História Sorte No Azar - Capítulo 10


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Visualizações 24
Palavras 1.267
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Comédia, Romance e Novela

Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Olá, amores!
Vamos a mais um capítulo?
Não deixem de conferir as notas finais.
Excelente leitura!

Capítulo 10 - Vivendo com a verdade


Horrível era como me sentia e socorro era a palavra que rondava minha cabeça. Encontrar a Bárbara agora não estava nos meus planos e em nenhum deles, era de meu desejo que ela descobrisse sobre tudo desta forma, bem na porta do Leo. Parecia até um típico clichê, infelizmente a coincidência não era coisa de novela e muito menos, uma cena de teatro.

— Há quanto tempo vocês estão juntos? – Ela indaga ainda parada em frente aos degraus da varanda.

— Babi...- Leo é o primeiro a falar.

— Respondam! – Seu grito repleto de sentimentos só me fazia sentir pior. — Como eu fui idiota. E eu vindo aqui na esperança de te encontrar e com certeza vocês estavam muito bem... Tudo isso foi o quê, Larissa? – debocha com desprezo. —Vingança? Hã? Seu ressentimento por mim era tão grande? A ponto de virar ódio e querer meu namorado?

— Babi, vamos entrar. Eu tenho certeza que não quer ter esta conversa logo aqui.

— Não encosta em mim. – Bárbara dá um passo para trás, enojada, se desvencilhando de Leo que havia saído do meu lado. —  Jura que agora você quer discrição? Sigilo dos vizinhos? – sorri amarga. — Quantas vezes eles já não viram o caso sórdido de vocês? Você não presta, Leonardo. E você, Larissa? O gato comeu sua língua? Você não fala?

— Bárbara, eu sei exatamente o que você está pensando e...

—  Ah, você sabe? Sabe e vai continuar sendo sonsa? Pode rir, se vangloriar, tira a máscara. Mas você é um monstro, Lara! É bom que todo mundo saiba... – A elevação de voz se faz presente. — LARA BARBOSA É UMA VACA! OUVIU, SENHORA? SENHORES? ESSA DAQUI É UMA COMPLETA FILHA DA P...

— Já chega, Bárbara! – Leo corta o escândalo da ex- namorada, segurando o fino braço da loira. — Já saiu do papel de vítima? Porque isso já ficou ridículo e eu te garanto que ele não combina com você. Eu sei que está no seu direito para se sentir enganada, traída...

— Eu fui traída.- retruca.

— Okay, mas a Lara não merece isso. Essa conversa não pede isso. Por favor, não estraga o carinho e respeito que ainda sinto por você, Babi, entra.

— Para quê? – Toda raiva dava lugar as lágrimas. Seus olhos se enchiam de água. —  Para você defender a nova namoradinha? Não. Você tem noção do quanto eu me abrir com ela? Do quanto eu desabafei com você, Lara? Não era mentira. Eu queria sua amizade de volta, eu te procurei, porque confiava em você...Minha vida estava um inferno e você se divertia nas minhas costas.

— Claro que não. – Eu desço um degrau para ficar mais perto dela. — Eu ia te contar. E ele era seu namorado, Bárbara. Independente de não sermos ami...- Meu rosto é fortemente marcado pela sua mão pesada. Sinto ele começar a arder.

— Eu queria machucar mais. – confessa em tom baixo, porém firme. — Nada justifica e você sabe disso. Então, para.– sorri fraco e nos olha com o pior dos olhares antes de parecer se recompor. — Mas eu dou boa sorte aos pombinhos. – funga, secando o rosto mais uma vez. — Sejam muito felizes... Até que ele te traia.

Bárbara se vira sem falar mais nada. A partida do seu carro foi o único e último barulho a ser escutado, meu cérebro  ainda não lembrava de suas funções, impossibilitando a formulação de palavras. Somente quando meus ombros são tocados e eu sou puxada com cuidado para seu abraço quente, que me permito acalmar por completo. Estávamos sem eu perceber, já no hall da sua sala.

— A Babi só estava abalada. Você sabe que não pode levar tudo que ouviu aqui a sério, não é?- Ele beija minha testa, carinhoso.

— Eu não esqueci todo passado nessa semana, Leo. Não sou boba também. A sua Babi já me decepcionou muito.

— Eu sei, linda. Quer dizer, não sei de tudo, mas pretendo saber. O que me preocupa agora é você. Está bem para ir...

— ...ao trabalho? – Me afasto do ruivo, voltando também melhor ao foco. — Não, eu vou trabalhar sim. Por que não iria? Eu só preciso de um copo de água antes. Posso?

— Claro, Larita. Eu pego para você.

— Mas só não demora, Leo. Porque senão vamos chegar...

— ...atrasados. Relaxa, a funcionária exemplar do Banco Gold Center merece ter um certo atraso. E eu como seu praticamente novo chefe, aprovo isso.

— Eu não quero ter privilégio quando assumir o cargo da Marta na segunda.

Eu não queria mesmo. O que me lembra que não discutimos sobre abrir nosso recente relacionamento para todo mundo.

— E não vai. – O ruivo já voltava da cozinha. — Você é eficiente demais e não precisa disso. Eu vou ser um bom chefe, Larita. E eu não esqueci o que te prometi...Vamos com calma.

Sorrio mais aliviada.

Vamos com calma.

 

...

— Gente, isso não vai dar certo. Ela devia subir sem a lâmpada.  Depois descer a lâmpada queimada, porque senão ela não vai ter onde... – E como previsto, o desastre acontece e a lâmpada se espatifa no chão. Após uma pequena broca do chefe, o moreno  continua. — Ela devia desligar a luz primeiro, porque senão ela vai levar um...

Jake Hardin é claro que salva sua Ashley a tempo. Ele é tão cute! Os dois são. Amava aquele filme. E sabia as suas falas de trás para frente.

Dividia um cobertor com Josy e um balde de pipoca na sala, mas enquanto eu tomava minha amada limonada sem limões, ela não largava seu líquido preferido: o café. Em pleno sábado à noite, e como pessoas sociais que somos, assistíamos pela milésima vez um dos nossos filmes preferidos. ‘’Sorte no Amor’’.  

— Então, qual é a diferença?

Pego um bom punhado de pipoca, fugindo da pergunta da minha melhor amiga. Ela tinha que não deixar isso escapar. Acontece é que por ser tão azarenta desde...sempre(?)..., passou a existir uma brincadeira entre mim e minhas amigas: na minha vida, ao contrário do filme, quem precisava de um ruivo de sorte, era eu. Uma Lindsey Lohan de calças.

E desde que conheci o Leo por coincidência, tal assunto passou a ser recorrente e o preferido no meu grupo mais que social de amigas no WhatsApp, o  ‘’ Família Cupcakes’’, o qual, eu nunca me desfaço.

— Para de fingir que não está escutando, Lara. Ele é o seu ruivo. Qual a sensação de ver o filme agora que tem o Leo?

— Não vou assistir se continuar me atrapalhando.

— Para de ser chata, Larissa. - Eu não precisava olhar para saber que Josiene estava sorrindo. — As meninas querem saber. E a dona do grupo está muito desnaturada ultimamente.

— Eu sei. O trabalho, o último ano está complicado...Hmm, Josy, quando vai me contar o segredo dessa limonada?

— A da falsificada? Você gosta, né? – A garota sorri, convencida. — Nunca!

Meu celular recebe mais uma notificação, eu ignoraria por estar determinada em chegar ao fim daquele filme, porém quando confiro de forma breve à tela, ainda sem destravá-la, até me assusto com a quantidade de conversas que o WhatsApp mostrava junto com as ligações perdidas. Tinha deixado meu celular no silencioso.

— O que foi, Lara? Você parece que viu um fantasma, amiga.

— Eu só tenho que trocar o pijama. Eu preciso ir para o hospital. – digo, levantando do sofá.

— Hospital? Respira. O que foi que aconteceu?

— A Bárbara. O carro dela só foi encontrado horas depois...Ela está internada.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


Notas Finais


Limonada sem limões??? Alguém sabe como Josy faz isso??? ....

Gente, espero muito que tenham gostado do capítulo. O próximo será que vão me matar??? Kkkkk.
Mas vamos focar na novidade???
Amores, criei um insta literário, para quem quiser participar, me acompanhar, será imensamente bem-vindo(a). Link logo abaixo:
https://www.instagram.com/

E até mais???


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...