História Sou Luna - 3 Temporada - Capítulo 17


Escrita por:

Postado
Categorias Sou Luna
Personagens Ámbar Benson, Delfina, Gaston, Jazmin, Jim, Luna Valente, Matteo, Miguel, Monica, Nico, Nina, Pedro, Ramiro, Rey, Sharon, Simón, Yam
Tags Sou Luna
Visualizações 81
Palavras 708
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Ficção Adolescente, Mistério, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Drogas, Linguagem Imprópria, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Boa leituraaa ♡♡

Capítulo 17 - A Mensagem


Fanfic / Fanfiction Sou Luna - 3 Temporada - Capítulo 17 - A Mensagem

                 Luna Valente

- Tô maluco sim, por você - Damos um sorriso e logo começamos a nos beijar na cama.
- O jant... EITAAA - Assim que ouvi alguém berrar, empurrei Benício para o chão. Pelo seu gemido, deve ter se machucado
- Âmbar, você não sabe bater na porta não?
- Desculpa. Só pra avisar que o jantar já vai ser servido, então, depois que o jantar terminar, vocês podem terminar o que vocês estavam fazendo - Ela se vira para ir - Ah e não esquece de trancar a porta antes - Ela sai rindo e fecha a porta. Olho para Benício no chão
- Desculpa ter te empurrado. Se machucou?
- Não... Só bati meu cotovelo. Nada de mais
- Vamos jantar, então?
- Sim

   Descemos as escadas até a sala de jantar. Nos sentamos na mesa e começamos a comer.
   Depois de comermos, subimos para o quarto e dormimos. Acordei assustada após ouvir um trovão. Olhei para o relógio e eram 4:30. Eu estava com medo de ficar deitada sozinha com esses trovões, então, pedi para Benício na deitar comigo na minha cama. Ele colou nossos corpos e colocou seus braços em volta de mim, me passando segurança e logo voltei a dormir.

                                 (...)

                    Âmbar Smith

  Depois de me trocar, desci para tomar café.

- Você pode chamar a Luna e o Benício para tomarem café, Âmbar? - Mônica perguntou
- Sim, claro - Respondi
- Obrigada

   Subi as escadas até o quarto de Luna e como de costume, a porta estava aberta. Abri a porta e quase surtei. Eles estavão dormindo juntos tão fofos. Dava vontade de ficar vendo eles ali juntinhos pra sempre. Peguei e me joguei em cima deles

- QUERO SER MADRINHA DE CASAMENTO - Dei um berro e eles começaram a rir - Se levantem logo, o café tá na mesa
- Tá... - Luna falou manhosa

   Desci e começei a tomar o meu café da manhã. De repente, meu celular apitou, avisando que eu acabará de receber uma mensagem

" Você ainda não sabe de toda a verdade...

Michel Duarthe"


Fiquei confusa e assustada quando li a mensagem. Qual é a verdade que ainda está escondida? E quem é Michel Duarthe?

Algumas horas depois 


Luna Valente 



Benício me levou para uma praça perto do Jam e Roller. Disse que queria falar comigo e ele estava sério. Nos sentamos em um banco

- Eu... Por onde eu começo?... - Ele estava nervoso e ao mesmo tempo ansioso - Nós dois... Temos que terminar 

- O quê? - Olho-o sem entender nada
- Eu e a Emília teremos que voltar para o Chile
- Mas... Porque?
- Eu terei que voltar a morar com a minha família. Eu queria ficar aqui com você e construir uma família com você mas... Não vai dar... Me desculpa, Luna... - Ele pega na minha mão e tira o meu anel e tirando o dele também - Desculpa... É melhor terminarmos por aqui

Ele dá um beijo na minha testa e sai, me deixando sozinha no banco.

[...]

Luna Valente

Acordo com o sol batendo em meus olhos. Já fazia uma semana desde que Benício e Emília voltaram para o Chile. Ouço meu celular apitar. Sonolenta, o pego para ver a mensagem

" Você não pode esconder a verdade por muito tempo.

Michel Duarthe"


Acabo me assustando com essa mensagem. Quem é Michel?
Me levanto e vou para o banheiro tomar um banho. Abro o chuveiro e deixo a água quente escorrer sobre a minha pele, ardendo minhas cicatrizes que ainda não estavam completamente curadas. Visto minhas roupas, pego uma maçã e vou para o Roller. Quando chego lá, Simón me puxa para o camarim

- Que foi, Simón?
- Você também recebeu a mensagem? - O olho preocupada
- Sim, porque?
- Eu, seu pai e o Ramiro também recebemos
- Aish... O que nós vamos fazer?
- A única solução pra ela não sair machucada, é contarmos logo e...
- Não, Simón. Ela não pode saber da verdade. Não agora. Nós ainda estamos sendo observados e eu não vou permitir que a Âmbar saiba da verdade
- Que verdade? - Âmbar aparece na porta - Que verdade que eu não posso saber?





Notas Finais


Até o próximo capítulo♡


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...