História Sonhos Elementais - Dramione - Capítulo 33


Escrita por:

Postado
Categorias Harry Potter
Personagens Blásio Zabini, Draco Malfoy, Gina Weasley, Harry Potter, Hermione Granger, Lucius Malfoy, Minerva Mcgonagall, Pansy Parkinson
Tags Draco Malfoy, Drama, Dramione, Harry Potter, Hermione Granger, Lírica, Poesia, Romance, Tragedia
Visualizações 118
Palavras 1.174
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Fantasia, Hentai, Lemon, Lírica, Literatura Feminina, Magia, Mistério, Poesias, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Tentarei manter uma frequência de um por dia. Espero que gostem.

Capítulo 33 - Terra - Vamos salvá-los


- Blásio, acorde – uma mão balançava continuamente seu corpo cansado, ele sentia mãos delicadas que lhe proporcionavam boas sensações e recordações – acorde, Blásio! – em um salto, ele se pôs de pé. Reconheceu Gina Weasley que vestia um suéter rosa feito por sua mãe com uma estampa da letra “G” e um jeans azul claro; Lilá Brown usava uma blusa azul com seu zíper aberto e uma calça de igual tecido e cor; sua amada Parvati Patil vestia o mesmo modelo que lilá, mas na versão alaranjada e sem zíper.

- O que estão fazendo aqui? O que eu fazia deitado no chão?

- Bem, não sabemos. Você estava desmaiado ai com todas essas bolsas jogadas. Cadê Malfoy e Hermione?

- Não sei. Uma sequidão e um barulho estranho são as únicas coisas de que me lembro. Comemos uma cereja envenenada e eu e Draco... Bem, nós... Hermione...

- Vocês o quê? Não importa. Devemos achá-los e prosseguir no treinamento – Gina se permitia assumir a liderança, Blásio se afastou ligeiramente após a sua repentina manifestação de aproximação.

- Você só quer achar um jeito de se redimir com Hermione, Weasley. Poupe-se!

- E se for? Quero ajudar uma amiga!

- Era sua amiga. Pelo menos até você a traí-la e deixá-la a própria sorte.

- Parem, não sabem que Hermione está doente e precisa de nossa ajuda? Não adianta brigar – Parvati não aceitaria ver seu namorado e sua amiga brigarem, deveriam trabalhar juntos.

- Pelo menos ela está com aquele colar do professor Rufus, a melhor proteção possível para ela neste momento.

- Sim, ao menos isto... Mas não adianta irmos agora, está escurecendo e devemos acampar antes disso.

- Muitas coisas aconteceram hoje – Gina retirava preparações de dentro da sua mochila – irei preparar a barraca, peguem a lenha para a fogueira.

- Espere... Acredito que a barraca de Draco sirva melhor neste caso – Blásio apontava para as muitas mochilas e bolsas esquecidas pelos dois aventureiros perdidos.

- Sabe montá-la?

- Sim. Podem pegar a lenha para a lareira enquanto isso.

Ele montou rapidamente toda a estrutura do acampamento, lembrando-se das muitas vezes em que vira seu amigo fazer o mesmo. Acomodaram-se perto da lareira, aquecidos pelo fogo terno e sutil e pelos cobertores fofinhos esverdeados. Assaram um pernil e algumas batatas européias, pegaram alguns vinhos para degustarem a noite inteira.

- Vocês se preparam bastante em... Enquanto nós trouxemos nada... Estávamos com fome até agora.

- Eles queriam fazer direito, queriam realmente ter esse momento juntos... Tudo acabou dando errado.

- Não adianta remoer pelo que já aconteceu, vamos dormir e acordar dispostos para salvá-los do mal, amanhã – Lilá e Parvati se abraçavam, vestiam seus pijamas preparadas para dormir – boa noite para vocês, não durmam tarde – se apressaram em escolher o melhor quarto daquela mansão-barraca gigante. Gina e Blásio apreciavam o acalentar da fogueira.

- Será que correm perigo? Quero dizer, nem sabemos onde Mione e o Malfoy estão...

- Acho que sim. Na verdade, tenho minhas suspeitas.

- Pra onde acha que eles foram?

- Lembra-se das cerejas? Pois bem, li artigos relacionados a antigas ninfas que cultuavam e extraiam sentimentos através de frutas. Bem, acreditei que se tratasse de uma lenda boba, até agora.

- Mas onde as cerejas entram nisso?

- Bem elas pareciam estar envenenadas com poção do amor. Nós três comemos e eu e o Draco acabamos por nos afastar de Mione.

- Então, você e o Draco? Não pode ser!

- Sim, mas isso não importa. Temos que achá-los o quanto antes.

- Agora que você falou, lembro que o professor Rufus comentou algo sobre Hermione virar uma Ninfa caso não cedesse aos desejos...

- Sabia de tanto e ainda sim conseguiu abandoná-la para morrer?

- Isso já não importa mais! Você mesmo disse.

- Sim, então continue.

- É que caso ela não resistisse ou cedesse aos desejos acabaria por se tornar uma ninfa, ele não desenvolveu muito na verdade. Ele disse que era quase impossível.

- Mas tenho certeza que ele não previu um culto de ninfas no meio deste quase-impossível!

- Não adianta gritar comigo, Zabini!

- Cale a boca e pegue o livro na estante, Weasley!

- Qual livro?

- O verde da coluna da esquerda, está descrito Criaturas sentimentais da floresta – Gina procura cautelosamente pela estante na procura do livro de Blásio, um curto período de tempo depois ela remove alguns de sua posição original.

- Achei – Gina entrega o livro para o garoto que começa a folheá-lo.

- Ninfas, fadas... Dríades... Dríades-Cerejeira... São essas!

- O que o livro fala sobre elas?

- “Criaturas espirituais, servas devotas que cultuam a percepção do amor e da paixão mais pura. Não conseguem se alimentar deste elemento tão poderoso, apenas de sua sobra, resquícios do prazer mundano. Desenvolvem alta fidelidade pelos amadores, principalmente os de ordem primária, filhos diretos de Nymora, a deusa suprema dos amadores. Podem ser vencidas com feitiços estuporantes ou poção de Gary, o antídoto de Amortentia. Borrife a poção cautelosamente pela pele da dríade que seus caules definharão e sua forma irá ceder à sequidão mortal. Observações: Vilas de Dríades-Cerejeira sempre são criadas nas raízes de uma cerejeira gigante, a maior da floresta em questão. Suas inimigas mortais as Fadas-Ameixeira sempre convivem por perto, prezando o ódio e a tristeza, antagonistas primordiais dos amores da Cereja (...)”.

- Fadas-Ameixeira? Vi suco de Ameixa onde te encontramos! É inconfundível! Viscoso e roxo, mamãe sempre colhia lindas ameixas para nós quando criança. Procura mais sobre essas Fadas-Ameixeira.

- Então estamos lidando com Dríades-Cerejeira e Fadas-Ameixeira? Espere, vou procurar – Blásio folheou mais um pouco – Achei!

- “Fadas-Ameixeira, as fadas mais perversas que existem, são cultivadoras do ódio e da tristeza, promovem e espalham este sentimento através de vistosas e nutridas ameixas. São unidas e servem a Deusa suprema dos Odiadores, ou Haters, também conhecida como Avaryss. Para vencer uma fada-ameixeira utilize feitiços estuporantes ou borrife poção do amor sobre suas pétalas, o que ira inchar toda sua dimensão fazendo-as explodir sensações positivas (...)”.

- Bem, acho que não trouxemos nada para fazer poção do amor nem poção de Gary. E vocês? – Gina indagava após minutos de reflexão.

- Não, quem imaginaria que seria preciso poção do amor e um antídoto para isto em um acampamento qualquer?

- De fato, mas eu tive uma ideia.

- Prossiga.

- Vamos cozinhar as cerejas e as ameixas, depois utilizar os borrifadores mágicos de veneno que nós trouxemos da casa da mamãe.

- Ótimo, mas nada garante que as ameixas funcionem como antídoto para a amortentia das cerejas, e vice-versa.

- Não custa tentar, não é?

- Sim, mas vamos pra cama agora.

Os dois dormiram tranquilamente naquela noite, sem perturbações ou ruídos estranhos. No dia seguinte, acordaram dispostos e preparados. Lilá e Parvati que sonhavam juntas e abraçadas, foram postas de pé com as informações descobertas na noite passada. Os quatro partiram em busca dos ingredientes e de principalmente das frutas para a preparação das poções.

- Lembrem-se de nunca, em hipótese alguma, comer as frutas, entenderam?



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...