História S.O.S. - No one knows where this will stop - Capítulo 29


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Tags August D, Bangtan Boys, Bts, Drama, Jimin, Min Yoongi, Romance, Suga, Taehyung
Visualizações 17
Palavras 2.463
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Luta, Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá pessoal..
Como estão?? Espero que bem.. 😀
Mais um capítulo para vocês..
Espero seus comentários.. 😉
Desculpem qualquer erro..
Boa leitura!!

Capítulo 29 - Isso não foi como salvar a donzela em perigo


Fanfic / Fanfiction S.O.S. - No one knows where this will stop - Capítulo 29 - Isso não foi como salvar a donzela em perigo

Jimin's pov

Cheguei ao bar de Min Yoongi e o estrago tinha sido grande. Avistei Yoongi caído no chão e corri até ele.

- Suga?! - o balancei e nada.

Algumas partes do bar estava em chamas e Namjoon se aproximou.

- Ele está bem? - Namjoon levou a mão a cabeça.

- Eu não sei. - dei de ombros e Yoongi resmungou algo incompreensível.

- Vou chamar os bombeiros. - disse Namjoon, que tinha uma aparência péssima por causa da explosão.

- Você está bem? - disse o ajudando a se levantar.

- Eu vou ficar bem. - disse Yoongi olhando em volta. - O que fizeram com o meu lindo bar.

- Isso aqui é mais uma boate do que um bar. - disse o ajudando e o colocando sentado num pequeno sofá ali ao lado.

- É o melhor dos dois mundos. - ele disse com dificuldade levando a mão a barriga.

- Quem fez isso? - o questionei.

- Eu não sei. - disse ele me encarando atentamente. O ambiente não era tão claro, mas também não era tão escuro. - Mas dá para imaginar um monte de possibilidades.

Ele não é bom para ______, e ela gosta dele. Ficou muito claro para mim quando ela ficou desesperada com a explosão.

Eu perdi.

Travei o maxilar e respirei fundo. ______ jamais estaria segura ao lado de Yoongi, mas também não posso forçar ela a gostar de mim.

(...)

Alguns dias depois...

Corri atrás de So Phe, ela caminhava com umas sacolas e falava ao celular.

- Entendi, entendi. - disse ela de modo distraída com o mundo ao seu redor. - Eu já comprei tudo. Responderei imediatamente. Poxa! - ela parecia triste. - Até depois. - So Phe desligou o telefone e o colocou de volta na bolsa.

- So Phe! - corri e me aproximei dela, ela se virou e me encarou surpresa.

- Não vai para o escritório?! - ela me encarou de cima a baixo. Eu usava uma roupa casual. - ______ já foi para a Light. - ela apontou para o outro lado, contrato ao que ia. - Se for correndo por ali, consegue alcançá-la. - ela sorriu simples e começou a andar na direção que seguia antes. Bufei e fui atrás dela. - Oh,.. - ela me encarou de soslaio e parou de andar. - Por que está me seguindo? Não está tentando se fazer de difícil com ela, está? - olhei em volta, descontente. - Isso não combina com você. - ela estreitou os olhos me avaliando. - Não vai seguir com a sua encenação e cortar o mal pela raiz?

- Vim te ver. - disse de modo triste. - Está tão ávida assim para se livrar logo de mim? - ela endureceu seu semblante. - As pessoas não estão querendo muito a minha companhia ultimamente. - disse emburrado.

- Isso não é verdade. - disse ela com um tom de voz suave. - Aqui! - ela me estendeu as sacolas e eu sorri sem animação. - Ajude-me com isso. - peguei a sacola das mãos dela. Li So Phe começou a caminhar e eu fui atrás dela. - Você foi impressionante. - disse ela prendendo um sorriso. - O escritório todo está falando do seu ato heróico. - ela me encarou de soslaio. E eu que pretendia te ensinar a criar um perigo quando não tem. Quem diria... Você salvou o seu rival. - ela balançou a cabeça e seu cabelo, preso em um cabo de cavalo, balançou em um movimento de vai e vem divertido, mas não ri com isso.

- Eu não quero que ele morra. - disse frio. - Deixando isso bem claro! - ela elevou a mão brevemente, como quem se desculpa por nada. - Isso seria trapacear. - estreitei os olhos e paramos de antar, coloquei as sacolas dela no chão e me encostei na grade onde as crianças brincavam do lado de dentro, ali na praça. - Isso não foi como salvar a donzela em perigo. - disse com desdém olhando para as crianças.

São seres felizes e não sabem disso!

Li So Phe se encostou a grade também, de modo que ficamos de frente um para o outro a uma distância e ela me encarou atentamente.

- Então veio me ver para saber o que deve fazer a seguir? - ela arqueou uma sobrancelha.

- Não. - suspirei e neguei também com a cabeça. - Vim para terminar a nossa relação de mentora e discípulo.

- O que está havendo com você? - ela disse confusa.

- Vi o quanto ______ ficou desesperada com a possibilidade de Yoongi ter explodido pelos ares. - sorri soprado. - Aquela ali na minha frente não era a ______ racional de sempre. Ela queria entrar lá no meio do fogo. - dei de ombros. - Okay que nem tinha tanto fogo assim. O sistema antifogo de Yoongi funcionou bem. - encarei a minha mão, estava com o braço apoiado grade, que era do chão até o meu peito.

- Escuta. - disse ela elevando uma mão. - Só por que ela é feita de ferro, ela ainda se assusta às vezes. - ela olhou em volta. - Talvez o incêndio tenha sido repentino demais para ela e ______ se assustou. - So Phe elevou os ombros como se isso fosse óbvio.

- Por mais que me diga isso. - engoli em seco. - Aquela era a _______ que está apaixonada pelo Min Yoongi. - disse cabisbaixo.

- Vai desistir? - disse ela chocada com a minha atitude.

Elevei o meu olhar para So Phe.

- Vim te ver primeiro. - dei de ombros.

- Park Jimin, pensou nisso direto? - ela disse séria. - Em tudo que vai perder? Em tudo o que você já fez e poderia ter?

- Cansei de correr atrás dela, So Phe. - disse cabisbaixo. - Eu já desisti completamente. - comprimi os lábios.

- Jimin, estar chateado e desistir não tem que necessariamente andar juntos! - ela me repreendeu. - Uma coisa não tem nada a ver com a outra. - soltei o ar pesadamente pela boca. - Se você desistiu mesmo, tudo bem. Não falo mais nada quanto a isso. Mas se só estiver chateado...

- Só quero que a Kim _______ seja feliz. - disse cortando So Phe. - Quero que ela ame quem quiser e faça o que quiser.

Ela respirou fundo, descontente.

- Ouviu os boatos sobre o Min Yoongi?

- Escuto algumas fofocas aqui e ali. - disse dando de ombros. - Mas eu sei que ele não deixará _______ sofrer ou em perigo. - a encarei atentamente. - Ele me prometeu.

- Eu não entendo por que ele tem a evitado. - disse ela pensativa. - Admito que ______ está de cabelo em pé.

- É porque ele se apaixonou genuinamente por ela. - admiti.

- Ah, ela é tão sortuda. - So Phe sussurrou e eu sorri pelo seu comentário. - Já que vocês dois a amam, é mais um motivo para uma luta justa.

- Não existe "justo" entre nós, So Phe. - gesticulei com as mãos. - A vida que veio fácil para mim... custou a ele sete anos de esforço excruciante para conseguir.

- Está tudo bem para você entregá-la nas mãos dele? - questionou-me com o cenho franzido.

- Tenho decidido por ela todo esse tempo. - engoli em seco. - Dessa vez... - elevei os ombros. - .. eu me retirarei.

- Não entendo vocês. - ela fechou os olhos brevemente e balançou a cabeça negativamente. - Brigam tão feio antes e agora abrem caminho um para o outro? - olhei em volta fugindo dos olhos indagadores de Li So Phe. - Não sei o que aconteceu entre vocês dois. Mesmo que tenha sido algo sério no passado, isso não devia afetar o futuro e muito menos o presente deve pagar por isso.

A encarei atentamente e sorri.

- Você é tão sabia. - ela não esboçou reação diante as minhas palavras. - Devia seguir seus próprios conselhos às vezes.

- Eu... - ela fingiu indiferença. - O que eu ensinaria a mim mesmo? - ela sorriu sem graça. - A minha vida é ótima e todos sabem disso. - ela apontou para si, brevemente. - Tenho dinheiro, amigos e um bando de pretendentes.

- Mas na realidade? - arqueei uma sobrancelha.

- Na realidade.. - ela sorriu e olhou em volta sem graça. - Eu gosto da minha vida de solteira. - ela me encarou.

- Não precisa se fazer de forte, So Phe. - disse em um tom calmo.

- Todos dizem que eu sou forte. - ela sussurrou quase para si. - Você é o único que diz que não tenho que ser.

- Porque não tem mesmo. - sorri gentil. - Eu tenho que ir. - sorri e me afastei dela com um breve tchau.

_______'s pov

- Nem acredito que a negociação com a Light foi tão bem. - disse Ya Woon sorridente.

Caminhávamos deixando o prédio da empresa que faria a negociação conosco.

- Os programas de variedades estão muito populares. - disse Li Hun.

- Nossa participação foi uma enorme oportunidade de promoção para nós! - admiti.

- Quem tinha orgulho demais para isso mesmo?! - disse Li Hun me encarando e eu sorri.

- Só tenho que confirmar algumas coisas com Li So Phe. - disse e caminhávamos pela calçada.

- Certo, chefe. - disse Ya Woon. - Você é bem realizada e esforçada.

- É assim que nasce os gênios, Ya Woon. - disse Li Hun sorrindo.

- Vocês dois... - sorri. - Uma cobra e sua vítima. - disse metaforicamente. - São perfeitos um para o outro. Talvez devessem namorar. - disse sugestiva.

- Eu não quero me casar com ele! - disse ela de cara emburrada.

- Como se eu quisesse isso. - retrucou Li Hun.

- Espera! - disse Ya Woon parando de andar e consequentemente todos paramos. - Como assim?! Está dizendo que eu não sou boa para me casar?! - Ya Woon encarava atentamente Li Hun.

- Você disse primeiro que não queria se casar comigo! - ele apontou o dedo indicador para ela. - E por que não? - retrucou o rapaz. Ya Woon tentou andar, mas ele a impediu de andar. - Explique-se! - exigiu.

- Sai da minha frente. - ela o empurrou para o lado. - Vou pegar um táxi. Onde já se viu! - disse Ya Woon enfurecida.

Levei a mão a boca e ri por baixo.

- Não vai até se explicar! - ele entrou na frente dela outra vez.

- Eu vivo a vida brutal na presa de um tubarão todo dia! - disse ela o encarando. - Me casar com você?! - ela riu. - Está de brincadeira? - ria cinicamente. - Não pretendo morrer ainda! - ela fez sinal para um táxi.

- O nome disso é amor difícil. - disse, pois Li Hun me encarou sem entender a reação de Ya Woon.

- Explique-se, Ya Woon! - exigiu dela. - Ou não irá para casa.

- Eu não vou para casa. - disse ela e o táxi parou.

Ya Woon abriu a porta do automóvel e entrou no veículo.

- Para onde você vai?! - ele a questionou.

Ela chegou na janela e colocou a cabeça brevemente para o lado de fora.

- Eu não vou para casa e sua parada não fica pelo caminho, então tchau. - ela virou para o motorista. - Vamos, por favor!

- Não vai para a casa?! Então para onde vai..? - o carro foi e Li Hun abriu os braços brevemente e voltou a me encarar. - Chefe, você veio dirigindo?

- Não. - sorri o encarando. - Eu vou pegar a linha 11. - disse seguindo pela calçada.

- Linha 11, está bom para mim. - disse ele. - Espere, por favor. - Li Hun me alcançou e eu sorri simples. - Onde acha que ela foi?

Dei de ombros, não sei onde Ya Woon poderia ter ido.

- Vocês dois são uma piada.

Wen Di's pov

Arrumava um arranjo sobre a mesa no jardim e Lee Yanjoon se aproximou e pegou o bule que estava ali do lado, perto de mim, sobre a mesa.

- Se fundir o chá por tempo demais, seu gosto delicado se perderá, senhora. - disse ele despejando o líquido quente na xícara.

Lee Yanjoon se sentou na cadeiras ao meu lado.

- Arranjos de flores é mesmo uma arte. - tirava os espinhos de uma rosa branca. - Na superfície, parece ser um arranjo aleatório. - posicionei o caule. - Não importa o quão alto ou baixo posicione o caule. - suspirei. - Suas raízes continuam solidamente confinadas no vaso. - o encarei de soslaio. - Cultivar as pessoas funciona da mesma maneira. Contanto que segure firme a força vital delas... não importa quantas distrações surjam perante elas, são todas apenas fases. O que acha? - apontei para o arranjo e sorri.

- Tanto as flores quanto as pessoas lhe pertencem. - disse ele categórico e eu o encarava sem esboçar reações ao que ele dizia. - E acredito que lida com elas dependendo do seu humor. Além disso... O arranjo de flores está fantástico. - sorri simples.

- Tem razão, Yanjoon. - suspirei. - Me esforcei muito para cultivá-lo. Como simplesmente poderia o entregar a outra pessoa? - elevei amabas as sobrancelhas. - Onde está Min Yoongi? - o questionei.

- Ele reuniu uns contatos com a mídia. - ele me encarava atentamente. - Acredito que esteja preparando as coisas para a Ona Tec. - suspirei. - Eles estão negociando com a Light. - ele se aproximou inclinando o corpo para frente. - Devemos por as mãos neles primeiro.

- Não precisa. - dei de ombros. - É mais devastador ter algo que já havia conseguido tirado de você. - encarei Lee Yanjoon. - Assim eu não terei deixado Min Yoongi sair para brincar por nada. - elevei os ombros. - Será que devemos ajudá-lo? - sorri e encarei o meu arranjo de flores, pensativa. - Pelo menos deveríamos o ajudar nessa encenação toda. Sei mais do que ninguém quanto tempo ele consegue continuar com toda essa encenação.

- Ele fez de tudo para colocar a Ona Tec na indústria cinematográfica. - disse Lee Yanjoon.

- Admito que ele sabe correr atrás das garotas. - sorri simples. - Ele gosta da caçada, porém metade disso são galanteios vazios e a outra metade são ações verdadeiras.

- Jung Hoseok assinou os papéis, depois de um tempo pensando. - disse ele e eu olhei em volta, me sentindo livre.

- Finalmente. - sorri largo. 


Notas Finais


Então??
O que acharam deste capítulo??
Deixem comentários.. sua opinião é muito importante para mim.. 😊😊
Vejo vocês em breve..
XX #Kathy


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...