História Invisible - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias 4Minute, Bangtan Boys (BTS), Black Pink, EXO, Got7
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Park Jimin (Jimin)
Tags Fantasma, Jimin, Jungkook, Sobrenatural
Visualizações 22
Palavras 1.819
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Ficção Adolescente, Ficção Científica, Lemon, LGBT, Mistério, Musical (Songfic), Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Spoilers, Suicídio, Tortura, Transsexualidade, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 3 - 2


Capítulo 2

O sinal agudo do fim das aulas toca, me livrando da tediosa aula de Física, que eu não prestei atenção em absolutamente nada. Qual é? Ninguém merece ficar ouvindo a voz irritante da professora falando sobre os líquidos que estão em repouso. Coisa que eu não vou usar para a minha vida. Sinceramente, estudar Hidrostática é uma merda! Guardo meus materiais na mochila, coloca a mesma sobre o ombro e saio da sala. Sendo empurrado por algumas pessoas durante o trajeto, ouvindo elas falarem sobre o Baile de Primavera.

Não é bem um baile, é mais uma festa para comemorar a estação das flores, a Primavera. Eu não sei qual a graça disso. Mas os alunos do Colégio amam esse “baile”! Bem... Essa festa tem todo ano, e o colégio inteiro é convidado, tem até pessoas de fora do colégio que vão para essa festa. Todo ano sendo organizada pelo pessoal do grêmio estudantil, que escolhem sempre um tema ridículo para a festa. E uma coisa pode ter certeza, eu não vou para essa festa.

Sinto um braço musculoso passar ao redor de meu pescoço e um hálito quente bater contra minha bochecha. Viro lentamente a cabeça para o lado dando de cara com dois pares de olhos escuros me olhando, sorrindo debochado, fazendo com que seus olhos formassem dois riquinhos.

— Olá, Jeongguk. Como vai? — aquela voz que eu não gostaria de ouvir tão cedo soou perto de meu ouvido.

J-Jimin? — olho novamente para ele, que começa a caminhar ao meu lado ainda com o braço ao redor de meu pescoço. Olho ao meu redor vendo seus amigos logo atrás de nós. — O-o q-que v-vocês q-querem? — digo já sabendo a resposta.

— Sério, cara. Eu ‘tô achando que você é realmente gago — Sehun debocha enquanto acena pra uma professora que passava por nós, arrancando risadas de seus amigos.

— Nós só queremos saber como está o nosso amigo, isso é errado? — Wang sorri ladino, enquanto adentramos um corredor pouco iluminado e sem ninguém. Ah fodeu! Eles vão querer saber se eu contei para alguém sobre o que vi mais cedo. Certeza!

— Se vocês querem saber se eu contei sobre o que vi mais cedo para alguém, não, eu não contei. E nem vou contar — afirmo deixando toda a minha timidez e medo de lado, me afastando de Jimin.

— Nossa, que grosso! — ri — Mas é isso mesmo que queremos saber. E como podemos saber se você realmente não vai contar pra ninguém? Nós nem te conhecemos — NamJoon dá um passo na minha direção e eu ando para trás, chocando minha costa com a parede.

— E nem queremos conhecer — Jimin completa apoiando os braços no armário ao lado de minha cabeça, me deixando preso entre ele e os armários — Jungguk, se você contar pra alguém o que viu, nossa reputação nesse colégio está arruinada. Você não vai querer que isso aconteça, não é? — debocha fazendo bico, apertando minhas bochechas.

— N-não — nego gaguejando. Mas na verdade eu queria que essa “reputaçãozinha” de merda seja arruinada. Adoraria ver esse idiotas se dando mal nesse colégio e na vida

— Pois bem. E se você por algum motivo contar pra alguém, pode ter certeza que nós vamos acabar com a sua vida nesse colégio. Pode apostar! — Jimin fala e eu assinto rápido, me borrando de medo. Porra mano, eu sou realmente um frouxo.

— Posso saber o que vocês estão fazendo aqui? — a professora de coreano, Hye-Na, aparece, com as mãos na cintura. E na mesma hora, Jimin se afasta de mim com tudo, me permitindo soltar o ar que eu nem sabia que tinha prendido.

— S-sim, p-professora — Oh gagueja. Parece que eu não vou o único gago daqui, não é mesmo Sehun?

— Não é o que parece — ela me olha — Está tudo bem, sr. Jeon? Você está meio pálido.

— Ele está bem professora. Ele apenas não comeu no Intervalo, por isso a palidez — Jackson responde por mim, ao ver que eu estava demorando muito pra responder.

— Eu não perguntei para você, sr. Wang — ela diz e ele fecha a cara. Melhor patada do século! — Então... Jungkook. Isso é verdade? Você afirma o que o sr. Wang falou? Ou eles estão te incomodando de alguma maneira? — Olha desconfiada para os quatro.

— Não senhora, eles não estão me incomodando. Apenas não comi no Intervalo, como Wang mesmo disse — falo rápido, ao receber o olhar matador deles para cima de mim. Sim, eu podia muito bem dizer pra ela que eu estava sendo ameaçado e que eles bateram em um garoto. Mas o que ela poderia fazer? Contar pro diretor? O diretor nunca que ia expulsar ou dar alguma advertência neles por qualquer motivo, já que eles são os mais ricos do colégio. E pra onde vai todo o dinheiro que os pais pagam o colégio? Pro bolso do diretor. Não ia adiantar em nada.

— Umm... Então coma bastante quando chegar em casa, sr. Jeon — assinto — Agora vão embora, daqui a pouco a escola fecha e vocês ainda estão aqui! — ela alerta ainda me olhando desconfiada. Ela com certeza não acreditou nessa história. Assentimos indo eles para um lado e eu para outro.

Deus! Que sufoco! A professora Hye-Na literalmente salvou a minha vida! Se eu já gostava dela antes, imagina agora. Mas em compensação eu estou muito fodido, mas do que eu já estava. Ainda mais agora que a professora Hye-Na notou que algo estava errado. Ela com certeza vai querer conversar comigo amanhã. Fodeu!

Eu só nasci pra fazer merda mesmo, pra fazer merda e pagar mico! Penso comigo mesmo e saio do colégio me deparando com os meus dois melhores amigos de braços cruzados, os dois parecem estar discutindo sobre algo. Vou em passos lentos até os dois.

— O que 'tá pegando? — digo e eles parem de discutir na mesma hora, me olhando com fogo nos olhos. Pareciam que eles iam pular em cima de mim a qualquer momento.

“O que tá pegando?” O que tá pegando digo eu. Onde você ‘tava Jeon Jungkook? — Jin bate o pé no chão, de braços cruzados.

— Te procuramos pelo colégio inteiro e nada, até fomos na sala onde você teve sua ultima aula e nada. Achei até que tinha morrido ou algo do tipo. Onde você estava? — Baekhyun começa a dar os seus chiliques, esperando a minha resposta.

— Eu... — pensa Jungkook, pensa — Eu estava ajudando a professora Hye-Na a levar algumas caixas de decoração para o salão onde vai acontecer o Baile de Primavera.

— Foi só isso? — assinto rapidamente, eu odeio mentir pra eles — Então tá bom. Vamos embora agora — Jin sorri grande e nós começamos a andar. Que bipolaridade!

— Falando em Baile... Vocês vão, não é? — Baek Hyung pergunta, ajeitando a mochila na costa.

— Eu vou! Todo ano eu vou mesmo — Jin dá de ombros e eles me olham.

— Não, eu não vou de jeito nenhum — eles reviram os olhos.

— E você vai Baek? — Jin.

— Nunca que eu ia perder uma festa, ainda mais a oportunidade de pegar as garotas e os garotos do nosso colégio — ele dá uma picadinha e foi a minha vez de revirar os olhos — Ahh... Jungkook! Você vai ter que ir de qualquer jeito — O que?

— Que? Claro que não!

— Claro que sim Jungkook. Esse ano o grêmio estudantil avisou que todos do colégio tem que ir ao baile obrigatoriamente. Se não, eles descontaram alguns pontos da nota de todas as matérias — Baekhyun disse e eu arregalei os olhos.

— Parece que alguém não leu o folheto que foi distribuído para os alunos... — o Hyung mais velho brinca rindo. Mas não era hora pra rir, eu estou desesperado!

— O que? Não! Isso só pode ser brincadeira... — me desespero, afundando meus dedos em meus fios escuros.

— Pois não é! Mas pense pelo lado bom... — e tem lado bom nisso, Jin? — O tema desse ano é livre! Você pode usar a roupa que quiser!

— Nossa, melhorou o meu dia! Estou tão feliz! — debocho e eles caem na gargalhada. Era só o que me faltava, meu dia não podia ficar pior!

— Ahh... E o Baile é daqui dois dias, no sábado. E nós vamos comprar roupas amanhã. — Baekhyun. Ótimo! Por que eu fui dizer que não podia ser pior?

— Mas agora... Tchau Maknae! — ergo o olhar, que até agora estava fixado no chão, e olho ao redor, percebendo que já estava na porta de casa.

— Tchau! — aceno meio desconcertado, me curvando em seguida para os dois, que me puxam para um abraço. Faz tanto tempo que os conheço e ainda não me acostumei com os seus abraços.

Os observo se afastando de minha casa e adentrando a mesma, que se encontrava vazia. Graças a Deus! Não ‘tô afim de olhar para a cara do meu tio. Subo as escadas e entro no meu quarto, me jogando em minha cama.

Deus! Por que comigo? Eu juro que sempre fui um bom menino — tá, talvez algumas vezes eu puxava o cabelo das minhas primas ou batia no Baekhyun, e falava mal do meu tio pela costa, Mas foi só isso —. Eu realmente não mereço isso. Vamos esclarecer as coisas ruins que aconteceu comigo esses dias:

Vi um garoto sendo espancado pelas piores pessoas do colégio. Isso foi meio que minha culpa, eu admito, não deveria ficar bisbilhotando o que não é da minha conta.

Eles viram que eu os bisbilhotava — O que também foi minha culpa, por ser um péssimo espião —, e me ameaçaram. Se eu contasse pra alguém, eu ‘tava morto.

A professora Hye-Na percebeu que algo estava errado e me chamaria pra conversar amanhã, com certeza. Agora lá vou eu inventar uma mentira maluca.

Tenho que ir para um baile ridículo pra não ser expulso do colégio — sim, expulso. Se você é bolsista e perde alguns pontos na nota, você é expulso. Não que eu não tenha condições pra pagar aquele colégio, mas eu resolvi entrar nele com o meu esforço —.

A minha vida ‘tá uma merda.

‘Tá, a última coisa da lista não é nenhuma novidade nem pra mim e nem pra você. Então podemos riscar a última coisa.

Mas continuando... Eu ainda não sei como eu aguento isso. Mas como minha amada mãe dizia; “Tudo vai ficar bem. Basta você acreditar que sim”, espero que ela esteja certa. Com esses pensamentos em mente, acabo adormecendo com uma sensação estranha no peito. Alguma coisa ia acontecer. 'Tá sentindo esse cheiro? É cheiro de merda!



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...