História Sorry not Sorry - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Monsta X
Personagens I'M, Joo Heon
Tags Angst, Best Friends Rappers, Bts, Clube De Rap, Hoseok, Hurt/comfort, Jookyun, Namjoon, Pouco Fluff, Scoups, Seventeen, Yoongi
Visualizações 62
Palavras 1.706
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Festa, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi gente, eu to de volta com mais uma fic. Ela vai ser short fic e eu já tenho quase todos os caps terminados, então, eu não vou demorar HORRORES pra postar pq ela ta praticamente pronta. É isso, amor vocês.

Capítulo 1 - Lee Jihwan, a fucking crazy dude.


- Então... - O garoto sentou em cima da sua mesa e o encarou com os olhos pequenos. - Você gosta de rap, certo?

- Uh... Eu... Sim, eu gosto. - Changkyun respondeu, claramente confuso. "De onde que ele veio?"

- Hm... legal. - Ele continua em sua mesa, mas em silêncio.

- Era só isso? - Perguntou depois de um tempo. Ele precisava terminar o exercício.

- Na verdade, não. Eu vi que você gosta de rap, e eu.. - Ele engasgou com as palavras e desviou o olhar.

- Você...?

- Eu queria que fizesse parte do meu clube de rap. Não é nada demais, é só uma coisa entre amigos e... Sei lá, você não parece conhecer muita gente por aqui. - Ele deu de ombros, ainda encarando o chão. Algo dentro do Im se ascendeu e ele deixou uma pequena risadinha escapar. - Oi, você tá rindo de mim, bastardo?

- Não, não. Só é engraçado ver você assim por algo tão simples. - O garoto estreitou os olhos ainda mais e Changkyun lhe ofereceu um pequeno sorriso. - Eu adoraria fazer parte do seu clube, mas antes, preciso saber algo muito importante.

- O quê? - O garoto se vira pra si, cheio de expectativas.

- Qual seu nome?

O outro menino bate em sua própria testa. "Como eu esqueci da parte mais fácil?" Changkyun se permite dar uma risada, mas ela é interrompida pela voz do outro e sua mão estendida para que, finalmente, se cumprimentassem.

- Jihwan, Lee Jihwan. - Changkyun ajeitou os óculos no rosto antes de apertar a mão alheia com um sorriso.

- Im Changkyun ao seu dispor. - Eles sorriram e o sinal bateu, iniciando mais uma aula.

O tempo passou rápido, não demorou muito pra eles virarem amigos. Se encontravam todos os dias no colégio e passavam a maior parte do tempo conversando sobre música, raps, flows, batidas, tudo o que tinham direito. Nos fins de semana, eles combinavam de ir numa batalha de rap underground que ocorria num bar debaixo da ponte principal. Eles tinham apenas 14 anos, mas Namjoon e Yoongi, outros amigos do clube, sempre conseguiam fazer eles entrarem.

Eles eventualmente se encontravam para estudar, ou simplesmente jogar videogame até tarde durante as férias. Jihwan era engraçado e fazia Changkyun questionar as coisas do jeito que ele conhecia, e até mesmo lhe apresentou novos amigos, o resto do pessoal do clube de rap, Changkyun lembra de como os conheceu como se tivesse sido ontem.

- Pessoal? Esse é o moleque que eu contem pra vocês, Changkyun. - Eram quatro garotos. Aparentemente, todos mais velhos. Changkyun controlou a vontade de se encolher atrás de Jihwan e lhes ofereceu um pequeno sorriso tímido.

- Eu achei ele fofo. - O garoto de sorriso grande afirmou. - Olha, ele tá até ficando vermelho só com isso. Outro menino de cabelos pretos e carranca estampada em seu rosto lhe deu uma cotovelada. - Ouch, Yoongi, não faz isso.

- Você mereceu, tá deixando o garoto ainda mais envergonhado.

- Ugh, tá, tanto faz. - Voltou a analisar Changkyun. - Você é bonito também. Seu nariz é bem legal.

- Hã... Valeu?

Todos se entreolharam e riram em seguida. O garoto era tão desconfortável ao redor deles que se tornava engraçado, como se ele nunca nem mesmo tivesse falado com tanta gente de uma vez. A verdade, é que era algo mais ou menos isso, ele nunca tinha estado num colégio de verdade, então interagir com pessoas da idade dele, não era algo muito recorrente.

- Por que está assim? - Um garoto alto e com um sorriso agradável perguntou. Ele tinha um jeito de paizão, como se estivesse acostumado a cuidar das crianças.

- Eu... É a primeira vez que eu estudo num colégio. - Changkyun encarou o chão. - Eu fui ensinado em casa até, bom, ano passado? - Ele soltou uma risada nervosa. - Desculpa ser tão estranho.

- Nah, you're doing just fine. - Um dos meninos disse, ele tinha covinhas tão fundas quanto Jihwan, e seu sorriso era bonito, seu cabelo crespo estava num topete estranho, mas ele nem ligou tanto pra isso.

- Thanks, it's still kinda awkward. - Ele respondeu antes que pudesse se parar de fazer isso. Seu cérebro as vezes pensava em inglês por ter morado 3 anos em Boston. Ele estava programado pra responder em inglês.

- Well, that's a surprise. - O garoto responde. O sorriso agora além de reconfortante, tem um pingo de curiosidade em seu olhar. - Meu nome é Namjoon. Kim Namjoon.

- Ou Rapmonster, como todo mundo chama ele, por algum motivo, não? - O garoto animado de antes disse, fazendo Changkyun rir. Ele dá uma risadinha por ter conseguido fazer as barreiras da timidez de Changkyun afrouxarem um pouco. - Eu sou o Hoseok. Mas pode me chamar de Hobi, é um bom apelido né? - Changkyun apenas sorri, assentindo.

- Seungcheol. - O "pai" se apresenta, e Changkyun aperta a mão que ele tinha estendido pra si com uma pequena reverência.

- Aquele rabugento ali é o Suga. - Jihwan aponta para o garoto rabugento do início.

- Jihwan, você não ouse chamar o Yoongi de um name stage tão ruim! Só chame ele de Yoongi, Chang. - Hoseok disse entusiasmado pra si e Changkyun se deixou rir mais um pouco.

- Então, vamos recapitular tudo isso aqui pra você entender quem é quem: Lee Jihwan, eu, seu parceiro de aula, tenho 14 anos, como você, e é isso, somos os maknaes. Por sinal quando é seu aniversário? Eu tenho que saber se eu sou mais velho que você.

- 26/01.

- HÁ, - ele aponta para todos os garotos. - NÃO SOU MAIS O MAIS NOVO, SEUS OTÁRIOS.

- Olha o respeito com os hyungs. - Yoongi diz, lhe dando um cascudo. Jihwan reclama mas continua as apresentações.

- Esse rabugento é o Suga, - Hobi o olhou feio. - Yoongi, jesus, não é minha culpa se o stage name dele é horrível! - Jihwan reclamou. - Continuando, temos Namjoon ou RapMonster, por que será esse apelido? Aposto que ele é ótimo em cozinhar. - O Lee ironizou e Changkyun deu um pequeno sorriso, o que se transformou numa gargalhada ao ouvir Hobi sussurrar para si.

- Na verdade, ele é terrível.

- E por fim, não menos importante, temos quem manda nessa porra, o dono da casa, quem põe comida na mesa, o pai, o patriarca, quem nos dá bronca pelo dever de casa: Seungcheol, ou S.coups.

- Você não acha essa introdução um pouco longa? - Seungcheol pergunta com um sorriso em seus lábios e os braços cruzados. - Desculpa, mas tudo o que eu disse é a mais plena verdade. - Jihwan se defendeu.

- Menos que o Nam cozinha bem. - Yoongi murmurou, o que deixou todos em choque por um instante antes de explodirem em gargalhadas.

E assim, os dias foram se passando, e assim, meses, anos. Changkyun e Jooheon já estavam em seu segundo ano, de ensino médio.  Quando ele estava em seus amigos se encontravam pelos lugares, faziam o possível para comerem juntos e riam das brincadeiras que faziam entre si. Cada um queria ser uma coisa diferente.

Namjoon fazia letras, especialmente literatura inglesa.

Yoongi disse que não fazia ideia ainda mesmo no auge dos seus 18 anos, fazer rap era, pra si, o suficiente por enquanto, pelo menos enquanto ele conseguia algum dinheiro com aquilo. Mas o grupo sabia que não era verdade, o garoto carrancudo, era certamente apaixonado pela música.

Seungcheol já estava estudando pelo segundo ano seguido para ser um advogado de sucesso, ele aparecia de vez em quando no clube, mas tinha se afastado consideravelmente por causa da faculdade.

Hobi, por outro lado, tinha certeza do que queria, psicologia. Um dia aleatório, depois da aula, eles se sentaram nos bancos da praça que tinha do lado do colegio esperando pelos outros meninos.

- Então, sabe o que quer fazer? - Hobi perguntou, envasivo como sempre, não que Changkyun reclamasse muito, ele gostava disso, não é como se ele se sentisse confortável o suficiente para puxar assunto por conta própria mesmo.

- Na verdade, meu pai quer que eu siga a carreira dele.

- Mas você quer fazer isso? - Agora ele lhe encarava e Changkyun começava a sentir seu rosto formigar em vergonha.

- Não sei, talvez?

- Se talvez fosse sim, eu seria um péssimo dançarino agora. - Ele riu e desviou o olhar pro horizonte de novo. - Mas não importa muito, uma hora você descobre. - Ele suspirou.

- E você, Hoseok?

- Acho que... Psicologia. Dizem que eu sou bom em entender as pessoas. Mas não é por isso que eu quero fazer, acho. Ajudar alguém requer mais do que isso. - Ele voltou a olhar pra si. - Não acha?

Changkyun não conseguiu dizer nada no momento, então apenas assentiu, voltando a olhar pro chão. Ele poderia ajudar pessoas se fosse o que o seu pai queria. Mas... Não se ele fosse um rapper.

- Eu realmente gosto de rap, é divertido, e me trouxe vocês. Mas não sou como o Yoongi que quer isso pra vida. É divertido, mas eu quero mais, eu mereço mais. Mas é claro que isso sou só eu. - Ele dá uma pequena risada sem humor. - Rap te faz sentir vivo, faz as pessoas ao seu redor pararem de ouvir merda e só ouvirem o que você tem pra dizer, é quase que uma magia, tem sua importância, e eu realmente acho que é a porra duma arte você ser tão bom nisso como o Nam, mas acho que não é pra mim. Não acha?

Changkyun não respondeu, se perdendo nos próprios pensamentos. Talvez seu sonho de ser rapper, além de improvável, era um pouco egoísta demais.

- Hey, moleque, tá me escutando não? - Hoseok o cutucou nas costelas. Changkyun riu involuntariamente.

- Desculpe, hyung, me distraí.

- Eu vi. Vamos, levanta, os outros estão chegando.

Naquele dia qualquer, Changkyun havia começado a perceber que talvez ele não quisesse tanto assim ser um rapper como ele tinha acreditado durante boa parte da sua vida.


Notas Finais


Thats all, babes


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...