1. Spirit Fanfics >
  2. Soul Blade: Arco II >
  3. O desfecho do fatídico confronto...

História Soul Blade: Arco II - Capítulo 9


Escrita por:


Capítulo 9 - O desfecho do fatídico confronto...


            Agora, tanto Barry quanto Luke estavam usando seus poderes máximos. Eles se encararam por mais um momento, que mais pareceu uma eternidade. Após esse tenso clima se dispersar, Luke preparou uma flecha para disparar, mas Barry já estava pronto para isso e avançou contra Luke, impedindo que o mesmo disparasse flechas de forma eficaz.

            O primeiro golpe do embate foi um corte horizontal desferido por Barry na região abdominal. Luke consegue evitar esse golpe se abaixando rapidamente enquanto pega a flecha que estava no arco e tenta acertar Barry com ela, sem sucesso, já que ele segurou o braço dele e aproveitou a deixa para tentar cortar o mesmo com a espada, mas foi impedido por um chute de Luke, que empurrou Barry para trás antes que pudesse desferir o golpe.

            Nesse momento, nem Barry nem Luke disseram sequer uma palavra, estavam ambos focados em vencer a luta não importando o que acontecesse. Aproveitando a distância que Barry foi arremessado, Luke tenta disparar uma flecha contra o mesmo, com sucesso.

            A flecha pode até ter ido certeiramente, mas isso não significa que Barry não conseguiu cortar ela. Após o partir da flecha em duas metades, Luke começou a disparar incessantemente contra Barry, que cortava e desviava facilmente delas enquanto avançava contra Luke.

            Em resposta ao avanço de Barry, Luke tentava manter a distância, sem sucesso, já que Barry possuía maior velocidade. Em seguida, Barry faz um corte que desce do ombro direito até a parte esquerda do abdômen de Luke.

Apenas com esse começo do combate, deu para perceber que Barry possuía total vantagem sobre Luke, que estava sendo pressionado a maior parte do combate. Mas isso estava prestes a mudar...

De forma repentina, Barry começa a sentir seu braço esquerdo ficando dormente e se movendo levemente contra sua vontade. Ele então se lembra de um comentário específico do Grande Mestre após o fim do treino: “Barry, você pode usar a Escuridão livremente agora. Mas mantenha sempre em sua cabeça que se você usar demais, vai começar a perder o controle sobre algumas partes do seu corpo. No começo não vai ser tão bruto, mas vai ficar cada vez mais difícil de manter o controle conforme você for usando. Tenha cuidado, pois, se você for totalmente controlado, não terei outra escolha a não ser neutraliza-lo, e isso eu não desejo fazer...”.

- Essa não... – Barry diz após se lembrar dessa explicação e recua levemente.

            Luke analisa a ferida que Barry causou nele. Por algum motivo, o local onde os dois ferimentos se encontravam não estava se curando rapidamente mesmo com a Escuridão.

- Você já percebeu, não é Luke... – Barry fala desativando a Escuridão para não perder o controle – Esse é o ponto fraco da Escuridão.

- Entendo... – Luke diz enquanto toca o local de encontro das duas feridas – Então você estava me atacando com base no Princípio da Regeneração Negra... – Princípio da Regeneração Negra: É o método de regeneração que a Escuridão usa. Um humano normal se regenera de dentro para fora, primeiro parando o sangramento, depois reconstituindo a pele aos poucos. A Escuridão faz o processo inverso, primeiro reconstituindo a pele e depois resolvendo o resto, assim fazendo com que o processo de regeneração seja feito em um instante, mas é apenas uma regeneração superficial, que pode ser rompida até mesmo por um simples soco. Após o combate, a ferida irá se manter fechada, mas o restante do tratamento levaria o tempo de um ser humano comum.

- Bom... – Barry fala enquanto confirma com a cabeça – Se é assim que vocês chamam isso... Caso você insista em continuar regenerando, eu só tenho que continuar cortando.

- Então eu lamento informar... – Luke retira a mão de seu ferimento e ele rapidamente se fecha – Mas a sua teoria não vai ter efeito sobre mim.

- O que?! – Barry exclama extremamente surpreendido – Mas... Como?!

- O segundo estágio da Escuridão me dá duas opções ao me transformar... – Luke mostra dois dedos de suas mãos – Eu posso escolher focar a transformação em dano ou em regeneração, sendo regeneração o que eu escolhi. Quando eu escolho a regeneração, o processo que a Escuridão toma é chamado de Celeri Regeneratione. Ele, diferente do Princípio da Regeneração Negra, apenas acelera a regeneração humana padrão de forma em que algo que fosse demorar uma semana, no mínimo, para se regenerar leve apenas alguns segundos. Em troca desse imenso poder regenerativo, eu acabo não ganhando muita força com isso, mas era a melhor escolha contra você.

-... Entendo... – Barry fala, levemente desapontado – Vamos continuar logo... – Barry avança contra Luke sem usar Escuridão, apenas utilizando o Soul Burst.

            Barry avança rapidamente e tenta atravessar a espada pelo peito de Luke, mas a diferença de velocidade se tornou gigantesca e Luke desviou fácil, aplicando uma cotovelada nas costas de Barry, que cai no chão com força e sai rolando pelo local. Aproveitando que Barry estava caído no chão, Luke aponta seu arco para ele, mas, na hora de disparar a flecha e acabar com a luta, ele hesitou.

- Por que...? – Luke se indagou confuso – Por algum motivo, não consigo disparar uma flecha contra você, Barry... Isso é mais um truque seu?

- Não mesmo, não usei truque nenhum. O que aconteceu foi... Você não quer matar alguém que você é amigo, já que é assim que eu considero você.

- Impossível. Fui criado incapaz de sentir emoções.

- Só seria possível você não ter emoções você fosse um robô, e você não é...

            Enquanto Barry estava conversando com Luke, Vergil observava de cima do farol. Na concepção dele, Luke estava prestes a finalizar Barry.

- Puta vida bicho... – Vergil fala enquanto pensa em algo. Ele se lembra que, quando acordou, existiam chamas negras em sua mão direita. Ele imagina que, se Barry consegue usar a Escuridão, ele também consegue. E ele faz isso.

            Aumentando seus poderes com o Soul Burst e amplificando eles ainda mais ao se fundir com sua fênix, ele utiliza a Escuridão para chegar ao seu máximo. Ao fazer isso, ele pula de cima do farol e começa a descer como se fosse um meteoro. Enquanto caia, ele gritou:

- Prensada Cabulosa!

            E ele chegou ao chão, acertando Luke com tudo e deixando ele sem o braço e a perna direita. Ele vai até Barry rapidamente.

- Cara, o desgraça do cientista lá de cima conseguiu abrir o portal...

- Tá zoando, né? – Barry pergunta indignado.

- Não, ele realmen-

- Não é isso, seu cabeça oca! – Barry corta Vergil no meio da frase – Eu tava quase convencendo o Luke com papinho sentimental de anime! Aí você vem do além como um meteoro e acaba com meu progresso!

- Ah... Então era isso... – Vergil responde sem jeito.

- Como assim “então era isso”?! – Barry realmente estava muito irritado...

            Subitamente, Luke se levanta com os membros decepados inteiramente feitos de Escuridão. Ele corre na direção de Barry, até acabar preso em uma bolha de água que apareceu do nada. Quem havia feito isso era Allibel, estava apontando a pedra azul, agora brilhando, na direção da bolha.

            Antes mesmo que qualquer um deles pudesse falar qualquer coisa, um gigantesco braço feito de Escuridão passa pelo portal. Quando se olhava bem, podia até mesmo se ver os olhos da criatura dentro do portal... Os olhos vermelho-vibrante que representavam uma completa sede de sangue e nada mais... Os olhos... Que poderiam significar que nossos heróis falharam...

 

CONTINUA...



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...