História Sonhos Eroticamente Providenciais - Capítulo 6


Escrita por:

Postado
Categorias Supernatural
Personagens Dean Winchester, Sam Winchester
Tags Dean, Jared, Jensen, Sam, Wincest
Visualizações 284
Palavras 2.346
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), LGBT, Romance e Novela, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oiiiiiiiiiiii, eu sei demorei 84 anos....
Bem primeiro desculpe por isso, segundo muito obrigado a todos que comentaram e favoritam essa fic, confesso que estava/estou amando escreve-la. No entanto esse capítulo, empacou... Eu tinha muitas idéias de para onde a história iria, mas não conseguia organizar e por em palavras. Mas enfim, aí está reescrevi 354 vezes e ainda não estou totalmente satisfeita, mas tenho uma coceira se não consigo cumprir com datas...

Segundo, sei que a história tem um furos do tipo, eles matam a Eve e vão para o bunker... Eu realmente não me lembro, mas acho que eles ainda não tinham o bunker naquele temporada.. Enfim, a história não tem um período de tempo, deixei essa parte a cargo da sua imaginação querido leitor. Como por exemplo, agora Lisa entra na história e Ben tem 14 anos *Spoiler Alert* ....
Eu estou escrevendo de acordo com os fatos vão surgindo em minha mente, então ignorem o período temporal okay???

Ufff desculpe a nota enorme kkk.. boa leitura, desculpem também o capítulo mais ou menos, mas é pra o andamento da estória.
Bjos, boa leitura 😘

Capítulo 6 - Cap 6


Fanfic / Fanfiction Sonhos Eroticamente Providenciais - Capítulo 6 - Cap 6

Bobby estaciona seu velho carro nos fundos da oficina, entra pela cozinha da casa e vê tudo quieto e silencioso, porém tudo arrumado e limpo “na medida do possível”, ele chama pelos rapazes mas não há respostas.

Olha pela janela e vê o Impala estacionado, o que significa que eles estão em casa.


O velho coloca suas coisas sobre a mesa, põe o café na cafeteira, sem açúcar, sua noite foi longa e difícil, ele precisa de um café. Sabe que se tomar uma dose de whisky agora Sam vai pegar no seu pé, afinal são 09:00 am da manhã.


Ele sobe as escadas chamando os meninos sem resposta, para na porta do quarto onde eles dormem e quando tenta forçar ela não abre. Ele sabe que não está trancada, pois a tranca está quebrada desde que eles eram crianças, deve está emperrada. Ele continua forçando.


***


Do lado de dentro do quarto, Sam está abraçado nas costas largas de Dean, que está deitado meio de bruços sobre o travesseiro. O braço e a perna do moreno além da metade do seu corpo está sobre o corpo do loiro, e eles dormem tranquilos.


Sam ouve primeiro a porta ser forçada, levanta de supetão e procura por sua arma que está embaixo do seu travesseiro na outra cama.

Ao sentir a ausência do calor do corpo do moreno, Dean acorda e o procura ainda meio zonzo, vendo seu irmão  preparado para o ataque empunhando a arma para a porta, nu e “armado” nas regiões baixas também.


Ele pensa em zombar, mas então seu cérebro começa a funcionar e ele assimila a cena, seu irmão está em posição de ataque, ele ouve a porta novamente e então pega sua arma também. Os dois trocam olhares cúmplices passando direções que ambos já sabem exatamente como executar e se encaminham para a lateral da porta.


Novamente ela é forçada e dessa vez o invasor consegue abri-la. Os dois apontam as armas para a cabeça do mesmo, que xinga e logo depois fica paralisado com a cena a sua frente.


***


Bobby finalmente consegue entrar, mas antes de reclamar sobre a porta, está com dois canos frios de revólver encostados em suas têmporas e ele só tem tempo de xingar, e então olhar para os lado e ficar extremamente confuso e por incrível que pareça envergonhado.


Bobby_ masoque?! ……

Sam/Dean_ Bobby??


Os dois falam em uníssono, surpresos com o mais velho em casa logo cedo e sem se darem conta de que ainda estão pelados.


Sam_ O que você tá fazendo aqui? Achei que estivesse na Jody!

Bobby_ Caso tenha esquecido essa casa é minha… dá pra apontar essa arma pra outro lugar? Idiotas..

Dean_ Quando você voltou? Não ouvimos você..

Bobby_ Mas parecem que estão preparados… vou ver se meu café está pronto… por favor coloquem uma roupa


Bobby fala e sai do quarto fechando a porta, só então eles se olham e percebem que estão pelados ainda. O constrangimento de Bobby os tê-los visto daquele jeito não durou muito, quando se deram  conta que o mais velho com certeza estariam achando estranho os irmãos dormindo ambos, pelados em pleno inverno.


Se vestiram e desceram rapidamente, encontrando o velho já sentado em sua habitual mesa cheia de livros antes organizados, agora totalmente uma bagunça. Ele levantou os olhos dos livros e olhou para eles, Dean foi para a cozinha e pegou uma xícara de café voltando e sentando ao lado da mesa sem falar nada.


Sam sentou em frente Bobby e começou o interrogatório sobre o que ele descobriu, e o que aconteceu pra ele ter demorado tanto. Depois do velho esclarecer tudo, Sam o colocou a par das suas descobertas, de como encontrar Eve e atraí-la para que enfim pudessem a atingir com as cinzas da Fênix.


Bobby ouviu tudo, concordou com a maioria, mas a sua cabeça volta e meia vinha com a imagem dos seus filhos pelados e a pergunta: Porque?

Então Sam chamava sua atenção e ele voltava a concordar.


Eles decidiram como fariam e iriam pôr em prática hoje, A mãe de todos tinha que morrer. Bobby fez um feitiço invocando Castiel, que apareceu alguns minutos depois e sua parte no plano lhe foi passada.


Ao chegarem na lanchonete onde provavelmente Eve estaria, Sam e Dean foram os primeiros a entrar, perceberam que o local estava cheio de monstros e que eles não tinham como identificar a tal Mãe de Todos, no entanto quando ia saindo uma moça bonita, morena de cabelos longos e negros os abordou, chamando pelo nome de cada um.


Conversa vai conversa vem, eles foram desarmados, Bobby e o anjo foram pegos e não teriam mais saída. Sam buscava em sua mente uma forma de tirá-los dali, mas, nenhuma ideia parecia que funcionaria.


De repente Eve se torna Mary Winchester, parece querer brincar com os rapazes, conta para eles o porquê de está fazendo tudo aquilo e expõem a culpa sendo de Crowley. De alguma forma após ela explanar tudo, Dean a faz lhe morder, Sam sente sua garganta fechar, seu peito pegar fogo, parece que vai explodir a qualquer momento ao ver os dentes de Eve no pescoço de Dean, ele grita:


Sam_ Nãaaaaaooooo… Deaan Nãaao…


Eve solta Dean, que leva a mão ao ferimento em seu pescoço, se apoiando no balcão, Sam se solta dos monstros e corre até seu irmão, procurando por seus olhos,precisa ver se ainda é seu irmão, se ainda é seu Dean.


Enquanto isso Eve grita, sua pela queima e se desintegra a vista de todos, o sangue de Dean estava cheio de cinza de Fênix, e agora está no sangue dela. Uma luz forte os faz fechar os olhos, Sam se curva sobre o irmão o protegendo, e então ela explode e desaparece, fazendo todos os monstros caírem mortos aos montes na lanchonete e em todos os lugares por onde Eve passou.


~~~


Semanas se passaram depois que Eve se foi, não houve mais nada muito estranho além do comum para eles, os rapazes continuaram na casa do Bobby, pois o velho insistiu para ver se Dean ficaria mesmo bem. Bobby tem percebido algo diferente em seus meninos, sempre foram muito protetores um com o outro, mas agora Sam está muito mais cuidadoso, ele sempre prepara o café e o almoço para Dean algo leve e saudável mesmo sobre os protestos do irmão, também cuida para que seu banho esteja na temperatura ideal e o ajuda a “dormir” como se um homem daquele tamanho, depois de uma mordida precisasse de tanta ajuda.


Sam tenta não ser tão atencioso e demonstrar tanto o que está sentindo em relação ao irmão, mas não está conseguindo. E Dean ter se ferido, por mais egoísta que pareça, lhe deu a oportunidade de tocar e se aproximar um pouco mais do irmão sem levantar tantas suspeitas.  A noite quando estão sozinhos na privacidade do quarto, o loiro se aconchega no calor do corpo do moreno e dorme desejando apenas poder passar o resto da sua vida assim.


~~~


_Então quando vocês podem vir? _ Bobby fala ao telefone sentado em sua cadeira de costas para a porta onde os irmãos estão observando.


_ Não sei explicar, apenas se você ver saberá do que eu tenho medo, e não esqueça de trazer ela com você, por favor!? … Ok, até mais._ Ele desliga e se vira dando de cara com os meninos, os dois encostados na porta com olhares questionadores no rosto.


_ Aconteceu alguma coisa?_ Sam pergunta se aproximando e sentando na cadeira em frente a sua mesa.


_ Ahn …  nada.. Vocês não precisam saber de tudo da minha vida seus idiotas-

_ Opa, parece que alguém acordou mais mal humorado que de costume _ o loiro disse com um sorriso debochado no rosto.


Bobby ignorou o comentário do loiro e seguiu as pesquisas nunca fazendo contato visual com Sam que apesar de nada ter dito sobre a pouca conversa que ouviu, seu rosto dizia que estava curioso no entanto não iria perguntar, já que o velho não queria dizer.


Naquele mesmo dia a tarde, Dean já estava bem e demonstrava isso com sua impaciência em não ter um caso para resolver, como ele mesmo dizia, tinha que mandar alguns filhos da puta para inferno de vez em quando, para se manter são.


Há uns poucos quilômetros dali um caso fácil de possessão demoníaca chamou atenção de Sam e esse disse a Bobby que seria melhor ele e o loiro irem resolver, caso contrário o mesmo enlouqueceria.

Partiram para a cidadezinha que ficava perto de Sioux Falls e no final da tarde já estavam no quarto do motel.


_Tem notado que o Bobby anda mais estranho que o costume?_ perguntou Dean se jogando na cama e zapeando os canais da televisão velha de mais.


_ Talvez não seja nada, toda essa história de Eve e tudo mais, ele já não é tão jovem né_ Sam disse sem muita importância, tirando a roupa e se dirigindo para o banheiro.


Após o banho, Sam saiu para comprar algo para eles jantarem, pois não tinham comido quase nada durante o dia. No caminho até o mercado que não ficava longo do motel, o qual ele fez a pé, estava pensando em como as coisas tinham mudado.


Ele dormiu com seu irmão, não necessariamente transaram, mas bem, houve algo e promessas. E são essas promessas que Sam não consegue lidar, no fundo ele tem medo que seu irmão apenas esteja em uma fase, sendo que ele mesmo tem plena consciência de que não é apenas uma fase o que está sentindo.


No mercado ele está distraído, escolhendo a torta para Dean, quando uma morena muito bonita, chama seu nome:


_ Sam? …. Hey, Sam é você?_


_ Lisa?... O-Oi, como você está?_


_ Estou bem, na verdade, estou viajando com o Ben_


_ Para onde?..ham… desculpe a curiosidade_


_ Não, tudo bem… Na verdade eu estava indo procurar por Dean… Vocês estão… Ele está aqui?_


De repente Ben aparece já crescido e mais adolescente, e Sam não consegue deixar de notar a semelhança grotesca entre o menino e seu irmão.


_Ahn… é, sim… quer dizer, a gente tá de passagem só… Hey Ben, tudo bem?_


_Iai tio Sam_


_ ahn.. então, que tal uma cerveja hoje a noite? Eu conheço um barzinho ótimo aqui_


_ É…. Claro, eu falo com o Dean e te mando uma mensagem, tenho que ir… bom te ver Lisa.. Ben..._


Sam volta ao motel com seu coração disparado, sua cabeça está a mil, será possível que Ben…. Não, Dean perguntou a Lisa anos atrás, ela foi incisiva ao dizer que Ben não era filho de Dean.


_ Isso não pode estar acontecendo _


Dean percebeu que Sam está estranho desde que saiu, está distante, pensativo e nem ao menos quis assistir ao jogo com ele.


_Fala… o que está acontecendo?_


_O que???? Nada, tudo bem.._


_ Não mente pra mim Sammy, eu te conheço melhor que você mesmo _


_ É Sam…  e. … eu … eu encontrei a Lisa, no mercado ela quer nos encontrar, ou melhor encontrar você hoje à noite_


_O que? Como assim? O que ela tá fazendo aqui, e porque você está assim? _


_ Ben está com ela Dean, e…. O garoto é sua versão, quando era um moleque cheio de hormônios e espinhas _


_ Espera … Você acha que …  Acha que o Ben é meu filho? Por isso ela veio? Não Sammy, eu perguntei a ela lembra?!, Eu quis e ela me garantiu que não. _


_ Você precisa vê-lo com seus próprios olhos para saber do que eu estou falando, toma …   Ela vai estar aqui, as 20h00_


_ Bom então, vai tomar um banho por que a gente já está atrasado _


_ O que..  Não… eu acho. .. acho melhor você ir sozinho, precisam de privacidade _


_ Cinco minutos Sam _


No Bar Lisa estava sentada em uma cabine mais ao fundo, e assim que Sam entrou viu a garota.


_ Eu realmente acho melhor, vocês terem essa conversa, a sós _


_ E eu realmente acharia incrível se você movesse esse seu lindo traseiro até lá, agora. _


Sam se sentou entre Lisa e Dean, como se a situação já não fosse constrangedora suficiente, as posições dos assentos ajudaram nisso.


_ Lisa.. Oi .. nossa você tá incrível _


_ Oi Dean. . você continua um galinha como sempre, porém um galinha encantador  ….. Oi Sam_


_ Lisa . .. ham… onde está Ben? _


_ Ele está no hotel, não gostou muito da idéia, maaass, não poderia trazer um garoto de 14 anos pra um bar _


As bebidas chegaram, a cada minuto o clima ficava um pouco menos tenso, aparentemente apenas para Sam e Lisa, já que Dean ao menos parece ter notado.


_ Então Lisa…. Sam disse que queria falar algo, então…. Estou aqui _


_ Bem… ahn… você sabe que o nosso relacionamento não deu certo porque você tem sua vida muito complicada, e tem toda a questão que algo possa seguir você a noite e acabar no nosso quarto, ou pior no quarto do Ben, e tem também a questão do seu irmão _


Lisa ignorou completamente a presença de Sam na mesa, ela sabia que talvez estivesse acabando com a vida de Dean, pois sabia que esse apesar de tudo, amava a vida que levava ao lado do irmão. No entanto ela se deu conta que precisa dele, além de já ter amado muito aquele loiro.


_ Espera… que questão do meu irmão?, Desde quando Sam virou uma questão? _


_ Bem, você sabe, já conversamos sobre isso a anos atrás, ele tem uma dependência de você que é sinceramente um pouco demais, no meu ponto de vista _


_ Acredito que seu ponto de vista esteja errado… o que temos não é dependência, ele é meu irmãozinho, é meu dever proteger e cuidar dele _


_ Dean, por favor. Olhe o tamanho do seu “irmãozinho”. _


Só então se deram conta que Sam não estava mais na mesa, no momento em que Lisa começou a falar sobre ele, se deu conta que ali, ele estaria atrapalhando novamente a vida do seu irmão, dessa vez ele não iria atrás de Dean, dessa vez deixaria seu irmão viver feliz, e o protegeria de longe.


Notas Finais


Bem é isso...
Se tiver algum erro por favor me avisem, eu escrevo pelo celular então.......
Obrigada novamente aos comentários e obrigada especial a minha amiga Paula, por um conselho que ela me deu. Obrigada miga.

Beijos até o próximo capítulo 😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...