História Soulmate - Capítulo 37


Escrita por:

Postado
Categorias Francisco "Isco" Suárez, Marco Asensio
Personagens Francisco Román Alarcón Suárez, Marco Asensio
Visualizações 254
Palavras 1.091
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Aventura, Drama (Tragédia), Romance e Novela
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Cheguei! Eu vou dividir o capítulo do casamento em duas partes porque a outra será maior, obviamente. A fic tá chegando ao fim e eu acho que até o fim de semana já terei terminado ela. E espero que estejam gostando dessa reta final!

Boa leitura!

Capítulo 37 - O casamento, parte 1.


As famílias Alarcón, Carvalho e Cortéz estavam explodindo de felicidade com a gravidez de Melina, era sorte demais o amor de infância ter se tornado muito além do que qualquer um imaginava, a notícia de que iria ser avó novamente amoleceu o coração de Jenny de tal maneira que o casamento se tornou uma coisa pequena perto disso. Mariah também não se continha de tanta felicidade e parecia que o erro cometido por ela havia ficado pra trás, não era mais o assunto entre as famílias e as vezes Jenny até conversava com ela pelo telefone; coisa que deixava Melina super animada.

Pela genética e treinos que a loirinha fazia antes, a barriga era quase nula mesmo completando quatro meses de gravidez. Era uma pequena saliência que Manuela usava como “barriga de quem bebe muita cerveja” mas o sonho de Melina era ver aquela barriguinha crescendo e arrancando seus suspiros mais apaixonados, amanhã é o casamento e o tempo que levou desde a descoberta até hoje passou muito mais rápido do que todo mundo imaginava. Manuela e Asensio seriam os padrinhos que obviamente ficaram hiper felizes e Helena e Manu batiam par ou ímpar pra ver se seriam madrinhas do bebê, os palpites em casa eram de que seria outro menininho mas Isco era convicto de que viria uma menina pra harmonizar o clima da casa. E também para cessar suas fantasias de ver outra loirinha de olhos azuis correndo pela casa, uma cópia fiel da sua futura esposa.

A família de Melina já estava em Madrid incluindo uma velha amiga que mal acreditava em tudo o que aconteceu com a loira do ano passado pra cá, ela teria uma surpresa ao ver Luísa na cerimônia do seu casamento. Era a última noite que passariam como noivos e Mel estava a espera de Isco que havia passado o dia inteiro resolvendo algumas coisas do clube, ele estava numa fase incrível no Real e isso era devido ao incentivo, apoio, e mil motivos pra estar feliz e mais motivado dentro de campo; ela era realmente a melhor escolha dele.

- Amor? – a voz dele ecoou na casa, Melina estava enchendo seu potinho de sorvete quando ouviu.

- Aqui. – ela gritou.

- Eu ganhei uma coisa de presente hoje, pessoal lá do clube. – ele disse empolgado abrindo a mochila.

- O que? – ela perguntou de boca cheia, educadíssima e com dupla fome.

Ele havia ganhado uniformes infantis do Real Madrid de todas as cores existentes no clube, e já imaginava seu bebê usando aquelas peças. Melina ficou apaixonada e imaginou o mesmo porém deixando escapar o pensamento em voz alta e Isco sorriu. Já passavam das quatro da tarde quando as últimas coisas do casamento foram resolvidas por computador e telefone, eles tinham aquela sensação de dever cumprido porque fizeram tudo juntos pra que ficasse do jeito que os dois queriam e imaginavam.

                                                                        
                                                                                                          (...)

 

O projeto do quarto do bebê estava começando a ficar pronto e mesmo sem saber o sexo ainda, eles estavam caprichando alguns detalhes. Melina estava ansiosa por isso porque hoje pela manhã ela foi até o médico que costuma ir sempre e pediu pra fazer a ultrassom pra saber se já podia ver quem era o seu bebê, o exame estava guardado nas mãos de Elisa e ela planejava descobrir junto com Isco no altar na praia. O momento seria ainda mais especial porque não foi de primeira que o médico conseguiu ver, segundo ele o bebê estava de perninhas fechadas por mais ou menos cinco minutos e precisou que Mel conversasse muito com a sua barriga para que na segunda tentativa o médico lhe lançasse um sorriso; sem dizer o motivo.

- Amor, amanhã é o dia. – Isco disse enquanto escovava os dentes.

- Sim,  você tá ansioso? Porque eu tô quase roendo as unhas. – Mel confessou enquanto passava hidratante em suas pernas.

- Eu tô, ás vezes dá até um frio na barriga... – ele riu.

- Lembro do primeiro dia que te vi aqui quando voltei, você estava na praça com a Sara. Achava seu sorriso tão familiar...- Mel disse deitando na cama.

- E eu lembro de te ver no Shopping, quase caindo nas araras de roupa. – ele voltou ao quarto com a toalha enrolada na cintura.

- Se você não me segurasse eu iria quebrar a cara. – ela começou a rir.

- O engraçado era a coincidência dos nomes e a gente sequer imaginava, eu nunca encontraria outra Melina aqui e não pensei nisso. – ele disse mexendo no armário.

- É louco pensar em tudo o que nos aconteceu né? Foi um marco na minha vida quando te vi em Málaga, eu achei que era loucura ser você o mesmo Isco do passado...quais eram as chances de ser a mesma pessoa em 16 anos longe? – ela se questionava e ele concordava vestindo a roupa.

- Mas o melhor é que a gente já estava se apaixonando antes de descobrir. – ele disse vindo em direção a cama, deitando-se ao lado dela apoiado nos cotovelos.

- Você teve cem por cento de certeza que queria casar comigo quando comprou o anel? – perguntou, ela era curiosa.

- Tive. Parecia que o momento já tinha acontecido dentro da minha cabeça. – ele disse sorrindo.

- Eu achava que só iria me casar pelos trinta quando meu restaurante já estivesse pronto. – ela disse rindo.

- Aos 30 você vai ser a melhor no ramo da gastronomia de toda a Madrid, com o seu restaurante e o nosso filho. – ele acariciou a barriga dela.

- O primeiro dos 11 né? – perguntou fazendo ele gargalhar concordando com a cabeça

- Vai ser o melhor time aqui, depois do Real, Alarcón’s football club. – ele disse entre as risadas.

- Você já criou até o nome? – perguntou rindo e ele assentiu.

- Claro, vão ter os meus 11 filhos como jogadores e os do Asensio como reservas. – ele disse.

Os sonhos de Isco eram a coisa mais engraçada e adorável, visto que qualquer palavra que saía da sua boca se tornava adorável aos olhos de Melina. Depois de muitos papos e carinhos trocados os dois decidiram dormir, tinham um dia cheio amanhã e queriam muito estar bem dispostos. Abraçados a noite inteira os dois pegaram no sono, e quando o dia raiou as oito da manhã no despertador do casal, eles abriram os olhos junto a um sorriso. Hoje era o dia do sim, dia que esperaram por muitos anos. Contando aqueles que planejaram desde a infância.

Hoje era o dia mais importante para ambos.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...