! Beijão gatinhos/as!!
❤️
😄
❤️

Capítulo 17 - Uma bela dor de cabeça


Fanfic / Fanfiction Sonhos - (Em revisão) - Capítulo 17 - Uma bela dor de cabeça

<• No Capítulo Anterior •>

É tão errado assim, desejar uma garota, mesmo que eu não tenha sentimentos por ela?

<•>

Senti o raiar do sol bater sobre meus olhos, aquela sensação gostosa que eu sentia a cada manhã que se amanhecia. Uma sensação boa, me trazia grande tranquilidade, significava que mais um dia havia se passado, mais um momento aproveitado, porém -como a alegria dura pouco tempo-, me obrigava a acordar daquele meu conforto espiritual. 

Suspirei fundo e meio contrariado, abri meus olhos lentamente, piscando repetidas vezes, para que eu me acustumasse à luz forte que domava todo o cômodo. 

Com uma preguiça maior que o próprio animal, que nem Jesus sabe descrever, fui me sentar na cama para que eu me espreguiçar, mas algo estava me impedindo de realizar essa mesma ação... e então foi aí, que acordei pra realidade.

Eu tinha dormido com S/n, e a mesma estava com seus braços rodeando minha cintura, e eu fazia o mesmo, já que estávamos em uma posição de "conchinha".

Meio desesperado pela tal situação, sem saber o que fazer, comecei a respirar fundo pensando na solução, por algum motivo, estar tão perto assim de S/n, me deixava desestabilizado, me causava arrepios e acelerava meu coração. 

Não era algo bom, já que essas sensações, eram as mesmas que sentia quando eu conheci S/n, as mesmas sensações de quando eu a amava. 

Mas pode ser que não seja isso, faz tempo que não vejo ela, e então de repente ficar tão perto dela assim deve ter me assustado, já que essa é a segunda vez que nos encontramos depois de 6 anos, então acho que posso dizer que essas sensações são... Normais?

Finalmente me dei conta do que poderia fazer. Retirei delicadamente seua braços de perto de mim, os colocando na cama, e lentamente e bem calmo -agora-, retirei meus braços de perto dela. 

Me sentei na cama preguiçosamente, e olhei para S/n, ela dormia profundamente, por mais que aquela garota que estava deitada a minha frente seja uma pessoa agitada e bem brava -as vezes-, naquele momento, seu semblante era pacífico, completamente calmo, era diferente, sinceramente, confesso que ver ela daquela maneira, me fez lembrar dos tempos em que morávamos juntos na casa de meus pais, passaram se 6 anos... 

Uau... já faz tanto tempo assim? 

Quando penso e relembro daqueles dias, sinto como se tivesse sido ontem...

Após breves momentos observando ela, me levantei silenciosamente, fazendo o mínimo de barulho possível para que eu não acordasse ela e tivesse que explicar tudo o que aconteceu ontem a noite, e confesso que não estou nem um pouco afim de ter de falar para que a mesma não duvide de mim, pois conhecendo S/n como é, ela provavelmente vai me interrogar querendo saber tudo. 

Mas enfim, voltando, fui dando passo por passo, evitando qualquer tipo de ruído que fosse... o que não deu muito certo, já que eu acabei batendo meu dedinho no pé da cama. Eu queria dar um grito, pela dor que senti, mas antes que eu pudesse gritar, me lembrei da situação em que eu estava, e me conti. Mordi meu lábio bem forte, em "compensação".

Será que algum dia alguém vai poder me explicar por que existe essa droga de dedinho do pé?! Por que sinceramente, eu não duvido nem um pouco de alguém ter amputado esse dedo! Já que eu tenho bastante vontade de fazer isso cada vez que tropeço em algum lugar. Até parece que esse dedo tem conexão via bluetooth com canto de móveis, pé de cadeira, de cama, não é possível! 

Respirei fundo -mas silenciosamente-, e senti meu corpo liberar a endorfina, aliviando meu estresse e aumentando o prazer.

Dei uma pequena espiada para ver se eu havia acordado a moça que dormia ali, e com algum milagre, ela não havia nem se mexido. 

Peguei meus sapatos -que pelo jeito eu havia retirado- e os coloquei, ainda tentando fazer o máximo de silêncio possível, peguei tudo que me pertencia. Em passinhos de esquilo, fui até a porta, abri, e assim que estava prestes a sair dali, ouço uma voz.

- Dorme comigo, e na manhã seguinte tenta desaparecer?

Era S/n. 

Respirei fundo.

Ah, que situação eu havia me enfiado, tentei formular alguma resposta, mas infelizmente, meu cérebro havia se lascado tanto ao saber que ela estava acordada que não consegui pensar em absolutamente nada, acabei me virando para ela com uma cara provavelmente banal, já que a mesma deu um leve sorriso ao ver meu semblante... Suspiro frustado, sem saber o que falar. Ela ri.

- Parece que alguém mudou bastante.

Fiz uma expressão confusa, por não entender o que ela quis "passar" com sua pequena fala. E acho que isso estava escrito na minha testa, já que a mesma acabou complementando o que quis dizer com suas palavras.

- Que eu me lembre, você me acordava com selinhos no rosto, e "Bom dia".

Ela diz sarcasticamente com um sorrisinho no canto dos lábios.... Ah, eu já conhecia aquele sorriso, era o mesmo que ela usava para provocar alguém tanto fisicamente quanto psicologicamente, já que ela havia conseguido ferrar com o meu psicológico mais ainda. Respirei fundo novamente e fechei a porta. Fui até a beirada da cama e olhei para ela, com uma expressão já séria.

- S/n, eu sei que temos um passado juntos, eu admito isso. Só que então um dia, você de repente desapareceu, sumiu... e a vida continuou andando, eu me apaixonei por outra pessoa, e você pelo que parece, também. Então por favor, não leve essas coisas que aconteceram para o lado pesso...

S/n coloca o dedo em meus lábios, me calando e fazendo com que eu, ao mesmo tempo me surpreendesse com sua ação. Ela olhava com seus olhos praticamente fechados, bem sonolentos, e com aquela cara de quem bebeu bastante na noite anterior.

- JK, eu acabei de acordar, ainda não consigo nem me lembrar do que aconteceu ontem ou do por que dormimos no mesmo quarto ou então sequer na mesma cama. Sem contar que estou com uma puta dor de cabeça.

- Mas S/n...

- Olha, eu não estou muito disposta para responder suas perguntas, e formular respostas para o que você vá falar pra mim, então, vamos fazer o seguinte, que tal marcamos um outro dia para tomarmos um café e conversarmos tranquilamente?

Respirei fundo novamente, e tentei lhe responder da forma mais calma possível.

- Eu até concordaria com você, aliás, tenho muitas perguntas para te fazer, mas, como eu poderia falar para a Seohyun que vou ir me encontrar com a minha ex, que reencontrei recentemente e que por coincidência, é sua veterana no hospital?! Não tem como eu dizer isso, não sei qual seria a reação da Hyuna...

- Se não quer falar a verdade, o que em todo o caso, é o certo, simples... Minta.

- Mas eu também não quero mentir!

Ela dá um riso soprado, fecha um pouco seus olhos e enfim, se volta de frente para mim.

- Mas como você disse, quer me fazer perguntas... Se quiser fazer com que elas sejam respondidas, você vai ter que ir por um dos caminhos: Verdade ou a mentira.

...

O que eu deveria fazer nessa situação? S/n está falando com seus olhos semiabertos por conta do sono, está com a voz meio lenta, o que a deixa de alguma forma mais... calma, era praticamente a mesma expressão da qual ela estava dormindo. Seus cabelos estavam bagunçados por que acabara de acordar, sua roupa... Bom, é a mesma de ontem a noite, porém está mais reveladora... O que faz com que eu me esforce o máximo para não descer os olhos para seus seios, que por algum péssimo motivo, estão fazendo com que eu me atraia por ela.

Respirei fundo e optei pelo melhor, que não me causaria problemas nem intrigas. Bom, pelo menos era isso o que eu pensava.

- Mentira.

S/n deu uma pequena risada ao ouvir minha escolha, com aquela cara de "eu já imaginava", mas enfim se levantou e se espreguiçou.

- Combinado então. Que tal amanhã no restaurante que fica no segundo andar do prédio Xitz?

Meio contrariado com a minha própria decisão, assenti e sai do quarto.

Minha cabeça já esquentava só de pensar no problema que eu me enfiaria se por alguma desgraça, Hyuna soubesse desse encontro. 

Ela é muito emotiva, não daria muito certo... E sinceramente, não quero vê-la triste. Nunca imaginei que encontraria S/n novamente, pelo menos não nos últimos anos. Claro que teve uma época em que eu queria que ela voltasse mais que tudo, pra mim ela era minha vida, mas depois de bater várias vezes a cabeça na parede, decidi que não ia mais encontrar S/n, aceitei o fato de que seria basicamente impossível reencontrar ela. 

Agora a pergunta que mais martela minha cabeça. Por que ela só apareceu agora? Porquê Deus? Por que mandou ela somente agora? 6 anos depois?! 

Passei uma fase tão complicada por causa dela, e assim que a supero, me estabilizo emocionalmente, amorosamente, ela aparece das trevas. 

Eu a amava, só que superei ela, e não vai ser agora que vou voltar a sentir algo por ela. Pode ser que seja o destino, mas também pode ser só uma coincidência...

Mas... Existe coincidência como tal?

Bom, minha ex namorada, que já foi o amor da minha vida, desapareceu por 6 anos. Agora ela reaparece no mesmo hospital, como médica veterana da minha namorada, que por acaso, é uma das amigas da Hyuna, tanto que ela até a convidou para o aniversário dela. 

Tem coincidência como essa?

Sinceramente, nesse exato momento, só sei a dor de cabeça que isso irá me trazer.

- Pelo jeito, uma bela e péssima jornada está por vir.

Disse por fim, antes de entrar em meu carro.

C o n t i n u a . . .


Notas Finais


Espero que tenham gostado, e até o próximo capítulo gatinhos/as!!
Beijooooooooo❤️😄❤️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...