1. Spirit Fanfics >
  2. Sorte no amor - Jikook (Mpreg) >
  3. Sorte no Bar

História Sorte no amor - Jikook (Mpreg) - Capítulo 2


Escrita por:


Notas do Autor


We are young me inspirou muito esse capítulo, porque essa música é simplesmente perfeita?? puta merda, sério
jkjkkkkkkkk Boa leitura

Capítulo 2 - Sorte no Bar


Fanfic / Fanfiction Sorte no amor - Jikook (Mpreg) - Capítulo 2 - Sorte no Bar

“Meus amigos estão no banheiro
Ficando mais altos do que o Empire State”

 

         O sábado chegou um pouco mais frio que os outros dias, mas na sala de dança o calor predominava. Jimin e os outros alunos que estavam ali dançavam a mesma coreografia pela quarta vez, fazendo a limpeza de movimentos, se tudo desse certo, daqui um tempo teriam uma apresentação em um evento de primavera, sobre as flores de pêssego.

- Se eu repetir mais uma vez, minha bacia sai do lugar. – Nakemi, a japonesa que ficava a frente da coreografia disse enquanto caia de costas no chão, segurando a coxa esquerda com força.

- Tudo bem? – O loiro se sentou ao seu lado preocupado com a reação da outra.

- Só um pouco de dor. – Sorriu de olhos fechados.

- Não alongou antes?

- Alonguei. – Suspirou. – É que eu também faço ginastica artística, esses últimos dias as coisas tem ficado puxadas com uma nova competição sabe. – O encarou com os lábios crispados. – Eu deixei de tentar uma faculdade pra seguir carreira nisso, então eu preciso me esforçar o suficiente pra estar entre as melhores. Essa semana eu treinei até não conseguir mais, fui todos os dias e hoje depois daqui eu vou voltar pra academia, preciso deixar cada movimento no mínimo perfeito.

- Só não exceda seu limite hoje a ponto de não ter forças pra competir. – Disse baixinho, aquela menina realmente dava tudo de si.

- Vou tomar cuidado. – Sorriu.

         Jimin se levantou do chão e conversou com a professora sobre como estava se saindo no trabalho de ajudá-la e recebeu algumas orientações da mais velha. Assim que terminaram ali, ele se despediu das meninas e dos meninos e saiu vestido no moletom imenso que era de Jungkook há um ano atrás, quando por acaso no frio ele estava bem disposto no sofá do moreno e o loiro teve uma ótima ideia de pegar emprestado. Bom, talvez um dia ele devolva.

         Pegou o celular e foi conferir se alguém tinha dito alguma coisa, mas por enquanto só uma mensagem do Jun perguntando quando ele estaria livre. Só respondeu que já estava indo para casa descansar e poder sair à noite.

         Passou no mercado e comprou alguns legumes que a Choa pediu, aproveitando para pegar uma barrinha de chocolate e duas garrafinhas de água tônica, assim, tomando novamente o rumo para a casa.

         Quando chegou só colocou as compras no balcão e sentiu o corpo doer por ter dançado todos os dias dessa semana no trabalho e na aula prática da faculdade, mesmo que esta última tenha sido só um tantinho.

         Viu o bilhete da irmã na geladeira dizendo pra não ficar enrolando e guardar as compras, foi o que fez. Aproveitou e esquentou a comida no micro-ondas comendo também todos os pedaços de beterrabas cozidas que tinham num potinho.

         Ligou para sua mãe e conversou sobre todos os últimos dias com ela, deixando de fora a parte que ele e o Jeon ultrapassaram a amizade por uma noite. Falou também com o seu pai, que perguntou muitas vezes se algum garoto estava de gracinha com o loiro, porque se sim, o senhor Park prontamente viria para a casa da filha e interrogaria o abençoado.

         Já tomado banho e jogado no sofá, colocou-se a pensar naquela noite, isso tinha pesado sua cabeça por um tempo considerável porque depois daquilo foi completamente impossível olhar para o amigo e não se lembrar de cada detalhe daquele momento, de cada beijo novo, as reações aos toques. Tudo. Parecia tão único, tão bom.

         Fechou os olhos.

- Jun... – Conseguiu falar ofegante depois de separar os lábios milimetricamente, a música estava alta. – Meu Deus.

- Meu Deus. – O mais alto repetiu, trocando de posição com Jimin, colocando agora as suas próprias costas na parede a qual prensava o outro antes, o segurando forte pela cintura.- Você quer parar?

- Não. – O loiro falou, sorrindo ao sentir o outro afundar o rosto em seu pescoço.

- Que bom. – Apertou-o contra si, descendo as mãos para o quadril enquanto o baixinho aproveitava para sentir todos os músculos do braço do moreno, parecia estupidamente gostoso. – Parece que quanto mais eu te beijo, com mais vontade eu fico. – Fez o outro rir. – O que é isso, algum tipo de droga, Ji? – Roçou os lábios no pescoço deste, logo deixando um chupão forte ali.

- Me beija mais, Jun. – O puxou pelo maxilar. – Até passar a vontade. – Aproveitou toda proximidade para esfregar os narizes.

- Não vai passar. – Grudou seus quadris, os dois ofegando.

- Eu espero que não. – E então, voltaram a se beijar.

         O som da campainha despertou o loiro do transe que sua mente traiçoeira o colocava, repetindo aquelas cenas como se fosse um filme. Suspirou frustrado. Porra, era oficial, depois daquele beijo com Jungkook os seus neurônios enlouqueceram.

- Quem é? – Perguntou antes de abrir a porta.

- A rainha má da branca de neve. – A voz respondeu macia, causando um riso e uma vergonha repentina em Jimin.

- Entre, rainha má. – O deixou passar, tentando não ligar aquele rosto bonito a todas as lembranças no beijo. – Veio me visitar ou o seu espelho quebrou e você veio usar o meu?

- Vim te entregar a maçã envenenada. – Colocou uma sacola no balcão, se virando para o amigo. – Até porque da maçã do pecado eu já experimentei. – Disse baixinho olhando para boca do garoto.

- Hm? – Perguntou chegando perto e fuxicando a sacola. – Não ouvi, fala de novo. – Fez uma cara surpresa. – Meu Deus isso é um pote cheio de beijinhos?! – Sorriu deixando os olhos virarem dois risquinhos, o que fez Jeon sorrir também. – Eu amo beijinhos.

- Sim, por isso eu trouxe. – Se sentou numa das banquetas, deixando a frase anterior se perder apenas em sua cabeça.

- Ai nossa, é tão bom. – Comeu um, oferecendo outro para o dono já que, né, foi ele quem trouxe.

- Gostou dos meus beijinhos, Ji? – Perguntou brincalhão, vestindo seu melhor sorriso de malandro.

- Eu não vou responder a esta pergunta indiscreta. – Virou a cara tentou não rir da expressão do amigo que tinha murchado.

- Tudo bem se você não quer admitir, eu sei que são ótimos. – Comeu mais um, vendo o loirinho se apoiar no balcão ao seu lado.

- Que galanteador barato, você vai usar essas suas investidas com aquele bonitinho que deu em cima de você na quinta feira? – Perguntou curioso.

- É, ele parece legal. – Coçou a nuca. – Mas não sei não.

- Bom, se ele é legal, não tem o que perder. – Comeu o último beijinho.

- O que é isso? Quer se livrar de mim tão rápido assim? – O encarou incrédulo, ouvindo sua risada contagiosa. – Acha que eu não sei que aquele moletom no seu sofá é meu.

- Ah, eu-

- Sem explicações Jimin, tudo bem, eu sei. – O encarou nos olhos, fazendo uma cara de compaixão. – Você se veste com ele para se sentir mais perto de mim, e tudo bem sabe.

- Você é tão, tãããão abusado Jeon Jungkook. – Riram. – Sinceramente. – O mais novo revirou os olhos.

- Passei aqui porque tava’ pertinho, e porque quando esse potinho brilhou na sessão de doces caseiros da padaria eu logo lembrei de você.

- Está na hora de receber o título de melhor melhor amigo. – Contou.

- Sim, eu sou. – Se gabou. – Se o Taehyung escutar isso ele desce a porrada em você.

- Por quê? Ele já tinha esse título há muito tempo. – Disse sarcástico e viu a boca do outro se abrir em indignação.

- Eu deveria mesmo ter comido todos os beijinhos, fala sério.

•••

         O moreno não ficou muito na casa do amigo, então a tarde acabou passando bem devagar enquanto Jimin ressonava no sofá, tentando inutilmente prestar atenção no filme que tinha colocado.

         Quando Choa chegou já na boca da noite, o irmão estava terminando de se arrumar para sair com os meninos enquanto ela reclamava sobre ele não poder ficar comendo somente porcarias de rua ao invés de uma comida saudável.

- Eu sei, tá? – Bufou. – De qualquer forma, não estou conseguindo comer bem esses dias.

- Mais um motivo pra comer minha comida deliciosa. – Jogou a camiseta que o garoto havia pedido, vendo-o encarar o espelho entre a vermelha e a preta. – A que você tá’ é melhor.

- Ok. – Se virou para a menina. – Eu sei muito bem que você chamou suas amigas para virem aqui hoje comer da sua comida deliciosa. – Debochou.

- Não, hoje vamos pedir pizza. – Falou séria enquanto o garoto ficou indignado.

- Mas que palhaçada é essa? – Questionou-a. – Quando eu janto em casa você inventa de colocar cenoura em tudo o que der, mas quando eu saio você come pizza?!

- Tenho que parecer uma adulta responsável, Jimin. Imagina se a mãe liga e você acaba soltando que comeu macarrão instantâneo e cachorro quente por uma semana? – Riram alto. -  Ela corta minhas mãos fora, não foi atoa que me deu o livro de receitas dela.

- Acho que viveria bem comendo só dogão. – Sentiu a boca salivar. – Nossa, eu vou comer isso hoje.

- Se tiver uma desinteria alimentar eu te envio de volta pra Busan.

- Ei! – Gritou a assustando, sentando-se ao seu lado na cama. – Será que não é isso?

- Hm?

- Desde o dia da festa que a Arya deu eu tenho comido bastante porcaria. Igual quando a gente foi na praia no meu primeiro ano do colegial e quando eu voltei tive que ficar três dias a base de batata cozida e remédio de estomago.

- É verdade. – Assentiu. – É melhor passarmos em uma farmácia amanhã, pode ser outro começo de desinteria mesmo.

- Tudo bem, mas se for, hoje eu vou comer o dogão só pra compensar o tempo que vou ficar sem. – Se espreguiçou. – Aliás, pode me deixar no Hangover?

- A fala sério. – Deitou-se de costas na cama fazendo um bico.

- Não vai deixar o seu irmãozinho na mão, né Choa? – Pediu levantando as sobrancelhas. – Você tem um carro, o que que custa? – Manhou.

- Vou te dar uma lambreta de presente, garoto. – Riu baixinho.

         O outro terminou de se arrumar bem rapidinho enquanto esperava a menina vestir uma meia e um chinelo para sair de casa, usando uma calça de pano azul larga, dando a desculpa que não sairia do carro.

         O bar não era tão longe e tinha bastante gente, assim que o loiro saiu do carro e pisou o pé no pub, o barulho alto de gritos vindo de uma das várias mesas de sinuca o recebeu. Era bem grande, mas pode avistar Taehyung e Jungkook numa mesa de madeira quadrada junto com os novos amigos do curso deles.

         Se aproximou desviando de algumas pessoas, enquanto se concentrava na música alta, We are Young, Fun e Janelle Monáe. Um sorriso grande apareceu quando identificou a letra, é tão bom ser praticamente levado de volta paro passado com o toque.

- Oi. – Falou alto quando chegou na mesa, trazendo os olhos dos amigos para si.

- Ji. – O do sorriso quadrado falou, deixando o copo de cerveja em cima da mesa. – Esses são o Namjoon e o Yoongi.

- E ai. – Disseram juntos, também sorrindo.

- Você demorou. – Jungkook disse.

- A Choa não queria me trazer. – Riram. – Tá’ tocando Fun...

- Achei que você não fosse lembrar. – Se sentou ao lado do moreno, encarando Tae contar aos amigos algo completamente animado.

- Até parece. – Revirou os olhos se recostando na cadeira.

- But between the drinks and subtle things – Sibilou o que o cantor falava enquanto olhava para o menor ao seu lado, que estava com o cotovelo na mesa, apoiando o queixo na mão. – And the holes in my apologies, you know im trying hard to take it back.

         Mas entre bebidas e coisas sutis, os buracos em minhas desculpas, você sabe que eu estou tentando tê-lo de volta. Jimin colocou o cabelo para trás, começando a ficar envergonhado com toda atenção que estava recebendo de Jungkook, que já não murmurava mais a letra, apenas lhe observava com aqueles olhos grandes, as sobrancelhas franzidas. Portanto, se no momento em que o bar fechar e você sentir que está caindo, eu te levarei para casa, hoje a noite nós somos jovens.

- Eu vou... – Começou baixinho, ainda encarando os orbes pretos. – Pegar um dogão. – O moreno assentiu fraquinho, pegando sua garrafinha de Stella Artois esquecida na mesa e tomando.

         Caminhou até o balcão das comidas bem rápido, pegando o cardápio e indo direto no preço do cachorro quente, é, era aceitável. Pediu e ficou sentado nas banquetas pretas do lugar. Viu uma garota com os cabelos cacheados até pouco antes da cintura sair dali com dois drinks bem coloridos, caminhou em direção a mesa em que seus amigos estavam e cumprimentou Taehyung com um abraço, deixando as bebidas ali em cima. Jimin vendo de longe conseguiu identificar que esta estava sendo apresentada para os amigos e sorriu fraquinho, para o Tae apresentar uma garota ela tem que ser bem importante.

- Aqui. – O cara do balcão entregou um prato com seu dogão, seus olhos brilharam. O pagou e quando foi se levantar para voltar a mesa, sentiu aquele cheiro característico da comida embrulhar completamente seu estômago.

         Voltou o prato para o balcão rápido e numa velocidade em que até o Usain Bolt teria inveja, correu para o banheiro masculino, abrindo uma das cabines e se abaixando no chão perto do vaso, vomitou. Não havia deixado toda sua alma sair pela boca, mas o gosto ruim e o trauma que tem de vomitar o fez passar ainda mais mal.

         Apertou os olhos e crispou os lábios, tentando reverter aquela situação para que nenhuma gota a mais daquilo saísse, jogando com uma mão a franja para trás, tirando da frente do rosto.

- Que saco. – Murmurou para si mesmo.

- Ji? – A voz do Jeon soou no banheiro inteiro, o fazendo levantar do chão, fechando a privada e se sentando em cima da tampa, não esquecendo a descarga. – O que aconteceu? – Perguntou quando viu o amigo com o rosto mais pálido que o habitual. Quando obteve um suspiro como resposta logo soube que o loiro havia vomitado.

- Acho que é desinteria alimentar.

- De novo? – Riu fraco. – Vamos embora então, eu te levo pra casa.

- Tudo bem, eu vou chamar um táxi. – Disse, mas logo recebeu o olhar bravo do mais alto. – É sério Jun, pode ficar.

- Então, vamos levantar uma taça. – Cantou uma parte da musica que tocava mais cedo. – Porque eu achei alguém para me levar pra casa... – Ouviu o loirinho rir fraco ao fazer menção a música preferida deles. – To night, we are Young.

- Desculpa. – Se levantou mas logo sentiu o maior passar a mão por trás da suas costas, o segurando pela cintura. – Jun, eu estou passando mal, e não bêbado. – Riu.

- Ah, é. – Coçou a nuca com a outra mão. – É por precaução sabe.

- Sei... – Negou fraquinho com a cabeça. – Ei, meu cachorro quente ainda tá em cima do balcão.

- Quando vi que você foi correndo pro banheiro, levei pra mesa. – Avisou. – Mas agora que a gente vai embora o Taehyung vai comer inteiro.

- Pelo menos não está sendo desperdiçado. – Fez uma careta, vendo o outro sorrir para si.

So lets set the word on fire

(Então vamos deixar o mundo em chamas)

We can burn brighter than the sun

(Nós podemos queimar mais brilhante que o sol)

Carry me home tonight

(Me leve para casa essa noite)

Just carry me, home tonight

(Apenas me leve para casa essa noite)


Notas Finais


Se gostou, favorite :)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...