1. Spirit Fanfics >
  2. Soul Rebel - 1 Season >
  3. Capítulo 9

História Soul Rebel - 1 Season - Capítulo 9


Escrita por:


Capítulo 9 - Capítulo 9


Pode explodir o mundo lá fora, mas enquanto ela transar comigo dessa maneira não vai ter importância nenhuma. Tudo isso só aumenta a minha vontade sobre ela, estou fissurado com o jeito que essa menina sabe me dar prazer. Posso sentir raiva dela em alguns momentos, vontade de acabar com ela em outros, mas esqueço de tudo quando ela fica em cima de mim louca de prazer louca de vontade… Não tenho palavras pra explicar o quanto sou tarado por ela, o quanto fico louco quando ela me olha dentro dos olhos com aquele olhar de pura malicia, luxuria e inocência que só ela tem, sou completamente pirado e sem vergonha quando estou perto dela por mais que tente me controlar ela tem o dom do descontrole. O sorriso dela não se compara a nada do que eu já tenha visto na vida, ela não se compara a nada que eu já tenha visto.

POV Cassidy

Liguei o chuveiro e deixei a água cair no meu corpo levando embora todo o suor que ele tinha. Adorava o jeito descompensado que o meu coração ficava depois de uma transa perfeita com ele. Queria ser o vicio dele da mesma forma que ele é para mim, tomei um banho demorado e quando sai, Justin estava esparramado na minha cama. Sorri baixo em vê-lo dormindo ali com aquela carinha de anjo, fiquei um bom tempo observando ele e rindo baixo sozinha.

Troquei de roupa e decidi acorda-lo. – Justin. – o chacoalhei devagar. – Justin! – o chacoalhei de novo.

– Que? – ele disse ainda com os olhos fechados.

Gaguejei um pouco. – É… É você vai ficar ai? – os cabelos dele estavam molhados ele já tinha tomado banho em outro banheiro.

Ele abriu os olhos e ficou me olhando sem responder.

– Justin! – quebrei o silêncio, se ele soubesse como eu fico com vergonha quando ele fica me olhando com essa cara e sem dizer nada.

– Vou… Eu vou ficar aqui sim. – ele riu pelo nariz e me puxou para os braços dele me fazendo repousar a cabeça no peito dele.

– Como você fazia para fugir do convento?

– Hã?… Porque você quer saber?

– Já tinha te visto nos rachas e nas festas antes. Só não sabia que você era freira.

– Eu não sou freira… Tenho uma amiga que me ensinou muitas coisas, ai a gente fugíamos juntas, ela conhecia tudo eu só a acompanhava.

– Sabe o engraçado disso tudo?

– O que?

– Aquele dia na boate você jogou vodca no meu rosto, me xingou disse que nunca ficaria comigo… E hoje a gente ta aqui. – como ele era besta.

– Acho que isso é destino. – brinquei o fazendo rir.

– Se for… To começando a gostar do meu destino. – ele subiu em cima de mim procurando minha boca selando um beijo. Minhas mãos foram direto para nuca dele e eu intensifiquei o beijo, enquanto as mãos dele brincavam percorrendo o meu corpo.

Soltei uma risada sentindo cocegas com o toque dele.

– O que foi? – ele parou e perguntou.

– Nada. – disse rindo e apertei minhas mãos no cabelo dele trazendo a boca dele para mim novamente. Troquei de posição subindo em cima dele, fiquei encarando e admirando os olhos convidativos que ele tinha aqueles olhos mel que me chamavam a atenção aquele mistério que ele tinha. Dei um sorriso bobo por causa de meus pensamentos e o beijei lentamente. Sem parar de nos beijar a mão dele começou a ser ágil em baixo de mim e tirou minha roupa me deixando só de calcinha e sutiã, ele trocou de posição tomando o controle da relação de novo, sua boca desceu para o meu pescoço e começou a depositar beijos e fracas mordidas tomando o meu pescoço para ele enquanto desamarrava o calção dele e depois o tirei com os pés tendo a visão de uma linda boxer vermelha, minhas mãos passeou pela barriga dele o arranhando lentamente enquanto ele começava a chupar os meus seios e foi descendo até que sua boca parou em minha virilha me dando pequenas mordiscadas ele me vez um oral me levando ao céu e depois foi minha vez. Me penetrou lentamente e depois foi aumentando o ritmo, nossos olhos se comunicavam entre si e o único som era os nossos gemidos, já tinha gozado duas vezes e estava sentindo o meu terceiro orgasmo chegar, gemi o nome dele alto sentido minha vagina se contrair e sendo seguida pela liquido dele dentro de mim.

Segurei o rosto dele e o beijei até nossa respiração voltar ao normal, coloquei minha calcinha e meu sutiã de volta e deitei em cima dele acabei adormecendo em cima dele mesmo.

Acordei me espreguiçando na cama, passei as mãos e notei que o Justin não estava mais lá. Fui para o banheiro escovei os dentes e arrumei o meu cabelo que estava medonho tinha deitado com ele molhado e sem pentear. Vesti uma roupa e desci com muita preguiça, mas não encontrei o Justin também nem procurei muito, tomei café e sentei no sofá, fiquei lembrando de tudo.

– Pensando em mim? – a voz do Justin me surpreendeu atrás de mim.

– Porque eu estaria pensando em você? – disse sem olhar para trás.

Ele deitou minha cabeça pra trás me beijou e disse. – Porque você já não vive mais sem mim. – como ele era convencido, me virei ficando de joelho no sofá comecei a beijar ele que estava em pé atrás do sofá.

– SABIA! – a voz do Chaz interrompeu nosso beijo senti meu coração disparar. – Sabia que iria rola um incesto.

Olhei pra trás notando todos os meninos na sala Ryan, Chaz, Chris e inclusive Brian que estava com uma cara nada boa.

– Cala boca Chaz. – Ryan deu um tapa na cabeça dele. – Eles nem são irmãos para ter incesto. – minha bochecha estava roxa de tanta vergonha.

– É verdade isso mesmo? Vocês estão se pegando? – Chris perguntou incrédulo, a cada pergunta eu ficava com mais vergonha.

– Não, Não… Eles estão brincando só de degustação de beijo. – Chaz disse e todos caíram na risada menos eu e Justin que não tínhamos explicação para aquilo e Brian que não tinha expressão em seu rosto.

– Porque vocês não avisaram que estavam vindo pra cá? – Justin disse um pouco nervoso e acabando com as piadinhas.

– Cara a gente nem ia vim pra cá todo mundo ia direto pro galpão… Mas você e o Ryan trouxeram os equipamentos pra cá então a gente veio buscar. – Chris disse se explicando, eu estava com muita vergonha muita mesmo, mas o olhar do Brian me deixava bem pior ele me olhava sem expressão e com desprezo.

– Ta tudo lá no escritório, só vocês pegarem. – Justin me deu um olhar de conforto antes de guiar os moleques até o escritório, eles o seguiu Brian era o último.

– Brian. – chamei, mas ele continuou andando sem nem olhar para trás. – Brian. – o chamei de novo dessa vez ele se virou me olhando com ódio. – Brian… O que você tem?

Ele riu com muita falsidade. – Eu não tenho nada Cassidy. E você?

– Você está com raiva pelo o que viu?

– Não… – ele disse seco e ríspido. – Não tenho que ter raiva porque eu não tenho motivo pra isso… Mas estou vendo que você é mais uma que caiu fácil no papo dele.

– Eu não cai no papo dele.

– Ah não né… Foi bem pior você caiu na cama dele. – ele praticamente cuspiu as palavras em cima de mim com muito ódio e doeu ouvir aquilo.

– Brian? Qual é? Eu sei muito bem quem é o Justin e eu posso lhe dar com ele, já nasci vacinada contra esse tipo de homem.

– Eu também achava isso antes… Mas agora eu to vendo que você é tão fraca quanto as outras e não tem nada a ver com o que eu pensava que você era.

– Brian, eu não vou ser que nem a sua irmã… Diferente dela eu não sou influenciável. – falei nervosa

Ele se aproximou de mim com muito mais ódio e apontou o dedo no meu rosto. – Você nunca mais abra a boca pra falar da minha irmã!

– Brian! – Justin nos surpreendeu no corredor. – Você está ficando louco cara? – Justin deu um soco nele e eles começaram uma briga.

– Justin para. – tentei separar os dois que estavam rolando no chão aos socos, mas dois homens juntos e enfurecidos nunca é paril pra uma mulher.

Ryan, Chaz e Chris vieram correndo e separaram os dois que ainda lutavam tentando se pegar.

– Solta Ryan… Solta Porra! – Justin gritava enfurecido com o canto da boca sangrando tentando se soltar para pegar o Brian que estava sendo segurado por Chaz e com o supercílio escorrendo sangue.

– Ai Cassy… Seja feliz com esse babaca. Se você conseguir. – Brian disse com raiva, ódio, fúria e desprezo fazendo meu coração se espedaçar em ver ele falar comigo daquele jeito. Depois Chaz consegui arrastar ele pra fora.

– Drew Porra! – Ryan soltou Justin nervoso. – Vocês dois estão querendo ir pro saco? É Caralho?

– Você viu o que ele fez? Ele estava quase batendo na Caissy! – Justin estava irreconhecível o ódio tinha tomado ele, não é possível que só aquilo tivesse feito ele ficar daquele jeito.

– Caralho eu já estou de saco cheio da briga de vocês dois.

– E eu já estou de saco cheio desse cara! – Justin esbarrou em Ryan e subiu.

– Deixa que eu cuido dele Ryan. – disse quando Ryan ameaçou a segui-lo. Chris e Ryan foram embora, Chaz tinha ido junto com o Brian ele estava irreversível. Meu coração estava partido pelo o que o Brian tinha feito e falado nunca imaginaria ele fazendo isso, a imagem que eu tinha dele era tão diferente do que ele tinha me mostrado, subi para ver como Justin estava.

Peguei a maleta de primeiros socorros e fui para o quarto dele. A porta estava meio aberta então eu entrei, ele estava sentado na cama com os cotovelos apoiados nos joelhos e a cabeça escondida nas mãos.

– Justin… Deixa-me limpar esse machucado. – não obtive resposta e nem um tipo de reação. – Justin. –coloquei a mão nele, mas ele tirou minha mão dele nervoso. – Dá para você parar. – falei nervosa.

– Me deixa sozinho Caissy.

– Eu só quero te ajudar. – falei com sinceridade.

– Não quero ajuda. – ele disse seco, joguei a maleta na cama.

– Não quer ajuda por quê? – falei nervosa

– Porque eu não quero Caralho. Vai ajudar o Brian tenho certeza que a cara dele está precisando de mais cuidados do que a minha. – ele disse irônico.

– Não precisava de nada disso.

– Que foi agora? Vai defender ele?

– Para de ser idiota… Não estou defendendo ninguém só disse que não precisava de tudo isso.

– Precisava sim, eu já não aguento mais esse cara na minha vida! – sorri pelo nariz incrédula e constatando os fatos e vendo o estado que ele estava e nada daquilo era por minha culpa eu só fui uma válvula de escape para os dois se pegarem.

– Você não foi pra cima do Brian porque ele me ameaçou… Você foi pra cima dele por causa da Alexia, você só me usou como desculpa. – falei enojada pelo o que ele tinha feito.

– Eu já não disse pra você não falar nela? – ele disse bravo.

– Porque você não quer que eu não fale nela?… Porque você ainda a ama… Porque você não se conforma que ela te deixou? – falei com ódio.

– CALA A BOCA CAISSY… CALA BOCA. – ele explodiu nervoso.

– Relaxa Justin… Não vou mais te incomodar. Vou deixar você com seus pensamentos na Alexia. – sai do quarto dele e bati a porta.

Tranquei-me no quarto e fiquei lá o resto do dia sem sair de lá de dentro fiquei chorando em lembrar o estado que ele estava por causa dela, e tudo o que tínhamos feito. Papo ridículo de que só foi pra cima do Brian por minha causa, eu vi mesmo, ele aproveitou a situação pra descontar o ódio pela Alexia e foi pra cima do Brian. Doía só de ver ele assim por causa dela e saber que não tem espaço para mim.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...