História Sorry for being who I am. - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO, Red Velvet
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, D.O, Irene, Joy, Kai, Kris Wu, Lay, Lu Han, Sehun, Suho, Tao, Xiumin, Yeri
Tags Angst, Chansoo, Chanyeol, Exo, Kyungsoo, Lemon, Long Imagine, Sad, Yaoi
Visualizações 587
Palavras 1.142
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção Adolescente, Fluffy, Hentai, Lemon, Romance e Novela, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Cross-dresser, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Cheguei ♡

Capítulo 3 - Notícia


Chanyeol fechou os olhos e revirou os mesmos por baixo das pálpebras. O ruivo vivia apenas com seu pai desde que sua mãe sumiu do nada, deixando os dois sozinhos. O pai do garoto era completamente rígido e mente fechada e passava os mesmos ensinamentos para o garoto. Tentando fazer com que ele se tornasse um reflexo seu e de seu pai.

Kyungsoo se jogou no sofá e logo teve suas pernas levantadas e colocadas no colo da sua mãe.

— Algo para me dizer? — Soo arqueou a sobrancelha.

— Sobre o que? — a mais velha tocou os pés cobertos pelas meias brancas do garoto.

— A conversa que vocês tiveram quando fomos para a cozinha.

— Nada escapa de você. — a mais velha riu soprado. — Won falou sobre a presença de Kai aqui. Quando era só nós dois tudo bem. Mas agora temos que pensar na privacidade dos dois agora.

— Certeza que ele não falou isso por que ele é meu namorado e nós somos gays?

— Lógico que não, filho. Só temos que pensar como uma família agora.

— Não repete isso, por favor. — franziu a testa.

— Vamos dormir, nós dois acordamos cedo.

O garoto assentiu e os dois subiram cada um para o seu devido quarto. Soo vestiu seu pijama e apagou a luz em seguida, deitando-se na sua cama. Suspirou ao sentir seus músculos relaxando quando suas costas tocaram o colchão macio da cama.

O quarto estava completamente escuro e silencioso. Soo ficou olhando para cima, mesmo que não enxergasse nada, ficou daquele jeito por um longo tempo imaginando como iria ser dali pra frente.

Dividir quarto não era algo ruim, não quando se tratava de qualquer outra pessoa que não fosse Park Chanyeol.

Kyungsoo pegou no sono no meio dos seus pensamentos.

O garoto acordou com o som do despertador. Suspirou e desligou o alarme em seguida, levantando depois de ouvir sua mãe saindo do banheiro.

Soo caminhou até o roupeiro, pegou uma calça jeans escura, camiseta cinza e uma jaqueta jeans, largando tudo sobre a cama, indo para o banheiro.

O banho fora rápido como sempre. Soo vestiu-se, ajeitou seus cabelos em um tapete perfeitamente arrumado e desceu para a cá cozinha, encontrando sua mãe e Baekhyun, como de costume o garoto sempre tomava café ali.

— Bom dia. — os dois falaram em uníssono.

— É. Bom dia. — Kyungsoo sentou no seu lugar com uma cara não muito agradavel.

— Porque essa cara de bunda? — Baek deu uma cotovelada no amigo.

— Minha mãe não te contou a novidade?

— A mudança. — Sun-ye murmurou entre um gole de café ao ter o olhar do pequeno Byun sob sí.

— Ah. — Baekhyun assentiu. Ele tinha uma memória de peixinho dourado. — Mas você não estava levando numa boa?

— Tava. Até o Chanyeol aparecer na história. — Soo rosnou.

— Chanyeol? — Baek arqueou a sobrancelha. — Park Chanyeol?

— Você conhece outro?

— Sinceramente. — Sun-ye começou. — Chanyeol me parece ser um garoto muito legal. Educado, carismático e muito atencioso.

— Soo. — Baekhyun encarou o amigo com uma expressão confusa. — Tem certeza que esse ser angelical que a tia descreveu é aquele Chanyeol?

— Já parou para pensar que ele pode ter mudado? Vocês tinham treze anos.

— Ele usa o Baek de escora toda vez que tá perto dele. — Kyungsoo rebateu.

Sun-ye apenas suspirou e voltou a tomar seu café.

Os garotos terminaram de comer, despediram-se da mais velha e saíram pra escola. Durante o caminho foram falando sobre coisas aleatórias, já que Kyungsoo disse que não queria falar a respeito da mudança até que ela acontecesse de fato.

— Não quero sofrer de antecipação. — justificou e Baekhyun concordou.

O caminho que os dois percorriam não era muito longo, mas também não era muito perto. Raramente iam a pé, só quando a mãe de Kyungsoo saia mais tarde.

Assim que entraram na escola, dois garotos se aproximaram deles, um alto de cabelos loiros e um moreno com os cabelos platinados, quase brancos, Kris e Kai.

O moreno sorriu ao ver Kyungsoo, aproximou-se do baixinho, envolvendo seus braços no corpo alheio, dando um selinho na testa e outro nos lábios cheios de Soo.

— Bom dia. — o moreno falou baixinho ao afastar os lábios.

— Bom dia.— o menor sorriu fraco e jogou a cabeça para o lado, olhando para o mais alto dos quatro. — Oi Yifan!

— Oi Soo. — o loiro sorriu, desviando o olhar para Baek, retomando uma conversa com o mais baixo, arrancando alguns sorrisos do pequeno Byun.

— Os dois ainda vão ficar juntos. — Kai sussurrou com os lábios próximos do ouvido de Kyungsoo.

O baixinho riu e balançou a cabeça em concordância, olhando para os dois ali.

Kai logo se despediu do baixinho com um beijo na testa, alegando ter que procurar procurar seu professor antes da aula começar. Assim que os maiores saíram, Soo encarou o Byun.

— Você e o Yifan. O que tá rolando?

— Nada.— Baek comprimiu os lábios.

— Você tá afim dele?

— Podemos não falar disso? A gente coloca o assunto Wu Yifan junto com o Chanyeol.

— Ok ok. — Soo suspirou. — mas uma hora vamos falar a respeito disso.

— Só depois que falarmos do seu novo irmãozinho.

— Eu vou socar sua cara.

Os dois riram e em seguida foram para de aula. Tudo correu como sempre, sem nenhuma diferença. Quando a última aula terminou, Soo foi para casa acompanhado de Baekhyun, que iria almoçar lá já que nenhuma de suas mães estariam em casa.

Os dois seguiram caminhando e conversando como sempre, quando o celular de Kyungsoo tocou, interrompendo a conversa dos dois.


• voice call ON •

— Oi mãe.

— Soo, o Chanyeol vai ficar lá em casa.

— Que? — o garoto praticamente gritou. — mas porque? Eles não vão se mudar só no sábado?

— Sim. Mas o Won teve que viajar a trabalho e eu achei que seria uma chance de você e o Chanyeol se darem bem.

— Sabe que você apenas diminuiu em três dias meu tempo de vida saudável.

— Cala a boca menino dramático! — Sun-ye riu. — ele já está com a chave reserva. Deixei dinheiro em cima do balcão para você comprar comida pra vocês três. Não me esperem para jantar, não sei a hora que irei chegar e dá um beijo no Baek por mim. Te amo.

— Também

• voice call OFF •


— O que foi? Porque a gente parou de caminhar? E essa cara de bunda? — Baek fitou o outro curioso.

— Lembra do assunto que só podia ser comentado no sábado? — O Byun assentiu. — ele foi adiantado pra hoje.


Notas Finais


Taporra.
E agora?
Hahahaha.
Comentem o que quiserem, responderei a todos ♡


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...