História Sorry - ChanBaek - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias EXO
Personagens Byun Baek-hyun (Baekhyun), Do Kyung-soo (D.O), Huang Zitao (Tao), Kim Jong-dae (Chen), Kim Jong-in (Kai), Kim Jun-myeon (Suho), Kim Min-seok (Xiumin), Lu Han (Luhan), Oh Se-hun (Sehun), Park Chan-yeol (Chanyeol), Personagens Originais, Wu Yifan (Kris Wu), Zhang Yixing (Lay)
Tags Chanbaek, Exo, Lemon, Yaoi
Visualizações 108
Palavras 1.622
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Lemon, LGBT, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


くコ:彡

Capítulo 2 - Chapter 02 - Fault


Fanfic / Fanfiction Sorry - ChanBaek - Capítulo 2 - Chapter 02 - Fault

O pequeno BaekHyun não conseguira pregar os olhos durante a noite em momento algum... O ocorrido com seu chefe havia deixado-o em transe, nem mesmo sabia o que pensar sobre a atitude imprópria de seu superior. 


Quando estava prestes a pegar no sono ouviu o som de seu celular, levantou-se na hora e pôs-se a atender a ligação ao notar que era do hospital em que sua irmã estava. Respirou fundo um tanto preocupado e soou frio ao ouvir a voz do médico, já imaginava que a notícia não seria boa e estava certo sobre aquilo. Após um breve diálogo com o médico responsável desligou o aparelho e pegou em seu armário a primeira roupa que encontrou, se fato a notícia fora das piores... Sua irmã havia sofrido uma parada cardíaca, afinal, a garota se encontrava numa situação de extrema fragilidade, tudo devido aos tratamentos e remédios.


Byun pegou o primeiro táxi que apareceu e seguiu em direção ao hospital, que felizmente não era tão longe de onde morava, seria questão de minutos para chegar ali e como o trânsito estava calmo fora fácil chegar.  


Agradeceu o motorista e logo entregou o dinheiro, saiu do veículo e se curvou em respeito, seguidamente adentrou o hospital e após passar pela recepção seguiu ao quarto de sua irmã. Olhou-a pela porta do quarto e suspirou aliviado ao ver que parecia estável, mas ao mesmo tempo em que se sentia aliviado também se sentia péssimo... Estava sendo horrível vê-la numa situação tão deplorável como aquela. Sentiu suas lágrimas descendo por seu rosto e não se conteve, deixou que o choro saísse e passou suas mãos por seu rostinho cansado... Ele precisava daquilo, precisava deixar toda aquela angústia se esvair de algum modo e chorar parecia o único jeito no momento. 


Ficou daquele jeito por poucos instantes e seguiu até sua irmã, depositou um beijo em sua testa e segurou sua mão, beijou-a também e voltou a suspirar enquanto acariciava seu rosto frágil e pálido. 


— Você ficará bem, sim? Prometo dar o meu melhor para lhe deixar bem.. -disse baixo para si mesmo, ainda com a voz falha e ajeitou a postura ao ouvir os passos do medico. 


— Senhor Byun, por favor me acompanhe até o lado de fora. - O médico se pronunciou ali e seguiu com Baek até o lado de fora do quarto. 


BaekHyun ouviu atentamente cada detalhe sobre a situação de sua irmã, mas a cada palavra do profissional a frente sentia-se ainda mais desesperado... Ele já esperava por isso. As contas e dívidas com o Hospital só aumentavam e seu salário não conseguia cobrir tudo, se a demora do pagamento continuasse a ocorrer eles certamente finalizariam os tratamentos de sua irmã e a mandariam para casa e se isso acontecesse provavelmente a mataria. 


O menor tentou manter a calma ao máximo, agradeceu o médico e voltou seu olhar à sua irmã. 


[…]


Após sua longa noite no hospital pode por fim voltar para casa, poderia também ter aproveitando suas poucas horas restantes para dormir mas resolveu usa-las para navegar na internet em busca de mais propostas de emprego. Nem mesmo saberia como aguentaria a carga horária de dois trabalhos mas estava disposto a tentar, mesmo que fosse desgastante. 


Passou horas e horas ali e para sua má sorte não havia encontrado nada... Naquela época próxima ao fim de ano dificilmente contrataram alguém e isso só fez com que sua cabeça esquentasse. Olhou as horas rapidamente e se assustou ao ver que estava para se atrasar, logo se levantou às pressas e tomou um banho. Vestiu sua roupa social e virou de vez o restante de café de sua xícara, pegou também uma maçã e a comeu à caminho do trabalho.


Entrou rapidamente no estabelecimento e caminhou rapidamente até a sala de seu... Chefe. Assim que se deu conta de que havia chegado parou frente a porta, as palavras sujas de seu chefe voltaram a rondar sua mente. Sacudiu a cabeça tentando se livrar daquilo e respirou fundo, por fim adentrou a sala já podendo ver seu superior sentado no mesmo local de sempre. 


— Senhor... Perdão pelo atraso... Eu... -Antes mesmo que o garoto terminasse ou tentasse se explicar Park pronunciou-se e o cortou rapidamente. 


— Sem desculpas, pegue esses papéis e os assine para mim. -disse firme e um tanto áspero como de costume, não era novidade o mau humor diário do mais velho mas Byun sabia bem que dessa vez ele poderia ser o culpado de seu mau humor.

O menor apenas assentiu sem dizer sequer uma palavra e pegou os papeis, sabia que não adiantaria dizer nada e queria também evitar qualquer contato que fosse com seu chefe. Byun sentiu logo uma respiração quente em seu pescoço e virou-se rapidamente, podendo ter a visão do homem a sua frente, pensou em como poderia rer chegado ali tão rapido e suspirou assim o mesmo se aproximou um pouco mais. 

— Byun, seus olhos estão fundos, não dormiu bem?  -perguntou enquanto pousava suas mãos firmes sobre a cintura do garoto, que por sinal sentiu um leve arrepio. 

— Passei a noite no hospital com inha irmã  ela piorou.. Mas isso não é importante para o senhor, então me deixe fazer meu trabalho. -disse firme e afastou o maior de si, Byun norou bem o olhar desejoso do mais velho e sabia que não estava preocupado com sua noite de sono. 

— Você me parece estressado, Byun...  Por que não relaxa um pouco?  Posso lhe ajudar com isso...  -disse Park enquanto deixava pequenos selares sobre o pescoço do menor, visto que isso deixava-o um tanto...  Entregue? 

Talvez fosse o sono ou o cansaço extremo, mas Byun sequer conseguiu dizer ou fazer nada...  Apenas se manteve ali parado e fechou os olhos a medida que os beijos do maior tornavam-se chupões e mordidas. 

As mãos pequenas do garoto pousaram nos ombros largos do mais velho e os apertou...  Byun sentia-se extremamente cansado e justamente por se sentir assim que cedia àqueles toques, que por sua vez faziam-no sentir-se bem e ele precisava daquilo, principalmente por sua péssima noite de sono. 

Park o fitou satisfeito ao ver que estava conseguindo o que queria, então sentou Byun sobre sua mesa e deslizou sua mão sobre o volume de seu membro.  Sorriu satisfeito vendo que deixara o menor excitado facilmente apenas com aquilo e tratou de massagear aquela região. Sorriu de canto ao ouvir o gemido baixo do mais novo e tratou de desabotoar lentamente a calça do mesmo e a abaixou juntamente de sua box, deixou que o membro do garoto ficasse exposto e o envolveu por suas mãos firmes. 

O rosto de Byun a esse ponto se encontrava corado por estar exposto daquela forma para o mais velho.  Fitou-o com um olhar necessitado de seus toques e impulsionou brevemente seu quadril pedindo por alívio.  

Park ao notar a necessidade do garoto início os estímulos lentos na extensão rígida do garoto e aos poucos aumentava mais a velocidade, apenas para ver mais da expressão erótica e excitante de Byun.  O menor, por sua vez, encontrava-se satisfeito ao receber aqueles estímulos prazerosos, por um momento nem mesmo ligava em estar sendo masturbado por seu chefe, apenas queria sentir mais aquela sensação. 

— Park... -Byun pronunciou seu nome de forma manhosa e o olhou como se pedisse por mais daquilo, e de fato precisava.  Estava necessitado daquele prazer, daquela sensação gostosa então Park não tardou em estimula-lo com mais intensidade enquanto esfregava seu polegar pela glande inchada do menor, tendo como consequência os gemidos sôfregos do mesmo 

Chanyeol parecia saber bem o que fazer ali, parecia ser experiente nesses assuntos e de fato era.

 Baek apenas tombou sua cabeça para trás a medida que sentia seu limite próximo e cobriubos lábios com as mãos, não podia deixar que ninguém o ouvisse e a esse ponto seu gemidos estavam cada vez mais manhosos devido a sensibilidade. Park então o olhava satisfeito enquanto mordiscava seu próprio lado, havia percebido que convencer Byun por atos eram mais fáceis do que com palavras e talvez poderia usar isso contra ele.

O mais velho logo voltou sua atenção aos estímulos e os aumentou mais ao notar a forma que o menor movia seu quadril em busca de mais, seguidamente apertou levemente sua extensão com sua palma firme tendo como consequência o gemidinho fino e excitando do garoto. 

Byun sentiu todo seu corpo estremecer assim que chegou em seu limite, sentiu leves espasmos por seu corpo e por fim se desfez entre a mão firme do mais velho.  Fechou os olhos tentando retomar seu folhego e respirou fundo ao ter seu membro livre. Retomou aos poucos sua consciência e se levantou rápido ao notar o que havia feito.  Ajeitou rapidamente sua calça sem saber o que dizer e olhou rapidamente seu superior ali. 

— Sente-se melhor, BaekHyun?  -perguntou com um sorriso pervertido e voltou a aproximar ambosnos corpos. — Poderia lhe fazer se sentir perfeitamente bem...  Se quiser, minha proposta permanece de pé, hm?  -disse próximo ao ouvido do Byun e se afastou brevemente. 

Byun manteve-se em silêncio, sentia-se encorganhado e suho pelo que havia feito...  Não acreditava que havia se deixado levar pelos atos do mais velho...  E sentiu-o ainda pior pelas palavras do mesmo, não estava acreditando que Park havia feito tal coisa no intuito de fazê-lo aceitar... Aquilo deixava-o péssimo, a ideia de aceitar aquela proposta fazia-o se sentir uma prostituta ou algo do tipo. 

— você é...  Nojento.  -riu irônico e pegou os papéis que deveria assinar,  logo saiu às pressas daquele escritório. 

Park não disse nada, apenas riu e negou com a cabeça, sabia que seria questão de tempo até que o garoto aceitasse ser seu... 




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...