História Sorriso lindo e brilhante. - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Boku no Hero Academia (My Hero Academia)
Personagens Mirio Togata (Lemillion), Tamaki Amajiki (Sun Eater)
Tags Aniversário, Bnha, Mirio, Miritama, Tamaki
Visualizações 20
Palavras 1.211
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Festa, Fluffy, LGBT, Shonen-Ai, Yaoi (Gay)
Avisos: Homossexualidade
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Então, essa é a primeira vez que escrevo uma one shot dos meus bebês Miritama. Comos todos devem saber, os personagens não são meus, estou apenas usando-os aqui mas todos pertencem ao Kohei. O plot dessa OS é foi feita pelo meu amorginho Aslan, então todos os créditos vão á ela por me inspirara a escrever algo assim. Espero que todos gostem da história, no mais, bom proveito.

Capítulo 1 - Único.


Okay, por qual motivo estou aqui?

 

Ah é, meu pai me obrigou a vir com ele como sempre faz. Ainda não entendi a importância dele ter me feito acompanhá-lo nesse aniversário infantil de uma aluna dele. Deixe-me explicar, o meu pai trabalha a alguns anos como professor da primeira série em um colégio próximo a nossa casa, pelo que ele me contou todos os seus alunos o adoram, o que já era de se esperar. Meu pai sempre foi extremamente brincalhão e extrovertido, principalmente se estiver no meio de crianças. Ao contrário dele, eu raramente me envolvo com outras pessoas,passei toda minha vida escola sem fazer questão de formar amizades e isso nunca foi um problema para mim. Agora que já estou na faculdade o pai tem se preocupado com esse meu “isolamento”, segundo ele eu deveria arrumar logo ume namorade já que não quero amizades com ninguém. 

 A partir dessa preocupação - desnecessária, talvez -, ele tem me levado para todos os lugares que é convidado ou simplesmente inventa de sair  pra me levar junto com ele, já que “sair sozinho é muuuuito desagradável” - Taishiro e seu exagero-. Acontece que semana passada ele chegou todo contente porque uma de suas alunas o convidou para seu aniversário, ele disse o nome da garotinha, mas depois de ouvir meu nome e a intimação para comparecer à festa não consegui prestar mais atenção em nada. Não tive nem tempo de inventar uma desculpa sobre trabalhos da faculdade já que ele cortou minha fala dizendo que viu eu cronograma sem nenhuma anotação.

Então o sábado chegou, sem indícios de chuva, com um sol bastante desperto e com aspectos de que manteria o dia sobre aquela energia radiante.Do quarto ouvi a meu pai cantanado strawberries and cigarrets, está extremamente de bom humor hoje pelo que parece. Depois de me ajeitar, fui tomar café em sua companhia, conversamos um pouco e ele fez questão de relembrar o convite para a festa, assenti conformado e assim terminamos de comer. A tarde se passou de maneira rápida mas tranquila, fazendo-me despertar do mundo mágico ao qual meus livros me levam. Sem muita coragem me dirigi ao banheiro, pensando em minhas músicas favoritas do Sleeping at last, dispensei meu nervosismos enquanto tomava o banho. Depois de pronto esperei o pi na sala, ele logo chegou sorridente, arrumado como sempre e despejando inúmeros elogios e mim pra tentar me animar. Sorri de volta para ele, repetindo seus elogios e pedindo para que se apresse para ir ao aniversário, se tenho que ir, que pelo menos a gente chegue na hora.

A casa onde seria realizada a festa parecia simples, espaçosa e muito bonita, me vi encantado pelo jardim que tinha na frente repleto de margaridas bem cuidadas e uma estradinha de pedras que nos levava até a porta. Depois de tocarmos a campainha, a porta se abriu e logo uma garotinha de cabelos claros e sorriso brilhante apareceu.

 

Eri-chan! Feliz aniversário, minha princesa! - disse meu pai ao que se abaixava para abraçar a menina que logo se jogou sobre si.

Tio Taishi! Obrigado! - disse ela ao ser levantada nos braços - Quem é ele, tio? - ela sussurrou me olhando de lado.

Esse é o meu filho Amajiki, trouxe ele para te conhecer. Ele parece emburrado mas é um menino legal. - sussurrou de volta para a garota, que logo riu e foi colocada no chão. 

É um prazer conhecê-la, Eri, feliz aniversário. - enfim me pronunciei, sorrindo para ela e recebendo outro sorriso de volta, ela correu após nos deixar entrar, mas não sem antes olhar de maneira cúmplice para o meu pai.

 

A casa estava cheia de crianças, algumas delas corriam ao som de uma música infantil enquanto outras comem perto do que deveriam ser suas mães. O pai avisou que ia cumprimentar as pessoas que conhecia e eu acabei indo me sentar em um sofá vazio que ficava no canto da sala ampla. Com o tempo me distraí mexendo no celular, me sobressaltando de susto ao sentir alguém se jogar ao meu lado no pequeno espaço livre do sofá. Olhei pro lado e de alguma forma me surpreendi, a pessoa que estava alí era uma garoto, acho que mais ou menos da minha idade - só que mais forte -, loiro e estampava um sorriso brilhante em seus lábios róseos que de alguma forma me pareceu familiar, ele também estava um pouco suado, não entendi o porquê, mas senti meu rosto esquentar ao que ele abriu os olhos - lindos olhos azuis -, e me encarou ao se endireitar sentado. Nervoso, acabei recuando e quebrando nosso contato visual que de forma estranha, mas agradável, me prendeu.

Olá! - disse o rapaz com o tom empolgado e nada envergonhado.

Err...Oi…- ao contrário dele eu acabei respondendo baixo por causa do nervosismo e fique torcendo para que ele tivesse ouvido e eu não precisasse repetir.

Você está bem?

An, estou. - respondi confuso, retornando meu olhar a ele.

Ah bom, e´que você tava, sabe, todo vermelho. - disse o loiro ainda me olhando.

Assenti em entendimento e de novo permanecemos naquela troca de olhares que estranhamente não me fazia se sentir desconfortável. Acabei voltando a reparar em seus detalhes, ele era um garoto muito bonito, não vou negar, e seu cabelo era de um amarelo tão vívido que parecia natural, lhe caía muito bem aquela cor. De repente me veio a curiosidade, por que ele estaria naquela festa? Pelo jeito que ele mostrava eu diria que ele estava totalmente confortável alí.

 

Não esperava ver alguém como você aqui. - ele comentou quebrando o silêncio. 

Como eu? Em que sentido? - perguntei duvidoso.

Aparentando ter minha idade. - respondeu-me ele.

Ah… eu não iria vir. - falei virando o rosto um pouco sem graça.

Com quem você veio? É irmão mais velhos de alguma dessas crianças? 

Na verdade não… meu pai meio que me obrigou a vir. Taishiro nunca escuta meus não’s como resposta. - comente a última parte voltar a lhe olhar.

Então você é o Amajiki? Que legal! - ele disse voltando a sorrir de forma empolgada e eu franzi as sobrancelhas estranhando o fato de nunca tê-lo visto antes e ele saber meu nome.

Sim, sou eu.. e você é?

Oh, me desculpe! Eu sou o Mirio, irmão mais velho da Eri que é aluna do seu pai. -respondeu ele com uma mão na nuca sem deixar de sorrir. 

Então está explicado o porquê do sorriso lindo e brilhante me parecer familiar. - soltei de repente só então me dando conta do que falei e de como falei, acabando por sentir todo meu rosto esquentar e desviar totalmente o olhar, não sem antes ver aquele sorriso lindo tornar-se ladino.

Obrigado pelo elogio. - ele riu - Ainda não te vi sorrir, mas se seu sorriso for como você tenho certeza que ele será lindo, Amajiki.

 

O nervosismo foi tanto naquela hora que eu não consegui mais retornar o olhar para vê-lo, só percebi ele se levantando depois de alguém ter gritado que era o momento de cantar os parabéns. Só sei que o sorriso, o olhar azul e os vívidos cabelos amarelos continuaram na minha mente por todo o restante da festa.

 


Notas Finais


Obrigado por terem chegado até aqui. Besos. Deaculpem pelos erros, revisarei depois.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...