História Sonhos molhados. - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Deidara, Gaara do Deserto (Sabaku no Gaara), Hinata Hyuuga, Ino Yamanaka, Itachi Uchiha, Kakashi Hatake, Madara Uchiha, Menma Uzumaki, Minato "Yondaime" Namikaze, Nagato, Naruto Uzumaki, Neji Hyuuga, Sai, Sasori, Sasuke Uchiha, Shikamaru Nara, Shino Aburame, Toneri Otsutsuki
Tags Gaahina, Inohina, Itahina, Kakahina, Kibahina, Minahina, Naruhina, Sakuhina, Sasohina, Sasuhina, Shikahina, Tsuhina
Visualizações 324
Palavras 1.939
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Hentai, Romance e Novela, Universo Alternativo, Yuri (Lésbica)
Avisos: Adultério, Bissexualidade, Heterossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Gente eu sei que essa história tá maior viagem Kkkk... Mas eu gostei.

Capítulo 8 - Caçadora.


Fanfic / Fanfiction Sonhos molhados. - Capítulo 8 - Caçadora.

Seus olhos encaravam fixamente o copo de vidro transparente, alí continha o líquido que poderia a fazer esquecer, ou talvez até lembrar ainda mais da cena que acabará de viver. É horrível quando se está afundada na merda, você pensa que nunca ficará pior. Mas é ai que você se engana.

O liquido transparente desceu por sua garganta queimando, parecia que estava bebendo sua própria dor, desceu o copo com certa brutalidade e tentou segurar a careta, nunca foi de beber, e com certeza aquela vodka tinha um teor de álcool elevado.

A morena fez um sinal e o garçom se aproximou.

— outra dose por favor.— pediu.

O rapaz sem questionar encheu o copo novamente nervoso pelo olhar da mulher sobre si, ela tinha olhos que pareciam enxergar sua alma, usava um vestido branco rodado e uma maquiagem simples, era evidente que aquele não era o lugar certo pra ela.

Antes mesmo dele se afastar ela virou o copo mais uma vez, sentia aquela quentura na garganta e o incômodo no estômago mas era melhor que a dor de um coração partido.

— somos só amigos.

Aquelas palavras doiam como se estivesse com uma espada no coração.

— ponha mais.— pediu ao garçom.

— sim senhorita.

Ele pôs a terceira dose, ela parecia indiferente mas estava triste, de certa forma humilhada, sua mente vagava em momentos aleatórios de sua vida. Vários sinais apontavam para aquele resultado, mas sempre se negou a enxergar, pensava que com o tempo seu amor avançaria o coração do amado.

Virou o copo de novo, o ardor na garganta já não incomodava mais, nem a dor no peito.

— mais uma dose.

O garçom a olhou com um olhar piedoso, tão bonita e sofrendo por amor?!

— acho melhor a senhorita ir mais de vagar.— o rapaz a divertiu.

— se não quer encher meu copo deixe a garrafa aqui que eu me sirvo.— falou alterada.

—sim senhora.— o rapaz falou um pouco envergonhado.

Ela pegou a garrafa e virou no copo, deu mais um gole, precisava de mais...

Outro gole...

A garrafa já estava a baixo da metade e ela já estava fora de si, sentia uma leveza e uma alegria que não sabia de onde vinha.

Seus olhos vagaram pela boate, tinha pessoas de todos os tipos, de todos os estilos, bonitas, muito bonitas, simpáticas, elegantes, mas seus olhos pararam na loira encostada do outro lado do balcão, ela exalava sensualidade, seus olhos eram puro mistério, sua boca vermelha era pura tentação, o preto em sua roupa li caia muito bem, era sensual sem ser vulgar, sexy sem ser confundida com uma vagabunda. Era aquele tipo de mulher que ela queria ser.

Ousava flertar com dois homens que se sentaram ao seu lado, ria de modo provocante, trocava olhares com um enquanto falava no ouvido do outro. Aquele era o espelho de mulher que sempre desejou ser.

Forte, ousada, sexy...

                        •••

Do outro lado do balcão a loira analisava o local, ela era uma predadora e aquela noite havia saído para caçar. Dentre toda aquela multidão o único cheiro que se sobressaía era o de uma morena sentada do outro lado, Tsunade sabia que ela a observava a algum tempo.

Sua especialidade era a sedução e mesmo que indiretamente ela conseguia atrair seus alvos, os dois homens no qual conversava eram meros objetos, o que ela queria era amorena sentada com uma garrafa de vodka na mão.

Ela lançou um olhar para a menina mulher, pode notar que ela não era do tipo de pessoa que frequentava aquele lugar, pôs seus movimentos, o modo como bebia desesperada, ela era o tipo perfeito.

Virgem...

Seus olhos estavam conectados em perfeita sincronia, ela foi feita pra seduzir e os humanos feitos para serem enganados.

Tsunade abandonou os homens e andou vagarosamente até seu alvo, ela parecia um coelho, puro, fofo, ingênuo e fácil de ter nas mãos.

Ela se sentou do lado da garota e chamou o garçom, o mesmo se aproximou e ela fez o pedido, ela sentia os olhos da morena em si mesmo que discretos, eles estavam ali tentando lhe decifrar, ela sabia que era misteriosa. Sua natureza era essa.

Fria...

Misteriosa...

— noite ruim?— Tsunade perguntou sem encara-la.

O garçom trouxe o seu pedido ela sorriu para ele em agradecimento. 

— si-sim.— a morena respondeu gagueijando.

Ela se virou para encarar aqueles olhos angélicais, seus olhos se fixaram mais uma vez.

Hinata parecia ver apenas o reflexo de sua própria dor, aqueles olhos pareciam absorver todo o seus ser.

— você não parece o tipo de pessoa que bebe até cair.— Tsunade falou quebrando o silêncio entre as duas.

— talvez seja a primeira vez.—a Hyuuga de de ombros.

A Senju riu de lado.— tenho certeza que é!—  falou se virou dando outro gole em sua bebida.

Hinata encarou o copo com o líquido transparente, ela levou a boca e virou de uma vez, encheu o copo mais uma vez... O álcool descendo por sua garganta era tão... Reconfortante?!

— qual o seu nome? — a loira perguntou.

— Hinata. — ela respondeu e olhou pra loira que tinha os olhos em si.— e o seu?

A senju a analisou por alguns segundos o nome era apropriado combinava com a garota.

— Tsunade.— a loira respondeu.

A Hyuuga virou mais um copo o corpo leve... Ela queria mais daquela sensação, ela queria ser livre nem que fosse apenas por aquela noite.

Tsunade via isso nos olhos da garota.

— vamos dançar? — ela chamou falando perto do ouvido da morena.

Os pelos de seu corpo imediatamente se arrepiaram, mas ela sorriu.— vamos.

                          •••

Nem sabiam ao certo quantas Músicas dançaram, nem quantas vezes dispensaram caras abusados, nem quando começaram os beijos, elas se beijavam ferozmente na pista, os corpos se moviam mais sensualmente do que a música pedia. 

— vamos embora daqui? — a loira gritou.

Hinata nem a ouviu apenas concordou e já estava sendo puxada pela mulher.

A luz, a música, o perfume, o sorriso pintado de vermelho, tudo fazia ela quere seguir a desconhecida sem ao menos questionar pra onde estavam indo.

Tsunade a levou para o estacionamento a guiou por entre os carros até seu Porsche vermelho. Elas entraram e a Senju deu partida.

Ligaram o som e de lá tocava uma música que elas nem prestavam atenção na letra só sabiam que a batida era envolvente, sexy, dava vontade de dançar. E elas riam, falavam sobre tudo. 

Pararam apenas no estacionamento do grande prédio, pegaram o elevador e o cubículo de metal nunca pareceu tão pequeno, trocaram olhares e Hinata pode ver nos olhos da Loira algo a mais, viu um fogo brilhante.

Os lábios carmim abriram em um sorriso e a morena sentiu vontade de sentir a sua textura.

Já no 4° andar Tsunade a empurrou Contra a parede espelhada lhe roubando um beijo e logo o ar alí ficou quente, envolvente...

As mãos da loira apertaram o bumbum da morena que arfou com o aperto forte. Suas línguas brincavam uma na boca da outra, deslizando e se acariciando, os sexos já latejavam querendo um alívio.

o elevador parou no 9° andar, e as duas se afastaram e sorriram, os lábios inchados e o vestido que Hinata abaixava era a única prova do que havia acontecido alí.

A loira rapidamente abriu a porta para a morena entrar.

— fica a vontade.— ela se jogou no sofá e tirou os saltos.

Hinata olhou ao redor era um apartamento grande e bem luxuoso, ela se sentou em outro sofá e tirou os sapatos também.

— quer beber algo?— tsunade perguntou.

— pode ser.— ela respondeu sem graça.

O álcool estava perdendo o efeito.

A.loira foi até onde Hinata julgava ser a cozinha e voltou com dois copos e uma garrafa de vodka, ela abriu e serviu ligou o som em uma música agitada.

Hinata tomou um gole na bebida e sentiu o álcool esquentar seu interior. Seus olhos se encontraram e aquele mesmo fogo estavam alí nos olhos da mulher.

A Senju levantou e ficou de costas para a Hyuuga puxou o zíper do vestido preto deixando deslizar por seu corpo até cair no chão, ela usava uma Lingerie vermelho sangue, a pele alva combinava perfeitamente com aquela cor.

Hinata bebeu mais um gole da bebida e se levantou tirando o vestido e jogando em um lugar qualquer, a loira se aproximou dela e tocou seu rosto.

Rosto de anjo e corpo de demônio... Combinação perfeita.

Tsunade selou os lábios nos da Hyuuga iniciando uma dança calma e sensual entre as línguas. Hinata estava experimentando algo que nunca havia tido na vida... Luxúria. Ela ousou apertar a cintura da loira colando mais os corpos.

Pouco tempo depois as duas já estavam deitadas no sofá Tsunade por cima ela tinha experiência, Hinata deixava gemidos escaparem, a essa altura a timidez já não tinha vez, a garrafa de vodka já estava pela metade.

As mãos da Senju se enchiam enquanto apertavam os seios de Hinata, ela tirou o resto de roupas que ainda cobriam o corpo da Hyuuga e sorriu com a visão da morena exposta.

Ela pegou a garrafa de vodka e bebeu um longo gole, sorriu para a mais nova que tinha os olhos fixos nela, ela derramou um pouco da bebida na intimidade da Hyuuga que se assustou com o toque gelado do liquido, a Senju passou a língua em suas coxas e mordeu fazendo Hinata arqear as costas, a loira sorriu travessa com o resultado.

Tsunade chupou toda a feminilidade de Hinata que pouco tempo depois gozou, a loira sorriu vitoriosa.

A Hyuuga estava cansada... 

— vou cuidar de você a partir de agora, você será minha serva.— a loira sussurrou no ouvido da morena.— durma.

Hinata fechou os olhos obedecendo a loira.

Tsunade sorriu e suas presas cresceram alí no pescoço da Hyuuga ela enterrou seus dentes.

                                •••

A morena passou por todos de cabeça erguida, sem dúvidas ela tinha algo de diferente e não era só seu jeito de vestir.

Ela chamou o elevador e entrou se olhou no espelho que tinha alí e sorriu sedutora.

O elevador parou no último andar, ela saiu do mesmo só havia uma pessoa ali, o loiro prestava atenção no trabalho que nem ao menos notou a chegada da mulher.

Ela se aproximou e deu a volta na mesa pôs as mãos nos ombros do homem que se Assustou, ela sorriu e se abaixou para falar no seu ouvido.

— oi Naruto. — ela mordeu o glóbulo da orelha dele.

— Hinata o que--

Não terminou de falar pôs ela começou a massagea-lo  ele se rendeu a sensação.

Ela parou a massagem e deu a volta na messa novamente ele a olhou abobadado sem entender e ela sorriu de lado.

 Hinata sentou de frente pra ele e cruzou as pernas lentamente, o Uzumaki acompanhou o movimento dela com os olhos fixos.

— vamos jantar essa noite? — o loiro convidou sem tirar os olhos do seu decote.

— não, já tenho planos "amigo"— ela se levantou e deu as costas pro loiro.— já estou indo.

— mas você mal chegou. — ele se levantou alarmado e se apressou em segura-la pelo braço. — fique.

— eu tenho que ir.— ela se soltou e se apressou em entrar no elevador. — até outra hora.— ela sorriu.

Ele ficou olhando a porta de metal se fechar atônito. Aquela era Hyuuga Hinata? A garota que ele sempre tratou como amiga?

Hinata saiu do edifício radiante atravessou a rua e entrou no carro vermelho, a loira que fumava tranquila jogou o cigarro pela janela, esperou a morena se ajeitar e sorriu.

— como foi?— ela perguntou.

— fiz como você me ensinou.— a Hyuuga respondeu .

— ótimo. Esse é só o começo, logo você será tão boa quanto eu.— ela riu.

Hinata se aproximou e beijou a loira, um beijo profundo e quente.

— vamos pra minha casa.— a loira falou maliciosa dando partida no carro.

Hinata sabia que se transformar no que se transformou era o mesmo que fazer um pacto com o diabo, mais estava gostando daquele novo universo cheio de perversões.


Notas Finais


Gente desculpa tanto tempo sem postar, mas vou tentar não demorar tanto assim.

Até mais.😙💞


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...