1. Spirit Fanfics >
  2. Sou louco... Por te amar >
  3. Capítulo 2 - Laços preciosos

História Sou louco... Por te amar - Capítulo 2


Escrita por:


Notas do Autor


Oie gente!

Finalmente atualizando a fanfic. ^^

Espero que gostem.

Capítulo 2 - Capítulo 2 - Laços preciosos


Fanfic / Fanfiction Sou louco... Por te amar - Capítulo 2 - Capítulo 2 - Laços preciosos


 Algo cutucava insistentemente a bochecha de Jaejoong, fazendo-o acordar, deu de cara com Yunho, que estava o cutucando-o com um sorriso no rosto.


 – Bom Dia Jae, hora de Jae e Yun tomarem café da manhã. – Yunho sentava-se ao meu lado na cama.
 – Ah sim... Mas porque veio para cá e não foi direto para o refeitório? – Perguntou Jaejoong ao pegar o uniforme do hospício.
 – Yun... Argh... Eu gosto da companhia do Jae, então Y... Eu vim buscar Jae.


 O menor riu discretamente ao perceber que o outro tentava não colocar o próprio apelido em toda a frase.


 – Espera só um pouco para eu poder tomar um banho e trocar de roupa.
 – Espero.


 Um pouco antes de entrar no banheiro, Jaejoong deu uma olhada no moreno, que balançava as pernas, enquanto olhava para a janela, cada gesto que Yunho fazia e entrou no banheiro, o menor achava muito fofo, parecia uma criança, mas ficou mais curioso para saber como era aquele homem de verdade, um doce de homem? Uma pessoa fria? Ou até um homem agressivo? Jaejoong sacudiu a cabeça em negativo em referência a última opção. Depois de alguns minutos, o menor saiu do banheiro, viu que o moreno estava no mesmo lugar com um sorriso mais largo no rosto.


 – Tá com um ótimo humor hoje Yun, caiu da cama hoje foi?
 – Não, Y... Eu estou feliz por Jae estar de bom humor. – Yunho se levanta.
 – Se você me conhecesse antes de entrar aqui, você até me chamaria de maluco ou de delinquente, mas eu tenho é um espírito livre, não sou um homem “padrão sociedade”. – Jaejoong fez o gesto de aspas com os dedos. – Não quero fazer o que os outros mandam, a vida é minha e sou eu que tenho que decidir o caminho.
 – Jae acha que eu também tenho uma vida lá fora... Eh... Legal?
 – Posso ver pelos seus olhos que o Yunho que está aí dentro... – O menor encostou o dedo na testa do outro. –... E aqui também... – Em seguida encostou o dedo no coração de Yunho. –... É um cara muito legal, muito educado e bem sucedido.
 – Jae acha? – Yunho inclinou a cabeça um pouco para o lado.
 – Eu não acho... – Jaejoong vira e vai em direção a porta. –... Eu tenho certeza. – O menor sorriu. – Vamos, temos que tomar o nosso café da manhã.


 Yunho foi todo animado para junto de Jaejoong, no trajeto até o refeitório podia-se ouvir as risadas dos dois, alguns funcionários olhavam para ambos, poucos até acharam o clima leve, pois não era todo dia que seus pacientes estavam em um clima tão alegre como aquele.
 Na fila do refeitório, o moreno continuava a tagarelar, sempre dizendo que desejava que tivesse de sobremesa bolo de chocolate com morangos e reclamava que só teve isso duas semanas atrás. Fazendo um bico logo em seguida, arrancando uma risada gostosa de Jaejoong, o que chamou a atenção da servente do refeitório.


 – O quê que há com meu paciente preferido, porque desse bico fofo? – A ajumma sorriu ao vê-los.
 – Algo relacionado a bolo de chocolate com morangos. – Jaejoong respondeu tentando não rir da cara emburrada do outro.
 – Ahhhhhh... Um homem lindo desses fazendo bico... Gostou muito do bolo que servi semanas atrás não é Yunho?
 – Sim, Yun gosta muito de morangos e ficam mais gostosos junto com chocolate. – Yunho Olhou para a ajumma.
 – Pode tratar de desfazer esse bico mocinho, hoje tem sua sobremesa favorita, a ajumma aqui vai separar um pedaço generoso para você. – Ela piscou para o moreno.
 – Sério? Oba!
 – Hehehe... Esse Yunho... Aliás, Jae... Jaejong, eu me esqueci de apresentar ontem, meu nome é Lee Yunha ou Sra. Lee ou como Yunho preferi me chamar... Ajumma.
 – Ah, sim, muito prazer Sra. Lee, meu nome completo é Kim Jaejoong, prazer.
 – Posso te dizer uma coisa? – Sra. Lee entregou a refeição para o menor. – Percebi que vocês dois criaram um laço forte, mesmo tendo se conhecido há pouco tempo.
 – Você acha? – Jaejoong sorriu com a confirmação da servente. – Eu também percebi isso, o Yun grudou em mim logo no primeiro dia, hehehe.
 – Yun... Eu gostei muito do Jae, Jae tem um sorriso bonito. – Disse Yunho, em seguida os olhos brilharam ao ver a generosa fatia de bolo sendo colocada na sua bandeja junto com a refeição.
 – Olha, não é que meu menino tem bons olhos? Realmente Jaejoong, você tem um lindo sorriso. – A Sra. Lee colocou também um generoso pedaço de bolo para ele.
 – Eu agradeço pelos elogios. – O menor ficou um pouco corado.


 Os dois agradeceram a Sra. Lee e foram para uma mesa e tomaram o café d manhã. Depois disso, enquanto Yunho roubava alguns pedacinhos da metade do bolo de Jaejoong, o menor inclinou-se rente ao rosto do moreno.


 – Já tenho um plano para descobrir como você veio parar aqui. – Yunho o olha meio confuso. –Não adianta olhar assim, você tá 100% nesse plano.
 – O que eu vou fazer? – O moreno comeu um pouco do bolo em seguida.
 – Simples, vamos fazer uma cena, você vai fazer de teimoso com a pessoa que tem a chave da sala dos arquivos, aí entro no meio da bagunça e com minha agilidade, pego a chave, andei observando que o melhor horário para entrar na sala é lá pelas 15h00... Será que tem câmeras de segurança no corredor? – Jaejoong pensativo, voltava à posição normal na cadeira.
 – Não, Yu... Eu ouvi um dos enfermeiros reclamando da câmera está com defeito. – Disse Yunho terminando de roubar toda a outra metade do bolo.
 – Meu Deus, que irresponsabilidade... Mas isso nos dá uma vantagem a mais. – Jaejoong fez um sinal de positivo com a mão. – Bom, enquanto isso... Vamos para o jardim fazer vários nada, o vento parece estar agradável. – Yunho balançou a cabeça, concordando com o menor.


 As horas se passaram até o momento que Jaejoong aguardava, cutucou o outro que estava tirando o cochilo da tarde depois do almoço, Yunho o olhou meio confuso, mas o menor fez questão de lembrar para o que era.
 Depois de terem repassado todo o plano, Yunho saiu primeiro do quarto, minutos depois Jaejoong saiu em seguida, indo em direção ao corredor onde se localizava a sala de arquivos; quando entrou no corredor, já viu que o moreno já estava fazendo a parte dele de atrapalhar e desviar a atenção do enfermeiro que tinha a posse da chave, de um jeito irritante Yunho fazia uma pergunta aleatória e repetidamente, fazendo o enfermeiro logo perder a paciência e levantar o punho com intenção de dar um soco no outro.


 – NÃO OUSE ENCOSTAR UM DEDO NO YUNHO, ELE NÃO FEZ NADA DE ERRADO! – Jaejoong colocou-se em frente à Yunho, protegendo-o, evitando que o outro batesse no moreno, que acanhado, abraçou Jaejoong por trás como uma criança, o menor virou-se e o abraçou. – Você é idiota ou o quê? Pelo que eu sei os malucos aqui sou eu e o Yun ou será que você também é?
 – Ora, como ousa...


 O mesmo parou ao ver um dos seus superiores passar pelo corredor, o superior do enfermeiro olhou duramente para ele e pigarreou como forma de repreender o funcionário, o menor sorriu discretamente para o moreno que retribuiu, Jaejoong saiu do corredor puxando Yunho pela mão e indo em direção ao quarto deles, o moreno entrou e já foi abraçando seu coelho de pelúcia; ao fechar a porta, Jaejoong vira-se para o outro e com um sorriso vitorioso balança a chave tão desejada balançando em seu dedo.


 – Acho que bati meu recorde de velocidade.
 – Deve ter batido mesmo, pois nem o Yunho viu. – Yunho logo se arrependeu por ter se referido com o próprio nome.
 – Pode ficar tranqüilo, não vou te repreender, isso leva tempo. – O menor disse ao ver que Yunho tinha se arrependido. – Agora a segunda parte pode deixar toda comigo, não quero que se encrenque mais, afinal... Eu que sou o encrenqueiro aqui. – Jaejoong deu uma gostosa risada.


 Yunho abraça o outro e Jaejoong afaga carinhosamente o cabelo dele, cada vez mais passava a gostar da companhia do moreno, pois o simples demonstrar de afeto fazia com que ele valorizasse mais o Yunho do que a própria família e disse mentalmente para si mesmo que quando saíssem daquele local, iria morar com ele, pois não o deixaria sozinho.
 Horas mais tarde, já de noite, Jaejoong já estava pronto para por seu plano em prática, esperou quase todos daquele lugar dormirem, os únicos lugares que ele sabia que teriam pessoas era a recepção e a enfermaria que funcionavam 24 horas. O menor fez sinal de silêncio para o moreno e saiu do quarto, andou rapidamente e silenciosamente até a sala de arquivos... Yunho, apesar do medo, ficou na cola do outro, olhando para todos os lados possíveis. Jaejoong puxou o moreno pela manga da roupa, pois o mesmo estava plantado na porta da sala de arquivos.


 – Vê se não dá bandeira Yun, quer que nos descubram?!?!?! – Jaejoong falava baixo, enquanto gesticulava com os braços.
 – Desculpa Jae. – Yunho fez o inesquecível biquinho fofo com os lábios.
 – Está bem, mas seja mais cuidadoso. – Jaejoong fechou a porta, ele realmente não conseguia ficar com raiva do moreno. – Então, vamos começar... Onde será que ficam as fichas dos pacientes?
 – Jae.
 – O que foi Yun?
 – É aquilo ali?


 Jaejoong olhou em direção ao conjunto de armários que estavam no outro lado da sala.


 – Como você sabe que é ali?
 – Tá escrito “Pacientes” na placa em cima.


 O menor xingou-se mentalmente por se sentir burro de não ter percebido a placa de tamanho mediano, foi em direção ao local com Yunho e parou para procurar a gaveta com a letra J de Jung Yunho, não demorou muito e Jaejoong abriu a gaveta desejada, passou os dedos entre as pastas até localizar a de Yunho, abriu um sorriso e mostrou ao mesmo, tirou a pasta e fechou a gaveta, rezava mentalmente para que não dessem falda dela, fez um sinal para que Yunho o seguisse de volta ao quarto em silêncio, ambos saíram da sala e a trancaram, Jaejoong jogou a chave dentro do banheiro que ficava no meio do caminho para o quarto, para que pensassem que o funcionário responsável tivesse deixado cair lá. Com certo alívio, os dois conseguiram voltar para o quarto sem nenhum problema, Jaejoong soltou um suspiro de alívio, Yunho o imitou, arrancando uma risada baixa do outro.


 – Agora precisamos analisar todas as suas informações contidas nesta pasta Yun. – Jaejoong colocou a mesma em cima da sua cama. – Está com sono?
 – Um pouco. – Yunho coçava um dos olhos.
 – Se quiser pode ir dormir, vou começar a análise agora mesmo.
 – Mas o Yunho... Eh... Eu quero ajudar o Jae.
 – Tudo bem, descanse um pouco pelo menos, se eu achar algo importante eu te acordo... E não se preocupe comigo, já estou acostumado a passar noites em claro.
 – Yun gosta da companhia do Jae, Yun não vai abandonar Jae por nada deste mundo.
 – Acredito em você Yun, mas como disse antes, não precisa ficar colocando seu apelido todas às vezes quando diz algo.
 – Yun... *Jaejoong o olha*... Ah é... Estou feliz por Jae acreditar em mim.


 Jaejoong sorriu, fazendo Yunho sorrir de volta, o mesmo resolveu acatar o pedido do menor e foi para a cama dormir um pouco, o menor abriu a pasta, não era uma pasta tão grossa, mas pela quantidade de papel, parecia que tinha muitas informações importantes que o irá ajudar a descobrir como o moreno perdeu a memória e como ele foi parar ali.
 


Notas Finais


Oie!

Quem aí está gostando do JJ super protetor? Eu estou.

Estou curiosa pelo conteúdo da pasta, revela logo o que tem dentro desta pasta Jaejoong!

Beijos!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...