1. Spirit Fanfics >
  2. Souls Meeting - Destiel ABO >
  3. Capítulo 27

História Souls Meeting - Destiel ABO - Capítulo 28


Escrita por: e LuanaPrince


Notas do Autor


Boa leitura.

Capítulo 28 - Capítulo 27


POV Dean

A noite com Castiel foi muito boa, nos amamos mais vezes quando chegamos em meu apartamento e fiquei muito feliz dele ter gostado da surpresa que preparei.

Eu não sou um homem romântico, mas fiz um esforço pra fazer algo especial pra ele, até pra compensar pela marca que não pretendo dar a ele, não agora. Talvez em um futuro distante eu consiga superar tudo que aconteceu no passado e consiga seguir em frente para o marcar como meu companheiro. Já é um passo grande eu estar em um relacionamento, eu não queria mas foi mais forte que eu. Castiel me atrai de um jeito diferente, é tão forte e intenso que não sei explicar.

Estou preparando o café da manhã para em seguida ir acordar meu ômega, hoje volto a trabalhar, não posso mais deixar as coisas acumuladas mais que estão.

Ainda tem um projeto para abrir um novo restaurante que foi deixado pra trás nesses dias de folga. Argh! Tanta coisa pra uma pessoa só!

Vou direto ao quarto e paro na porta por um instante admirando o quão lindo Cas fica dormindo sereno, seus cabelos bagunçados e seus lábios entre abertos, tão lindo! Cas pode ser comparado a um anjo pela sua beleza e inocência.

Mas como nada é perfeito tenho que interromper seu sono, não queria mas tenho. Ainda é bem cedo e ele deve estar cansado, mas preciso sair e não vou deixar ele dormindo sem nenhuma explicação, se ele quiser ficar ele tem total acesso e permissão para permanecer aqui.

- Cas. - Chamo o chacoalhando de leve.

- Cas, baby acorde. - Insisto mais um pouco, e ele abre seus lindos olhos azuis me fitando sonolento.

- Bom dia - Ele diz de forma sonolenta, com a voz rouca pelo sono e em seguida da um bocejo.

- Bom dia, dormiu bem? - Pergunto fazendo um carinho em seu rosto.

- Sim alfa e você?

- Muito bem - falo e sorrio - Eu preparei café da manhã pra nós, se arrume e venha comer irei te esperar. Tenho que trabalhar hoje se você quiser ficar aqui não me importo, mas se quiser também posso deixar você na sua casa.

- Oh entendo. Eu prefiro ir pra casa, tenho que ajudar Gabe em algumas coisas.

- Ok - Digo um pouco incomodado, eu preferia que ele ficasse aqui, na verdade eu preferia que ele morasse aqui comigo.

Deposito um selinho no seus lábios e me levanto indo para cozinha esperar que ele se arrume e desça.

Minutos depois Cas desse já arrumado e tomamos café em silêncio.

Depois do café me arrumo e deixo Cas na casa dele antes de seguir para o trabalho. Nos despedimos com beijos gostosos e em seguida vou para o trabalho.

Sigo o caminho ouvindo um bom rock para relaxar, só de pensar na quantidade de documentos que deve ter se acumulado para resolver, já fico estressado.

Chego e entro cumprimentando os funcionários.

- Bom dia senhor Winchester,  veio uma ômega te procurar enquanto o senhor estava fora. - Garth me fala.

Uma ômega? Quem será? Não consigo me lembrar de nenhuma ômega que eu fiquei, que teve a audácia de me procurar novamente. Quem foi a doida que resolveu aparecer agora?

- Essa ômega se identificou?

- Não senhor, só disse que te conhecia e que veio fazer uma visita. - Garth me informa.

Eu mereço mesmo, vem me procurar e nem se identifica.

- Ok, caso volte a me procurar eu não estou disponível para visitas a não ser que seja minha família e Castiel, deixe o aviso com todos.

- Sim senhor. - Garth fala.

Vou para minha sala e começo meu trabalho estressante de ler documentos e assiná-los.

É tanta coisa pra fazer que perco até a noção do tempo, para um pouco e respiro fundo, minha cabeça já está doendo de tanto ler coisas, assinar e checar e-mails. Não dá pra ter pausa nesse trabalho sem ter um substituto.

E é isso que farei em breve, irei contratar alguém para ajudar. Talvez Sammy se interesse por isso.

Saio dos meus devaneios e olho as horas e constato que já passou um pouco do horário de almoço.

Dou uma pausa para almoçar e volto a minha tarefa.

Vez ou outra deixo meus pensamentos, as minhas lembranças com Castiel, aquele ômega consegue dominar meus pensamentos por inteiro. Me pego sorrindo pro nada enquanto lembro de tudo que passamos na noite passada.

Forço-me a concentrar novamente nos documentos em minha frente e quando percebo já está quase na hora de Castiel chegar.

Nossa, nem vi o tempo passar.

Levanto e vou fazer um lanche afinal estou apenas com o almoço no estômago.

Assim que termino de comer sento no bar e espero até que Castiel chegue para que eu possa voltar ao trabalho.

Esse ômega está me consumindo.

Um tempo depois a porta do restaurante se abre e sinto seu cheiro invadir minhas narinas e sorrio involuntariamente.

- Oi - Digo depois de caminhar até ele e lhe dou um selinho.

- Oi - Ele diz corado e tímido.

Algumas pessoas encaram nossa interação mas nao ligo, é bom que saiba que ele é meu.

- Tudo bem com você? - Pergunto acariciando seu rosto.

- Sim e com você alfa? - Ele diz de forma meiga.

- Estou bem.

- Acho que devo começar. - Ele fala olhando o relógio, e realmente está na hora dele começar.

Dou um aceno positivo e o vejo caminhar até o piano e depois de se alongar ele começar a tocar.

Sorrio pra ele e decido voltar para minha sala.

Trabalho um pouco, mas assim que minha cabeça começa a doer mais forte e minha vista embaçar de tanto ver letras na minha frente o dia todo eu decido parar e deixar para continuar amanhã .

Bom que aproveito o resto da noite para ver Cas tocando.

Saio depois de desligar e arrumar as coisas na minha sala e a medida que vou chegando no salão sinto cheiro de uma ômega conhecida por mim.

Não pode ser!

Sinto os pelos da minha nuca se arrepiar e meu coração bater forte e rápido. Várias lembranças passam pela minha mente rapidamente.

Eu não posso acreditar que ela resolveu aparece logo quando eu estou me resolvendo.

Isso não é possível, só pode ser mais um sinal de que não devo ter um ômega.

Ela só pode ter voltado pra esfregar na minha cara os motivos que me levou a não ter um ômega.

Motivos que quase havia esquecido.

Quando piso no salão a vejo ali admirando o show de Castiel.

Seu olhar encontra o meu assim que dou o segundo passo adentrando ali.

Sento no bar e peço uma bebida forte, e quando menos espero ela está ao meu lado.

- Olá Dean - Lisa diz com a voz rancorosa.

- O que você quer? - Rosno pra ela.

- Eu? Nada apenas vim ver a nova atração que você leva pra cama. Bonito ele. - Ela fala.

Quem disse a ela que estou com Castiel?

- Será que ele continuará indo pra sua cama sabendo o que você fez? O quão ruim você pode ser? - Ela fala baixo ameaçadoramente.

- Eu não fiz nada. - Rosno pra ela e me sinto tremer pelas lembranças que me tomam. 

- Não? Você tem certeza Dean? Como você pode insistir em se fazer de inocente?

- Lisa foi você quem fez, porque você quer colocar a culpa em mim?

- Porque a culpa foi sua, eu vim te procurar sabe, mas nunca te achei então eu soube que você estava com "seu" ômega. - Ela diz fazendo aspas ao dizer seu. - Eu fiquei chocada, e tenho que dizer que preciso avisá-lo antes que seja tarde pra ele, coitado. Tem o ar tão inocente, não merece um alfa ruim como você. Ou talvez mereça pessoas com ar inocente são as piores. - Ela diz divagando.

- Castiel não é você Lisa, me poupe. - Falo tentando manter minha raiva controlada.

Não é possível que eu não possa viver em paz.

Mas disso eu já sabia, eu não iria conseguir viver um conto de fadas com o passado que tenho.

- Vamos ver, eu quero acompanhar o desfecho da história, espero que não seja igual ou pior que o meu. Vindo de você pode se esperar de tudo. - Ela fala me encarando.

Seu cheiro me incomoda, é pura maldade e rancor.

- Eu já pedi perdão várias vezes, se você não é capaz de perdoar a culpa não é minha.

- Como você quer que eu te perdoe Dean, o que você fez e imperdoável. - Ela diz com a voz embargada.

Sim é imperdoável.

E o medo de que eu possa voltar a fazer isso com Castiel me assusta, eu não quero o magoar e agora eu já afundei ele e eu nessa relação que eu sabia que nunca devia ter começado.

Respiro fundo e aperto minha têmpora.

Que dia difícil!

- Dean - Ouço a voz controlada de Castiel, seu cheiro denúncia seu ciúmes e eu não estou com paciência para cena agora, espero que ele não faça.

- Olá eu sou Lisa, prazer. - Ela estende a mão e Castiel pondera se pegará ou não, ele acaba por pegar e diz seu nome a ela meio contrariado.

- Eu já vou indo senhor Winchester, vejo que está ocupado. - Cas diz.

O que foi que deu nele para me chamar de senhor Winchester se temos um relação?

Não pense besteira Castiel digo em pensamento.

- Baby eu vou te levar, vim para te esperar mesmo. - Falo e termino minha bebida num gole só, sentindo uma leve ardência quando o líquido desce por minha garganta.

- Que lindo casal. Boa noite eu vou me retirar. - Lisa diz com toda sua falsidade e sai me deixando com Castiel que pelo seu cheiro está furioso.

- Não precisa me levar, você estava num papo sério pelo que percebi, pode ir atrás dela e continuar o que estavam conversando eu só vim avisar que estou indo. - Castiel fala com um rapidez exagerada.

- Respira Cas, não era nada importante não se preocupe. - Decido por não contar a ele nada sobre Lisa por enquanto, é um assunto complicado.

- Ok, então vamos. - Ele diz e já sai andando.

Vou atrás e rapidamente saímos em silêncio até sua casa.

Não consigo interagir ou puxar assunto com ele estou perdido em meus pensamentos, em tudo que já aconteceu e chego a pensar se devo continuar com Castiel ou o deixar livre para ser feliz com outro alfa.

Outro alfa que preste.

Outro alfa que seja bom, pois claramente eu não sou.

E quando ele souber o que fiz ele pode até me odiar?

Mas foi tudo um acidente eu não tenho realmente culpa?

Tenho?

Respiro fundo e tento acabar com minha briga interna, olho pro lado e Cas está perdido em seus pensamentos também enquanto olha a rua atrás da janela do Impala.

- Tudo bem Cas? - Pergunto.

- Eu que te faço essa pergunta, você está tenso desde que saímos de lá. - Ele fala num tom preocupado.

- Eu estou bem baby, não se preocupe. - Dou um sorriso forçado e ele apenas me dá um aceno positivo com a cabeça.

Chego em sua casa e me despeço rapidamente dele com um beijo, claro ele fica um pouco confuso pois nossas despedidas são sempre calorosas.

Mas eu não consigo ser caloroso agora, minha cabeça está um turbilhão de pensamentos, a maioria negativos.

Vou acelerando pelas ruas até meu apartamento pensando em coisas do passado que estava começando a esquecer.

É hoje será uma noite difícil para dormir!



Notas Finais


Espero que goste!
Qual será a treta entre Dean e Lisa? 
Vote e comente sua opinião.
Beijos. 


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...