História Soul Eater Real World - Capítulo 10


Escrita por: ~

Postado
Categorias Soul Eater
Personagens Black Star, Crona, Death the Kid, Liz Thompson, Maka Albarn, Patty Thompson, Personagens Originais, Shinigami-Sama (Death), Soul Eater Evans, Tsubaki Nakatsukasa
Visualizações 28
Palavras 6.982
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Ficção, Ficção Adolescente, Harem, Hentai, Luta, Magia, Romance e Novela, Saga, Shounen, Sobrenatural
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Ola Ola leitor, vou ficar um tempo sem postar por problemas, talvez se eu der um jeitinho quem sabe um ou outro cap, mas algumas coisas a falar
Eu sinto que mudei o estilo de narração da Fic então preciso que vocês me falem se ta bom, e a partir do próximo cap vou sempre postar uma imagem do personagem em quem deve ter mais foco no cap, nesse não vai ter nenhuma foi mau, mas espero que aproveitem a leitura

Capítulo 10 - Cicatrizes


                                               POV Carmeli On

                Eu não acredito que recebemos trabalho extra... Isso é incrível!! Cara eu olho para as meninas e para Yian e elas estão em pânico interno, mas eu estou com um grande sorriso, Kid que nem mostrava expressão a alguns segundos me olha meio estranho como se esperasse outra reação de mim, eu engulo toda a animação de uma vez e logo seguimos em direção a sala do diretor, no caminho passamos por alguns professores que se encaminham para a sala dos professores, aceno para Azusa que me da um leve sorriso seguido de um olhar frio como sempre faz, Kid anda sem olhar para trás oque não é incomum, eu o encaro de cima a baixo e claro que paro para olhar melhor sua bunda... Porque não faria isso? Ele tem um corpo incrível e é meu veterano favorito... Suas armas Liz e Patty nos acompanham como sempre, elas nunca me chamaram tanto a atenção mas hoje noto que Patty esta meio quieta, e Liz esta evitando encarar Patty, chegamos a aquela longa sequencia de portais japoneses vermelhos com laminas de guilhotina, a cada passo que damos vejo mais aquela sombra com o rosto negro, ele esta sozinho e sem espelhos, oque é muito estranho já que normalmente ele  esta com algum professor ou espelho falando com alguém, ele acena pra gente com seu jeito alegre de sempre e sua mão branca gigante, sua mascara que de vez em quando era capaz de mostrar expressão sempre me deixava a duvida de como ele era sem ela, mas logo que chegamos o vejo inexpressivo

 

-Ola Olaa- Sua voz cantarolando nos anima como sempre- Kid já falou do trabalho extra?

-Siim- Nos 4 falamos em sincronia, e eu era a única com o tom de voz animada

-Que bom que gostaram, acho que é uma oportunidade de experiência... E para você- Ela aponta pra Yian- De se resolver com você mesmo

-Como assim?- Ele olha sem entender direito

-Consigo ver que esta angustiado e não sente que cumpriu o dever não é mesmo?  Mas relaxa, esse trabalho é uma continuação do que já começou

-Mesmo cara estranho de antes- Perguntei encarando- Pintado de esqueleto e olhos azuis, e a alma dele estava limpa

-E isso me intriga, ele já matou mais de 30 vezes pelas que sabemos, mas não comeu nenhuma alma, e so precisa de uma alma humana pra sair do caminho...- Shinigame corta o filho

-Deixando a matéria de lado, temos pistas do caminho que ele seguiu pelo esgoto, da dentro da cidade, preciso que entrem lá e o encontrem, caso possível evitem confronto, a missão principal é identificar seu grupo e ver quantos são e descobrir pra onde esta indo as almas que eles capturam, preciso que saião anoite de novo, estejam prontos as... Que horas Kid?

-As 18, as 19 me encontrem na escola...- Eu o cortei de uma vez

-E logo em seguida vamos pro meu carro, vou esperar vocês no fim da escadaria

-Excelente, espero que tudo de certo, então bom trabalho- Então ele nos cumprimenta um a um, seguimos em direção a saída ao lado de Kid, que parecia serio... Começo a andar bem ao lado dele, dou uma leve olhada de canto de olho...

-Então... Já esta em qual semestre Kid?- Consegui coragem o suficiente para perguntar

-No 4 de 5... Espero acabar ano que vem com honras

-Parece chato terminar os estudos aqui não?

-Muito diferente disso Carmeli, Gratificante, espero um dia poder servir a shibusen com tudo que tenho de mim

-Mas acho que já fazemos muito isso não Kid- Liz falou jogando os ombros pra trás com cansaço- Pegamos tudo que é trabalho, fazemos questão de manter a escola em ordem, ajuda todo mundo que precisa, muito trabalho pra uma pessoa só.

-Parece complicado mas realmente gratificante- Falo de cabeça erguida

-E é, um dia vera

                Seguimos para fora da escola junto a todos os outro alunos já que estava na hora da saída, ou seja já são 17 horas, oque nos da apenas uma hora para se arrumar, corremos no meio do povo, Yian que viu que estávamos no meio daquela bagunça tomou a frente, botou Sophia nas costas, pegou Musa pela mão e eu pela outra, começamos a correr ao sairmos do meio da multidão chegamos ao dormitório

 

-Ta não acho que de tempo de nenhuma de vocês tomar um banho- Yian falou já tirando a botina, ele normalmente faz isso só pra por a calça e ter que recolocar- Você demoram muito no banho, eu não vou demorar 5 minutos direito

-Mas não podemos ir sem banhar Yian, Kid vai estar lá-Sophia fala tirando toca e luva

-So se vocês banhassem juntas- Ele falou com um sorriso no rosto...

-ÓTIMA IDEIA- Falo segurando as duas e as jogando no banheiro antes que Yian entrasse- tranco a porto e as encaro que estão super assustadas- TIREM SUAS ROUPAS AGORA!

-Meu deus não- Sophia fala corada e cobrindo os peitos e o intimo como se já estivesse nua- Não posso banhar com vocês, seria... Indecente

-Se quiser banhar tem que tirar logo- Olho para Musa que já esta tirando seus sapatos- Eu quero estar limpa tanto quanto vocês, não suporto a ideia de sair fedida- Yian começa a bater na porta

-RÁPIDO QUE A AINDA VOU BANHAR

-FICA QUIETO CARA- O desgraçado vem me apreçar que merda- Não da tempo de você ficar ai reclamando linda- Falo já tirando a blusa dela em um piscar de olhos, eu a giro e com um mover de dedo faço seu sutiã abrir e ele cai

-NÃOO!

-Sim, Musa me ajuda- Musa começa a puxar as roupas de baixo dela e logo esta nua, a jogamos dentro do grande box

-Eu primeiro- Musa fala colocando Sophia de lado e começando a se molhar

                Eu parei para olhar melhor pro corpo delas, as duas muito branquinhas, e eu com minha pele morena as realçava, em comparação a elas eu tenho os maiores peitos... E se vou me gabar disso? Sim claro, logo depois de mim vem quem adivinha? Sophia que tinha um belo par de peitos rosados, e musa que também tinha mas um pouco menor que os de Sophia, os dela não são rosados, chega a ser vermelhinhos, e enquanto Musa sai do chuveiro eu a esfrego e faço Sophia entrar de baixo do chuveiro, e logo em seguida eu entro e Musa esfrega sophia, saio e as duas me esfregam... Não vou dizer que ter duas garotas super branquinhas me esfregando não me deixa com um tesão por que seria mentira, mas não da tempo... se concentra... Saímos já nos secando, ao abrirmos a porta Yian nos encara e descia o olhar rapidamente, ele em seguida se joga dentro do banheiro, e enquanto nos vestimos... Ele sai já banhado, ele nos encara com um olhar de vitorioso, em seguida ele se vira de costas e ira a toalha, ele de imediato coloca a box e em segundos ele se veste, então ele esta pronto, eu me olho no espelho com meu Jeans Roxo, uma blusa azul com listras brancas que so vai até em cima do umbigo e com as mangas bem abertas oque faz ser uma roupa bem fresca, e um sutiã roxo... Olho para musa com seu short curto, blusa moletom branca e sua toca preta, e claro seu HeadFone, Sophia parecia ser a mais sofisticada entre nos, mas ela se vestia de forma bem comum gótica, toca grande, uma blusa preta com caveira e Jeans rasgadas com suas luvinhas eu ficam até próximo ao cotovelo, Yian com sua jaqueta, calça jeans preta e botina, então saímos, eu entro no meu carro e sigo para a escadaria, os meninos sobem para frente da escola, então no caminho passo por Ster... Claro que levanto o dedo do meio e dou um grande sorriso falso pra ela que devolve, eu sigo em frente já ligando o ar condicionado no máximo, chegando la vejo que já chegaram, e eles que mais uma vez assoviam

 

-Eae vadia vão subir ou tenho que pagar primeiro pelos serviço?

-Eu sei que é feio dizer isso na frente do veterano- Eu noto Kid chegando junto- Mas vai se fude

-Sobe logo

                Todos entraram com Yian se sentando na frente ao meu lado, e com Kid e as meninas apertadas no banco de trás, até propus que jogássemos Sophia dentro do porta-malas, mas ela chorou e Kid a defendeu, então seguimos até a rua daquele dia, onde estacionei um pouco distante do esgoto, todos desceram do carro ficamos em volta da entrada do esgoto, Yian bufou antes de tirar a tampa de esgoto... Em seguida aquele cheiro de esgoto sobe e nos tonteia, Kid pega um pano do bolso e tampa o nariz, Patty fica fazendo som de vomito interminável... Olho para Sophia e ela faz o mesmo que Kid, eu e Musa damos um passo para trás...

 

-Temos que entrar, não sei se tem espaço pra todo mundo, então prefiro que venham como armas

-Concordo, Liz, Patty...- Em seguida elas se transformam

-Meninas...  Vamos lá então?

                Em seguida nos transformamos, e nos vemos nuas uma do lado da outra, as meninas e eu estamos seria, em seguida Yian pula dentro do esgoto primeiro, é escuro e o pouco brilho que tem vem de Musa que brilha um pouco, Musa fecha os olhos por um instante e então começa a tocar uma musica meio caótica e assustadora

 

-Desculpa, a musica tem haver com o ambiente

-Tudo bem por mim ta legal- Yian falou seguindo em frente, quando ele da um tropeço estranho, noto que tem umas pernas envolvidas na cintura dele e braços no pescoço- Mas que porra...- Notamos Kid  agarrado nas costas dele

-Desculpa mas não posso sujar minhas calças e sapato no esgoto, você por outro lado usa bota

-Okay, mas não to bolado por isso... Eu to bolado pela ousadia de me agarrar pelas costas do nada

-Não temos tempo pra isso, apenas siga

-Vai pagar o jantar viu, ousadia do kralho- Yian fala andando

-Olha a boca com o veterano- Sophia fala apertando o pulso dele

-Okay Okay ta bem

                Seguimos pelos esgotos, e Yian vai pisando em baratas e mais baratas, e baratas pra todos os lados, um rato, mas muitas baratas... aaaaa que desgraça de bicho, e Yian age como se estivesse tudo bem, Kid começa a nos guiar e chegamos em uma parte do esgoto bem aberto oque é bem estranho, Kid conta que os esgotos são como uma forma de evacuar a cidade caso aconteça alguma coisa, estamos seguindo e notamos alguns lixos como caixas de pizza latas de cerveja e até pedaços de frutas, então seguimos nessa direção e tudo que encontramos é um espaço maior, que serviria pra abrigar pessoas, e que possuía vários cortes contra a parede, um cheiro de cigarro insuportável e até sangue...

 

-Achamos o esconderijo de alguém, mas pode ser so de um arruaceiro comum a primeira vista- Yian fala com cuidado para não chutar nada

-É pode ser, mas temos que ter certeza, preciso de silencio por alguns segundos- Kid fecha os olhos e por um instante Yian olha pra ele fascinado, Musa também mostra a mesma reação- Isso é uma matéria que você vai pegar depois, onde você aprender a ver rastro de almas, tanto humanas como não humanas, e aqui meu amigo, passaram mais de 50 almas humanas...- Kid esta com um olhar torto

-Okay, e pra onde elas foram?

-Não sei dizer exatamente, mas parece que a pelo menos 1 semana e tem uma bem recente... Ou as levaram pra outro lugar ou as consumiram aqui

-Se levaram pra outro lugar- Falo completando oque Kid disse- Eles já devem ter outro esconderijo, se comeram aqui eles vão voltar

-Exatamente isso, então vamos esperar aqui e ver se voltam, temos que nos esconder

                Foi difícil mas entramos em um buraco que ficava dentro da sala, e la ficamos, e era terrível ficar ali, tivemos que ficar por horas, umas 3 pelo menos, eu e Musa tivemos que nos destransformar e descansar, e Sophia já estava até acostumada... e logo voltamos, Yian estava sentado de canto com as pernas não cruzadas mas meio dobradas... E Kid estava em pé, o buraco não é muito grande pros lados mas é alto. No ápice do cansaço nos escutamos paços, que vem em nossa direção... Eu sinto arrepios...

 

                                               POV Carmeli Off

                                               POV Ossos On

                Ando na frente com a alma de um velho sequestrador em mãos, entro naquele buraco sujo seguido por Psi-Co e suas irmãs, e em seguida  por Ogre, me jogo no chão e fecho os olhos... meus ossos rangem... Eu olho para Psi-Co que fica encarando o canto da parede e falando coisas sem sentindo e rindo delas sem parar... Suas irmãs sinistras se sentam bem na minha frente, e claro que seus olhares vazios se direcionam para mim para mim, eu simplesmente levanto o dedo do meio pra elas e elas ficam encarando... e eu movo de um lado pro outro e elas seguem com seus olhos totalmente negros que mostram um claro vazio, Ogre me encara em negação, eu que em seguida jogo a alma para ele... uma sombra esconde seu rosto deixando visível apenas sua mascara de proteção a veneno... uma mascara feita a partir de uma mascara de grafiteiro...

 

-Hoje é sua vez Ogre... Psi-co entregou a ultima

-Eu sei, vou indo e enquanto estou vou pegar comida, quer frutas como sempre, ele quer pizza e eu quero carne

-Me traga maças hoje, não sou fã das porcarias que me trás, poder e sujo

-Eu pego oque da sem ser notado

-So vai

                Ele segue a em instante seus paços somem, eu fico encarando o nada de olhos fechado... Vejo o rosto daquele gordo na minha cabeça enquanto grita de dor... Ele começa a chorar, bem feito, mereceu ter seus ossos quebrados, e quero que sinta para sempre... Eu escuto ruídos ecoados... Eu olho para Psi-Co e ele notou também, mas não parou de falar e rir encarando o canto para disfarçar, mas seu olhar de canto sádico me encara, suas armas continuam encarando meus dedos do meio, o ruído some, mas sabemos que tem alguém ali, fecho os olhos e tento sentir, mas “Ela” ainda não me ensinou a fazer isso, e eu não senti nada, mas Psi-Co ri mais e sei quando esta forçando a risada... Então... Silencio, Psi-Co ficou calado e serio, ele contorcia os dedos o fazendo estralar... Suas irmãs lentamente encaram ele girando o pescoço, eu sinto meus ossos rangerem... Pego uma moeda

 

-Cara eu vou...

-Coroa eu fico hahha- Psi-co ri mais uma vez completando minha frase do jeito dele

Nesse instante jogo a moeda pra cima... Ela cai e sem nem olhar eu me levanto já me jogando na direção dos esgotos, e suas armas logo se transformam, eu começo a correr procurando a saída, se Ogre tiver parado para fumar eu posso até alcança-lo, sinto o cheiro do cigarro, eu o vejo e no mesmo instante ele recoloca a mascara

 

-Veio mudar o pedido do dia?

-Temos companhia, Psi-Co vai acionar a armadilha que “Ela” fez a qualquer momento

-Ele vai mesmo acionar? Capaz de ficar só pra matar os intrusos

-Ele é maluco mas sabe a regra...- Boom... Foi esse o som de estouro, em seguida vemos aquele cara correndo

-HAHAHA O ULTIMO A CORRER APAGA AS LUZER HAAHAAAAAAA- Olho pra Ogre e ele intende na hora e eu solto um raro e leve sorriso mostrando que eu estava certo

                Logo após Psi-Co sair em desparrada vemos aquele brilho de fogo infernal vindo... Meu ossos rangem de medo, eu e Ogre começamos a correr, mas sou o mais rápido entre nós e logo damos de cara com a luz no fim do túnel, “Ela” nos ensinou que todos os esgotos levam para a merda do mesmo lugar, pra fora da cidade, nos corremos e eu estou a frente daquele dois idiotas que não correm tanto, principalmente Ogre, eu olho para o fogo e tenho certeza que ele fai ser pego pelo fogo quando estamos bem pertos da saída eu paro e eles me passam em sequencia pulo e seguro os dois, Ogre se assusta me encara com seus olhos negros e amarelos e Psi-Co apenas ri e balança a cabeça, então faço uma proteção de ossos em minhas usando todos os ossos que posso, fazendo como uma armadura em toda a parte de trás de minhas pernas até minha cabeça, o fogo nos arremessa com tudo para fora do esgoto que da fora da Death City, e logo após a explosão atingimos o chão de pura pedra, uso ainda minhas costas e protejo os desgraçados, caímos com tudo e a armadura se quebra de vez

 

-DINOVOO SO QUE COM MAIS FOGOOO AHAAAAHAA- Psi-Co fala pulando do chão já em pé

-Cala a boga maluco- Ogre fala já se levantando e limpando a plumagem de sua jaqueta, eu me levanto e faço o restos dos ossos se quebrarem – Imagino que o senhor “Bones” começou a se importar com a gente...- Ele joga um olhar de relance

-Não saberia fazer o trabalho sem vocês- Falo sem olhar pra ele limpando meu moletom- Temos que seguir em direção a...

-A PUTA QUE O PARI?- Psi-Co fala gritando

-Para o esconderijo da mulher sapo seu retardado, fica em direção as montanhas do lado contrario a lua, por sorte é so seguirmos reto aqui...

                Então segui andando em direção a lugar nenhum de certo modo, ainda esta bem tarde e não ia amanhecer tão cedo então seguimos no escuro, e no caminho todo Psi-Co chutava terra corria pulando e gritando, então eu queria muito apaga-lo mas simplesmente ignorei e já parecíamos a caminhar a tanto tempo que era assustador meus ossos não terem quebrado, eu olho pra Ogre que parece estar morrendo de cansaço, e ele não tira aquele monte de casaco que esquenta ele, e logo adentramos dentro do que é como um canino com varias montanhas

 

-Acho que passamos Ossos...- Ogre fala se sentando

-VAMOS PEDIR INFORMAÇÃO PRA AQUELA PEDRA ALI HAAHAAA- Psi-Co fala apontando pra uma pedra

-E suas irmãs ainda estão como facas não- Falei reparando que ele as guardava na cintura- A montanha em forma de sapo

-Ela tá olhando pra gente ali o- Psi-co fala se segurando pra não morrer de rir, e quando olho consigo ver, eram 3 daquelas grandes pedras que quando se veem de uma posição era um sapo

-Boa rapaz, vai ganhar um biscoito quando chegar lá...

                Andamos mais um pouco e vemos uma pequena casa que se assemelhava a um sapo, oque era bem estranho, sua chaminé estava soltando uma fumaça que se perdia antes de ficar muito alta, nos chegamos lá e começamos a encarar a porta, eu encaro Ogre que me encara dando de ombros, e eu devolvo

 

-Eu bato então?- Psi-co Fala segurando o riso e com sua tremelique básica, eu e Ogre o encaramos e confirmamos com a cabeça, em seguida abro espaço e ele fica de frente pra porta calmo, ele respira fundo e bate com o pé fazendo uma batida, ele a repete duas vezes... E em seguida da um soco na porta quase abrindo um buraco

-CALMA AI EU JÁ VOU- Logo aquela mulher de cabelos brancos encharcados surge, ela que possuía olhos negros e apenas de toalha

-Opa eu começo a tirar a a roupa aqui ou quando mandar ele imbora?- Psi-co fala encarando a garota que se encosta de ombro na porta

-Se quiser pode ir tirando... gostei dos seus olhos, me lembras caos e loucura- Ela fala com um sorriso na cara, e Psi-Co já esta com as mão indo tirar a camisa quando eu o seguro

-“Ela” nos disse para vim pra ca casso a Shibusen surgisse  

-Ela?- Ela olha sem entender

-A cobra- Ogre falou e ela fez uma cara de surpresa

-Não sabia sabiá que ela tinha espiões lá dentro- Ela falou nos dando espaço para entrar e logo aponta para o sofá onde Ogre eu nos sentamos e Psi-Co se senta em uma poltrona, e ele com sua tremelique e se segurando para não rir, em seguida suas armas se destra formam voltando a suas formas de duas pequenas menininhas  idênticas de olhar vazio sombrio e obscuro que fazia meus ossos rangerem

-Não somos espiões-  Ogre falou enquanto eu me levantava deixando as meninas se sentarem, e uma cadeira surge e me sento com a parte de trás pra frente

-Nós caçamos almas de lixos que andam pela Death the City e que não prestam para andar pelo mundo- Falei com o capuz escondendo meu rosto e com os braços sobre as costas da cadeira

-A que legal... Então...- Ela estava meio sem jeito- Vou ligar pra ela- Nesse momento eu gelo, ela se levanta e encaro cada um dos que ficaram na sala comigo

-Eu não sei oque dizer... Iremos falar com ela não é.....- Ogre falava tentando relaxar os ombros

-Eu não posso rir... eu não posso rir... eu não posso rir- Psi-Co falava tentando se acalmar- Ossos deve estar tremendo de medo haha... Eu não posso de rir... Eu não posso rir...- As meninas falam indo até ele e massageando seus ombros cada um um lado- Obrigado meninas, mais tarde compro sorvete no conveniência...-Eu realmente estava tremendo, eu vejo aquela mulher voltando com um espelho

-Preciso que virem para trás, eu acho que não sou obrigado a mostrar nada pra vocês- Nos encaramos sem entender- so virem seus maus criados por favor!- Obedecemos e então passa alguns segundos ela cutuca nossos ombros, quando viramos sinto meus ossos rangerem... La estava Ela... Com seus olhos amarelos e aquela pupila de cobra, seus cabelos louros que se encontravam na frente e faziam uma trança, eu por um instante sinto que não so eu como Ogre Psi-Co e as irmãs Psi estavam suando frio

-Meninos acalmem-se por favor- Ela falou com o tom de voz doce enquanto sorria e virava a cabeça...- Vejo que tiveram problamas

-Sim...- Psi-co falou tremendo mas se mantendo serio- Desculpa senhorita Medusa...

-Foram os alunos da Shibusen- Ogre falava tentando relaxar

-Nossa... Não esperava que eles surgissem tão cedo... Escaparam com facilidade? Conseguiram identificar os alunos?- Medusa perguntou com sua cara doce e curiosidade

-Somente um deles- Falei ainda escondido em meu capuz e com o olhar pro lado- Um era novato e outro era o próprio Death the Kid...- Ela olhou surpresa- Nos já tínhamos sido atacados, mas não tínhamos chance nas duas vezes- Eu falo sentindo ossos racharem , e ela percebe

-Fique calmos pequeno pequeninos- Sinto que todos nos acalmamos ao mesmo tempo- Não precisam se culpar e nem nada, vocês nunca falharam...

-Mas- Psi-co ia falar mas travou, ele respirou fundo e logo continuou falando em meio a tremelique- Nos fomos vistos e acharam nossos esconderijo...

-Meninos- Seu tom de voz me fez eu me acalmar- Esta tudo bem, quero que durmam ai hoje e descansem, eu irei arranjar outro esconderijo pra vocês... prometo que até segunda feira já terei escolhido, Eruka, abrigue-os em seus quartos de hospedes, cuide bem deles

-Mas... Mas... Mas... É MEU DIA DE FOLGA!- Medusa manda um olhar sobre ela- Esta bem eu cuido disso

-Obrigado... Meninos... Obrigado por tudo e descanse por em quanto e quero que se sintam revigorados pra voltarem ao trabalho Tchau Tchau- Ela acena e logo desaparece

                Logo Eruca solta a respiração e se levanta e estrala os dedos, duas portas surgem do nada e quando se abrem sozinhas vemos dois quartos de hospedes

 

-Esse é pro cara pintada

-Ossos

-E o Darth Vaider

-Ogre

-As meninas podem dormir no quarto de cima

-As irmãs Psi- Falo e elas acenam

-E vocês garoto- Ela aponta pra Psi-Co- Você vem comigo- Ela fala o chamando com o dedo, ele meis uma vez esta prestes a tirar a blusa quando as irmãs dele o impedem...- Pode ir entrando no quarto enquanto ajeito seus amigos

-Precisamos comer- Falo a encarando- Já que não deu tempo de pegar nada estamos morrendo de fome

-Então tá, oque vocês comem? Arranhas resto de animais ou sei lá oque?

-Frutas – Falei virando o rosto

-Pizza- Ogre fala tirando seu casaco pesado

-Pizza , pizza e pizza- Psi-Co fala apontando pra ele e para suas irmãs

-Ótimo... Esperem ai sem mexer em nada

                Ela sai e em poucos segundos volta com uma cesta de frutas e uma caixa de pizza, ela joga sobre uma pequena mesinha, e logo comemos calmamente, eu como até não aguentar, e logo me encosto no sofá como se fosse dormir, mas Eruka diz que devo me deitar no quarto, ela primeiro arranja o quarto para Ogre que entra e se tranca nele, em seguida leva as meninas que sobem direto para um banho, e finalmente ela vem até mim, ela me leva ao quarto e paro em frente a porta...

 

-Oque foi? É so entrar

-Oque é aquilo?

-A... Cama- Ela fala encarando o quarto vazio- Você deita nela sabe- Vou até la e me sento como normalmente faço, mas ela vem e me encara- Sabe deitar?

-Sim

-ENTÃO DEITA

 

Eu a obedeço e logo me sinto confortavam com a cabeça afundando em um travesseiro, eu a encaro enquanto me joga um cobertor, e logo me cubro sentindo o conforto, eu a encaro e noto um sorriso torto em seu rosto, ela sai fechando a porta... Percebi que deitei com o moletom e esta quente, me levanto e começo a tira-lo, eu o jogo em um canto e me deparo com um espelho... Vejo meu corpo todo tatuado em branco e preto com aquele corte em minha barriga... Eu passo a mão ainda sentindo aquela dor que me caiu tão bem... Me lembro até hoje do rosto que “Ela” fazia... Naquele dia eu lembro de morrer, lembro de ver que não tinha volta, mas aquela mulher me encarou e viu algo mais, viu mais que sangue e carne podre, ela segurava em suas mãos algo brilhante e a encarava... Então ela a coloca dentro de mim de volta, e a vida voltava... Isso em um beco de uma cidade grande, onde algumas pessoas passavam ignorando... Eu noto que Eruka abriu a porta e tinha algo em suas mãos, um copo de água, ela parou ao ver meu corpo, eu vou até ela e me sirvo da água a devolvo e a encaro, esta assustada e procurando entender, eu dou um paço para frente a fazendo dar um passo para trás, pude ver Psi-Co no outro quarto sentado a cama, dou um passo para trás e fechando a porta... Me deito mais uma vez e me cubro... Fico vagando enquanto encaro o teto mas logo sinto não aguentar e logo durmo...

 

                                               POV Ossos Off

                                               POV Yian On

                Me levanto olhando para os lados procurando Kid mas tudo que vejo são pedras que me impedem de sair dali, eu olho e vejo que as meninas ainda estão em forma de arma, consigo ouvir suas vozes me chamando sem parar, eu me sento em um canto e pego meu celular, olho e vejo sem sinal, me concentro e tento sentir alguma alma a minha volta e me deparo com a de Kid a alguns metro

 

-Kid, eu to aqui- Olho por uma brecha que surge e vejo Kid- Quem é vivo sempre aparece

-Agradeço por ter aparecido, esta tudo bem com vocês?

-Sim, estamos dentro de um espaço cercado de pedras

-Eu vejo que ainda estamos no esgoto, preciso de ajuda pra te tirar dai, não mecha em nada se não pode desmoronar

-É oque parece, acha que por esta fresta eu consigo passar as meninas

-Ei!- Sophia fala gritando e sinto como se estivesse no meu lado- Não vamos te deixar sozinha

-É mais seguro do lado de lá meninas, se desmoronar não vou ter como tira-las daqui

-Mas ai você vai estar em perigo- Musa falou

-Mas vai ser só eu pelo menos, não to dando muitas opções pra vocês- Passo Musa e Carmeli pela brecha, mas esqueci que Sophia é uma algema sem chave- Ei, vai logo

-Não... Eu vou ficar aqui com você

-Não posso enrolar, estou indo chamar ajuda e já volto- Kid falou correndo

-Iremos trazer água e comida pra vocês voltamos logo- As meninas correram juntas deixando eu Sophia sozinhos, ficamos ali por alguns minutos até que Sophia se destransformou, tinha espaço para que nos sentássemos um de frente pro outro...

-Yian... Oque aconteceu com a sua alma- Quando ela perguntou eu hesitei por um segundo- Eu não vi já que sou uma arma, mas eu senti alguma coisa diferente enquanto via aquela luta... Eu senti que você não era como normalmente é...

-E como eu sou normalmente...-Perguntei esperando desviar do assunto, e deu certo já que ela parou pra pensar na resposta

-Eu acho que você e do tipo protetor mas doce, você é o cara que vê alguém em perigo e não consegue ficar parado, você sem demonstrar é um cavalheiro- Me surpreendi com a resposta que ela me dava olhando no fundo dos meus olhos, eu desvio e sinto que corei por um segundo, e percebo que soltei um leve sorriso

-Eu não sei se sou esse tipo de cara- Falei me virando para encara-la

-Eu acho que você só não sabe dizer a verdade sobre você por que alguma coisa dentro de você te machuca que nem me machucava- Eu senti aquelas palavras e vi que ela ia voltar pro assunto da minha alma...

-E oque te machuca?- Qual é... para de tentar voltar pro assunto- Você nunca me contou oque fazia antes de vim pra Shibusen, so sei que é do Reino Unido

-A...- Ela fala constrangida- Eu sou de uma família totalmente tradicional, ainda moramos em um castelo misturado a uma mansão, e venho de uma linhagem de homens que serviam a rainha... Eram como cavaleiros da távola redonda

-Nossa- Falo arregalando os olhos

-É, éramos uma família importante até a uns 100 anos atrás

-Oque aconteceu?

-O líder da família traiu a rainha... Minha família começou a ser mal vista e somos tratados como lixo entre os nobres...

-E Arturo? Ele é seu primo próximo?- Falei a interrompendo

-Ele é de uma das ramificações da minha família, sendo que praticamente todas as grandes famílias estão ligadas

-Ou seja... É seu primo de consideração... Mas como considerar alguém tão horrível da família?

-Ele cresceu comigo, sempre me tratou daquele jeito, ele nunca me viu com bons olhos e me maltrata dês de pequena- Do nada senti que não soquei ele forte o suficiente das ultimas vezes...

-E você mesmo assim o chama de primo... Você realmente uma pessoa bem inocente- Falei com um leve sorriso e a vendo corar

-I... Inocente? – Ela me encara zangada

-É... Você é boa, fala sempre de forma educada, e evita assuntos estranhos...

-Eu... NÃO FAÇO ISSO!!- Ela fala se impondo firme

-Já perdeu o Bv?- Falei a encarando sabendo que ela ia corar

-Oque...? Que tipo de pergunta é essa Yian!?- E Deu no que deu, corou feito um tomate

-Haha, desculpa so estou brincando

-Não gostei da brincadeira... E você senhor “sei de tudo sobre pessoas inocente?” Já perdeu o Bv?

-Sim- Oque a assustou agora não sei- Não me olha assim, nunca disse que era algum tipo de anjo

-Eu sei, é que você falou com tanta calma... eu não consigo ser assim, ousada assim...

-Não pense nisso como um problema Sophia, isso faz de você a garota mais doce da escola, daqui alguns dias vai ter bastante cara em cima de você

-Não fale assim, não acho que eles vão fazer isso

-Que tal apostarmos?

-Apostar... Oque você propõe?

-É o seguinte, se qualquer cara aparecer e te chamar pra sair... Eu quero que você use aquele seu vestido frufru escondido no fim do seu guarda roupa- Carmeli tinha parado pra fuçar e acabamos vendo

-Como você... JUSTO AQUELE VESTIDO?

-Isso, tem que usar por um dia inteiro entendido?

-Ta, mas se eu ganhar... Você vai ter que levar ou Musa ou Carmeli pra um encontro bem meloso e romântico

-Como é ai?- Falem se acreditar

-Você entendeu, eu quero que você leve uma das duas pra um lugar bem romântico

-Mas que... Você é maligna Sophia

-Não sou não, sou “Inocente” como diria você

-Aiai que roubada divertida- Falei com um sorriso e estendi minha mão- Apostado?

-Tá apostado sim...- Ela fala apertando forte minha mão

                Alguns segundos depois ouvimos passos e vemos que Carmeli e Musa trouxeram água e comida, elas falaram que o bombeiro logo chegarão mas que ainda vão demorar um pouco já que estão ocupados apagando um fogo de explosão que veio do esgoto... Sim, tinha que ser, e os poucos que apareceram disseram que precisaria de horas pra tirar os escombros de um jeito que não nos esmagasse, e claro que por estarmos envolvidos por pedras de baixo do esgoto começou a ficar quente, eu vejo Sophia morrendo de calor, eu a encaro e vejo meio zonza, e eu também não aguentava mais, eu tiro a jaqueta e a camisa e olho Sophia me encarando não constrangida nem corada mas me analisando, ela se aproxima com a mão estendida e eu sem entender deixo, ela chega e toca uma das cicatrizes eu logo dou uma recuada mas deixo

 

-Como conseguiu tantas...- Ela encara a cada uma passando os dedos por cada uma delas

-Se eu contar agora vou ter que contar de novo mais tarde, tenho certeza que Carmeli ainda vai me interrogar

-Ela não vai fazer isso sozinha... Quero ouvir a historia de cada uma, mas tem uma que me chamou mais atenção que a maioria- Ela fala pegando uma que fica exatamente no meio do meu peito- Parece uma facada

-E é uma facada...- Solto uma risada de canto enquanto a encaro, ela que olhava para a cicatriz manda o olhar direto pros meus olhos- Eu prometo contar

                Em poucos segundos escutamos a voz de varias pessoas a nossa volta, ouvimos o som de pedras se movendo e Kid surge com um sorriso largo e um positivo pra mim, em alguns minutos vemos as pedras a nossa volta sendo levantadas, e olho para uma forte luz que vem na nossa cara e impede de ver quem estava ali, coloco a mão na frente da luz, que logo se apagou e pudemos ver o próprio Shinigame com um chapéu de machado e um sinal positivo nas mãos, que devolvi, todos soltaram leves risadas e eu sem entender encaro as meninas que cochilam alguma coisa, eu olho para Sophia corada... Lembro que ainda estou sem camisa, a coloco imediatamente, nos levantamos e seguimos pra fora dos esgotos e do lado de fora vimos o shinigame e vamos até ele

 

-Parece que a caçada levou a algum lugar não é mesmo... Kid me deixou a parte de tudo, tem como desenhar o rosto dele pra mim?

-Ta, folha e lápis ai?

                Passei alguns segundos o desenhando e entreguei, logo que Shinigame pegou o papel nos liberou, então tudo que queríamos era ir pra casa, estávamos indo pro carro quando Carmeli parou todo mundo

 

-Nem pensar galera, todo mundo fedendo pra caralho, vai ferrar meu carro que saiu da oficina agorinha, vamos andando...

-Que me fude me beija- Musa falou baixo

-Eu beijo, mas se for pras preliminares vamos precisar de um quarto- Musa cora- So vamos logo

                O caminho foi bem constrangedor, mas pior foi chegar em casa, voltamos a lutar pra ver quem ia banhar primeiro, e claro que eu entrei nele enquanto as meninas brigavam, eu saio rápido me visto e me deito, eeee fim da noite.... Não... As meninas se banharam e foram me jogando da cama, apagaram a luz do quarto pegaram um abajur e jogaram direto na minha cara como se fossem realmente me interrogar, eu simplesmente me levantei e sentei na mesa, mas elas não queriam tirar aquela luz da minha cara...

 

-Ta legal 616265 pode começar a falar seus segredos...

-Espera- Sophia falou cortando ela- Ele tem que tirar a camisa primeiro- Okay, agora eu fiquei em choque

-Que abuso- Falei quase pulando da cadeira

-Apoio, tira- Carmeli falou apontando a luz pro meu corpo

-Eu não quero, qual a boa razão?

-Você disse que ia contar- Sophia fala pegando a luz e jogando na minha cara

-Qual é não faz isso comigo

-TIRA- Todas falam em sincronia, e eu nem ofereço resistência me levanto e tiro, jogo na cama e me sento de novo- Nossa- Carmeli olha encarando mais

-Achei que já tinham visto, eu acabo me trocando aqui sem nem ligar

-Não ficamos encarando direto, já que você não encara- Carmeli fala com os olhos serrilhados

-Como sabe que não olho?

-Enquanto uma se troca a outra vigia- Elas fazem um toca aqui entre elas

-Entendi... Onde paramos mesmo

-Você ia contar quem é você- Carmeli

-Você ia falar a historia das suas cicatrizes

-Você ia dizer oque era aquela marca na sua alma

-Acho que da pra responder tudo de uma vez...- Elas me encaram sem entender- Tá, apaga essa luz ai- Falo já tomando a luz dela e movendo pro lado, eu vou até minha mochila e pego meu cantil com bebida, dou um gole e passo pra elas, Carmeli bebe e passa para Musa que faz o mesmo mas faz careta Sophia tenta evitar a bebida- Só conto depois de um gole seu Sophia

-Você esta tentando me corromper isso sim!- Ela fala meio irritada enquanto cheira a bebida

-Só um gole esta bom- Ela fecha os olhos tampa o nariz e da aquela único gole, e em seguida careta, eu sorrio e me sento na cama, com uma perna esticada e a outro dobrada com o joelho pra cima, escoro minhas costas na parede, elas se sentam na cama e me encaram ansiosas – Ta... Vamos começar de onde... Já sei, quando tudo deu merda, o dia em que levei um tiro no peito- Elas me olharam assustadas- Nesse dia como em todo bom dia eu estava andando la pras 2 ou 3 da manha com uns amigos, e eu vivia em um bairro que não era o mais seguro de todos, e em algum momento surgem um drogado que aponta uma arma de numeração raspada

-3.8- Musa fala e as meninas a encaram- É a arma mais comuns em áreas pobres

-Acertou, e ele so queria a grana, e não tínhamos problema de entregar, mas minha carteira caiu e ele achou que eu estava reagindo, então ele atirou, eu me lembro de ficar parado achando que a qualquer momento ia cair com a dor da bala, então botei a mão no peito... Mas o único furo estava no bolso da frente da minha jaqueta, quando botei a mão la dentro tirei a bala que tinha parado não sei como, e a bala parecia não ter nem amaçado... No segundo seguinte o cara tenta atirar de novo, mas a arma pifa, e eu o encaro gelado, mas meu amigo Gabriel parte pra porrada, ele começa a bater no cara que o acerta com uma pedra, então eu e mais um amigo vamos lá e o ajudamos, espancamos o cara por alto defesa, então deixamos ele fugir... Maior merda que fizemos- Dou mais um gole na bebida- No dia seguinte quando chegamos na escola uma colega nossa havia sido assassinada por um drogado com um revolver de numeração marcada... Claro que entramos em choque... Depois disso nos encontramos na rua depois da aula e decidimos que íamos encontrar aquele desgraçado, procuramos a noite toda...

-E acharam- Carmeli me encarou como se estivesse vendo uma novela

-Isso... Ele estava bebendo em um bar, o jogamos no chão e vimos que estava bebendo com a grana da garota, e ele bêbado confessava que havia estuprado ela... Ela que era bem religiosa e nunca fez mal a ninguém, ela era uma boa pessoa, eu não a conhecia muito bem mas mesmo assim...- Eu olhava pro teto e sentia minha mão tremer, segurava com a outra pelo pulso tentando fazer parar- Depois disso so lembro da raiva, eu subindo em cima dele e o socando sem parar, ele implorava mas eu não cansei, so parei quando desfigurei a cara dele, o puxamos pra fora do bar onde Gabriel meu amigo mais próximo jogou toda a bebida dele sobre ele, e Evandro ou Ruivo pros íntimos- Solto uma risada tentando descontrair- Pegou um fosforo e joga nele, o deixamos queimar na calçada a noite toda, pegamos a carteira dele e devolvemos aos pais dela, que não fizeram perguntas, mas que entenderam que alguém tinha feito alguma coisa... Depois disso eu e meus amigos vimos que oque tínhamos feito tinha sido a melhor coisa, e decidimos continuar... Muitas das cicatrizes vem de facadas ou golpes com vidro quebrados, e com o tempo nosso grupo aumentou e meio que virou uma gangue, e tínhamos que ter uma marca- Viro de costas- Essa era nossa marca- Elas passam a mão em uma cicatriz igual a marca que estava em minha alma- E com o tempo a ideia principal de ajudar a limpar as ruas de pessoas como aquele desgraçado sumiu, Ruivo tinha gostado do gosto de sangue e Gabriel tinha se machucado muito serio, então sai e pedi pra Gabriel sair também, não sei se ele saiu mas não tive como manter o contato... Depois disso tentei viver na minha...

-E as outras cicatrizes?

-Brigas de rua, luta com amigos, iniciação de integrantes, garota, garota, garota, um policial- Falo apontado- E só...

-Nossa- Sophia fala assustada

-Tadaaa- Falo antes de mais um gole na bebida que acaba- Posso dormir agora? Essas são todas minhas cicatrizes...


Notas Finais


Obrigado por ler e comentem, Eu gosto dos favoritos, mas quando surge um comentário eu acelero a saída do proximo cap


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...