1. Spirit Fanfics >
  2. Sounds of shots- (reescrevendo). >
  3. Filho ?

História Sounds of shots- (reescrevendo). - Capítulo 13



Notas do Autor


Aviso nas notas finais ❤

Capítulo 13 - Filho ?


Fanfic / Fanfiction Sounds of shots- (reescrevendo). - Capítulo 13 - Filho ?

Juliana on. ..

Meu irmão se encontrava pálido e aos poucos foi caindo junto comigo que não consegui suportar seu peso.

-Lucas... - caímos no chão e a única coisa que consegui fazer foi proteger sua cabeça com minhas mãos. - não, não ,não, não! - Gabriel vem em nossa direção.

A casa é invadida pelos policiais e logo entram os médicos com uma maca.

Rita - lucas. - abaixo-se a nós.

-Você vai ficar bem! - minhas mãos tremiam.

Lucas começa a respirar com dificuldade e leva o olhar a Gabriel que se encontrava ao meu lado. 

Lucas - ti-tira...- tosse.- ti-ra ela daqui. 

- NÃO! - grito rouco. 

Sinto meu corpo ser puxado para longe de Lucas e tento de todas as maneiras me soltar.

Só então percebo que eram os para-médicos ajudando meu irmão.

Gabriel vem me abraçar e me prende contra seu corpo. 

- ME LARGA GABRIEL!!! - tento me soltar mais é em vão. - EU QUERO IR COM ELE ! - meu choro intenso ja havia se espalhado pela casa.

Meu irmão foi tirado de casa e levado pela ambulância.

eu me debatia nos braços de Gabriel que me apertavam, Erica e Angela desce as escadas apreensivas.

Angela - o que aconteceu? 

Erica - cadê o Lucas? - Abraço Gabriel sem saber o que dizer. 

Raimundo. (pai da Erica )- ele foi baleado. .. - Erica chora silenciosamente. - ele vai ficar bem! - abraça Erica.  

Q.D.T...

Agora estamos na delegacia, sim o pai da Erica nos trouxe pra delegacia, mas disse que não vai acontecer nada.  

Nesse exato momento a Rita ta sendo interrogada. 

Assim que ela sai aviso que Gabriel, Erica e eu vamos pro hospital ver como esta meu irmão, e assim fazemos. 

Assim que chego no hospital paro a primeira enfermeira que vejo passando para pedir informações sobre meu irmão. 

- com licença, moça! - abordo a enfermeira. - eu queria saber do meu irmão Lucas Guerra! Ele foi baleado e chegou aqui a pelo menos duas horas. .

Enfermeira. - Lucas. ..- procura o nome na fixa. - ah claro ele esta no segundo andar sala (***) .

Erica - como é que ele tá? 

Enfermeira- não foi nada muito grave! a bala foi removida sem muito esforço ele apenas perdeu um pouco de sangue mas está bem! 

Gabriel - ele pode receber visitas então né? !

Enfermeira- Claro! - todas as palavras dela me trouxeram um certo alívio. - me acompanhem por favor! - ela vai na frente e nos a seguimos. 

Assim que entramos na sala Lucas leva seu olhar a nós.

- seu imbecio! - corro até o mesmo e o abraço. - quer me matar do coração? ! - sinto ele retribuir o abraço. 

Lucas - você não vai se livrar de mim tão fácil! - rir e nos separamos. 

Erica o abraça chorando sem dizer uma única palavra e Lucas retribui ao abraço da mesma forma.

Gabriel me abraça por trás e eu encosto a cabeça em seu peito sentindo o meu mais calmo. 

Erica - eu fiquei com medo de...

Lucas - chiiiu... - separam o abraço e ela senta a beira da cama segurando a mão dele.- não diga bobagens. - rir.- ja ouviu falar que vazo ruim não quebra? -rimos. 

Gabriel - Vamos deixar os dois a sós um pouco. - fala baixo em meu ouvido e saímos do quarto. - ta melhor? - pergunta e eu assisto sorrindo.

- então quer dizer que agora você é meu namorado? - pergunto rindo o fazendo rir também. 

Gabriel - e você minha namorada! - me puxa para um beijo calmo e apaixonado. - topa sair comigo a qualquer dia desses? - pergunta assim que separamos o beijo. 

- por que não? - rimos. 

Ficamos um bom tempo conversando até que decidimos chamar a Erica para ir embora que pra nossa surpresa estava dormindo com a cabeça apoiada no peito do lucas, embrulhado pelo mesmo lençou e dividindo a cama do hospital. 

Um sorriso bobo se formou em meu rosto eles são o casal mais fofo que conheço. 

Juliana on...

Eles estavam tão fofos juntos, não me atrevería a chama ela, mas também não iria deixar passar direto. 

Gabriel - oque ta fazendo? - pergunta baixo para não acorda-los.

-Tirando uma foto, claro! - respondo no mesmo tom. Acabei tirando duas. 

Gabriel - já? - rir. 

- sim! Vamos! 

Gabriel - e a Erica? 

- você tem coragem de acorda-los?- nega . - então vamos!

Pegamos um táxi e fomos direto pra casa.

Ainda estava suja de sangue e minhas roupas não estavam em um bom estado. 

Assim  que chegamos vejo Rita limpando a bagunça toda junto com a Angela e a Ana.

Já não tinha nenhum corpo pela casa, o estrago foi feio.

Tinha sangue nas paredes e marcas de balas em toda a sala. Vejo Brenda descer as escadas correndo e pular em cima do Gabriel. 

Gabriel - aih... - quase os dois caem no chão. 

Brenda - eu.- separa o abraço. 

Gabriel - eu...? - incentiva a mesma a continuar. 

Bruno - ela tava pra morrer de preocupação! - fala saindo da cozinha assim como Ana (mãe do Gabriel).

Ana- Gabriel. .. - o abraça também. 

Gabriel - mãe...

Brenda - e aí Ju? ! - ta tudo bem? - vem ate mim. 

- não. eu tô muito confusa! - olho pra escada novamente e lembro do pedido de namoro. - mas de certa forma eu to bem sim! - sorri de canto. 

Brenda - entendo. 

- vamos arrumar essa bagunça! - começo a juntar o objeto que estavam jogados pela sala. 

Um mês depois. 

Já se passou um mês, estou até pensando melhor na palavra "Vida normal". 

A única dúvida que eu tenho é por que o Leo teve aquela atitude? 

Hoje é domingo! tem muitas coisas acontecendo.

A Rita ta saindo com o pai da Erica, Angela voltou a suas viagens de negócios, Erica anda estranha , ta muito quieta esses últimos dias, o Lucas ta tomando conta da empresa do meu pai, Gabriel e eu estamos bem! minha sogra é um amor de pessoa , mas o Bruno, eu tô perdendo a paciência com esse garoto, ate bater nele eu ja bati por que tentou me agarrar, mas ele não aprende. 

Percebi que Diogo esta tentando conversar com a Brenda , mas ela não dá o braço a torcer. 

É noite e combinamos que hoje vamos sair! Todos juntos.

Gabriel - Ju...- entra em meu quarto. 

Estou vestindo o mesmo vestido de a um mês atrás, eles podem não lembrar mas, hoje completa um mês desde o ocorrido.

Completa um mês  que Gabriel e eu estamos namorando. 

- Gabriel... - vem ate mim me abraçando por trás enquanto amarro meu cabelo em um rabo de cavalo. 

Gabriel - esse vestido? 

- é...- viro de frente para o mesmo lhe dando um selinho demorado. 

Gabriel - acho que vamos dormir fora hoje. .. - fala cheirando meu pescoço. 

- é...? - pergunto provocativa .

Gabriel - aham...- volta os beijos a minha boca. 

- porque? ...- sinto suas mãos desceram de minha cintura indo em direção a minha bunda apertando o local. 

Lucas - Ju eu. ... - paramos o beijo mas continuamos abraçados.  - Desculpa. - rir.

- Droga Lucas! - reclamo frustrada virando para olha-lo.- oque é?

Lucas - esse vestido? - pergunta em um tom irreconhecível. 

- Qual é o problema de vocês com, esse vestido? - rimos. 

Lucas - bem.. eu só vim avisar que estamos esperando .

- tô indo... -sai do quarto. 

Gabriel - ainda quer saber o motivo? - pergunta me virando de frente novamente apertando minha cintura fazendo nossos corpos se chocarem. 

- argh... droga Gabriel....

Gabriel - tô te excitando? 

- acho bom me recompensar! - mordo de leve seu labio inferior. 

Gabriel - não sabe o quanto eu tô precisando te senti... - Nos beijamos novamente. 

Brenda - JU!!! - grita do andar de baixo. - GABRIEL! !!! VAMOS A GENTE QUER  COMER! - acabei rindo contra os lábios de Gabriel que se separa de mim puxando os fios de cabelo para trás em sinal de frustração. 

Gabriel - vamos definitivamente dormir fora hoje! !!- rimos e saímos do quarto .

Gabriel e eu só ficamos uma única vez, que foi quando fomos pra casa na mata.

Desde a nossa primeira e única vez sempre acontece algo ou aparece alguém para nós interromper. 

Descemos as escadas e todos estavam nos esperando, dessa vez, pude perceber que todos nós estávamos desarmados. 

Q.D.T. ..

Realmente foi muito divertido! A gente riu tanto, até o pai da Erica veio! Acho que estou ganhando um padrasto. 

Agora Gabriel esta me levando a algum lugar, não sei onde mas estou curiosa.

Já faz alguns minutos que estamos na estrada! sera que ele ta me levando pra casa dele? Quer dizer. .. antiga casa. ..

.

.

.

Eu e meus pressentimentos.. vou jogar ba Mega-Sena.

Gabriel abre a porta mais não entra. 

Gabriel - pode ir entrando, vou só guardar a moto. - entro na casa reparo que está tudo arrumando, parece até que tem gente morando aqui, apesar de ter poucos moveis e estarem todos vazios. 

Não demora muito até que eu possa sentir meu corpo ser puxado com brutalidade e meus lábios serem atacados. 

Gabriel - eu... tô com saudades de você! - fala entre o beijo. - dou seus toques. ..- fala com a voz rouca e arrastada em meu ouvido me fazendo arrepiar.- do..

- anda logo com isso. ..- falo sem paciência e sinto meu corpo ser erguido e laço minhas pernas em sua cintura.

Mesmo sem separar o beijo percebo que estávamos subindo as escada, assim que chegamos no quarto nos livramos de nossas roupas com certa pressa Fincando apenas com peças íntimas, (o vestido dela não precisava de usar sutiã. ) 

Gabriel nós deita na cama ficando por cima de mim, Uma de suas mãos aperta meu seio, enquanto dava leve chupões no outro revezando.

Minha mãos se encontravam  concentradas em seus cabelos. 

Meus olhos se encontravam fechados, minha boca atre-abre sem emitir som algum... eu estava entregue, totalmente entregue a ele.

Seus chupões sobem para meu ombro e uma de suas mãos vai até minha intimidade estimulando a mesma ainda coberta pela calcinha de renda. 

Seguro sua nuca dando início a um beijo intenso na tentativa de abafar os gemidos.

Minha respiração começa a ficar acelerada sua boca se encontrava em meu pescoço bem próximo ao meu ouvido. 

Gabriel - eu não sei se vou conseguir ser carinhoso dessa vez... - fala rouco em meu ouvido retirando a mão da minha intimidade. 

- então não seja. ..- falo descendoas mãos pelo seu abdome, sua risada nasal rente ao meu ouvido me faz arrepiar. 

- eu não quero te machucar. ..- roça o nariz em meu pescoço.

- é você quem vai sair machucado se não andar logo com isso. - pego impulso invertendo as posições ficando por cima de sua ereção. 

Gabriel senta na cama comigo em seu colo e solta meu cabelo que estava preso em um rabo de cavalo. 

Um tapa forte é desferido em minha bunda, por algum motivo acabei soltando uma risada divertida com a cabeça apoiada em seu ombro .

Gabriel - você gosta? - pergunta provocativo apertando minha coxa. - ham? - não respondo e ele me da outro tapa no outro lado da minha bunda e acabo repetindo o mesmo ato sentindo meu cabelo cair sobre meu rosto. 

Gabriel me deita novamente na cama e me beija, para o beijo e me olha um tanto quanto curioso. 

- que foi? - pergunto preocupada. 

Gabriel - você ta toda marcada! - acabo rindo.

- quem disse que eu me importo?- Gabriel sai de cima de mim me deixando preocupada, sento na cama e vejo que ele ta procurando algo. 

Gabriel - não tô encontrando as camisinhas .- levanto da cama e vou ate o mesmo o abraçando por trás. 

- vamo sem então! - sussurro em seu ouvido.

Gabriel vira de frente com um sorriso no rosto, vai me empurrando até a cama e me joga na cama (sem brutalidade gente).

Ele retira sua cueca e puxa minha calcinha a removendo do meu corpo. 

O maior deita sobre mim, entre minhas pernas roçando nossas intimidades.

Sinto o mesmo me penetrar lentamente e um pouco de desconforto mas, não reclamo. 

Sou surpreendida por uma estocada funda e forte que me fez soltar um gemido alto. 

Gabriel - continuo assim? - não respondi apenas concordei com a cabeça.  

O ato se repetiu por pelo menos uma três vezes de forma pausada. 

Seus movimientos ficaram rápido entrelacei minhas pernas em seu quadril em busca de mais contato. 

Uma de duas mãos apertavam minha cintura com firmeza impulsionando seu movimentos.

Minhas unhas com certeza ja avia feito um belo estrago em seus braços, ombros, nuca e costas.

Seus chupões eram intensos sobre meu corpo e nossos gemidos eram bem audíveis.

- ahmm... 

Gabriel - argh. ..

Sinto meu interior se contriar indicando que meu épsie estava bem próximo.

Gabriel sai de dentro de mim e se ajoelha na cama. 

Gabriel - fica de quatro! - faço oque ele pede. - empina pra mim. - empino o máximo que consego e sinto suas mãos em minha cintura Gabriel pincela minha entrada e sem aviso prévio me penetrar com força me fazendo gemer alto novamente. 

Gabriel - tão molhadinha e tão Apertadinha... - suas estocadas brutas e prazerosas me atingiam ao máximo. -aargh Ju !!!- sinto Seu corpo suado sobre minhas costas e uma mordida  próximo ao meu ombro, acabo rindo novamente após soltar om gemido.

Gabriel - porque me provoca tanto? - recebo uns dois tapas seguidos no lado direito da minha bunda. acabo rindo novamente .

Qual é a porra do meu problema? 

Gabriel - gosta quando te machucam? ... Quando te maltratam? 

Agora o lado esquerdo da minha bunda foi atacado. Suas duas mãos seguraram firme minha cintura .

-Ahhm...

 Eu podia sentir seu membro rígido quase saindo de mim e entrando com tudo novamente. 

-Gabriel. .. - gemi seu nome arrastado sentindo meu orgasmo chegando e minhas paredes se contraírem. 

Gabriel - argh. ..você ta... argh. .. me apertando. - fala diminuindo os movimentos. 

- Gabriel eu. ... - acabo gozando. Gabriel saiu de dentro de mim gozando em minha bunda. 

Ele se joga na cama e eu continuo na mesma posição,

O mais velho estava com os cabelos molhados pelo suor e eu não estava diferente.

Ele me puxa para seu colo e nossas respirações descontroladas se misturam, fecho meus olhos sentindo meu corpo mole.

Gabriel - eu te amo. .. - fala acariciando meus cabelos. 

-Pelo menos agora não esperou eu dormi pra poder falar isso! -rimos. - Eu também te amo. - abro meus olhos e o vejo com um grande sorriso no rosto do mais velho. 

Gabriel - você ta toda marcada! - fala preocupado e eu acabo rindo. 

- culpa sua...

Gabriel - te machuquei? 

- não! - o olho e ficamos em silêncio

Gabriel - sabe, agora eu fiquei pensando. .. o que acha de um filho!

-Que? - tenho certeza que arregalei os olhos. - filho?

Gabriel - calma. .. - rir.  - não precisa se assustar, tô falando de adoção! - silencio. - não que eu não queira filhos com você, mas tenho certeza que você não iria querer agora, eu te entendo. 

- pera. . . Que doideira é essa?  - aassustada?  Muito! Sento na cama rápido.  - filhos? filhos Gabriel? - ri - você é um loco! - ele fica em silêncio olhando meu corpo. - fala alguma coisa Gabriel!  - ri de novo- Vai me deixar curiosa agora?

Gabriel - Não tá chateada? - parecia confuso. 

- bem foi algo repentino más deveter algum motivo certo? ! - ele sorrir de lado. - entãooo....

Gabriel - vamos tomar banho! - levanta e me pega no colo. 

- para seu bobo! - começo a gargalhar. 

Gabriel - amanhã quero te levar pra conhecer alguém! -afirma com um sorriso no rosto. 

- tô curiosa. 

Assim que começamos a tomar banho Gabriel veio com suas mãos bobas , senti sua ereção roçar na minha bunda e acabei rindo. 

Eu só posso tá namorando uma máquina de fazer sexo só pode ser! - ri dos meus pensamentos. 

Gabriel - do que ta rindo? - me viro de frente e ele segura minha cintura ja me beijando e me prendendo entre a parede e seu corpo. 

- você não cansa não? - rimos .

Gabriel - você me deixa duro e eu que sou culpado? - rimos. 

- palhaço!

O maior me pega no colo e encaixa seu membro em minha entrada e começo com suas estocadas lentas,pra me provocar. 

- que foi Gabriel? esqueceu como é que se tranza? - pergunto provocativa com um sorriso desafiador. 

Não foi preciso dizer mais nada, Gabriel já estava me estocando fundo e forte, nossos gemidos se misturavam e nossas bocas pareciam ímas .

Gabriel on...

Q.D.T...

Assim que acordei fui pra cozinha preparar um café da manhã. (sua preferência.) 

Ju ainda tava dormindo e tudo já estava pronto, ja eram 9 da manhã resolvi subir pro quarto pra acorda-la. 

Seu sono calmo, sua respiração leve a deixava cada vez mais linda, ela se mexe um pouco na cama e lentamente vai abrindo os olhos.

- Bom dia. ..- falo calmo sentando a beira da cama. 

Ju - ja amanheceu? -pergunta manhosa. - que horas são?

- ainda é cedo. - levo minhas mãos até seu rosto tirando os fios de cabelo soltos ali. 

Ju - humm... cheirinho bom. ...

- levanta ... Vamos merendar. 

Vejo ela tirar a coberta do seu corpo revelando sua pele macia sem roupa por termos dormidos despidos. 

- ja acorda me provocando. ..- resmungo baixo. .

Ju - eu ouvi. - rimos. - ver seu corpo completamente marcado me fez sentir um certo peso na consciência. - acho que o vestido não vai cobrir tudo isso. - fala rindo se olhando no espelho. 

- acho que peguei pesado de mais.

Ju - foi perfeito! - fala vestindo a calcinha e logo após o vestido .

O cllr dela toca e ela vai atender. 

Ju - tô bem. .. estamos bem!  ... daqui a pouco nois vamos! .... ta ! -depois dessa sequência de respostas ja imaginei quem era- não sei! .... CLARO! !!-responde animada me deixando curioso. - deixem pra mim em...-rir.- também te amo! - rir-  até! ... pode deixar. Tchau Lucas! !! - sorrir. 

- era o Lucas? 

Ju - aham!

Tomamos cafe e acabei por decidir que não estavam muito apresentáveis pra uma visita.

realmente estávamos todos marcados. 

Antes de irmos pra casa passamos em algumas lojas de roupas de bebê sim! de bebês.

Juliana encasquetou que a Erica ta grávida, acabamos comprando um parsinho de sapatos amarelo. Assim que chegamos percebi que tava muito animada a casa .

-oque ta rolando aquí? 

Ju - festa na piscina, só falta a gente. 

- a gente não vai né?! 

Ju- Claro que vamos! 

- você vai vestir biquíni com todas essas marcas? - perguntei incrédulo. 

Ju - vou! - disse firme. 

- mas o que vão dizer de você? 

Ju - ta com vergonha? 

- não Juliana ! Mas você devia estar! 

Ju - polpe-me Gabriel! - fala estressada. - se não queria que eu ficasse marcada era só não me marcar!

Entra estressada na casa, acabei de perceber que fiz merda, vou atrás dela na tentativa de concertar a burrada que fiz.

- Ju! - ela sobe as escadas correndo. - espera! 

Ju - pra que?  Vai me cubrir? - para no ccorredor. 

- não. - segurei sua mão. - Desculpa tá, eu só acho...acho que fiquei com ciúmes, essas marcas te deixaram mais sexy... argh. - rir.

Ju - você não tem jeito mesmo! - me beija. - acho bom mostra suas marcas também! 

- ahm?

Ju - assim vão saber que você tem dona. ..- sorrir sapeka. - vou me vestir, ou melhor, me trocar!

Juliana on...

Gabriel é um fofo, pensei que a gente realmente fosse brigar, mas não.

Eu literalmente não fiquei com vergonha das marcas, são minhas Aishh! 

Vesti um biquíni branco e amarrei meu cabelo em um coque bem preso, meu irmão sempre me falou que não importa quem vê seu corpo e sim quem ver seu caráter! 

Não tenho vergonha de mostrar meu corpo, desde que eu esteja  de peças íntimas ta tudo bem.

Desci as escadas e encontrei Gabriel na sala com uma bermuda de praia. Gostei! 

Ele ficou um tempo me olhando mais logo veio até mim e me beijando. 

Lucas - vejo que ja chegaram! - vou ate ele o abraçando. - parece que alguém sentiu Saudades!- o solto na mesma hora. - tava brincando !- rimos. - e aí Gabriel - se cumprimentam com um abraço rápido .

Lucas pareceu nem ter reparado nas marcas, abracei Gabriel de lado e fomos pro quintal.

recebemos breves olhares mas, nada de mais.

Erica - JU!!! -me abraça. - Que bom que chegou!

Brenda - eu também quero Abraço! - vem ate mim me abraçando. 

Gabriel foi conversar com o Lucas e Brenda com Bruno e eu com a Erica.

Percebi que o Bruno não parava de olhar pra mim e isso me incomodou de certo modo. 

Erica - ainda não gosta dele né? - rir. 

- nem um pingo! - rimos. 

Lucas vem em nossa direção com um prato de brigadeiro de colher na mão e Erica faz uma cara de enjoda e sai correndo. 

Sério Erica? Com tanta coisa pra você enjoar veio enjoar logo chocolate? - ri dos meus pensamentos. 

Lucas - pra onde ela foi? - pergunta calmo más seu tom preocupado era visível. 

- deve ter ido para o banheiro mais próximo vomitar! - falo sem importância e ele vai atrás dela logo após me entregar o prato. 

Lucas on...

Tem alguma coisa acontecendo com a Erica mas, ela não quer me contar, ja é a terceira vez essa semana que ela vomita e fora que anda tendo tonturas repentinas. 

Vou até o banheiro cujo a porta estava aberta e seguro seu cabelo com cuidado em um rabo de cavalo.

- oque esta acontecendo com você em? - pergunto calmo já sabendo a resposta que ela vai me da. 

Erica lava o rosto na pia, sua pele estava um pouco pálida, ela solta seu cabelos  de minhas mãos e me olha .

Erica - não é nada de mais. - sorrir fraco. - não precisa se preocupar! 

segura minha mão me puxando para fora da casa e se senta com a Ju novamente.

Não acreditando em sua resposta vou em direção a Gabriel. 

Gabriel - que cara é essa? - rir.

- é a Erica!  Ela não tá bem ! Mas não quer falar o que está acontecendo! - Gabriel rir. - que foi? 

Gabriel - nada não! - ficamos em silêncio. - vem cá... que tipo de festa de piscina não se usa piscina? - pergunta rindo.

- vamos chamar as meninas para banhar! 

Gabriel - você vai ver como é que eu vou chamar a Ju. - sorrir de um maneira esquisita e vai até ela. 

Juliana on...

Estava conversando com a Erica quando ela começa a olhar para trás de mim. 

Quando olho pra trás vejo Gabriel bem perto de mim com cara de quem vai aprontar , assim que o mesmo me pega no colo, entro em desespero. 

- não, não, não, não! - digo desesperada e ele corre para piscina. 

Fecho meus olhos e prendo a respiração sentido meu corpo entrar em contato com a água, assim que chegamos no fundo da piscina me soltei de Gabriel e tentei subir para a superfície, mas foi em vão.

Gabriel me puxou pelas pernas e me deu um selinho demorado em baixo da água logo depois subiu nossos corpos pra cima! 

- seu loco. ..- falo batendo em seu peito.

Vejo Breba conversar com bruno, ela assenti e os dois vem para a piscina.

Brenda olhava pra nós com um sorriso sincero, bruno parecía com raiva de algo más nem liguei.

Os dois começaram a connversa e logo depois vinheram pra piscina ...pera. ...

- a Brenda não sabe nadar? - pergunto surpresa vendo Gabriel confirmar. 

Gabriel - mas ela não tem medo! -afirma orgulhoso. 

Bruno segurava a Brenda com cuidado e brincavam .

Brenda - topam uma briga de galo? - Gabriel e eu nos olhamos e rimos. 

.....

Gabriel e eu ja tínhamos ganhando três vezes seguidas e Brenda com Bruno as duas últimas vezes, Érica e Lucas assistiam tudo abraçandos.

- chega ... não aguento mais! - rimos.

Gabriel - tem sorte que cansamos. 

Brenda - tão se achando de mais! - rimos. 

Saio da piscina e sinto novamente o olhar do Bruno sobre mim, respirei fundo tentando manter a calma.

Calço minhas sandalias  e vou beber água. 

Entro na cozinha e abro a geladeira, pego a jarra de água e me viro dando de cara com Bruno. 

Bruno - eu poderia ter feito melhor!- fala encarando as marcas no meu peito. 

- se você ainda quiser ter filhos acho bom se afastar! - digo firme e ele faz sinal de rendição se afastando de mim. 

Bruno - então você gosta de ser maltratada...? - o encarei com o copo na boca. 

Gabriel - acho que isso não lhe diz respeito! - entra na cozinha. 

Bruno - você não consegue satisfazer ela né? ! - rir e eu vou ate ele. 

- muito pelo contrário! - me aproximo mais. - ele tem a melhor foda! - olho nos olhos dele. - o prazer que ele me proporcionou nas vezes que ficamos só me faz querer cada vez mais e diferente do que você diz, ele sempre sabe o que eu quero! ele me sacia! ele me satisfaz! - solto uma risada sarcástica e vou ate Gabriel lhe dando um beijo que logo foi retribuído com luxúria. 

Ouvi Bruno sair de casa e...palmas? 

Brenda - meu irmão é tão bom de cama assim? - ri envergonhada e abracei Gabriel. 

Erica - caracas. ... arrasou!!!

Lucas - acho melhor a gente arrumar as coisas! - meu irmão era o único que tava serio. - a festa acabou. 

Começamos a limpiar tudo , a campainha tocou e eu fui atender ainda de roupas de banho. 

Leo - Ju! - me abraça chorando.

- leo? ....- aos poucos retribui o abraço. - o..que aconteceu? 

Leo - me-u pai!

Lucas - fica longe del... - para de falar. - oque. ...- Leo se afasta de mim enxugando as lágrimas. 

- vem. .. - seguro seu pulso e ele aparenta estar surpreso com meu ato. 

Gabriel - oque ele. .. - o olho cortando sua fala. .

Puxo Leo ate o sofá e sento, meus dois seguranças estavam na porta da cozinha me olhando..

Leo -  o pai ta morrendo... ele que te ver. 

Gabriel - mentira. ..

-Cómo assim morrendo? 

Gabriel -não é verdade! 

Leo - ele. .. - chora e Gabriel revira os olhos. 

- Desculpa eu não quis... desculpa.

Leo - você poderia ir na minha casa comigo ?- penso um pouco. - não...

Gabriel - não !!!- não aguentei mais.

Peguei minha sandália e joguei em seu peito que ficou vermelho no mesmo estante. 

Gabriel - porra Ju. 

- ....- fico em silêncio o olhando.

Gabriel- que é isso Ju?

- uma sandália voadora, não tá vendo? - lucas rir. 

Continua? 


Notas Finais


Postarei por semana...
Quero aproveitar para agradecer pelo carinho e interação de todas... obrigada, fiquem bem! Bjs ;-; ❤❤❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...